/blog/blindagem patrimonial/

 (11) 3340.6655     (11) 95636.4873     contato@pigatti.com.br      Cliente
    
  


Blindagem patrimonial: seus bens pessoais seguros
escrito em 4 de fevereiro de 2020

Num mercado de trabalho competitivo, é fácil ir deixando o tempo correr e não se atentando ao fato de que, antes de ser uma empresa, você é uma pessoa física. Para se manter em constante crescimento, é preciso também estar atento à cuidar do que já foi conquistado. É aí que entra a chamada blindagem patrimonial, uma prática de natureza jurídica e tributária que protege o patrimônio pessoal de empresários, sócios ou investidores a fim de evitar problemas que possam acometer a empresa: dívidas, indenizações e recuperações judiciais, por exemplo.

 

Esse recurso só é válido se a empresa já não tenha sido citada em processo de Cumprimento de Sentença, Execução cível, fiscal, trabalhista ou previdenciária. Nesse caso, as ações de blindagem patrimonial de forma preventiva são absolutamente legais. Mas se torna ilegal se tem o objetivo de fraudar credores, afastando a responsabilização pelo pagamento de dívidas, ou seja, a realização de atos posteriores à citação válida em processo de execução. Basicamente, o empresário continua pagando os impostos e dívidas, mas se surgir uma crise na empresa dele, a casa e os bens que ele conquistou até aquele momento, não serão perdidos em regra.

 

Como funciona a blindagem patrimonial?

Existem várias maneiras de constituir uma blindagem patrimonial. Uma delas é quando o proprietário blinda o imóvel que é utilizado por sua família, tornando-o impenhorável – de acordo com o artigo 1º da Lei nº8.009/90. No entanto, a instituição de bem de família deve ser feita preventivamente, com a averbação no registro de imóveis ou posterior ao surgimento das dívidas, o que dependerá de julgamento pelo Poder Judiciário.

 

Em relacionamentos, há a possibilidade de um contrato de namoro, feita por escritura pública, com cláusulas básicas, no qual os envolvidos assumem que não têm a intenção de constituir família, afastando o direito de reivindicar na Justiça o patrimônio constituído durante a relação. Se o relacionamento evoluir para uma união estável ou casamento, prevalecerão as regras do novo contrato, que deverão firmar publicamente. A partir daí pode-se constituir o casamento no regime da separação total de bens, afastando a possibilidade de divisão do patrimônio em caso de divórcio, bem como afastando a responsabilização por dívidas contraídas por um dos cônjuges.

 

Holdings: empresas patrimoniais

O mais comum, no entanto, é que seja constituído as chamadas holdings patrimoniais, por meio de sociedades limitadas, EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada) e/ou por ações. Esse método de blindagem patrimônio possui alta eficácia e pode trazer vantagens tributárias, fiscais, sucessórias e econômicas, além de reduzir a burocracia na transferência de bens. Na holding familiar, todo o patrimônio — como o conjunto de imóveis — é reunido e integralizado sob figura jurídica. Por ser uma personalidade jurídica diferente, elas acabam protegendo os bens do proprietário caso algum problema atinja a pessoa física.

 

Diferente das sociedades empresariais em que cada sócio tem porções distintas entre si, quando uma holding familiar é criada, o patrimônio passa a ser dividido em cotas. Essa modalidade tende a evitar problemas quando há desigualdade entre o número de sócios e a quantidade de ativos: três imóveis de grande porte para dois sócios/herdeiros. É possível, ainda, estabelecer o usufruto em favor dos doadores com cláusulas restritivas de impenhorabilidade, incomunicabilidade (impede que o bem recebido integre o patrimônio que irá se comunicar com o do cônjuge) e reversão. Com isso, os doadores podem fazer a gestão de todo o patrimônio, sendo obrigatória a aprovação destes em decisões posteriores, sob pena de nulidade.

 

Contabilidade na blindagem patrimonial

Para a blindagem patrimonial estar em pleno acordo com a legislação vigente, e embora, não haja fórmula pronta que sirva para todos os casos, é preciso fazer um levantamento detalhado de diversos aspectos antes da constituição de uma holding familiar. O patrimônio é só o primeiro deles, pois o regime de casamento dos sócios, processos judiciais em curso, dívidas existentes, além de conflitos de interesses entre familiares devem ser levados em conta. É preciso fazer um planejamento financeiro, tributário e sucessório adequado e nesse processo, uma contabilidade de qualidade faz toda a diferença.

 

Mesmo que seja um dispositivo legal e estratégico para a administração do patrimônio total de uma família, sua administração é minuciosa e não pode haver erros, sob risco de punição do fisco. Assim, ter à disposição uma consultoria especializada em blindagem patrimonial pode fazer toda a diferença nesse processo, facilitando a gestão pelos herdeiros e garantindo um futuro financeiro saudável para a sua família. A Pigatti Consultoria pode ser a solução ideal para o seu caso! Entre em contato para saber mais!

 

ESCRITO POR: Fernando Pigatti

Líder na Pigatti. Ajudando os donos de negócios do Brasil!


