/blog/category/duvidas/category/consultoria/

 (11) 3340.6655     (11) 95636.4873     contato@pigatti.com.br      Cliente      Processos   
    
  
pigatti
Consultoria   

Sociedade Limitada Unipessoal: saiba mais sobre a modalidade

Num país em que a carga tributária é uma das maiores do mundo, empreender é sempre um desafio. Além disso, processos burocráticos que dificultam o processo de abertura de empresas limita o...

02/07/2020
+ continue lendo
pigatti
Consultoria   

Já tenho loja física: como abrir uma loja online?

Pessoas que alcançam o sucesso com negócios digitais já não são raridade. Hoje em dia, ter aversão contra o empreendedorismo nesse novo formato pode ser um verdadeiro tiro no pé. Até mesmo...

20/04/2020
+ continue lendo
pigatti
Consultoria   

Planejamento sucessório: um guia completo

Não é preciso questionar muito para saber que a maior preocupação em poupar dinheiro e aplicar em investimentos é para garantir estabilidade financeira. Não só a de si próprio, como a dos...

18/02/2020
+ continue lendo
pigatti
Consultoria    Dúvidas   

Blindagem patrimonial: seus bens pessoais seguros

Num mercado de trabalho competitivo, é fácil ir deixando o tempo correr e não se atentando ao fato de que, antes de ser uma empresa, você é uma pessoa física. Para se manter em constante...

04/02/2020
+ continue lendo

Leia também sobre

Consultoria
Contabilidade
Dicas
Dúvidas
Empreendedorismo
Informações
Médicos
Pessoas
Tributário