voltar
{"continue":{"imcontinue":"1413159|Wikidata-logo.svg","grncontinue":"0.826646953287|0.826646953287|0|0","continue":"grncontinue||revisions"},"warnings":{"main":{"*":"Subscribe to the mediawiki-api-announce mailing list at for notice of API deprecations and breaking changes. Use [[Special:ApiFeatureUsage]] to see usage of deprecated features by your application."},"revisions":{"*":"Because \"rvslots\" was not specified, a legacy format has been used for the output. This format is deprecated, and in the future the new format will always be used."}},"query":{"pages":{"2207753":{"pageid":2207753,"ns":0,"title":"O Menino Quadradinho","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Sem notas|data=dezembro de 2017}}\n{{Info/Filme\n|t\u00edtulo = O Menino Quadradinho\n|imagem =\n|ano = [[2008]]\n|dura\u00e7\u00e3o = 15\n|idioma = portugu\u00eas\n|g\u00e9nero = fic\u00e7\u00e3o\n|dire\u00e7\u00e3o = [[Diego Lopes]]\n|dire\u00e7\u00e3o de anima\u00e7\u00e3o = [[Fernando Macedo]]\n|roteiro = [[Diego Lopes]]
[[Halina Paganelli Silva]]\n|elenco = [[Alan Raffo]]
[[Emilio Pitta]]
[[Fernando Macedo]]
[[Kayky Brito]]
[[Marco Zenni]]
[[Patrick Nic\u00e1cio De Oliveira]]
[[Sidney Magal]]
[[Tatiana Blum]]\n|c\u00f3digo-IMDB = 1351188\n|tipo = CF\n|pa\u00eds = Brasil\n|cor-pb = cor\n}}\n\n'''O Menino Quadradinho''' \u00e9 um [[curta-metragem]] dirigido por [[Diego Lopes]], com [[dire\u00e7\u00e3o de fotografia]] de [[Andr\u00e9 Rassi]] e co-produzido pela [[Oger Sepol Produ\u00e7\u00f5es]] e [[Spirit Animation Studios]]. Foi exibido pela [[TV Brasil]] em [[2008]] no [[programa de televis\u00e3o]] [[Curta Crian\u00e7a]].\nEste curta-metragem foi feito baseado no livro \"O Menino Quadradinho\", de [[Ziraldo]], escrito em [[1989]], e faz parte da \"S\u00e9rie Mundo Colorido\".\n\n==Sinopse==\nUm garoto vive dentro de um [[gibi]]. At\u00e9 que um dia n\u00e3o existem mais quadrinhos, tudo est\u00e1 diferente. Assustado, acaba encontrando as [[palavra]]s, que nunca antes tivera contato.\n\n==Produ\u00e7\u00e3o==\n* [[Montagem]]: [[Fernando Severo]]\n* [[M\u00fasica]]: [[Jean Gabriell]], [[Vinicius Nisi]]\n* [[Produ\u00e7\u00e3o]]: [[Oger Sepol Produ\u00e7\u00f5es]]\n* [[Anima\u00e7\u00e3o]]: [[Spirit Animation Studios]]\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n* {{citar web|url=http://www.ziraldo.com/livros/quadrado.htm|t\u00edtulo=Ziraldo: Livros e Obras}}\n* {{citar web|url=http://fellini.visualnet.com.br/cinema/fest2008/web/filme.asp?id_filme=339|t\u00edtulo=Festival do Rio}}{{Liga\u00e7\u00e3o inativa|1=data=maio de 2019 }}\n* {{citar web|url=http://www.portacurtas.com.br/curtanaescola/filme.asp?Cod=5670|t\u00edtulo=Curta na Escola}}{{Liga\u00e7\u00e3o inativa|1=data=maio de 2019 }}\n\n{{esbo\u00e7o-filmebra}}\n{{DEFAULTSORT:Menino Quadradinho}}\n[[Categoria:Filmes do Brasil de 2008]]\n[[Categoria:Curtas-metragens do Brasil]]"}]},"4807572":{"pageid":4807572,"ns":0,"title":"Meles anakuma","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{mais fontes|data=julho de 2015}}\n{{Info/Taxonomia\n| name = Texugo-japon\u00eas\n| image = Meles meles anakuma at Inokashira Park Zoo.jpg\n| image_alt = \n| image_caption = Meles anakuma at [[Inokashira Park]] Zoo (Main Park), Tokyo, Jun 2009\n| status = LC\n| status_system = IUCN3.1\n| status_ref = {{IUCN2009.1|assessors= Kaneko, Y. & Sasaki, H. |year=2008|id=136242|title=Meles anakuma |downloaded=17 August 2009}}\n| regnum = [[Animalia]]\n| phylum = [[Chordata]]\n| classis = [[Mammalia]]\n| ordo = [[Carnivora]]\n| subordo = [[Caniformia]]\n| familia = \n| subfamilia = [[Mustelinae]]\n| genus = ''[[Meles]]''\n| species = '''''M. anakuma'''''\n| binomial = ''Meles anakuma''\n| binomial_authority = [[Coenraad Jacob Temminck|Temminck]], 1844\n| range_map = Japanese Badger area.png\n| range_map_caption = Japanese badger range\n| fam\u00edlia = [[Mustelidae]]\n}}\nO '''texugo-japon\u00eas''' (''Meles anakuma'') \u00e9 uma esp\u00e9cia de [[carn\u00edvoro]] da fam\u00edlia [[Mustel\u00eddeos|Mustelidae]]. \u00c9 end\u00eamica do Jap\u00e3o e pode ser encontrada nas regi\u00f5es de: [[Honshu]], [[Kyushu]], [[Shikoku]] e [[Shodoshima]]. Ela compartilha o\u00a0g\u00eanero\u00a0[[Meles]] com os\u00a0[[Texugo-asi\u00e1tico|texugos asi\u00e1ticos]] e [[Texugo-europeu|texugos europeus]].\n\n== Descri\u00e7\u00e3o ==\n[[Ficheiro:Meles_(Genus).jpg|left|thumb|Compara\u00e7\u00e3o ilustrativa do [[texugo-europeu]] (topo), [[texugo-asi\u00e1tico|texugo asi\u00e1tico]] (centro), e [[texugo japon\u00eas]] (baixo)]]\nTexugos-japoneses s\u00e3o pequenos (em m\u00e9dia 79 cm para os machos e 72 cm para as f\u00eameas) O comprimento da cauda \u00e9 entre 14 cm e 20 cm. Adultos pesam geralmente entre 4 \u00e0 8 . O tronco deles \u00e9 contundente e os membros s\u00e3o curtos, os p\u00e9s dianteiros est\u00e3o equipados com poderosas garras de escava\u00e7\u00e3o e as patas traseiras s\u00e3o menores do que as patas dianteiras. O revestimento superior tem um longo cabelo cinza amarronzado. O rosto tem listras brancas e marrons, por\u00e9m n\u00e3o s\u00e3o t\u00e3o distintas das do texugo europeu. A cor preta \u00e9 concentrada em volta de seus olhos e o [[cr\u00e2nio]] \u00e9 menor do que o do texugo europeu.\n\n== H\u00e1bitos ==\nTexugos-japoneses tem h\u00e1bitos noturnos e hibernam durante os meses mais frios do ano. A partir dos dois anos de idade, texugos japoneses do sexo feminino acasalam e d\u00e3o origem a ninhadas de dois ou tr\u00eas filhotes na primavera (Mar\u00e7o-Abril). Texugos japoneses costumam ser mais solit\u00e1rios que os texugos europeus, eles n\u00e3o se agregam em cl\u00e3s sociais e durante a \u00e9poca de acasalamento os texugos machos ficam com duas a tr\u00eas femeais.\u00a0\n\n== Habitats ==\nTexugos-japoneses s\u00e3o encontrados em uma variedade enorme de habitats florestais no Jap\u00e3o.\n\n== Dieta ==\nTexugos-japoneses tem uma dieta [[Omn\u00edvoro|on\u00edvora]] que inclu\u00ed vermes, besouros, bagas e [[caquis]]\n\n== Amea\u00e7as ==\nEmbora eles continuem a ser comuns, sua gama diminuiu ao longo dos anos, atualmente eles ocupam 29% do pa\u00eds, uma \u00e1rea que diminuiu sete por cento ao longo dos anos. Os motivos os quais est\u00e3o desaparecendo s\u00e3o a expans\u00e3o agr\u00edcola e a concorr\u00eancia de guaxinins. A ca\u00e7a \u00e9 legal, mas vem a diminuir ao longo dos anos desde a d\u00e9cada de 1970.\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n* [[Mujina]], um texugo presente no folclore japon\u00eas\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n{{t\u00edtulo em it\u00e1lico}}\n{{Controle de autoridade}}\n\n[[Categoria:Animais descritos em 1844]]\n[[Categoria:Esp\u00e9cies pouco preocupantes]]\n[[Categoria:Mam\u00edferos do Jap\u00e3o]]"}]},"2744490":{"pageid":2744490,"ns":0,"title":"Aenictus philippinensis","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Taxonomia\n|cor = pink\n|nome = ''Aenictus philippinensis''\n|imagem =\n|imagem_legenda =\n|estado =\n|reino = [[Animalia]]\n|filo = [[Arthropoda]]\n|classe = [[Insecta]]\n|superordem = [[Endopterygota]]\n|ordem = [[Hymenoptera]]\n|subordem = [[Apocrita]]\n|superfam\u00edlia = [[Vespoidea]]\n|fam\u00edlia = [[Formicidae]]\n|subfam\u00edlia = [[Dorylinae]]\n|g\u00e9nero = ''[[Aenictus]]''\n|esp\u00e9cie = '''''A. philippinensis'''''\n|binomial = ''Aenictus philippinensis''\n|binomial_autoridade =Chapman, 1963\n|sin\u00f3nimos =\n}}\n'''''Aenictus philippinensis''''' \u00e9 uma esp\u00e9cie de [[formiga]] do g\u00eanero ''[[Aenictus]]''.{{ITIS|id=574309|taxon=Aenictus philippinensis}}\n\n\n\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{Esbo\u00e7o-formiga}}\n{{Taxonbar}}\n\n{{DEFAULTSORT:Aenictus Philippinensis}}\n[[Categoria:Dorylinae]]\n[[Categoria:Esp\u00e9cies descritas em 1963]]"}]},"1413159":{"pageid":1413159,"ns":0,"title":"Elco (Pensilv\u00e2nia)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Localidade dos Estados Unidos\n|nome = Elco\n|imagem = Elco, Pennsylvania, Railroad st.jpg\n|imagem_legenda = \n|estado = Pensilv\u00e2nia\n|condado = [[Condado de Washington (Pensilv\u00e2nia)|Condado de Washington]]\n|popula\u00e7\u00e3o = 345\n|data_pop = 2006\n|\u00e1rea = 0.6\n|\u00e1rea_\u00e1gua = 0.2\n|latG = 40\n|latM = 4\n|latS = 45\n|latP = N\n|lonG = 79\n|lonM = 52\n|lonS = 29\n|lonP = W\n|coord_t\u00edtulo = s\n|altitude = \n|c\u00f3digoFIPS = 22800\n|tipo = distrito\n|mapa_detalhado = \n|data_funda\u00e7\u00e3o = \n|incorpora\u00e7\u00e3o = \n|web = \n}}\n\n'''Elco''' \u00e9 um [[distrito]] localizado no [[Estados dos Estados Unidos da Am\u00e9rica|estado]] [[Estados Unidos da Am\u00e9rica|norte-americano]] de [[Pensilv\u00e2nia]], no [[Condado de Washington (Pensilv\u00e2nia)|Condado de Washington]].\n\n== Demografia ==\nSegundo o [[Censo demogr\u00e1fico|censo]] norte-americano de 2000, a sua popula\u00e7\u00e3o era de 362 [[habitante]]s.{{citar web |url=http://www.census.gov/Press-Release/www/2001/sumfile1.html |titulo=U.S. Census Bureau. Census 2000 Summary File 1 |acessodata=2007-10-30 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100111104338/http://www.census.gov/Press-Release/www/2001/sumfile1.html |arquivodata=2010-01-11 |urlmorta=yes }}\nEm 2006, foi estimada uma popula\u00e7\u00e3o de 345,[http://www.census.gov/popest/datasets.html U.S. Census Bureau. Estimativa da popula\u00e7\u00e3o (julho de 2006)] um decr\u00e9scimo de 17 (-4.7%).\n\n== Geografia ==\nDe acordo com o '''[[United States Census Bureau]]''' tem uma [[\u00e1rea]] de\n0,8 [[km\u00b2]], dos quais 0,6 km\u00b2 cobertos por terra e 0,2 km\u00b2 cobertos por [[\u00e1gua]].\n\n== Localidades na vizinhan\u00e7a ==\nO diagrama seguinte representa as [[localidade]]s num [[Raio (geometria)|raio]] de 4 km ao redor de Elco.\n
\n[[Ficheiro:Blank map.svg|400px|left|Localidades na vizinhan\u00e7a]]\n{{Image label|x=0.5|y=0.5|scale=400|text=[[Ficheiro:Map pointer black.svg|20px|Elco]]'''Elco'''}}\n{{Image label|x=0.782|y=0.288|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidade com 549 habitantes (2000).]] [[Allenport (Pensilv\u00e2nia)|Allenport]] (3 km)}}\n{{Image label|x=0.287|y=0.674|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|16px|Localidade com 5274 habitantes (2000).]] [[California (Pensilv\u00e2nia)|California]] (2 km)}}\n{{Image label|x=0.252|y=0.618|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidade com 134 habitantes (2000).]] [[Coal Center (Pensilv\u00e2nia)|Coal Center]] (2 km)}}\n{{Image label|x=0.843|y=0.233|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidade com 714 habitantes (2000).]] [[Fayette City (Pensilv\u00e2nia)|Fayette City]] (4 km)}}\n{{Image label|x=0.423|y=0.347|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidade com 539 habitantes (2000).]] [[Long Branch (Pensilv\u00e2nia)|Long Branch]] (2 km)}}\n{{Image label|x=0.287|y=0.559|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidade com 551 habitantes (2000).]] [[Newell (Pensilv\u00e2nia)|Newell]] (2 km)}}\n{{Image label|x=0.593|y=0.510|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidade com 848 habitantes (2000).]] [[Roscoe (Pensilv\u00e2nia)|Roscoe]] (1 km)}}\n{{Image label|x=0.734|y=0.448|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidade com 555 habitantes (2000).]] [[Stockdale (Pensilv\u00e2nia)|Stockdale]] (2 km)}}\n{{Image label|x=0.351|y=0.062|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidade com 241 habitantes (2000).]] [[Twilight (Pensilv\u00e2nia)|Twilight]] (4 km)}}\n
{{clear|left}}\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{City-data|Elco|Pennsylvania}}\n{{Controle de autoridade}}\n\n[[Categoria:Distritos da Pensilv\u00e2nia]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Blank map.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Disc Plain red (edge).svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Elco, Pennsylvania, Railroad st.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Flag of Pennsylvania.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Flag of the United States.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Map pointer black.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Portal.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Small-city-symbol.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:USA Pennsylvania location map.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Usa edcp location map.svg"}]},"6253574":{"pageid":6253574,"ns":0,"title":"John Sebastian Little","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Pol\u00edtico\n|nome = John Sebastian Little\n|imagem = AR Little John.jpg\n|t\u00edtulo = 21\u00b0 [[Lista de governadores do Arkansas|Governador do Arkansas]]\n|mandato = {{dtlink|8|01|1907}}
a {{dtlink|15|02|1907}}\n|antes = [[Jeff Davis]]\n|depois = [[John Isaac Moore]]
como Governador Interino\n|t\u00edtulo2 = Membro da [[C\u00e2mara dos Representantes dos EUA]] pelo [[4.\u00ba Distrito Congressional do Arkansas|4\u00b0]] distrito do [[Arkansas]]\n|mandato2 = {{dtlink|4|03|1903}}
a {{dtlink|14|01|1907}}\n|antes2 = [[Charles C. Reid]]\n|depois2 = [[William B. Cravens]]\n|t\u00edtulo3 = Membro da [[C\u00e2mara dos Representantes dos EUA]] pelo [[2.\u00ba Distrito Congressional do Arkansas|2\u00b0]] distrito do [[Arkansas]]\n|mandato3 = {{dtlink|3|12|1894}}