{"continue":{"imcontinue":"266889|BachC.P.E-739858.jpg","grncontinue":"0.193964411368|0.193964411368|0|0","continue":"grncontinue||revisions"},"warnings":{"main":{"*":"Subscribe to the mediawiki-api-announce mailing list at for notice of API deprecations and breaking changes. Use [[Special:ApiFeatureUsage]] to see usage of deprecated features by your application."},"revisions":{"*":"Because \"rvslots\" was not specified, a legacy format has been used for the output. This format is deprecated, and in the future the new format will always be used."}},"query":{"pages":{"1852842":{"pageid":1852842,"ns":0,"title":"Samoa Americana nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Infobox Olympics Samoa Americana\n|jogos=Ver\u00e3o de 2008\n|competidores=4\n|esportes=3\n|bandeira=[[Silulu A`etonu]]\n|posi\u00e7\u00e3o=\n|prata=\n|bronze=\n|total=\n}}\n\nA '''[[Samoa Americana]]''' participou dos '''[[Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008]]''', em [[Pequim]], na [[Rep\u00fablica Popular da China|China]]. O pa\u00eds estreou nos [[Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o|Jogos]] em [[Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 1988|1988]] e esta foi sua 6\u00aa participa\u00e7\u00e3o.{{citar web|url=http://www.sports-reference.com/olympics/countries/ASA/summer/2008/|titulo=American Samoa at the 2008 Beijing Summer Games|autor=Sports Reference|l\u00edngua=ingl\u00eas}}\n\n==Desempenho==\n==={{EsporteOl\u00edmpico|Atletismo|Ver\u00e3o de 2008||30px}}===\n\n{|class=wikitable style=font-size:90%\n|-\n!rowspan=2|Atleta\n!rowspan=2|Prova\n!colspan=2|Eliminat\u00f3rias Ronda 1\n!colspan=2|Eliminat\u00f3rias Ronda 2\n!colspan=2|Semifinal\n!colspan=2|Final\n|-\n!Resultado\n!Pos.\n!Resultado\n!Pos.\n!Resultado\n!Pos.\n!Resultado\n!Pos.\n|-\n|[[Shanahan Sanitoa]]\n|[[Atletismo nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008 - 100 m masculino|100 m masculino]]\n|align=center|12s60\n|align=center|80\u00ba\n|colspan=6 align=center bgcolor=honeydew|N\u00e3o avan\u00e7ou\n|}\n\n==={{EsporteOl\u00edmpico|Jud\u00f4|Ver\u00e3o de 2008||30px}}===\n\n{| class=\"wikitable\" style=\"font-size:90%\"\n!rowspan=\"2\"|Atleta\n!rowspan=\"2\"|Prova\n!Fase preliminar\n!Ronda dos 32\n!Ronda dos 16\n!Quartos-finais\n!Semifinais\n!Repescagem
primeira ronda\n!Repescagem
quartos-de-final\n!Repescagem
semifinais\n!Final\n|-\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n!style=\"line-height:1em\"|Advers\u00e1rio e resultado\n|-\n|[[Silulu A`etonu]]\n|[[Jud\u00f4 nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008 - At\u00e9 63 kg feminino|At\u00e9 63 kg feminino]]\n|align=\"center\"|{{flagIOCathlete|[[Anna von Harnier|A. von Harnier]]|GER|Ver\u00e3o de 2008}}
'''D''' 0000-1000\n|align=\"center\" colspan=\"8\" bgcolor=honeydew|N\u00e3o avan\u00e7ou\n|}\n\n==={{EsporteOl\u00edmpico|Nata\u00e7\u00e3o|Ver\u00e3o de 2008||30px}}===\n\n{|class=wikitable style=\"font-size:90%\"\n|-\n!rowspan=\"2\"|Atleta\n!rowspan=\"2\"|Prova\n!colspan=\"2\"|Eliminat\u00f3rias\n!colspan=\"2\"|Semifinal\n!colspan=\"2\"|Final\n|-\n!Tempo\n!Pos.\n!Tempo\n!Pos.\n!Tempo\n!Pos.\n|-\n|[[Stewart Glenister]]\n|[[Nata\u00e7\u00e3o nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008 - 50 m livre masculino|50 m livre masculino]]\n|align=\"center\"|25s45\n|align=\"center\"|71\u00ba\n|align=\"center\" bgcolor=honeydew colspan=\"4\"|N\u00e3o avan\u00e7ou\n|-\n|[[Virginia Farmer]]\n|[[Nata\u00e7\u00e3o nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008 - 50 m livre feminino|50 m livre feminino]]\n|align=\"center\"|28s82\n|align=\"center\"|62\u00ba\n|align=\"center\" bgcolor=honeydew colspan=\"4\"|N\u00e3o avan\u00e7ou\n|}\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n*[http://sports.yahoo.com/olympics/beijing/athletes?name=&country_codes=ASA&us_sport_codes= Lista de atletas da Samoa Americana], Yahoo! Sports {{en}}\n\n{{Pa\u00edses nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008}}\n\n{{Portal3|Eventos multiesportivos}}\n\n[[Categoria:Pa\u00edses nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2008|Samoa Americana]]\n[[Categoria:Samoa Americana nos Jogos Ol\u00edmpicos|2008]]"}]},"2870537":{"pageid":2870537,"ns":0,"title":"Fitchburg (Massachusetts)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Sem fontes|data=junho de 2019}}\n[[Image:Upper Common, Fitchburg MA.jpg|thumb|right|200px]]\n\n'''Fitchburg''' \u00e9 uma cidade localizada no [[Condado de Worcester (Massachusetts)|Condado de Worcester]], [[Massachusetts]], [[Estados Unidos]].A terceira maior cidade do condado, sua popula\u00e7\u00e3o era de 40.737 pessoas{{Citar web |url=http://censusreporter.org/profiles/16000US2523875-fitchburg-ma/ |titulo=Census profile: Fitchburg, MA |acessodata=2020-09-02 |website=Census Reporter |lingua=en}} no censo de 2018 . Fitchburg \u00e9 o lar da Universidade Estadual de Fitchburg , bem como de 17 escolas p\u00fablicas e privadas de ensino fundamental e m\u00e9dio.\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{link|en|2=http://www.fitchburgma.gov/|3=P\u00e1gina oficial}}\n{{commonscat|Fitchburg, Massachusetts}}\n{{esbo\u00e7o-geousa}}\n==Refer\u00eancias==\n[[Categoria:Fitchburg (Massachusetts)| ]]"}]},"6008011":{"pageid":6008011,"ns":0,"title":"Cappella dei Missionari del Preziosissimo Sangue","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Ver desambig||Preziosissimo Sangue di Nostro Signore Ges\u00f9 Cristo}}\n[[imagem:Rome, Collegio Preziosissimo Sangue, chapel.jpg|thumb|direita|upright=1.4|Vista do interior.]]\n'''''Cappella dei Missionari del Preziosissimo Sangue''''' \u00e9 uma capela [[convento|conventual]] e escolar localizada no n\u00famero 29 da ''Via Narni'', no [[quartiere]] [[Tuscolano (quartiere)|Tuscolano]]{{citar web|url = https://www.info.roma.it/monumenti_dettaglio.asp?ID_schede=4328 | publicado = InfoRoma| l\u00edngua = italiano| t\u00edtulo = Cappella del Collegio San Gaspare del Bufalo}}. \u00c9 dedicada ao [[Precios\u00edssimo Sangue de Cristo]].\n\n== Hist\u00f3ria ==\nOs [[Mission\u00e1rios do Precios\u00edssimo Sangue]] mantinham sua sede mundial no complexo da igreja de ''[[Santa Maria in Trivio]]'', no [[rione]] [[Trevi (rione)|Trevi]], at\u00e9 que, em 1964, abrirem um enorme complexo novo num tranquilo sub\u00farbio perto da [[Esta\u00e7\u00e3o Tuscolana]]. O local originalmente abrigaria um [[semin\u00e1rio]] para a [[congrega\u00e7\u00e3o religiosa|congrega\u00e7\u00e3o]] e tamb\u00e9m a nova sede. Por conta disto recebeu uma capela muito bem decorada.\n\nEm 1972, os mission\u00e1rios criaram uma [[par\u00f3quia]] na regi\u00e3o e uma igreja tempor\u00e1ria foi constru\u00edda. Em 1991, a nova igreja, ''[[Santissimo Corpo e Sangue di Cristo]]'', foi inaugurada. Enquanto isto, a sede da congrega\u00e7\u00e3o n\u00e3o permaneceu no local e, em 2018, estava numa ''[[villa]]'' pouco not\u00e1vel na ''Viale di Porta Ardeatina'' (n\u00ba 66), no [[quartiere]] [[Ostiense (quartiere)|Ostiense]]. O semin\u00e1rio da congrega\u00e7\u00e3o, chamado ''Collegio San Gaspare del Bufalo'' aparentemente est\u00e1 fechado e a estrutura est\u00e1 ocupada pela sede provincial da ordem. O ''Collegio Preziosissimo Sangue'' \u00e9 atualmente uma casa de repouso.\n\n== Descri\u00e7\u00e3o ==\nO enorme complexo abrange tr\u00eas grandes blocos modernistas de teto plano, com tr\u00eas, quatro e cinco andares respectivamente. Uma peculiaridade do layout \u00e9 que cada um deles \u00e9 marcado por uma quina bastante obl\u00edqua com as pontas apontando para o centro. Dois dos blocos s\u00e3o paralelos e o terceiro \u00e9 [[:wikt:perpendicular|perpendicular]], fechando tr\u00eas lados de um ret\u00e2ngulo (desconsiderando os \u00e2ngulos j\u00e1 mencionados).\n\nUm segundo grupo de edif\u00edcios de dois andares est\u00e3o encaixados entre os blocos principais e ajudam a fechar um p\u00e1tio hexagonal irregular no centro.\n\nA capela parece impressionante vista de fora, mas ela de fato s\u00f3 ocupa o \u00faltimo andar de um edif\u00edcio de tr\u00eas andares. Ele tem uma planta [[pent\u00e1gono|pentagonal]] nos \u00faltimos dois andares, com \u00e2ngulos bem [[\u00e2ngulo obtuso|obtusos]] nas laterais. Uma [[abside]] de tr\u00eas lados bem rasa foi acrescentada no fundo do pent\u00e1gono e \u00e9 mais estreita que lado no qual est\u00e1 encaixada.\n\nA capela \u00e9 iluminada por grandes janelas nas paredes laterais das baias de n\u00famero dois a cinco. Estas tem topo ligeiramente angulares. O teto tem um projeto bastante complicado e, na pr\u00e1tica, forma um [[\u00e1tico (arquitetura)|\u00e1tico]]. Cada baia da capela tem um pavilh\u00e3o no n\u00edvel deste \u00e1tico, que s\u00e3o estruturas separadas, mas encostadas uma na outra. \n\nAs janelas s\u00e3o decoradas por [[vitral|vitrais]] coloridos semi-figurativos. As tr\u00eas paredes da [[abside]] est\u00e3o decorados por [[mosaico]]s de [[Marcantonio Bedini]]. H\u00e1 tr\u00eas pain\u00e9is separados de topo triangular , com uma \"[[Crucifica\u00e7\u00e3o de Jesus|Cruficica\u00e7\u00e3o]]\" no centro, com a cruz ladeada por [[Nossa Senhora]] e [[S\u00e3o Gaspare del Bufalo]]. Os outros dois s\u00e3o composi\u00e7\u00f5es abstratas, manchas coloridas num fundo branco.\n{{refer\u00eancias}}\n== Liga\u00e7\u00f5es externas==\n{{refbegin}}\n* {{citar web|url = http://www.diocesidiroma.it/phpenti/ente/?ID=2907 | t\u00edtulo = Curia Provincializia-Collegio \u00abPreziossimo Sangue\u00bb| publicado = Site oficial de Diocese de Roma| l\u00edngua = italiano}}\n* {{citar web|url = https://www.sangaspare.it/le-nostre-comunita/roma-casa-provinciale/ | t\u00edtulo = Casa Provinciale|publicado = Site oficial da Congrega\u00e7\u00e3o| l\u00edngua = italiano}}\n{{refend}}\n{{t\u00edtulo em it\u00e1lico}}{{coor dms|41|52|47.8|N|12|31|41.1|E|display=title}}\n[[Categoria:Roma Q. VIII Tuscolano|Missionari del Preziosissimo Sangue]]\n[[Categoria:Capelas de Roma|Missionari del Preziosissimo Sangue]]\n[[Categoria:1964]]"}]},"271650":{"pageid":271650,"ns":0,"title":"Combat Rock","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/\u00c1lbum\n |nome = Combat Rock\n |tipo = est\u00fadio\n |capa = Combat Rock.jpg\n |artista = [[The Clash]]\n |lan\u00e7ado = [[14 de maio]] de [[1982]]\n |gravado = Ear Studios, [[Londres]], setembro de [[1981]].