a {{dtlink|3|03|1903}}\n|antes3 = [[Clifton R. Breckinridge]]\n|depois3 = [[Stephen Brundidge, Jr.]]\n|t\u00edtulo4 = Membro da C\u00e2mara dos Representantes do Arkansas\n|mandato4 = 1884-1886\n|nascimento_data = {{dni|lang=pt|15|03|1851|si}}\n|nascimento_local = Jenny Lind, [[Arkansas]]\n|morte_data = {{nowrap|{{morte|lang=pt|29|10|1916|15|03|1851}}}}\n|morte_local = [[Little Rock]], [[Arkansas]]\n|partido = [[Partido Democrata (Estados Unidos)|Democrata]]\n|c\u00f4njuge = Elizabeth Jane Irwin (1861-1953)\n}}\n\n'''John Sebastian Little''' (15 de Mar\u00e7o de 1851 \u2013 29 de Outubro de 1916) foi um pol\u00edtico americano que exerceu como membro da [[C\u00e2mara dos Representantes dos Estados Unidos]] e o [[Lista de governadores do Arkansas|21\u00b0 Governador]] do [[Estados dos Estados Unidos|estado americano]] do [[Arkansas]].\n\n==Biografia==\nJohn Sebastian \"Bass\" Little nasceu em Jenny Lind, no [[Condado de Sebastian]], no [[Arkansas]], filho de Jesse Eaton Little e Mary Elizabeth (Tatum) Little e neto de Eaton Tatum e Charlotte Bruer (Reynolds) Tatum. Little frequentou o Cane Hill College no [[Condado de Washington (Arkansas)|Condado de Washington]] por um per\u00edodo.\n\nLittle lecionou e estudou direito. Foi aceito na Ordem do Arkansas em 1873 e em 1876 foi eleito promotor p\u00fablico do 12\u00ba Distrito Judicial. Exerceu nesse cargo at\u00e9 1882.\n\nLittle casou-se com Elizabeth Jane Irwin no dia 4 de Janeiro de 1877 em [[Paris (Arkansas)|Paris]], [[Arkansas]].\n\n==Carreira==\nLittle exerceu na C\u00e2mara dos Representantes do Arkansas em 1884, e em 1886 foi nomeado juiz no D\u00e9cimo Segundo Circuito Judicial e exerceu por quatro anos.{{cite web|url=https://web.archive.org/web/20121114101824/http://www.oldstatehouse.com/exhibits/virtual/governors/the_progressive_era/little.aspx|title=John Sebastian Little(1907)|publisher=Old State House Museum|accessdate=17 de Agosto de 2012|archivedate=14 de Novembro de 2012}}\n\nEm 1894, foi eleito para terminar o mandato restante do Representante dos EUA [[Clifton R. Breckinridge]]. Exerceu na [[C\u00e2mara dos Representantes dos Estados Unidos]] at\u00e9 1907, quando renunciou ao seu cargo para assumir o cargo de Governador do Arkansas.{{cite web|url= http://www.nga.org/cms/home/governors/past-governors-bios/page_arkansas/col2-content/main-content-list/title_little_john.html|title=Arkansas Governor John Sebastian Little|publisher= National Governors Association |accessdate=17 de Agosto de 2012}}\n\nLittle tomou posse em Janeiro de 1907 e logo depois sofreu um colapso nervoso que o deixou incapaz de executar suas fun\u00e7\u00f5es pol\u00edticas. Foi sucedido pelo presidente do senado do estado do Arkansas, [[John Isaac Moore]].\n\n==Morte==\nLittle deixou o Arkansas e foi para a costa do golfo do Texas, com o intuito de reabilita\u00e7\u00e3o. Little nunca se recuperou e morreu em [[Little Rock]], no Hospital Estadual do Arkansas para Dist\u00farbios Nervosos. Est\u00e1 sepultado no Cemit\u00e9rio da Cidade em [[Greenwood (Arkansas)|Greenwood]].\n\n==Refer\u00eancias==\n{{reflist}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n* United States Congress. [https://bioguideretro.congress.gov/Home/MemberDetails?memIndex=L000352 \"John Sebastian Little (id: L000352)\"]. ''[[Biographical Directory of the United States Congress]]''.\n* Encyclopedia of Arkansas History & Culture entry: [http://www.encyclopediaofarkansas.net/encyclopedia/entry-detail.aspx?entryID=112 John Sebastian Little]\n\n\n\n{{Come\u00e7a caixa}}\n{{s-par|us-hs}}\n{{caixa de sucess\u00e3o | antes=[[Clifton R. Breckinridge]] | t\u00edtulo=Membro da [[C\u00e2mara dos Representantes dos EUA]] pelo [[2.\u00ba Distrito Congressional do Arkansas]] | anos=1894\u20131903 | depois=[[Stephen Brundidge, Jr.]]}}\n{{caixa de sucess\u00e3o | antes=[[Charles C. Reid]] | t\u00edtulo=Membro da [[C\u00e2mara dos Representantes dos EUA]] pelo [[4.\u00ba Distrito Congressional do Arkansas]] | anos=1903\u20131907 | depois=[[William B. Cravens]]}}\n{{s-off}}\n{{caixa de sucess\u00e3o | antes=[[Jeff Davis]] | t\u00edtulo=[[Lista de governadores do Arkansas|Governador do Arkansas]] | anos=1907 | depois=[[John Isaac Moore]]
Governador Interino}}\n{{Termina caixa}}\n\n{{Governadores do Arkansas}}\n{{Portal3|Estados Unidos|Pol\u00edtica}}\n{{Controle de autoridade}}\n\n[[Categoria:Nascidos em 1851]]\n[[Categoria:Mortos em 1916]]\n[[Categoria:Governadores do Arkansas]]\n[[Categoria:Democratas do Arkansas]]"}]},"2794588":{"pageid":2794588,"ns":0,"title":"Cessacionismo","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"'''Cessacionismo''' \u00e9 a vis\u00e3o crist\u00e3 na qual se formula que parte dos chamados [[dons do Esp\u00edrito Santo]], apesar de terem sido de fundamental utilidade e import\u00e2ncia nos prim\u00f3rdios da igreja crist\u00e3, cessaram de existir ainda no per\u00edodo da [[Igreja Primitiva]]MacArthur, John. \"Strange Fire \u2013 Session One \u2013 John MacArthur\". The Cripplegate. DISQUS.Aleksandar Katanovic, \"The End of Charismatic Gifts, publicado no website da Free Brethren House Churches of Christ, a group of Cessationist Christians. Augustus Nicodemus Lopes; O culto espiritual: Um Estudo em 1 Cor\u00edntios Sobre Quest\u00f5es Atuais e Diretrizes B\u00edblicas para o Culto Crist\u00e3o. S\u00e3o Paulo: Cultura Crist\u00e3, 1999, p\u00e1g 174 e 177 . Os cessacionistas podem ser divididos em v\u00e1rios \"n\u00edveis\". Alguns, mais radicais, n\u00e3o aceitam por exemplo o dom de curas na igreja moderna B. B. Warfield, em The Cessation of the Charismata, no livro Counterfeit Miracles, 1918 . J\u00e1 outros, defendem a tese de que o dom de profecia cessou na boca de profetas humanos, sendo restrita \u00e0 manifesta\u00e7\u00e3o da profecia escrita na B\u00edblia Sagrada Misael Batista do Nascimento, Crist\u00e3o Frut\u00edfero, 2004, p\u00e1g 55 . \u00c9 un\u00e2nime entre os cessacionistas que o [[dom de l\u00ednguas]], nos moldes do [[falar em l\u00ednguas]] (sejam l\u00ednguas estranhas conhecidas \u2014 [[xenoglossia]] \u2014 ou indecifr\u00e1veis \u2014 [[glossolalia]]), se encerrou nos tempos apost\u00f3licos. Entendem os cessacionistas que tais e restritos dons serviram a um prop\u00f3sito, a funda\u00e7\u00e3o da Igreja Primitiva, em momento que os ap\u00f3stolos teriam que cumprir o ''ide'' sem possu\u00edrem qualifica\u00e7\u00e3o de doutores ou mestres. Segundo eles, o ''encerramento do livro'' teria tornado desnecess\u00e1ria a exist\u00eancia dos dons milagrosos e de profecias. \n\nPor outro lado, propoentes, como John MacArthur, ressaltam que os cessacionistas creem plenamente em milagres, curas e todo o tipo de maravilhas e sinais, mas operados diretamente por Deus, na sua soberania, no seu tempo, de acordo com seu pr\u00f3prio des\u00edgnio e prop\u00f3sitos.\n\nA vis\u00e3o cessacionista \u00e9 bastante difundida entre [[te\u00f3logo]]s [[reformados]], fundamentalistas e b\u00edblicos. Entre te\u00f3logos e pastores mais conhecidos, est\u00e3o [[Richard Gaffin]], [[John F. MacArthur]] e [[Daniel B. Wallace]]. No Brasil, [[Augustus Nicodemus]] est\u00e1 entre os cessacionistas Misael Batista do Nascimento, Crist\u00e3o Frut\u00edfero, 3\u00aa Edi\u00e7\u00e3o, Outubro de 2004, p\u00e1g 49 .\n\n==Benjamin Breckinridge Warfield ==\n\nBenjamin Warfield est\u00e1 entre os mais citados te\u00f3logos cessacionistas, em face de sua obra ''The Cessation of the Charismata'', no livro ''Counterfeit Miracles'' (Milagres Falsificados). Nessa obra, [[B. B. Warfield|Warfield]] foi um dos primeiros a fazer uma compila\u00e7\u00e3o do pensamento sobre o tema de diversos autores renomados, argumentando que alguns dos dons do Esp\u00edrito Santo teriam se manifestado somente at\u00e9 o terceiro e quarto s\u00e9culos, mas depois teriam cessado. Nesse sentido, Warfield separa os efetivos dons apost\u00f3licos transmitidos pela imposi\u00e7\u00e3o de m\u00e3os, da crendice difundida pelos \u201cromances pag\u00e3os que invadiram o imp\u00e9rio\u201d \u2014 Incredible Tales of Beyond Thule ([[Ant\u00f4nio Di\u00f3genes]]), Babylonian Tales ([[J\u00e2mblico]]), [[Ef\u00e9sio|Efesio]] Stories (Xenofonte), [[Etiopiano de Heliodoro]] (romance de [[Aquiles T\u00e1cio]] e de Chariton) e Metamorfoses ([[Apuleio]]). Neste ponto Warfield est\u00e1 trazendo informa\u00e7\u00f5es da obra de E. von DobschUtz \u201cDer Roman in der Altchristlichen Literatur,\u201d in the Deutsche Rundschau, vol. CXI, April, 1902, p. 88 Escreve ele:
\n''Quanto tempo permaneceu a continuidade deste estado de acontecimentos? Foi a peculiaridade de caracterizar especificamente a Igreja Apost\u00f3lica, e, portanto, pertencia exclusivamente \u00e0 era Apost\u00f3lica - embora sem d\u00favida, este per\u00edodo pode variar com alguma liberdade. Estes dons n\u00e3o eram de propriedade dos crist\u00e3os primitivos, como tal, nem para assunto da Igreja Apost\u00f3lica ou da era apost\u00f3lica em si, pois eles distinguiam a autentica\u00e7\u00e3o dos Ap\u00f3stolos. Faziam parte das credenciais dos Ap\u00f3stolos como os agentes de autoridade de Deus na funda\u00e7\u00e3o da igreja. Sua fun\u00e7\u00e3o confirma assim, para eles, a distin\u00e7\u00e3o da Igreja Apost\u00f3lica, e eles, necessariamente, findaram com ela. Disto podemos ter certeza no campo tanto de princ\u00edpios e como de fatos, isto \u00e9, ambos sob a orienta\u00e7\u00e3o do ensino do Novo Testamento quanto \u00e0 sua origem e natureza, e sobre o cr\u00e9dito do testemunho de \u00e9pocas posteriores, quanto \u00e0 sua cessa\u00e7\u00e3o. Mas n\u00e3o vou parar neste momento para apresentar a prova disso. Ser\u00e1 suficientemente insinuado na cr\u00edtica que eu proponho fazer\nde algumas opini\u00f5es contr\u00e1rias que t\u00eam sido corrente entre os estudiosos do assunto. Meu projeto \u00e9 para estatuir e analisar os pontos de vista principais que t\u00eam sido realizadas favor\u00e1veis \u00e0 continua\u00e7\u00e3o do carisma al\u00e9m da idade apost\u00f3lica. No processo de an\u00e1lise ser\u00e1 oferecido para registro tudo o que for necess\u00e1rio para nos convencer de que a posse do carisma limitou-se a era apost\u00f3lica.'' in The Cessation of the Charismata, retirado do livro Counterfeit Miracles, 1918, de B. B. Warfield\n
\n\nOs Batistas Independentes atribuem a Warfield a introdu\u00e7\u00e3o do [[liberalismo]] no [[Semin\u00e1rio Teol\u00f3gico de Princeton]], bem como teria sofrido influ\u00eancia do racionalismo alem\u00e3o, onde fizera a escolha por seguir o vida do minist\u00e9rio [http://www.baptistlink.com/creationists/cbbqueda.htm Sementes do Modernismo \u2013 T\u00f3pico: 1\u00aa Semente maligna: Criticismo Textual] . Por isso, \u00e9 apontado por alguns como opositor natural do sobrenaturalismo na Igreja. Em contrafluxo a seu escrito, segundo presbiterianos, Warfield teria sido, em seu per\u00edodo, um dos grandes advers\u00e1rios do racionalismo e do antis[[sobrenatural]]ismo. Warfield compreendia que os dons do esp\u00edrito eram de posse dos [[Ap\u00f3stolo]]s. Defendia que a transmiss\u00e3o de poderes pela imposi\u00e7\u00e3o de m\u00e3os, no per\u00edodo contempor\u00e2neo, n\u00e3o passava pelo crivo da an\u00e1lise da [[hist\u00f3ria]], e nem passava pelo crivo da an\u00e1lise de [[autor]]es renomados ao longo dos tempos.\n\nB. B. Warfield apresenta com isso, que n\u00e3o s\u00f3 ele, mas autores da era p\u00f3s-reforma, j\u00e1 defendiam que o carisma cessara junto com a [[Igreja Primitiva|Era Apost\u00f3lica]], mas que este ensino teria reduzido gradualmente, para outro ensino, principalmente na [[Inglaterra]], que teria continuado por algum tempo ap\u00f3s o per\u00edodo p\u00f3s-apost\u00f3lico, e depois efetivamente encerrado. Para isso, cita uma linguagem figurada de A. Tholuck:\n\n
\n''[[Cristo]] n\u00e3o aparece como o [[sol]] em [[terra]]s [[Tropical|tropicais]], que nasce sem uma madrugada e define sem [[crep\u00fasculo]], mas, como mil\u00eanios de [[profecia]] o precederam, assim [[milagre]]s o seguiram, e as for\u00e7as que Ele primeiro despertou estavam ativos em maior ou menor medida, por um per\u00edodo subseq\u00fcente. Na enseada do terceiro s\u00e9culo temos testemunhos cred\u00edveis da persist\u00eancia das for\u00e7as de milagroso que estavam ativos no primeiro s\u00e9culo.'' citado na obra The Cessation of the Charismata, retirado do livro Counterfeit Miracles, 1918, de B. B. Warfield \n
\n\nWarfield conclui comentando essa figura po\u00e9tica para defender a continuidade dos dons at\u00e9 certo per\u00edodo: ''A mec\u00e2nica concep\u00e7\u00e3o do milagre-trabalho de ambos, Cristo e seus seguidores se esconde por tr\u00e1s de tais figuras; Cristo libera for\u00e7as que naturalmente requerem algum tempo para esgotarem suas energias'' B. B. Warfield, in The Cessation of the Charismata, no livro Counterfeit Miracles, 1918 . Com isso, Warfield estabelece em suas an\u00e1lises que ''o per\u00edodo mais comumente fixado para sua continua\u00e7\u00e3o \u00e9 de tr\u00eas s\u00e9culos, e a data da sua cessa\u00e7\u00e3o, \u00e9 normalmente dito que foi no per\u00edodo de Constantino''Warfield, aqui, al\u00e9m de dizer que era a opini\u00e3o preponderante entre os te\u00f3logos anglicanos, usa como refer\u00eancia o te\u00f3logo Conyers Middleton, Miscellaneous Works, London, 1755, vol. 1, p. xli. - \"\u00c9 que eles subsistiram durante os tr\u00eas primeiros s\u00e9culos, e cessa no in\u00edcio do quarto, ou assim que o cristianismo veio a ser estabelecida pelo poder civil. Isso, eu digo, parece ser a no\u00e7\u00e3o mais prevalecente neste dia entre a generalidade dos protestantes, que acham que \u00e9 razo\u00e1vel imaginar que os milagres devem ent\u00e3o cessar, quando o fim deles foi obtida e a igreja n\u00e3o mais os quer, sendo entregues \u00e0s adversidades, e seguros de sucesso, sob a prote\u00e7\u00e3o da maior pot\u00eancia da terra. . Warfield usa as obras de Conyers Middleton para citar autores que apoiavam esta posi\u00e7\u00e3o, inclu\u00edndo o arcebispo John Tillotson, Nathaniel Marshall, Daniel Waterland, John Chapman, e William WhistonConyers Middleton, Miscellaneous Works, London, 1755, vol. 1.