[[Electric Lady Studios]], [[Nova York]], novembro de 1981.
Wessex Studios, janeiro de [[1982]].
Londres, abril de 1982.\n |g\u00eanero = {{hlist|[[P\u00f3s-punk]]|[[New wave (m\u00fasica)|new wave]]}}\n |dura\u00e7\u00e3o = 46:21\n |gravadora = [[Epic Records|Epic]]\n |produtor = [[The Clash]]\n |diretor = \n |formato =\n |\u00faltimo_\u00e1lbum = '''''[[Sandinista!]]'''''
([[1980]])\n |pr\u00f3ximo_\u00e1lbum = '''''[[Cut the crap]]'''''
([[1985]])\n |miscel\u00e2neo = \n}}\n'''''Combat Rock''''' \u00e9 o quinto [[\u00e1lbum de est\u00fadio]] da banda [[Gr\u00e3-Bretanha|brit\u00e2nica]] [[The Clash]], lan\u00e7ado em [[1982]].\n\nCont\u00e9m os dois maiores sucessos comerciais da banda: \"Should I Stay Or Should I Go?\" e \"[[Rock the Casbah]]\".\n{{Cr\u00edticas profissionais\n |MC = \n |cri1 = [[Allmusic]]\n |ava1 = {{Avalia\u00e7\u00e3o|3.5|5}} [http://www.allmusic.com/cg/amg.dll?p=amg&sql=10:yudyyl3jxpeb~T1 Avalia\u00e7\u00e3o no Allmusic]\n |cri2 = [[Rolling Stone]]\n |ava2 = {{Avalia\u00e7\u00e3o|4|5}} [http://www.rollingstone.com/artists/theclash/albums/album/284161/review/5940306/combat_rock Avalia\u00e7\u00e3o na Rolling Stone]\n |semprosa = sim\n}}\n\n==Faixas==\nTodas as m\u00fasicas escrita por [[The Clash]], exceto as indicadas.\n\n# \"Know Your Rights\" (Strummer/Jones) \u2013 3:39\n# \"Car Jamming\" \u2013 3:58\n# \"Should I Stay or Should I Go?\" \u2013 3:06\n# \"[[Rock the Casbah]]\" \u2013 3:44\n# \"Red Angel Dragnet\" \u2013 3:48\n# \"Straight to Hell\" \u2013 5:30\n# \"Overpowered by Funk\" \u2013 4:55\n# \"Atom Tan\" \u2013 2:32\n# \"Sean Flynn\" \u2013 4:30\n# \"Ghetto Defendant\" \u2013 4:45\n# \"Inoculated City\" \u2013 2:43\n# \"Death Is a Star\" \u2013 3:08\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{The Clash}}\n\n{{Portal3|M\u00fasica}}\n\n{{Esbo\u00e7o-\u00e1lbum|The Clash}}\n\n[[Categoria:\u00c1lbuns de The Clash]]\n[[Categoria:\u00c1lbuns de 1982]]"}]},"5552":{"pageid":5552,"ns":0,"title":"Almada (freguesia)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Ver desambig||Almada (desambigua\u00e7\u00e3o)}}\n{{Info/Assentamento/Portugal/Antiga freguesia\n|nome = Almada\n|concelho = [[Almada]]\n|funda\u00e7\u00e3o = \n|fundador =\n|extin\u00e7\u00e3o = 2013\n|concelho_actual = Almada\n|freguesia_atual = [[Uni\u00e3o das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas|Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas]]\n|imagens_tamanho =\n|imagem = Almada Cristo Rei.jpg\n|imagem_legenda = Vista de Almada e do Cristo Rei\n|imagem_tamanho =\n|imagem_bandeira = Pt-alm3.png\n|bandeira_tamanho =\n|imagem_escudo = ALM1.png\n|escudo_tamanho =\n|apelido =\n|lema =\n|imagem_mapa = \n|mapa_tamanho =\n|mapa_legenda =\n|mapa_alfinete_tamanho =\n|mapa_alfinete = \n|latd=38 |latm=40 |lats=49\n|longd=9 |longm=09 |longs=30\n|coord_t\u00edtulo =\n|coord_sufixo =\n|coord_escala =\n|\u00e1rea = 1.42\n|\u00e1rea_notas =\n|altitude_m =\n|altitude_notas =\n|popula\u00e7\u00e3o_notas =\n|popula\u00e7\u00e3o_total = 16584\n|popula\u00e7\u00e3o_em = 2011\n|popula\u00e7\u00e3o_est =\n|popula\u00e7\u00e3o_est_em =\n|popula\u00e7\u00e3o_obs =\n|gent\u00edlico = Almadense\n|orago = S\u00e3o Jo\u00e3o\n|s\u00edtio = \n|notas =\n}}\n\n'''Almada''' foi uma [[freguesia]] [[Portugal|portuguesa]] do concelho de [[Almada]], com 1,37 quil\u00f4metros quadrados de \u00e1rea e 16 584 habitantes (2011), tendo uma densidade populacional de 12 105,1 hab/km\u00b2.\n\nNo s\u00e9culo XIX anexou as Freguesias de Santa Maria do Castelo e Santiago.\n\nFoi extinta em 2013, no \u00e2mbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada \u00e0s freguesias de [[Cova da Piedade]], [[Pragal]] e [[Cacilhas]], para formar uma nova freguesia denominada [[Uni\u00e3o das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas]] da qual \u00e9 sede.''Di\u00e1rio da Rep\u00fablica'', 1.\u00aa S\u00e9rie, n.\u00ba 19, [http://dre.pt/pdf1sdip/2013/01/01901/0000200147.pdf Lei n.\u00ba 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganiza\u00e7\u00e3o administrativa do territ\u00f3rio das freguesias)]. Acedido a 2 de fevereiro de 2013.\n\n==Popula\u00e7\u00e3o==\t\n{| {{prettytable1|center}}\t\n! colspan=\"15\" | Popula\u00e7\u00e3o da freguesia de Almada Instituto Nacional de Estat\u00edstica (Recenseamentos Gerais da Popula\u00e7\u00e3o) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes \t\n|- \t\n| align=\"center\" | '''1864'''\t\n| align=\"center\" | '''1878'''\t\n| align=\"center\" | '''1890'''\t\n| align=\"center\" | '''1900'''\t\n| align=\"center\" | '''1911'''\t\n| align=\"center\" | '''1920'''\t\n| align=\"center\" | '''1930'''\t\n| align=\"center\" | '''1940'''\t\n| align=\"center\" | '''1950'''\t\n| align=\"center\" | '''1960'''\t\n| align=\"center\" | '''1970'''\t\n| align=\"center\" | '''1981'''\t\n| align=\"center\" | '''1991'''\t\n| align=\"center\" | '''2001'''\t\n| align=\"center\" | '''2011'''\t\n|-\t\n| align=\"center\" |\t4 011\n| align=\"center\" |\t5 076\n| align=\"center\" |\t6 745\n| align=\"center\" |\t7 749\n| align=\"center\" |\t9 871\n| align=\"center\" |\t11 478\n| align=\"center\" |\t8 529\n| align=\"center\" |\t10 755\n| align=\"center\" |\t17 804\n| align=\"center\" |\t31 523\n| align=\"center\" |\t42 757\n| align=\"center\" |\t42 684\n| align=\"center\" |\t22 550\n| align=\"center\" |\t19 513\n| align=\"center\" |\t16 584\n|}\t\n''Com lugares desta freguesia foi criada a freguesia da Cova da Piedade (decreto n.\u00ba 15.004 de 07/02/1928), a freguesia de Cacilhas (Lei n.\u00ba 86/85, de 4 de Outubro) e a freguesia do Pragal (Lei n.\u00ba 123/85, de 4 de Outubro)''\n\n{| {{prettytable1|center}}\t\n! colspan=\"10\" | Distribui\u00e7\u00e3o da Popula\u00e7\u00e3o por Grupos Et\u00e1rios \t\n|- \t\n| Ano\t\n| align=\"center\" | 0-14 Anos\t\n| align=\"center\" | 15-24 Anos\t\n| align=\"center\" |25-64 Anos\t\n| align=\"center\" | > 65 Anos\t\n|\t\n| align=\"center\" | 0-14 Anos\t\n| align=\"center\" | 15-24 Anos\t\n| align=\"center\" |25-64 Anos\t\n| align=\"center\" | > 65 Anos\t\n|-\t\n|'''2001''' \t\n| align=\"center\" |\t1 963\n| align=\"center\" |\t2 128\n| align=\"center\" |\t10 025\n| align=\"center\" |\t5 397\n|\t\n| align=\"center\" |\t10,1%\n| align=\"center\" |\t10,9%\n| align=\"center\" |\t51,4%\n| align=\"center\" |\t27,7%\n|-\t\n|'''2011''' \t\n| align=\"center\" |\t1 590\n| align=\"center\" |\t1 453\n| align=\"center\" |\t8 145\n| align=\"center\" |\t5 396\n|\t\n| align=\"center\" |\t9,6%\n| align=\"center\" |\t8,8%\n| align=\"center\" |\t49,1%\n| align=\"center\" |\t32,5%\n|}\t\nM\u00e9dia do Pa\u00eds no censo de 2001: 0/14 Anos-'''16,0%'''; 15/24 Anos-'''14,3%'''; 25/64 Anos-'''53,4%'''; 65 e mais Anos-'''16,4%'''\t\n\t\nM\u00e9dia do Pa\u00eds no censo de 2011: 0/14 Anos-'''14,9%'''; 15/24 Anos-'''10,9%;''' 25/64 Anos-'''55,2%'''; 65 e mais Anos-'''19,0%'''\n\n== Patrim\u00f3nio ==\n* Edif\u00edcio da [[antiga Igreja de S\u00e3o Sebasti\u00e3o]]\n* [[Quinta de S\u00e3o Francisco de Borja]]\n* [[Casa da Cerca]]\n* [[Castelo de Almada]]\n* [[Jardim do Castelo (Almada)|Jardim do castelo]]\n* [[Igreja de Santiago (Almada)|Igreja de Santiago]]\n* [[Igreja do Convento de S\u00e3o Paulo]]\n* [[Teatro Azul]]\n* [[Cristo-Rei]]\n\n== Personalidades ilustres ==\n* [[Conde de Almada]]\n\n{{refer\u00eancias}}\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{Link||2=http://www.igeoe.pt/igeoearcweb/igeoesig/ExecCmd.asp?cmd=SelArea&distrito=SET\u00daBAL&concelho=ALMADA&freguesia=ALMADA |3=Freguesia de Almada no IGeoE-SIG}}\n{{esbo\u00e7o-freguesiaspt}}\n{{Portal3|Geografia|Portugal}}{{Controle de autoridade}}\n{{DEFAULTSORT:Almada (Freguesia)}}\n[[Categoria:Almada (freguesia)| ]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:ALM1.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Almada Cristo Rei.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Disambig grey.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Disc Plain red (edge).svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Flag of Portugal.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Monsanto interior da aldeia.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Portugal location map.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Pt-alm3.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Sciences de la terre.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Wikidata-logo.svg"}]},"266889":{"pageid":266889,"ns":0,"title":"Carl Philipp Emanuel Bach","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/M\u00fasica/artista\n |nome = Carl Philipp Emanuel Bach\n |imagem = BachC.P.E-739858.jpg\n |imagem_tamanho = 250px\n |fundo = pessoa_sem_performances\n |nascimento_data = {{dni|lang=pt|8|3|1714|si}}\n |nascimento_cidade = [[Weimar]], {{Flagicon|Sacro Imp\u00e9rio Romano-Germ\u00e2nico}} [[Sacro Imp\u00e9rio Romano Germ\u00e2nico]]\n |morte_data = {{nowrap|{{morte|lang=pt|14|12|1788|8|3|1714}}}}\n |morte_local = [[Hamburgo]], {{Flagicon|Sacro Imp\u00e9rio Romano-Germ\u00e2nico}} [[Sacro Imp\u00e9rio Romano Germ\u00e2nico]]\n |ocupa\u00e7\u00e3o = [[Compositor]], [[cravista]], [[maestro]] e [[professor]]\n |per\u00edodo = \n}}\n'''Carl Philipp Emanuel Bach''' ([[Weimar]], {{dtlink|lang=pt|8|3|1714}} \u2014 [[Hamburgo]], {{dtlink|lang=pt|14|12|1788}}) foi um m\u00fasico, compositor e professor [[Alemanha|alem\u00e3o]].