\n\nJ\u00e1 para William Whiston, a data da cessa\u00e7\u00e3o dos dons seria por volta de 381 d.C., que segundo ele, marca o triunfo do ''atanasianismo'' e que seria como Ariano, portanto, afirma que marcaria tamb\u00e9m a vit\u00f3ria final do erro da igreja, com ists teria posto fim a tais manifesta\u00e7\u00f5esAfirma\u00e7\u00f5es se sustentam na obra de Conyers Middleton, Miscellaneous Works, London, 1755, vol. 1. Citando o historiador Gerhard Uhlhorn, por meio do seu livro ''The Conflict of Christianity with Heathenism'', registra: ''as testemunhas que est\u00e3o acima de qualquer suspeita n\u00e3o deixam margem para d\u00favida de que os poderes miraculosos da era apost\u00f3lica continuaram cessando at\u00e9, pelo menos, no terceiro s\u00e9culo''citado na obra The Cessation of the Charismata, retirado do livro Counterfeit Miracles, 1918, de B. B. Warfield .\n\nCom isso, Warfield estabelece ser \u201cmuito plaus\u00edvel\u201d que os ''milagres teriam sido dado com a finalidade de fundarem a Igreja'', e que foram diminuindo gradativamente at\u00e9 que \"a Igreja se tornou capaz de se suster com seus pr\u00f3prios p\u00e9s\"B. B. Warfield, in The Cessation of the Charismata, no livro Counterfeit Miracles, 1918 . Citando a obra do Bispo John Kaye:\n\n
\n''\"[Justino] especifica o exerc\u00edcio de poderes miraculosos pelos crist\u00e3os. Ele diz, em termos gerais, que tais poderes subsistiam na igreja (Dial., p. 254 ff.) \u2014 que os crist\u00e3os eram dotados com o dom de profecia (Dial., p. 308 B, ver tamb\u00e9m p. 315 B) \u2014 e em uma enumera\u00e7\u00e3o dos dons sobrenaturais conferidos aos crist\u00e3os, ele menciona a cura (Dial., p. 258 A) Vimos tamb\u00e9m, em cap\u00edtulo anterior, que ele atribui aos crist\u00e3os o poder de exorcizar os dem\u00f4nios (cap. VIII). Mas ele n\u00e3o produz nenhuma inst\u00e2ncia espec\u00edfica de um exerc\u00edcio de poder milagroso, e, portanto, nenhuma oportunidade nos oferece de aplicar os testes pelo qual a credibilidade dos milagres devem ser julgados.\" E ent\u00e3o o bispo acrescenta, por meio da incita\u00e7\u00e3o de nosso senso do significado destes fatos: \"Se tivesse apenas sido geralmente declarada pelo Evangelistas que Cristo fez milagres, e n\u00e3o tivesse sido registrado milagres particulares, qu\u00e3o menos satisfat\u00f3ria teria parecido as narrativas do Evangelho! qu\u00e3o grandemente as suas provas em apoio de nossa miss\u00e3o divina do Salvador foi diminu\u00edda!\"'' in The Cessation of the Charismata, retirado do livro Counterfeit Miracles, 1918, de B. B. Warfield \n
\n\nWarfield usa do mesmo m\u00e9todo de an\u00e1lise \u00e0s obras de [[Irineu de Lyon]], que teria falado genericamente dos [[milagre]]s, com a exce\u00e7\u00e3o de que acrescenta em suas narrativas o testemunho de duas novas classes de milagres, o de [[falar em l\u00ednguas]] e de ressuscitar os mortos, o qual teria sugerido que fora testemunho. Contudo, procurando negar o testemunho de Irineu de Lyon por meio da subjetividade da narrativa e por n\u00e3o haver detalhamento dos fatos, usando para isso escritos de Te\u00f3filo, um contempor\u00e2neo de Irineu, onde sugere algu\u00e9m desafiando Te\u00f3filo a apresentar quem tenha ressuscitado, e este teria se esquivado. Concluindo com esta esquiva que se Te\u00f3filo de desviou de uma resposta, \u00e9 porque n\u00e3o viu, nem Irineu de Lyon, seu conterr\u00e2neo, teria visto. \n\nWarfield registra ainda que \"[[Or\u00edgenes]] confessa ter sido testemunha ocular de muitos casos de exorcismo, cura e profecia, embora ele se recusou a registrar em detalhes para n\u00e3o despertar risos dos incr\u00e9dulos (Cont. Cels., I, ii; III, xxiv; VII, iv, lxvii)\" e que \"Cipriano fala de dons de vis\u00f5es e exorcismos\", para apontar que nenhum reclama para si tendo feito milagres, nem detalha os milagres, alegando novamente falta de detalhes nas narrativas. Warfield chega a usar coment\u00e1rios sat\u00edricos de Gibbon como fonteWarfiel usa coment\u00e1rios do livro The History of the Decline and Fall of the Roman Empire, chap. xv, \u00a7 m, ed. Smith, 1887, vol. II, pp. 178 ff. para ilustrar a quest\u00e3o de Te\u00f3filo, em que um nobre grego afirmara que se o Bispo de Antioquia apontasse um ressureto, esse nobre abra\u00e7aria a f\u00e9 crist\u00e3. \n\nEvolui o pensamento de que [[Papias]] e Eus\u00e9bio, quando escrevem, teriam em mente \u201cn\u00e3o acontecimentos com contempor\u00e2neos, mas casos passados.\u201d Warfild afirma: ''\u00c9 muito claro que Eus\u00e9bio n\u00e3o estava familiarizado com ressurrei\u00e7\u00e3o dos mortos em seus dias, e tamb\u00e9m Papias n\u00e3o estava familiarizado com eles em seus dias\u201d Warfield usa o ensaio de J. H. Bernard - in an essay on \u201cThe Miraculous in Early Christian Literature,\u201d published in the volume called The Literature of the Second Century, by F. R. Wynne, J. H. Bernard, and S. Hemphill (New York, James Pott & Co., 1892, p\u00e1gina n\u00e3o inclu\u00edda \u2013 cita\u00e7\u00e3o inclu\u00edda na Nota 26: [Papias] \u201cvirtually implies that he himself never saw any such occurrence, his only knowledge of \u2018miracles\u2019 of this kind being derived from hearsay.\u201d ''.\n\n==Reformados==\nO reformado Misael Batista, na obra \"Crist\u00e3o Frut\u00edfero\", resume em tr\u00eas categorias a posi\u00e7\u00e3o das igrejas sobre dons espirituais:\n*'''Cessacionismo''' \u2014 que afirma a cessa\u00e7\u00e3o de alguns dos dons ainda na \u00e9poca da Igreja Primitiva.\n*'''Carism\u00e1tico simplista''' \u2014 onde afirma que \"os dons s\u00e3o confundidos com of\u00edcios\" e aponta como a \"posi\u00e7\u00e3o irrefletida\" que \"produz desequil\u00edbrios\" praticada na \"maioria das igrejas pentecostais, neopentecostais e carism\u00e1ticas\". \n*'''Contemporaneidade reformada''' \u2014 que \u00e9 a posi\u00e7\u00e3o defendida pela sua vertente presbiteriana. Nesse caso, se faz distin\u00e7\u00e3o entre \"dons\" e \"of\u00edcios\". Afirma que h\u00e1 \"dons que deixaram de existir\" enquanto alguns outros dons \"tiveram seu modo de funcionamento alterado\".\n\nSegundo John Stott, e.g., o dom de profecias, do ponto de vista reformado, seria o \"falar com vistas \u00e0 edifica\u00e7\u00e3o da igreja John. R. W. Stott, Batismo e Plenitude do Esp\u00edrito Santo. S\u00e3o Paulo: Vida Nova, 1993. trecho citado por Misael Batista do Nascimento, Crist\u00e3o Frut\u00edfero, 2004, p\u00e1g 51 \", por isso, para os reformados, profecia seria \"sin\u00f4nimo de prega\u00e7\u00e3o Misael Batista do Nascimento, Crist\u00e3o Frut\u00edfero, 2004, p\u00e1g 51 \", seria \"a Palavra, pregada ou apresentada nos sacramentos Misael Batista do Nascimento, Crist\u00e3o Frut\u00edfero, 2004, p\u00e1g 54 a 59 \".\n\nOs profetas de outrora n\u00e3o eram munidos de estudos ou esbo\u00e7os, entanto, para a contemporaneidade reformada, \"a origem da ilumina\u00e7\u00e3o para a mensagem \u00e9 a mesma\", assim, o que era dito por inspira\u00e7\u00e3o do Esp\u00edrito ao membro da Igreja Primitiva, agora \u00e9 dada ao pregador da atualidade por v\u00e1rias horas de medita\u00e7\u00e3o e ora\u00e7\u00e3o no esbo\u00e7o que ministrar\u00e1 \u00e0 igreja. Por isso, para a \"f\u00e9 reformada, n\u00e3o h\u00e1 prega\u00e7\u00e3o leg\u00edtima sem a ilumina\u00e7\u00e3o e opera\u00e7\u00e3o do Esp\u00edrito Santo\".\n\nEntanto, a contemporaneidade reformada, que seria a vis\u00e3o moderada do cessacionismo, reflete a seguinte pergunta: \"O dom de profecia citado no Novo Testamento \u00e9 unicamente a prega\u00e7\u00e3o?\" A resposta a essa quest\u00e3o \u00e9:\n\n
\n''Existe quem entenda que quaisquer ocorr\u00eancia ditas sobrenaturais s\u00e3o esp\u00farias e destoantes da f\u00e9 reformada. O termino de alguns of\u00edcios, bem como a finaliza\u00e7\u00e3o do c\u00e2non, determinam o fim da era dos milagres. A afirma\u00e7\u00e3o reformada \"Somente a Escritura\" significa que, hoje, Deus n\u00e3o fala, absolutamente, por mais nenhum meio sen\u00e3o as palavras impressas na B\u00edblia Sagrada.'' \n
\n\nApesar dessa postura existir no meio reformado, Misael Batista, reflete e explica postura distinta, ainda que tamb\u00e9m de heran\u00e7a reformada:\n\n
\n''Tal argumento parece ortodoxo, mas \u00e9 notoriamente de\u00edsta. O de\u00edsmo \u00e9 rejeitado pelo cristianismo b\u00edblico.''\n\n(...)\n\n''Quem afirma categoricamente que nos dias atuais Deus n\u00e3o fala utilizando meios incomuns, tem de refletir melhor na plenipot\u00eancia e soberania divinas, bem como nas implica\u00e7\u00f5es da profecia de Joel.'' \n
S\u00e3o as mesmas impress\u00f5es postas por Wayne Grudem, que reflete que Deus traria \"de modo espont\u00e2neo \u00e0 mente\", na forma de \"admoesta\u00e7\u00f5es\", textos b\u00edblicos que se encaixem para determinada pessoa, quando na viv\u00eancia crist\u00e3 cotidiana , Wayne Grudem, Teologia Sistem\u00e1tica. S\u00e3o Paulo: Vida Nova, 2000, p\u00e1g. 892 .\n\nJack Deere, um carism\u00e1tico que outrora fora um ferrenho cessacionista, faz um apanhado de \"profetas presbiterianos\", descaraterizando a ideia de que todo defensor da teologia tradicional seria cessacionista, ou n\u00e3o creria na continuidade dos dons de profecia nos moldes descritos por pentecostais. Entre eles, Jack Deere cita Jorge Wishart (1513\u20131546), John Welsh (1570 \u20131622), o te\u00f3logo reformado, da Esc\u00f3cia, Robert Bruce (1554\u20131631), o partid\u00e1rio da reforma Alexander Peden (1626\u20131686), e um dos pais do presbiterianismo, John Knox Jack Deere, Surpreendido com a Voz de Deus: Como Deus Fala Hoje por meio de Profecias, Sonhos e Vis\u00f5es. S\u00e3o Paulo: Vida, 1998, p\u00e1gs 61 a 89 .\n\nAssim, mesmo discordando de Jack Deere, e apresentando a postura contempor\u00e2nea reformada, eliminando o de\u00edsmo e aceitando a plenipot\u00eancia divina, Misael Batista estende para \"al\u00e9m da prega\u00e7\u00e3o formal, na forma de admoesta\u00e7\u00e3o edificante, proveniente de impress\u00f5es que Deus traz diretamente \u00e0 mente da pessoa que tem o dom de profecia\", e quando estende o conceito, indo al\u00e9m do \"Somente a Escritura\", cita Jack Deere, ainda que saliente discordar de sua \"teologia e proposta metodol\u00f3gica\".\n\nEntanto, a posi\u00e7\u00e3o oficial da Igreja Presbiteriana do Brasil, defensores da teologia tradicional, define que \"cessou o of\u00edcio de profeta\" com os ap\u00f3stolos que lan\u00e7aram os fundamentos da Igreja, n\u00e3o havendo \"espa\u00e7o para novas revela\u00e7\u00f5es ditas infal\u00edveis\", entanto, a \"contemporaneidade dos sonhos, vis\u00f5es e admoesta\u00e7\u00f5es\" n\u00e3o estariam exclusas. Contudo, estaria exclusa a hip\u00f3tese do profeta falar \"na primeira pessoa do singular, tal como profetas do Antigo Testamento: 'Assim diz o Senhor'\".\n\n==Bases no [[Sola Scriptura]]==\n*Encerramento do [[c\u00e2non]] b\u00edblico \u2014 torna-se desnecess\u00e1rio portadores de revela\u00e7\u00f5es novas;\n*A B\u00edblia tanto seria [[infalibilidade|infal\u00edvel]], como plenamente suficiente \u2014 n\u00e3o necessitando profetas;\n*Perfei\u00e7\u00e3o B\u00edblica \u2014 n\u00e3o necessita de ajustes a Palavra Sagrada.\n\n==Moderados==\nAlguns cessacionistas, de linha premilenarista, admitem um futuro retorno dos dons para o per\u00edodo da Grande Tribula\u00e7\u00e3o, descrito em Apocalipse. Assim, entre os moderados, podem-se inserir as v\u00e1rias vertentes, tanto os pretribulacionistas, os mesotribulacionistas, como os p\u00f3s-tribulacionistas.\n\nA diferen\u00e7a b\u00e1sica entre os cessacionistas radicais (ou fundamentalistas), \u00e9 que o cessacionismo apenas dura entre o per\u00edodo apost\u00f3lico e o in\u00edcio da Grande Tribula\u00e7\u00e3o. Assim, varia a vis\u00e3o dos moderados, pois se analisarmos algumas vertentes, esses defendem que a primeira metade da Grande Tribula\u00e7\u00e3o j\u00e1 se iniciou.\n\n==Refer\u00eances==\n{{reflist}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n* [http://www.monergismo.com/textos/pentecostalismo/cessacionismo_irons.htm Cessacionismos, por Lee Irons]\n\n{{esbo\u00e7o}}\n\n[[Categoria:Teologia]]"}]},"5927240":{"pageid":5927240,"ns":0,"title":"L\u00edngua paipai","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info l\u00edngua\n|nome=Paipai\n|nomenativeno=Akwa'ala\n|estados=[[M\u00e9xico]]\n|falantes = 200 (2010)\n|corfam\u00edlia=Americana\n|fam1=Yuman-Cochim\n|fam2=Yuman Pr\u00f3pria\n|fam3=Pai ?\n|iso3=ppi\n|glotto=paip1241\n|glottorefname=Paipai\n}}\n'''Paipai''' \u00e9 a l\u00edngua nativa dos [[Paipai]]. Faz parte da fam\u00edlia das l\u00ednguas Yuman. Restam somente poucos falantes maioria dos paipai agora vive em aldeias [[Kumeyaay]].\n\nAcredita-se que paipai tenha sido separado das ''l\u00ednguas Pai Medionais'' h\u00e1 muitos anos. Na tradi\u00e7\u00e3o oral da maioria das tribos [[Yuman]], povo desceu da [[Spirit Mountain]] - Avikwame (tamb\u00e9m conhecida como Newberry Mt.) para onde \u201cKumat\u201d os dirigiu. Ent\u00e3o, nesse mesmo tempo, os Paipai poderiam estar com as outras tribos.\n\nA l\u00edngua Paipai foi documentada por Judith Jo\u00ebl e Mauricio J. Mixco, que publicaram textos e estudos de sintaxe.