\n\nSegundo filho de [[Johann Sebastian Bach]] e [[Maria Barbara Bach]], seu talento se manifestou j\u00e1 na inf\u00e2ncia, recebendo completa e esmerada educa\u00e7\u00e3o musical de seu pai, mas inicialmente tencionava dedicar-se profissionalmente ao [[Direito]], estudando na [[Universidade de Leipzig]] e na [[Universidade de Frankfurt]]. Ao terminar o curso em 1738 foi empregado pelo rei [[Frederico II da Pr\u00fassia]] como [[cravista]], para quem trabalharia pelos trinta anos seguintes. Em 1768 sucedeu seu padrinho, [[Georg Philipp Telemann]], na posi\u00e7\u00e3o de ''[[kantor]]'' do Johanneum de Hamburgo, uma escola latina, bem como tornou-se diretor de m\u00fasica municipal, respons\u00e1vel pela m\u00fasica das cinco principais igrejas da cidade e pela ornamenta\u00e7\u00e3o de cerim\u00f4nias c\u00edvicas, onde permaneceria ativo at\u00e9 sua morte em 1788. Foi um grande dinamizador do ambiente musical de Hamburgo, al\u00e9m de ligar-se a importantes figuras da literatura e da filosofia, participando de clubes e sociedades de debates.\n\nDeixou obra volumosa, com mais de 750 composi\u00e7\u00f5es entre pe\u00e7as para teclado solo, [[concerto]]s, [[sinfonia]]s, [[m\u00fasica sacra]], [[m\u00fasica de c\u00e2mara]] e ''[[lieder]]''. Cravista virtuoso, cerca de metade de sua produ\u00e7\u00e3o \u00e9 para o teclado, al\u00e9m de ter deixado um importante tratado t\u00e9cnico que exerceu grande impacto. Sua m\u00fasica \u00e9 louvada pela sua originalidade, inventividade, vigor, eleg\u00e2ncia e incomum expressividade, caracterizando o chamado Estilo Galante ou [[Rococ\u00f3]]. Introduziu importantes inova\u00e7\u00f5es em termos de forma, estilo, estrutura e harmonia, contribuiu significativamente para o desenvolvimento da [[sonata]] cl\u00e1ssica, e \u00e9 considerado um dos precursores da forma\u00e7\u00e3o do idioma e das formas musicais t\u00edpicos do [[Per\u00edodo cl\u00e1ssico (m\u00fasica)|Classicismo]]. Ao mesmo tempo, a intensidade da express\u00e3o emocional, a imprevisibilidade e os fortes contrastes de sua m\u00fasica o qualificam tamb\u00e9m como um dos primeiros [[romantismo|rom\u00e2nticos]]. \n\nSeu prest\u00edgio foi muito grande enquanto viveu, tido como um dos maiores virtuosos, compositores e professores de sua \u00e9poca, mas na primeira metade do {{s\u00e9c|XIX}} declinou radicalmente e sua produ\u00e7\u00e3o foi largamente esquecida. Sua obra come\u00e7ou a ser resgatada na d\u00e9cada de 1860, mas embora voltasse a ser mais apreciado, ainda era tido como uma figura menor, de talento limitado, not\u00e1vel mais por ter sido um agente destacado na consolida\u00e7\u00e3o da linguagem cl\u00e1ssica do que pelos m\u00e9ritos intr\u00ednsecos de suas composi\u00e7\u00f5es. Esta vis\u00e3o s\u00f3 come\u00e7ou a ser revertida na segunda metade do {{s\u00e9c|XX}}, quando os estudos a seu respeito iniciaram uma fase de acelerada multiplica\u00e7\u00e3o e aprofundamento, mas permaneceu influente at\u00e9 a d\u00e9cada de 1990. Desde ent\u00e3o sua reputa\u00e7\u00e3o vem sendo rapidamente recuperada, j\u00e1 sendo considerado em ampla escala como um dos mais importantes, originais e influentes compositores do {{s\u00e9c|XVIII}}.\n\n==Biografia==\n===Primeiros anos===\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach (1733).jpg|thumb|left|Retrato de Bach realizado por seu primo [[Gottlieb Friedrich Bach]] em torno de 1733]]\n\nCarl Philipp Emanuel Bach nasceu em [[Weimar]] em 8 de mar\u00e7o de 1714, como o segundo dos filhos de [[Johann Sebastian Bach]] com sua primeira esposa, [[Maria Barbara Bach]], que era sua prima. Embora seu pai seja universalmente conhecido como \"Bach\", neste artigo o nome \"Bach\" remeter\u00e1 sempre a Carl Philipp Emanuel. Ao contr\u00e1rio da sua m\u00fasica, que vem sendo intensamente estudada, sua biografia est\u00e1 ainda cheia de lacunas. Escassa correspond\u00eancia de car\u00e1ter pessoal sobreviveu, outras fontes coevas quase s\u00f3 mencionam seu trabalho musical e a autobiografia que deixou \u00e9 muito breve e imprecisa.Exner, Ellen. [https://www.americanbachsociety.org/Newsletters/BachNotes18.12.pdf \"Carl Philipp Emanuel Bach the Father\"]. In: ''Bach Notes'', 2013 (18):1-3\n\nBach fazia parte de uma fam\u00edlia que h\u00e1 gera\u00e7\u00f5es vinha dando m\u00fasicos not\u00e1veis. Seu pai hoje \u00e9 tido como um dos maiores g\u00eanios da m\u00fasica ocidental, v\u00e1rios de seus irm\u00e3os foram m\u00fasicos talentosos, e teve como padrinho um famoso compositor, [[Georg Philipp Telemann]]. Sua m\u00e3e faleceu quando ele tinha seis anos, mas o pai casou novamente e sua madrasta, [[Anna Magdalena Bach|Anna Magdalena Wilcke]], como toda a [[fam\u00edlia Bach]], tinha pendor musical. Bach cresceu, pois, em um ambiente saturado de m\u00fasica, revelando seu pr\u00f3prio talento muito cedo. Em 1720 o pai mudou-se para [[Leipzig]], um dos maiores centros culturais da Alemanha, onde Bach foi matriculado na escola da Igreja de S\u00e3o Tom\u00e1s, da qual o pai havia se tornado ''[[kantor]]''. \n\nA partir dos quinze anos come\u00e7ou a participar regularmente dos concertos organizados por seu pai tanto na Igreja como na sociedade musical do Collegium Musicum, e passou a servir tamb\u00e9m como secret\u00e1rio e copista para o pai.Langer, Ruprecht; Blanken, Christine & Hausmann, Christiane. [http://www.cpebach.de/en/about-bach/biography/leipzig \"Biography: School and Studies in Leipzig (1723\u20131734)\"]. CPEBach 1714. Anniversary year 2014 Depois de receber a forma\u00e7\u00e3o b\u00e1sica, em 1731 ingressou na [[Universidade de Leipzig]] para estudar [[Direito]].Schulenberg, David. ''The Music of Carl Philipp Emanuel Bach''. Boydell & Brewer, 2014, pp. 1-5 Sobre sua vida antes de chegar a Leipzig nada se sabe a n\u00e3o ser que come\u00e7ou a receber treinamento musical do pai. Nesta cidade come\u00e7ou a compor, sobrevivendo desta fase dez [[sonata]]s para teclado, uma [[suite]], dois [[concerto]]s e sete trios.Schulenberg (2014), p. 13 \n\nEm 1733 Bach tentou empregar-se como [[organista]] em [[Naumburg]]. N\u00e3o teve sucesso, mas a tentativa mostra que sua educa\u00e7\u00e3o musical j\u00e1 estava completa. No ano seguinte transferiu-se para [[Frankfurt]] a fim de continuar seus estudos superiores na [[Universidade de Frankfurt|Universidade Viadrina]], graduando-se em 1738, mas ent\u00e3o decidiu abandonar este caminho profissional, determinado a devotar-se completamente \u00e0 m\u00fasica. Em Frankfurt dirigiu a apresenta\u00e7\u00e3o de v\u00e1rias obras vocais e instrumentais, chamando a aten\u00e7\u00e3o da corte.\n\n===Berlim===\nAinda em 1738 mudou-se para [[Berlim]], onde provavelmente logo entrou para o servi\u00e7o de Frederico, pr\u00edncipe herdeiro da [[Pr\u00fassia]], mas s\u00f3 foi oficialmente efetivado ap\u00f3s sua subida ao trono em 1740 como [[Frederico II da Pr\u00fassia|Frederico II]], mais tarde chamado ''O Grande'', que rodeou-se de intelectuais e artistas e manteve uma corte brilhante, sendo ele mesmo um bom flautista e compositor de algum m\u00e9rito. Para ele Bach dedicou em 1742 uma de suas primeiras composi\u00e7\u00f5es importantes, um ciclo de seis [[sonata]]s para teclado. O rei deve t\u00ea-lo estimado muito, uma vez que lhe pagava um dos mais altos sal\u00e1rios entre os m\u00fasicos da corte. Frederico tornou Berlim uma das mais importantes capitais da Europa, e a nobreza e a burguesia acompanhavam o interesse da corte pela arte, criando condi\u00e7\u00f5es para um grande florescimento cultural, onde a m\u00fasica ocupava um lugar de destaque.Schulenberg (2014), p. 60\n\n[[Imagem:CPEB with Frederick the Great.jpg|thumb|Detalhe de pintura de [[Adolph von Menzel]] mostrando Frederico II tocando flauta acompanhado por Bach]]\n\nEm 1744 Bach casou-se com Johanna Maria Dannemann, filha de um comerciante de vinho, que lhe daria tr\u00eas filhos: Johann Adam (1745\u20131789, mais tarde conhecido como Johann August), que se tornou advogado, Anna Carolina Philippina (1747\u20131805), que levou adiante os neg\u00f3cios que herdaria do pai, que inclu\u00edam uma editora de partituras, e Johann Sebastian (1748\u20131778), que tinha talento para a pintura mas faleceu ainda jovem em [[Roma]].Langer, Ruprecht; Blanken, Christine & Hausmann, Christiane. [http://www.cpebach.de/en/about-bach/biography/potsdam-and-berlin \"Biography: At the Prussian Court: Potsdam and Berlin (1738\u20131768)\"]. CPEBach 1714. Anniversary year 2014 \n\nO trabalho de Bach na corte era principalmente dar aulas a outros m\u00fasicos e tocar teclado, muitas vezes como acompanhador do pr\u00f3prio rei. Suas obriga\u00e7\u00f5es oficiais n\u00e3o eram excessivamente pesadas e lhe davam tempo para participar de um crescente n\u00famero de concertos p\u00fablicos, e provavelmente organizou v\u00e1rios deles, al\u00e9m de dedicar-se privadamente e com muito afinco \u00e0 composi\u00e7\u00e3o, uma atividade que n\u00e3o fazia parte das atribui\u00e7\u00f5es de seu emprego. A [[Guerra dos Sete Anos]], iniciada em 1756, que transtornou o cotidiano de Berlim e praticamente suspendeu as atividades culturais da corte, parece ter sido a principal perturba\u00e7\u00e3o de uma rotina que transcorreu com tranquilidade, alternando-se entre a capital e [[Potsdam]], a resid\u00eancia de ver\u00e3o da corte. P\u00f4de tamb\u00e9m fazer algumas viagens para outras cidades, como [[Buckeburgo]], [[Hamburgo]], [[Eisenach]], [[Gota (cidade)|Gota]] e [[Cassel]], onde apresentou obras suas e estabeleceu contatos com parentes e figuras influentes da nobreza. Ao mesmo tempo, era frequentemente convidado para [[sarau]]s e debates culturais realizados nas casas de [[Christian Gottfried Krause]], o mais representativo membro da escola de ''[[lieder]]'' de Berlim, do cr\u00edtico musical [[Friedrich Wilhelm Marpurg]], e do compositor e music\u00f3logo [[Johann Philipp Kirnberger]].\n\nDurante os primeiros quinze anos em Berlim comp\u00f4s principalmente sonatas e concertos para teclado e algumas pe\u00e7as de [[m\u00fasica de c\u00e2mara]], principalmente [[trio sonata]]s. Mais tarde diversificou seus interesses, passando a compor v\u00e1rias obras vocais, principalmente can\u00e7\u00f5es alem\u00e3s (''lieder''), al\u00e9m de [[sinfonia]]s, pe\u00e7as de c\u00e2mara mais variadas e um novo g\u00eanero de concerto para teclado, ao qual deu o nome de sonatina. Em 1749 publicou sua mais ambiciosa composi\u00e7\u00e3o at\u00e9 a data, um ''[[Magnificat]]'' para solistas, coro e orquestra. Desta \u00e9poca tamb\u00e9m data o primeiro volume do seu famoso tratado sobre a \"verdadeira\" arte de tocar o teclado, intitulado ''Versuch \u00fcber die wahre Art das Clavier zu Spielen'' (1753). No per\u00edodo berlinense firmou-se sua reputa\u00e7\u00e3o como um dos grandes virtuosos do teclado de seu tempo. \n\nEm 1768 Bach pediu demiss\u00e3o. Ao ser liberado por Frederico, ao que parece depois de longas negocia\u00e7\u00f5es, foi nomeado para o cargo de compositor da corte de sua irm\u00e3, a princesa [[Ana Am\u00e1lia da Pr\u00fassia|Ana Am\u00e1lia]], mas a nomea\u00e7\u00e3o era apenas honor\u00e1ria. N\u00e3o obstante, o interesse de Ana Am\u00e1lia pelo [[orat\u00f3rio (m\u00fasica)|orat\u00f3rio]] pode ter desempenhado algum papel na produ\u00e7\u00e3o de Bach neste g\u00eanero.Thompson, Alton. ''Formal Coherence in Emanuel Bach's Auferstehung''. Peabody Institute of Johns Hopkins University, 1998, pp. 30; 56 \n\n===Hamburgo===\n[[Imagem:Gelehrtenschule des Johanneums.jpg|thumb|esquerda|Detalhe do Johanneum de Hamburgo em 1744]]\n\nEstabelecendo-se em Hamburgo, ali sucedeu a seu padrinho Telemann como ''kantor'' do col\u00e9gio latino Johanneum e diretor musical municipal, com responsabilidade pela m\u00fasica executada nas cinco principais igrejas e em cerim\u00f4nias c\u00edvicas, sendo instalado oficialmente em 9 de abril. N\u00e3o s\u00e3o muito claras as raz\u00f5es pelas quais abandonou sua posi\u00e7\u00e3o bem remunerada e confort\u00e1vel na corte prussiana, mas o contexto j\u00e1 n\u00e3o era o mesmo que havia encontrado no in\u00edcio e ao que parece ele considerou que ali se haviam esgotado as possibilidades de crescer em sua carreira. Hamburgo, de fato, era um campo muito din\u00e2mico musical e culturalmente. Era uma grande cidade e tinha uma elite intensamente dedicada ao mecenato art\u00edstico, constituindo um largo mercado para a m\u00fasica, sendo tamb\u00e9m um dos principais centros oper\u00edsticos da Alemanha. Bach nunca se dedicou \u00e0 [[\u00f3pera]], mas eram organizados cerca de 200 concertos anuais nas cinco principais igrejas. Assumir o cargo municipal representou para Bach manter uma atividade intensa e incessante, mas o colocou em uma posi\u00e7\u00e3o de grande prest\u00edgio e influ\u00eancia. Tamb\u00e9m organizava concertos em sociedades musicais laicas, onde tocava e regia. Desta forma, Bach veio a dominar grande parte da vida musical de uma cidade que era uma das principais refer\u00eancias culturais da Alemanha.Langer, Ruprecht; Blanken, Christine & Hausmann, Christiane. [http://www.cpebach.de/en/about-bach/biography/hamburg \"Biography: New Challenges \u2013 Carl Philipp Emanuel in Hamburg (1768\u20131788)\"]. CPEBach 1714. Anniversary year 2014 \n\nNesta fase continuou a manter amizades com eminentes poetas, fil\u00f3sofos e artistas, como [[Gotthold Ephraim Lessing]] e [[Friedrich Gottlieb Klopstock]], estabeleceu contato epistolar com o enciclopedista franc\u00eas [[Denis Diderot]] e os cr\u00edticos musicais [[Johann Nikolaus Forkel]] e [[Johann Jacob Heinrich Westphal]], e sua casa tornou-se um ponto de encontro para debates culturais e saraus. Tamb\u00e9m tinha interesse pela [[ci\u00eancia natural]], relacionando-se com os m\u00e9dicos e cientistas [[Johann Georg B\u00fcsch]] e [[Johann Heinrich Reimarus]], e reuniu apreci\u00e1vel cole\u00e7\u00e3o de obras de arte, especialmente gravuras. Alguns relatos do per\u00edodo referem que era uma pessoa bem humorada, de finas maneiras, grande cultura liter\u00e1ria e filos\u00f3fica e bom trato social. Na era em que viveu, eram qualidades importantes para o sucesso em sociedade, e faziam parte do processo de emancipa\u00e7\u00e3o pol\u00edtica e autoafirma\u00e7\u00e3o da [[burguesia]] alem\u00e3, que em seus estratos superiores era muito ilustrada e influenciada por ideais [[iluminista]]s.Langer, Ruprecht; Blanken, Christine & Hausmann, Christiane. [http://www.cpebach.de/en/about-bach/people-and-places \"Biography: Carl Philipp Emanuel Bach, an intellectual contemporary of the era of enlightenment and sensitivity\"]. CPEBach 1714. Anniversary year 2014 Curiosamente, havia poucos m\u00fasicos em seu c\u00edrculo mais \u00edntimo de amizades, e segundo a opini\u00e3o de Ellen Exner, isso pode sugerir que ele se via como uma figura mais ou menos isolada em seu pr\u00f3prio meio, ou, talvez, que se visse acima deles. Tamb\u00e9m pode ser que o alto status social da fam\u00edlia de sua esposa, composta por grandes comerciantes, fosse um fator para afast\u00e1-lo dos m\u00fasicos de seu tempo, cuja posi\u00e7\u00e3o na sociedade n\u00e3o era muito elevada. Contudo, quase nada se sabe com seguran\u00e7a sobre sua vida privada, abrindo espa\u00e7o para muita especula\u00e7\u00e3o.\n\n[[imagem:Michel Krypta Carl Philipp Emanuel Bach.jpg|thumb|L\u00e1pide de sua tumba na cripta de S\u00e3o Miguel]]\n\nEm consequ\u00eancia de seu novo of\u00edcio, passou a dedicar-se com mais aten\u00e7\u00e3o \u00e0 [[m\u00fasica sacra]], compondo v\u00e1rias pe\u00e7as neste g\u00eanero, algumas de grande envergadura, como orat\u00f3rios, [[cantata]]s e [[paix\u00e3o (m\u00fasica)|paix\u00f5es]], e regendo m\u00fasica de outros compositores, que inclu\u00edam seu pai e [[Georg Friedrich H\u00e4ndel]], muitas vezes em adapta\u00e7\u00f5es ou arranjos de sua autoria. Seus tr\u00eas orat\u00f3rios, ''Os Israelitas no Deserto'' (1769), a ''Cantata da Paix\u00e3o'' (1769/1770) e ''A Ressurrei\u00e7\u00e3o e Ascens\u00e3o de Jesus'' (1774) foram sucessos extraordin\u00e1rios.Langer, Ruprecht; Blanken, Christine & Hausmann, Christiane. [http://www.cpebach.de/en/about-bach/biography/new-paths \"Biography: New Paths as a Publisher\"]. CPEBach 1714. Anniversary year 2014 Ao mesmo tempo, tamb\u00e9m abriu uma editora para publicar suas pr\u00f3prias obras. \n\nDepois de uma vida de intensa dedica\u00e7\u00e3o \u00e0 sua arte, deixando obra volumosa que abrange quase todos os principais g\u00eaneros musicais cultivados em sua \u00e9poca, Bach morreu em Hamburgo em 14 de dezembro de 1788, por consequ\u00eancia de uma \"doen\u00e7a do peito\" n\u00e3o especificada, sendo enterrado cinco dias depois na cripta da Igreja de S\u00e3o Miguel.Langer, Ruprecht; Blanken, Christine & Hausmann, Christiane. [http://www.cpebach.de/en/about-bach/biography/death-and-posthumous-fame \"Biography: Death and Posthumous Fame\"]. CPEBach 1714. Anniversary year 2014 Na data de sua morte era reconhecido como um dos mais importantes compositores e virtuosos do norte da Alemanha.\n\n==Obra==\n===Vis\u00e3o geral===\nOs trabalhos de Bach foram catalogados diversas vezes. O primeiro cat\u00e1logo, incompleto, foi criado pelos seus testamenteiros, e uma vers\u00e3o revisada, ampliada e erudita foi oferecida em 1814 por [[Johann Friedrich Reichardt]]. [[Alfred Wotquenne]] em 1905 publicou uma nova vers\u00e3o, revisada e ampliada em 1989 por [[Ernst Eugene Helm]]. Wotquenne identifica as obras com as letras ''Wq'' seguidas de um n\u00famero, e Helm com a letra ''H'' seguida de um n\u00famero. O cat\u00e1logo Helm lista 750 composi\u00e7\u00f5es, mas nas \u00faltimas d\u00e9cadas v\u00e1rias outras pe\u00e7as vieram \u00e0 luz, incluindo arranjos, [[cantata]]s e pe\u00e7as para teclado dos seus primeiros anos. Tanto o cat\u00e1logo Wotquenne quando o cat\u00e1logo Helm j\u00e1 est\u00e3o ultrapassados mas ainda est\u00e3o em uso, e est\u00e1 em prepara\u00e7\u00e3o um cat\u00e1logo atualizado com as \u00faltimas descobertas.\n\nCerca de tr\u00eas quartos da sua obra completa \u00e9 de m\u00fasica instrumental, e metade foi composta para teclado, contando com fantasias, [[sonata]]s, ''[[rond\u00f2]]s'' e outras. Suas 123 pe\u00e7as de c\u00e2mara abrangem uma variada instrumenta\u00e7\u00e3o, com duas a 14 partes, em geral cada parte para um instrumento diferente, mas a maioria \u00e9 de duos ou trios. Muitas s\u00e3o para solo com [[baixo cont\u00ednuo]] de acompanhamento ou teclado ''[[obbligato]]'', e os conjuntos de maiores dimens\u00f5es em geral s\u00e3o escritos para [[sopros]]. Deixou tamb\u00e9m 19 [[sinfonia]]s, uma s\u00e9rie de concertos para teclado, quatro concertos para dois teclados, dois para [[\u00d3rg\u00e3o (instrumento musical)|\u00f3rg\u00e3o]], quatro para [[flauta]], dois para [[obo\u00e9]] e tr\u00eas para [[violoncelo]]. V\u00e1rios desses concertos para outros instrumentos que n\u00e3o o teclado s\u00e3o arranjos dos escritos para teclado. Suas obras para voz em sua maioria empregam solistas, um coro e uma orquestra. Cinco pe\u00e7as s\u00e3o para coro ''[[a cappella]]'' e em sete o acompanhamento \u00e9 provido apenas pelo baixo cont\u00ednuo. Deixou ainda um tratado did\u00e1tico para o teclado, o famoso ''Versuch \u00fcber die wahre Art das Clavier zu Spielen'' (Tratado sobre a verdadeira arte do teclado), publicado primeiro em 1753, continuado em 1762 e acompanhado de op\u00fasculos menores com coment\u00e1rios.Powers (2002), pp. 1-5 \n\n[[Imagem:St\u00f6ttrup, Bach and Sturm 1784.jpg|thumb|Reuni\u00e3o do artista Andreas St\u00f6ttrup, o