\n\nDentro da fam\u00edlia Yuman, Paipai pertence ao ramo Pai, que tamb\u00e9m inclui a l\u00edngua Yuman das terras altas, cujos dialetos s\u00e3o falados pelos povos Yavapai, Hualapai, Walapai, e Havasupai do oeste do [[Arizona.]] A rela\u00e7\u00e3o entre Paipai e Upland Yuman \u00e9 muito pr\u00f3xima; alguns observadores sugeriram que Paipai e Yavapai s\u00e3o mutuamente intelig\u00edveis, enquanto outros observadores afirmam que o contr\u00e1rio.\n\nA t\u00e9cnica controversa da gloto-cronologia sugere que o ramo Pai de Yuman pode ter se separado dos outros dois ramos do N\u00facleo Yuman (Yuman do Rio e Yuman Delta-Calif\u00f3rnia) h\u00e1 cerca de 1.000-1.700 anos. Paipai pode ter se separado do Planalto Yuman mil anos atr\u00e1s ou at\u00e9 menos tempo.\n==Escrita==\nA l\u00edngua Paipai usa o [[alfabeto latino]] sem as letras F, V; Usa as formas Ch, \u00d1 e o [[ap\u00f3strofo]]\n==Amostra de Texto==\nKsar i kukuach \u00f1u chipay ipay chuxumey, chipay paytum kyawa \u00f1ukuey may kurum kixkem kur zpok, \u00f1ilyomuk mitixiopeek vaak, \u00f1ulyomuh mi\u00f1ua xipeem mik, pa knaa k'im ib, em kos pa knaa tem, knaab k'am chapay mat kurum kixkeem kur zpok knaab. Ipeuliku i ksar \u00f1uy, yuso pa iway ha soo ku ichte ? Mat kur yut pa yaih \u00f1pim tuk, \u00f1tum pa iway wirruliy vyauik pil\u00f1temum mat cham \u00f1ikabyuchum vaak yok. Pa naar yok sook. Sook \u00f1ubuih \u00f1'am, \u00f1sakyaw ipeulik. Mat kur kabyumum \u00f1ukuey kixkeso kur zpok; miziek vaak, mkuachik mik, mkuachum kixkee, kab\u00f1yum poa knaa ib, yuso pemi, ichmikunabu k'am say, chapayt kurum kixkech ha mikunabu k'am.\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n*[http://www.omniglot.com/writing/paipai.htm Paipai em Oniglot.com]\n*[http://www.native-languages.org/paipai.htm Paipai em Nativa Languages]\n*[https://www.ethnologue.com/language/ppi Paipai em Ethnologue]\n*[https://www.academia.edu/18056157/Descripci\u00f3n_fonol\u00f3gica_de_la_lengua_pa'ip\u00e1:y Paipai em Academia Edu]\n\n[[Categoria:L\u00ednguas do M\u00e9xico|Paipai]]\n[[Categoria:L\u00ednguas amer\u00edndias|Paipai]]"}]},"2354290":{"pageid":2354290,"ns":0,"title":"Marshalltown","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"[[Ficheiro:Main Street Marshalltown.jpg|250px|direita]]\n'''Marshalltown''' \u00e9 um munic\u00edpio do estado de [[Iowa]] nos [[Estados Unidos]].\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n*[http://www.ci.marshalltown.ia.us/ Website de Marshalltown]\n*[https://web.archive.org/web/20111006095142/http://www.mhsalums.com/ Marshalltown Senior High School Alumni Website]\n*[http://www.timesrepublican.com/ Times-Republican website]\n*[https://web.archive.org/web/20130613105725/http://marshallcountysun.com/ Marshall Newspaper website]\n*[http://www.visitmarshalltown.com/calendar/month.php/ Marshalltown Calend\u00e1rio de Eventos]\n*[http://www.marshalltown.org/ Marshalltown Area e Com\u00e9rcio]\n*[https://web.archive.org/web/20140221105106/http://www.mctonline.org/ Marshalltown Comunidade Teatral website]\n*[http://www.marshalltownlibrary.org/ Website Marshalltown Livraria]\n*[http://www.co.marshall.ia.us/ Marshall County website]\n*[http://www.artsandculturealliance.org/ Marshall Artes & Cultura Alliance website]\n*[http://www.census.gov/geo/www/cenpop/statecenters.txt Census Data]\n\n{{esbo\u00e7o-geoeua}}\n{{Portal3|Estados Unidos}}\n\n[[Categoria:Geografia de Iowa]]"}]},"1986954":{"pageid":1986954,"ns":0,"title":"Chumuch","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"'''Chumuch''' \u00e9 um distrito do [[Peru]], departamento de [[Cajamarca (regi\u00e3o)|Cajamarca]], localizada na prov\u00edncia de [[Celend\u00edn (prov\u00edncia)|Celend\u00edn]].\n\n==Transporte==\nO distrito de Chumuch n\u00e3o \u00e9 servido pelo sistema de estradas terrestres do Peru.https://www.deperu.com/red-vial/amazonas.phphttps://sinia.minam.gob.pe/mapas/mapa-sistema-nacional-carreteras-peruhttp://portal.mtc.gob.pe/transportes/caminos/normas_carreteras/mapas_viales.html\n{{Refer\u00eancias}}\t\n{{esbo\u00e7o-geope}}\n\n{{Prov\u00edncia de Celend\u00edn}}\n[[Categoria:Distritos da prov\u00edncia de Celend\u00edn]]"}]},"2201214":{"pageid":2201214,"ns":0,"title":"Fleur de libert\u00e9","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{flagicon|B\u00e9lgica}} \"''Fleur de libert\u00e9''\", can\u00e7\u00e3o da [[B\u00e9lgica]] no [[Festival Eurovis\u00e3o da Can\u00e7\u00e3o 1974]]\n{{Info/M\u00fasica FEC\n| m\u00fasica = {{flagicon|B\u00e9lgica}} '''\"Fleur de libert\u00e9\"'''\n| imagem =\n| caption =\n| ano = 1974\n| pa\u00eds = B\u00e9lgica\n| artista = [[Jacques Hustin]]\n| grupo = \n| com =\n| l\u00edngua = [[Franc\u00eas]]\n| l\u00ednguas =\n| letrista = Franck F. G\u00e9rald\n| compositor = Jacques Hustin\n| condutor = Pierre Chiffre\n| m\u00fasica_\u00e1udio = \n| lugar_semi = \n| pontos_semi = \n| lugar_final = 9.\u00ba\n| pontos_final = 10\n| anterior = Baby, Baby\n| acto_anterior = Baby, Baby\n| ano_anterior = 1973\n| pr\u00f3ximo = Gelukkig zijn\n| pr\u00f3ximo_acto = Gelukkig zijn\n| pr\u00f3ximo_ano = 1975\n}}\n'''\"Fleur de libert\u00e9\"''' (tradu\u00e7\u00e3o [[l\u00edngua portuguesa|portuguesa]]: \"Flor da liberdade\") foi a can\u00e7\u00e3o que representou a [[B\u00e9lgica]] no [[Festival Eurovis\u00e3o da Can\u00e7\u00e3o 1974]], interpretada em [[l\u00edngua francesa|franc\u00eas]] por [[Jacques Hustin]].\n\nA can\u00e7\u00e3o [[B\u00e9lgica|belga]] foi a 11.\u00aa a ser interpretada na noite do evento, a seguir \u00e0 can\u00e7\u00e3o \"[[Celui qui reste et celui qui s'en va]]\", interpretada por [[Romuald Figuier)|Romuald]] e antes da can\u00e7\u00e3o [[Pa\u00edses Baixos|holandesa]],\"[[I See A Star]]\", interpretada por [[Mouth & MacNeal]]. A referida can\u00e7\u00e3o tinha letra de Franck F. G\u00e9rald, m\u00fasica de Jacques Hustin e orquestra\u00e7\u00e3o de Pierre Chiffre.\n\nA can\u00e7\u00e3o da [[B\u00e9lgica]] terminou a competi\u00e7\u00e3o, recebendo 10 pontos, classificando-se em nono lugar (entre 17 pa\u00edses).\n\nA can\u00e7\u00e3o \u00e9 uma [[balada]] com c\u00e1racter religioso, na qual Hustin com a can\u00e7\u00e3o faz um aplo Jesus cristo para que regresse \u00e0 Terra e ajude a humanidade.\n\n== Fonte e liga\u00e7\u00f5es externas ==\n{{en}} [http://www.diggiloo.net/?1974be Letra e outras informa\u00e7\u00f5es sobre a can\u00e7\u00e3o.]\n\n{{portal-m\u00fasica}}\n\n{{esbo\u00e7o-can\u00e7\u00e3o}}\n{{esbo\u00e7o-eurovis\u00e3o}}\n{{Portal3|M\u00fasica}}\n\n{{DEFAULTSORT:Fleur Liberte}}\n[[Categoria:B\u00e9lgica no Festival Eurovis\u00e3o da Can\u00e7\u00e3o]]\n[[Categoria:Can\u00e7\u00f5es do Festival Eurovis\u00e3o da Can\u00e7\u00e3o]]\n[[Categoria:Can\u00e7\u00f5es da B\u00e9lgica]]\n[[Categoria:Can\u00e7\u00f5es em franc\u00eas]]\n[[Categoria:Can\u00e7\u00f5es de 1974]]"}]}}}}