pastor Christoph Christian Sturm e Carl Philipp Emanuel Bach, que aparece ao centro. Gravura de Andreas St\u00f6ttrup, 1784]]\n\nA sua obra revela-se de amplo alcance emocional, t\u00e3o sincera em pensamento como polida e feliz em argumento. A express\u00e3o fiel dos sentimentos em m\u00fasica era uma preocupa\u00e7\u00e3o antiga entre compositores e int\u00e9rpretes. Ganhou grande for\u00e7a no per\u00edodo [[Barroco]] com a articula\u00e7\u00e3o da [[doutrina dos afetos]], um repert\u00f3rio e uma linguagem de elementos musicais padronizados de car\u00e1ter ret\u00f3rico que serviam para caracterizar emo\u00e7\u00f5es espec\u00edficas, e no tempo de Bach ainda era de interesse central para os m\u00fasicos. Em parte a esse interesse se deve sua associa\u00e7\u00e3o com v\u00e1rios poetas, literatos e fil\u00f3sofos de sua \u00e9poca, que debatiam a [[est\u00e9tica]] ligada \u00e0 m\u00fasica e v\u00e1rios aspectos da cria\u00e7\u00e3o e da linguagem art\u00edstica, e suas rela\u00e7\u00f5es com a natureza humana. No seu c\u00edrculo de amizades estavam por exemplo os poetas [[Christian Gellert]], [[Matthias Claudius]], [[Friedrich Gottlieb Klopstock]] e [[Johann Wilhelm Ludwig Gleim]], o pastor, te\u00f3logo e music\u00f3logo [[Christoph Christian Sturm]], o dramaturgo, fil\u00f3sofo e ensa\u00edsta [[Gotthold Ephraim Lessing]], os ensa\u00edstas e cr\u00edticos musicais [[Christian Gottfried Krause]] e [[Johann Adolph Scheibe]], e os tradutores e escritores [[Johann Joachum Christoph Bode]] e [[Christoph Daniel Ebeling]], todos nomes destacados e v\u00e1rios deles associados aos movimentos ''[[Empfindsamkeit]]'' (Sentimentalismo) e ''[[Sturm und Drang]]'' (Tempestade e \u00cdmpeto). \n\nEsses movimentos tinham car\u00e1ter distinto mas alguns pontos em comum. Ambos tinham como uma de suas preocupa\u00e7\u00f5es centrais a express\u00e3o art\u00edstica do sentimento e da \"alma\" do compositor, mas sua manifesta\u00e7\u00e3o era diversa. O estilo ''Empfindsamer'' \u00e9 o que mais se aproxima da no\u00e7\u00e3o mais corrente de [[Rococ\u00f3]] ou Estilo Galante, produzindo uma m\u00fasica basicamente [[homofonia|homof\u00f4nica]] com predom\u00ednio da [[melodia]] acompanhada e poucos elementos [[polifonia|polif\u00f4nicos]], enfatizando uma sensibilidade refinada, intimista e sentimental que tinha na express\u00e3o da piedade, da ternura, da bondade, da virtude e da compaix\u00e3o seus pontos ideol\u00f3gicos mais fortes e elevados, sem excluir toques de humor. O tratamento da melodia era original pela sua delicadeza e eleg\u00e2ncia e pela sua constante fragmenta\u00e7\u00e3o em pequenas frases separadas por pausas. Tamb\u00e9m buscava-se um efeito de simplicidade e naturalidade, qualidades enaltecidas pelos [[iluminismo|iluministas]], mas de fato essa m\u00fasica era muito sofisticada e exibia frequentes mudan\u00e7as de atmosfera e sentimento. A m\u00fasica ''Sturm-und-Drangisch'', por sua vez, se aproxima mais diretamente do universo [[romantismo|rom\u00e2ntico]] e da est\u00e9tica do [[Sublime (est\u00e9tica)|sublime]], com quebras de continuidade ainda mais duras, uma expressividade mais passional, extrovertida, pungente e violenta, e um car\u00e1ter n\u00e3o raro fant\u00e1stico e improvisativo, empregando intervalos mel\u00f3dicos incomuns e mudan\u00e7as s\u00fabitas, dr\u00e1sticas e muitas vezes n\u00e3o preparadas na textura, na [[harmonia (m\u00fasica)|harmonia]] e no [[ritmo]].Muns, Lodewijk. [https://lmuns.home.xs4all.nl/CPEMixedfeelings2010.pdf \"C. P. E. Bach, Haydn and the art of mixed feelings\"]. Edi\u00e7\u00e3o do autor, 2010\"Empfindsamer Stil\". ''Encyclopaedia Britannica'' online, consulta em 12/05/2016\n\n[[Imagem:Bach by Kr\u00fcger.jpg|thumb|esquerda|Bach em gravura de [[Johann Conrad Kr\u00fcger]]]]\n\nAo mesmo tempo, \u00e9 evidente sua depend\u00eancia da gera\u00e7\u00e3o anterior, ainda imersa a pleno na atmosfera barroca e monumentalmente representada pela obra de seu pai, de quem recebeu todo o seu treinamento, depend\u00eancia refletida na perfeita ci\u00eancia de seu of\u00edcio \u2014 Johann Sebastian era uma imagem acabada do m\u00fasico completo, e dava grande import\u00e2ncia a uma instru\u00e7\u00e3o s\u00f3lida e integral em todos os aspectos da m\u00fasica \u2014, no s\u00f3lido conhecimento e ass\u00edduo uso da polifonia e do antigo sistema do [[baixo cont\u00ednuo]], na ado\u00e7\u00e3o das regras da ret\u00f3rica musical, no senso de forma, no gosto pelo contraste e pela dramaticidade, embora a partir desta base tomasse rumos bastante divergentes daqueles que Johann Sebastian escolheu para si. Bach, com efeito, estava muito consciente da posi\u00e7\u00e3o hist\u00f3rica da m\u00fasica de sua gera\u00e7\u00e3o, foi um dos poucos compositores do {{s\u00e9c|XVIII}} que empregavam a express\u00e3o \"[[hist\u00f3ria da m\u00fasica]]\", tinha um vasto conhecimento da m\u00fasica de seu tempo e da produ\u00e7\u00e3o das gera\u00e7\u00f5es anteriores e reconhecia a contribui\u00e7\u00e3o dos mestres do passado na constru\u00e7\u00e3o de sua pr\u00f3pria obra.Wolff, Christoph. [https://www.questia.com/library/journal/1G1-391308746/c-p-e-bach-and-the-history-of-music \"C. P. E. Bach and the History of Music\"]. In: ''Notes'', 2014, 71 (2):197-218\n\nNa m\u00fasica de Bach s\u00e3o encontrados todos esses elementos, modernos e antigos, deixando uma obra de imensa variedade interna mas tamb\u00e9m, numa vis\u00e3o geral, de grande coes\u00e3o est\u00e9tica, e a feliz combina\u00e7\u00e3o dessas fontes diversas em uma linguagem nova, altamente personalizada e de grande vivacidade e poder evocativo e expressivo, \u00e9 um dos tra\u00e7os mais destacados na sua originalidade. Tamb\u00e9m seu trabalho como concertista, acompanhador, maestro, professor, ''kantor'' e mestre de capela definiram caracter\u00edsticas importantes em sua m\u00fasica, capacitando-o a adequar suas composi\u00e7\u00f5es a p\u00fablicos espec\u00edficos, que inclu\u00edam a refinada corte da Pr\u00fassia, a burguesia de Hamburgo, os devotos da Igreja, os especialistas e tamb\u00e9m os estudantes e diletantes.\n\nSua contribui\u00e7\u00e3o para a articula\u00e7\u00e3o do idioma que se tornou mais associado ao Classicismo musical, por outro lado, est\u00e1 maiormente no campo do desenvolvimento tem\u00e1tico, sendo um dos grandes reestruturadores da [[sonata]] barroca, dando passos essenciais para que [[Haydn]], [[Mozart]] e [[Beethoven]], os principais representantes da Primeira Escola de Viena, definitivamente a cristalizassem numa forma que se tornou a express\u00e3o mais t\u00edpica e principal da m\u00fasica cl\u00e1ssica, onde dois temas bem individualizados s\u00e3o apresentados na se\u00e7\u00e3o introdut\u00f3ria que se chamou \"exposi\u00e7\u00e3o\", depois dialogam entre si e se transformam neste di\u00e1logo ao longo da se\u00e7\u00e3o de \"desenvolvimento\", encerrando com uma \"recapitula\u00e7\u00e3o\" onde eles s\u00e3o reafirmados, criando uma estrutura de f\u00f4lego muito mais largo e arquitetura muito mais s\u00f3lida e integrada do que jamais a sonata fora durante o Barroco.Hindley, Geoffrey (ed.). ''The Larousse Encyclopedia of Music''. Hamlyn, 1990, p. 231 Foi provavelmente o primeiro compositor a fazer uso da cor harm\u00f4nica como um fim expressivo em si mesmo, sendo tamb\u00e9m neste aspecto um dos principais precursores do estilo consagrado pela Escola de Viena. Os avan\u00e7os que introduziu se materializaram mais nitidamente atrav\u00e9s das suas sonatas para teclado, cujo conjunto \u00e9 um importante marco na hist\u00f3ria desta forma espec\u00edfica e da escrita para este instrumento, descritas pela ''[[Encyclopaedia Britannica]]'' como \"l\u00facidas em estilo, delicadas e ternas em express\u00e3o, s\u00e3o ainda mais not\u00e1veis pela liberdade e variedade de sua arquitetura, rompendo completamente com os r\u00edgidos padr\u00f5es da escola italiana que se haviam fossilizado em pura conven\u00e7\u00e3o, substituindo-a por por um car\u00e1ter mais largo e mais flex\u00edvel, que os compositores da Escola de Viena tornariam capaz de um quase infinito desenvolvimento\". Na an\u00e1lise geral de Doris Powers, \n\n::\"A m\u00fasica de Bach \u00e9 cheia de tra\u00e7os incomuns, que caracterizam seu estilo altamente individualizado e criativo. Ela \u00e9 not\u00e1vel pelo seu rico uso da linguagem harm\u00f4nica e pelas abruptas mudan\u00e7as de harmonia. As melodias empregam m\u00e9todos incomuns de obter contraste, com ritmos complicados e contrastes din\u00e2micos. Ele favorece mudan\u00e7as s\u00fabitas de andamento e momentos de sil\u00eancio dispostos estrategicamente. Suas estruturas formais equilibram qualidades de unidade e variedade. [...] Tanto em suas atividades compositivas quanto em suas interpreta\u00e7\u00f5es como solista, inclinou-se para a forma livre da fantasia e para a arte do improviso. Na m\u00fasica vocal, ele interpreta os textos com uma capacidade rara de expor musicalmente a ess\u00eancia do seu significado. Em resumo, sua m\u00fasica tem uma expressividade incomum, frequentemente definindo o que cr\u00edticos tardios chamaram de Estilo Galante, um estilo cheio de sensibilidade e sentimento\".Powers (2002), p. 2\n\n===M\u00fasica para teclado solo===\nAs composi\u00e7\u00f5es para teclado perfazem o grosso da sua obra completa, com mais de 300 obras catalogadas nesta categoria, principalmente [[sonata]]s, que chegam a mais de 150, das quais em torno de uma centena foi publicada ainda em vida do autor. O restante das pe\u00e7as para teclado solo incluem [[fuga]]s, [[su\u00edte]]s de dan\u00e7as, ''[[rond\u00f2]]s'' e [[fantasia (m\u00fasica)|fantasias]]. Os dois primeiros g\u00eaneros j\u00e1 estavam um pouco fora de moda em seu tempo, e nos dois outros ele deixou contribui\u00e7\u00f5es substanciais para a consolida\u00e7\u00e3o de sua fama como compositor original. Incluem-se neste grande grupo uma miscel\u00e2nea de outras pe\u00e7as de dimens\u00f5es vari\u00e1veis e arranjos para teclado solo de [[sinfonia]]s e [[concerto]]s e algumas pe\u00e7as para [[\u00d3rg\u00e3o (instrumento musical)|\u00f3rg\u00e3o]]. As mais importantes cole\u00e7\u00f5es para teclado solo s\u00e3o as seis ''Sonatas Prussianas'' Wq 48, as seis ''Sonatas W\u00fcrttemberg'' Wq 49, as seis ''Sonatas com Reprises Variadas'' Wq 50 e as seis ''Cole\u00e7\u00f5es para Conhecedores e Diletantes'' Wq 55 / 56 / 57 / 58 / 59 / 61.Berg, Darrell M. [http://cpebach.org/prefaces/series1_preface.html ''Prefacce Keyboard Music'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works\n\nOs instrumentos para essas obras tinham diferentes caracter\u00edsticas sonoras e t\u00e9cnicas, o que influiu no estilo diferenciado dos v\u00e1rios grupos. O principal instrumento de teclas da gera\u00e7\u00e3o anterior era o [[Cravo (instrumento musical)|cravo]], que oferece uma sonoridade uniforme; no m\u00e1ximo, no caso dos cravos com dois manuais, possibilitava obter uma sonoridade forte e uma fraca, mas n\u00e3o eram capazes de produzir gradua\u00e7\u00f5es variadas e sutilezas de intensidade (din\u00e2mica). No tempo de Bach outros instrumentos de tecla foram aparecendo e ganhando rapidamente popularidade, o [[clavic\u00f3rdio]] e o [[pianoforte]], que possibilitam obter nuan\u00e7as sutis de din\u00e2mica, recursos que foram explorados consistentemente pelo compositor. O clavic\u00f3rdio era o seu preferido e grande parte de sua m\u00fasica para solo reflete as suas espec\u00edficas capacidades sonoras, embora muitas vezes o autor n\u00e3o tenha deixado indica\u00e7\u00e3o de qual instrumento de teclas deveria ser usado pelo int\u00e9rprete. J\u00e1 foi assinalado que ele se tornou um afamado virtuoso do teclado, e boa parte de seu prest\u00edgio deriva de sua capacidade de explorar com fins expressivos as diferen\u00e7as din\u00e2micas. \u00c9 ilustrativo o relato de [[Charles Burney]]:\n\n::\"O senhor Bach sentou-se ent\u00e3o junto ao seu clavic\u00f3rdio Silbermann, seu instrumento favorito, no qual executou tr\u00eas ou quatro dentre as suas melhores e mais dif\u00edceis composi\u00e7\u00f5es, com delicadeza, precis\u00e3o e esp\u00edrito, qualidades pelas quais ele \u00e9 t\u00e3o justamente celebrado entre seus conterr\u00e2neos. Nos movimentos lentos e pat\u00e9ticos, sempre que tinha uma nota longa para tocar, ele obrigava seu instrumento a produzir um tal grito de dor e lamento que somente pode ser obtido num clavic\u00f3rdio, e talvez somente por ele\".\n\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach - Sonatas W\u00fcrttemberg.jpg|thumb|esquerda|300px|Frontisp\u00edcio das ''Sonatas W\u00fcrttemberg'' Wq 49]]\n\nAs sonatas ''Prussianas'' e ''W\u00fcrttemberg'' s\u00e3o as mais famosas e influentes neste grupo. Seus nomes derivam de suas dedicat\u00f3rias. A primeira cole\u00e7\u00e3o foi composta entre 1740 e 1742 para o rei Frederico II da Pr\u00fassia, e a segunda, escrita entre 1742 e 1744, foi oferecida para [[duque de W\u00fcrttemberg]] {{lknb|Carlos|Eug\u00eanio|de W\u00fcrttemberg}}, que foi seu aluno. Segundo Hans-G\u00fcnter Ottenberg, um dos editores da \u00faltima edi\u00e7\u00e3o de suas obras completas, que ainda est\u00e1 em andamento, com elas Bach tornou-se um dos mais representativos compositores para teclado de sua \u00e9poca. Foram impressas m\u00faltiplas vezes e largamente copiadas em manuscritos. [[Haydn]] e [[Beethoven]] possu\u00edam exemplares e sua pr\u00f3pria m\u00fasica evidencia o quanto elas foram importantes para a consolida\u00e7\u00e3o dos seus estilos pessoais. Ao mesmo tempo, elas introduziram novidades na estrutura e na abordagem estil\u00edstica da forma da sonata, tornando-se modelos vastamente imitados, e deram grandes subs\u00eddios para a cristaliza\u00e7\u00e3o da sonata cl\u00e1ssica mais t\u00edpica, sendo possivelmente as mais influentes cole\u00e7\u00f5es para teclado que circularam na segunda metade do {{s\u00e9c|XVIII}}. Johann Friedrich Reichardt, autor do segundo cat\u00e1logo tem\u00e1tico do compositor, disse em 1796 que nenhuma m\u00fasica composta no g\u00eanero as superou em beleza, em ordem, na riqueza de sua harmonia e na nobreza de suas inspira\u00e7\u00e3o. O interesse por elas continuou no {{s\u00e9c|XIX}} a despeito do decl\u00ednio do prest\u00edgio geral do compositor, sendo reeditadas v\u00e1rias vezes. Todas possuem tr\u00eas movimentos, mas h\u00e1 grande variedade de abordagens nas se\u00e7\u00f5es individuais. Em geral o primeiro movimento tem uma estrutura que deriva da [[trio sonata]] barroca, o segundo \u00e9 uma inven\u00e7\u00e3o livre, muitas vezes com o car\u00e1ter de fantasia ou [[recitativo]], e o terceiro usa ritmos de dan\u00e7a como a [[giga]]. A riqueza de solu\u00e7\u00f5es encontradas para o primeiro movimento, com not\u00e1vel desenvolvimento dos temas, \u00e9 um fator decisivo para sua relev\u00e2ncia na evolu\u00e7\u00e3o da forma da sonata. Ao mesmo tempo, elas mostram um emprego ousado e imprevis\u00edvel das rela\u00e7\u00f5es harm\u00f4nicas. Em todos os sentidos as sonatas ''W\u00fcrttemberg'' s\u00e3o mais avan\u00e7adas que as ''Prussianas''.Ottenberg, Hans-G\u00fcnter. [http://cpebach.org/toc/toc-I-1.html ''I/1: \u201cPrussian\u201d and \u201cW\u00fcrttemberg\u201d Sonatas'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works Na aprecia\u00e7\u00e3o de Ottenberg,\n\n::\"Ele intensificou o \u00edmpeto expressivo e dram\u00e1tico e tamb\u00e9m as possibilidades de varia\u00e7\u00e3o. Ele continuamente encontra solu\u00e7\u00f5es compositivas surpreendentes, e exibe materiais mot\u00edvicos de modo sempre novo, sem perder de vista o desenvolvimento tem\u00e1tico e a unidade de conjunto. Ele reorganizou radicalmente o universo tem\u00e1tico-mot\u00edvico e adotou uma nova abordagem que [[Rudolf Steglich]] chamou de 'a reelabora\u00e7\u00e3o tem\u00e1tica de motivos transform\u00e1veis'. Uma linguagem tonal t\u00e3o subjetivamente intensificada e compositivamente avan\u00e7ada deve ter surpreendido seus contempor\u00e2neos de forma inaudita, e o mesmo efeito deve ter ocorrido em rela\u00e7\u00e3o \u00e0 sua estrutura narrativa\".\n\nTamb\u00e9m s\u00e3o importantes suas tr\u00eas s\u00e9ries de ''Sonatas com Reprises Variadas'', das quais a mais notada \u00e9 a primeira (Wq 50), publicada em 1760, cujo grande sucesso o estimulou a compor suas continua\u00e7\u00f5es. Elas t\u00eam um elevado valor art\u00edstico, contendo exemplos em est\u00e9ticas diversificadas, que v\u00e3o do mais leve Estilo Galante a pe\u00e7as com movimentos de denso car\u00e1ter sinf\u00f4nico. Em termos formais elas empregam a antiga forma da sonata com ''[[ritornello|ritornelli]]'' (repeti\u00e7\u00e3o literal das se\u00e7\u00f5es), mas o autor escreveu por extenso as ornamenta\u00e7\u00f5es e varia\u00e7\u00f5es das reprises (da\u00ed o nome das cole\u00e7\u00f5es), que usualmente n\u00e3o eram anotadas nas partituras e sim deixadas ao crit\u00e9rio do executante, tendo por isso um car\u00e1ter claramente did\u00e1tico e sendo ao mesmo tempo documentos valiosos tanto do seu m\u00e9todo de varia\u00e7\u00e3o e ornamenta\u00e7\u00e3o quanto do processo evolutivo da forma sonata, que iniciava sua liberta\u00e7\u00e3o dos ''ritornelli'' em dire\u00e7\u00e3o ao m\u00e9todo de desenvolvimento tem\u00e1tico que se fixou na m\u00fasica cl\u00e1ssica.Kramer, Richard. ''Unfinished Music''. Oxford University Press, 2012, pp. 47-50Schulenberg, David. \"Carl Philipp Emanuel Bach\". In: Marshall, Robert (ed.). ''Eighteenth-Century Keyboard Music''. Routledge, 2004, pp. 172-208 \n\nAs seis ''Cole\u00e7\u00f5es para Conhecedores e Diletantes'' Wq 55 / 56 / 57 / 58 / 59 / 61 merecem nota pelo seu amplo escopo, sendo o mais ambicioso projeto do autor, ao qual ele devotou a maior parte de suas energias nos seus \u00faltimos dez anos de vida. O t\u00edtulo pode ser enganoso: ao que parece ele n\u00e3o tinha em mente executantes mais ou menos competentes, mas de acordo com o significado que as palavras tinham naquele tempo, provavelmente ele se referia, no primeiro caso, a tecladistas que estavam tamb\u00e9m envolvidos na cria\u00e7\u00e3o musical, em contraste com os que apenas interpretavam obras alheias. De fato, as pe\u00e7as t\u00eam em geral um alto grau de dificuldade, que gerou cr\u00edticas e foi um dos fatores que fizeram as vendas das \u00faltimas cole\u00e7\u00f5es cair pela metade em rela\u00e7\u00e3o \u00e0s primeiras. Todas trazem seis pe\u00e7as cada, salvo a quarta, com sete, e incluem sonatas, ''rond\u00f2s'' e fantasias. Elas seguem a linha est\u00e9tica das outras sonatas, foram planejadas especificamente para execu\u00e7\u00e3o ao clavic\u00f3rdio ou no pianoforte, e d\u00e3o novas provas do seu talento para a explora\u00e7\u00e3o infinita de novos recursos. Entre a cr\u00edtica a recep\u00e7\u00e3o das cole\u00e7\u00f5es foi em geral muito favor\u00e1vel, louvando sua inesgot\u00e1vel inventividade. A inclus\u00e3o de ''rond\u00f2s'', g\u00eanero que surgira recentemente e cuja novidade causara excita\u00e7\u00e3o, foi outro motivo para sua grande popularidade.Hogwood, Christopher. [http://cpebach.org/toc/toc-I-4-1.html ''I/4.1: \u201cKenner und Liebhaber\u201d Collections I: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works Segundo David Schulenberg, esses ''rond\u00f2s'' e fantasias s\u00e3o suas mais importantes composi\u00e7\u00f5es para o teclado fora do dom\u00ednio da sonata, cheios de vivacidade e inventividade e de um n\u00edvel t\u00e3o consistentemente alto que fica dif\u00edcil destacar alguma pe\u00e7a isolada. Quando a quinta cole\u00e7\u00e3o apareceu em 1786, o ''Magazin der Musik'' deixou uma nota elogiosa que reflete o esp\u00edrito de todo o conjunto:\n\n::\"O g\u00eanio musical de nosso grande Bach parece de fato ser inexaur\u00edvel. Por mais que algu\u00e9m estude suas sonatas, rond\u00f2s e fantasias, das quais ele continuamente nos oferece novos exemplos, e por mais que se possa compar\u00e1-las entre si ou com o trabalho de outros mestres, sempre descobrimos que cada pe\u00e7a \u00e9 inteiramente nova e original em sua inven\u00e7\u00e3o, e ao mesmo tempo o esp\u00edrito de Bach est\u00e1 inequivocamente presente em todas elas; assim este compositor \u00e9 literalmente incompar\u00e1vel\".\n
{{multi-escuta item|nomearquivo=Carl Phillipe Emanuel Bach - Freie Fantasie, F Sharp minor.ogg|titulo=''Freie Fantasie'', em f\u00e1 sustenido maior|descricao=Joan Benson, cravo|format=[[ogg]]}}
\n\n
{{multi-escuta item|nomearquivo=Carl Philipp Emanuel Bach - Solfeggietto.ogg|titulo=''Solfeggietto'', Wq.117.1 / H.220|descricao=|format=[[ogg]]}}
\n\n===M\u00fasica orquestral===\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach - Concerto para Flauta..jpg|thumb|Manuscrito da parte de flauta do ''allegro'' do ''Concerto para Flauta e Orquestra'' H.484.1, c. 1780]]\n\nNeste grupo se incluem seus [[concerto]]s, [[sinfonia]]s e [[sonatina]]s. Escreveu concertos para flauta, obo\u00e9, violoncelo e teclado, v\u00e1rios deles s\u00e3o arranjos de sinfonias ou outras composi\u00e7\u00f5es, e v\u00e1rios n\u00e3o especificam claramente qual deveria ser o instrumento solista. Bach escreveu concertos ao longo de toda a sua carreira, compondo um total de mais de cinquenta, e eles refletem as variadas circunst\u00e2ncias de sua g\u00eanese. Enquanto que os primeiros s\u00e3o deriva\u00e7\u00f5es diretas das tradi\u00e7\u00f5es mais antigas e das pr\u00e1ticas dos col\u00e9gios musicais, dos quais Bach fez parte, os do per\u00edodo m\u00e9dio s\u00e3o influenciados pelo ambiente cortes\u00e3o de Berlim e refletem os gostos t\u00edpicos da elite, e os \u00faltimos almejavam atingir um p\u00fablico basicamente burgu\u00eas que era habitual nos concertos p\u00fablicos de Hamburgo. Segundo Peter Wollny, o estilo dos concertos \u00e9 t\u00e3o diversificado quanto os p\u00fablicos distintos para os quais foram compostos. Os primeiros surgiram quando o g\u00eanero do concerto para solista e orquestra ainda era novidade, e por isso as obras de Bach s\u00e3o uma contribui\u00e7\u00e3o importante para a hist\u00f3ria do g\u00eanero. Contudo, em termos de forma eles ainda s\u00e3o bastante convencionais, derivando sua estrutura do antigo [[concerto grosso]] em sua separa\u00e7\u00e3o clara entre as interven\u00e7\u00f5es do solista e da orquestra, mas seu idioma harm\u00f4nico j\u00e1 \u00e9 personalizado.Yearsley, david. \"The concerto in northern Europe to c. 1770\". In: Keefe, Simon P. (ed.). ''The Cambridge Companion to the Concerto''. Cambridge University Press, 2005, p. 67 As transforma\u00e7\u00f5es que o g\u00eanero sofreu nas suas m\u00e3os se mostram na crescente variedade dos di\u00e1logos entre o solo e a orquestra, nas suas dimens\u00f5es ampliadas, e na progressiva complexidade da sua escrita e do seu car\u00e1ter sinf\u00f4nico. Em sua maioria, exigem solistas profissionais de alto gabarito, embora alguns fossem compostos provavelmente para amadores.Wollny, Peter. [http://cpebach.org/prefaces/concertos-preface.html ''Preface: Concertos'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works Os concertos hamburgueses s\u00e3o os mais progressistas em termos de estrutura e estilo, e mostram uma crescente preocupa\u00e7\u00e3o com a unidade formal, expressa no uso mais sistem\u00e1tico e avan\u00e7ado da forma sonata, \u00e0s vezes at\u00e9 recapitulando material dos primeiros movimentos no \u00faltimo, criando uma arquitetura muito integrada.Rusquet, Michel. [http://www.musicologie.org/15/rusquet_bach_cpe_concert.html ''Trois si\u00e8cles de musique instrumentale: Un parcours d\u00e9couverte'']. Musicologie.org\n\n
{{multi-escuta item|nomearquivo=Carl Philipp Emanuel Bach- Flute Concerto Gmaj - 1. Allegro.ogg|titulo=''Allegro'', do ''Concerto para Flauta em sol maior''|descricao=Advent Chamber Orchestra e Constance Schoepflin (flauta)|format=[[ogg]]}}
\n
{{multi-escuta item|nomearquivo=Carl Philipp Emanuel Bach- Flute Concerto Gmaj - 2. Largo.ogg|titulo=''Largo'', do ''Concerto para Flauta em sol maior''|descricao=Advent Chamber Orchestra e Constance Schoepflin (flauta)|format=[[ogg]]}}
\n
{{multi-escuta item|nomearquivo=Carl Philipp Emanuel Bach- Flute Concerto Gmaj - 3. Presto.ogg|titulo=''Presto'', do ''Concerto para Flauta em sol maior''|descricao=Advent Chamber Orchestra e Constance Schoepflin (flauta)|format=[[ogg]]}}
\n\nOs que t\u00eam o teclado como instrumento solista, treze no total, s\u00e3o os mais inovadores do conjunto, contribu\u00edram significativamente para o estabelecimento de sua reputa\u00e7\u00e3o como compositor,Kulukundis, Elias N. [http://cpebach.org/toc/toc-III-7.html ''III/7: Keyboard Concertos from Prints: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works e foram uma importante influ\u00eancia para a gera\u00e7\u00e3o seguinte, notadamente na produ\u00e7\u00e3o concertante de [[Mozart]], que deles retirou muitos ensinamentos em termos de estrutura, do uso expressivo das din\u00e2micas e da atmosfera de [[recitativo]] e lirismo dos movimentos lentos.Flothuis, Marius. ''Mozart's Piano Concertos''. Rodopi, 2001, pp. 6; 17 V\u00e1rios foram revisados depois de sua composi\u00e7\u00e3o, muitas vezes modificando drasticamente sua subst\u00e2ncia. Destaca-se no conjunto o ''Concerto em r\u00e9 maior'' Wq 11, de express\u00e3o s\u00f3bria e concentrada e intenso conte\u00fado dram\u00e1tico, distante dos esp\u00edrito leve, ornamental e despreocupado mais comumente associado ao Estilo Galante. Seu ''allegro'' inicial ainda remete \u00e0 forma antiga da sonata, com apenas um tema principal e varia\u00e7\u00f5es, mas o material [[polifonia|polif\u00f4nico]] \u00e9 limitado, indicando um caminho progressista.Veinus, Abraham. ''The Concerto''. Courier Corporation, 1964, p. 69 Tamb\u00e9m \u00e9 not\u00e1vel a cole\u00e7\u00e3o de ''Seis Concertos para Cravo Concertato'' Wq 43, pelo fato de se dirigir a um p\u00fablico amplo onde se inclu\u00edam amadores, tornando-se muito apreciada. N\u00e3o obstante, sua escrita \u00e9 muitas vezes exigente. No geral eles seguem o modelo b\u00e1sico do concerto popular no norte da Alemanha, mas em muitos pontos s\u00e3o experimentais e inventivos, ultrapassando as conven\u00e7\u00f5es estabelecidas para o g\u00eanero. Nos movimentos lentos, de qualidades l\u00edricas ou pat\u00e9ticas, ele se mostra em geral mais original, explorando rela\u00e7\u00f5es [[tonalidade|tonais]] incomuns e exibindo grande liberdade na estrutura, sem abandonar um poderoso sendo de coes\u00e3o formal.Lee, Douglas A. [http://cpebach.org/toc/toc-III-8.html ''III/8: Sei concerti per il cembalo concertato: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works A imprensa de Hamburgo comentou essas obras em 1772:\n\n::\"Finalmente podemos anunciar aos conhecedores e entusiastas da m\u00fasica a publica\u00e7\u00e3o completa dos seis excelentes concertos para cravo do nosso estimado senhor Bach, pelos quais estivemos longamente esperando com impaciente ansiedade. Todos os seis satisfazem as expectativas que formamos a partir das obras-primas de um int\u00e9rprete como ele, que conhece todos os mais belos aspectos do instrumento. Uma nobre melodia \u00e9 acompanhada por bem escolhidas harmonias, ajustando-se \u00e0s caracter\u00edsticas do instrumento da melhor maneira, com passagens brilhantes nas quais o m\u00fasico pode demonstrar sua habilidade e seu instrumento da forma mais vantajosa, embora o senhor Bach tenha tido cuidados para torn\u00e1-los acess\u00edveis aos amadores\".\n\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach - Keyboard Concerto in E Minor Wq 15 - Allegro.jpg|thumb|P\u00e1gina manuscrita do ''allegro'' do ''Concerto para Teclado em mi menor'' Wq 15]]\n\nAinda que os concertos fossem parte essencial de sua vida profissional, em particular os de teclado, nos quais atuava como solista, suas sinfonias n\u00e3o atendem a uma necessidade pr\u00e1tica semelhante, e formam um grupo relativamente pequeno de dezoito exemplos. Oito datam do per\u00edodo berlinense e nada se sabe sobre as circunst\u00e2ncias de sua composi\u00e7\u00e3o, mas elas parecem atender \u00e0s necessidades das sociedades musicais da cidade, que imitavam as prefer\u00eancias da corte e as difundiam entre a burguesia ilustrada, contribuindo para formar o gosto em ampla escala. Entre as mais importantes dessas sociedades estava a Musik\u00fcbende Gesellschaft, fundada em 1749, que tinha como h\u00e1bito executar \"somente as mais recentes e melhores aberturas, sinfonias e trios\". V\u00e1rias c\u00f3pias manuscritas de sinfonias de Bach foram encontradas nos antigos arquivos desta sociedade. Seu estilo trai a influ\u00eancia de [[Johann Gottlieb Graun]], que seguia uma est\u00e9tica italianizada favorecida pela corte prussiana. J\u00e1 o grupo restante do per\u00edodo hamburgu\u00eas exibe uma abordagem nova e mais pessoal, e foi fruto de encomendas: seis para o bar\u00e3o [[Gottfried van Swieten]] e seis para um mecenas n\u00e3o identificado. A partir de relatos da \u00e9poca, que sugerem a exist\u00eancia de um total maior, conclui-se que v\u00e1rias sinfonias foram perdidas. V\u00e1rias pe\u00e7as sobrevivem em manuscritos, mas sua autoria tem sido disputada. Todas as pe\u00e7as aut\u00eanticas t\u00eam tr\u00eas movimentos, no esquema r\u00e1pido-lento-r\u00e1pido. O primeiro movimento \u00e9 sempre o de maior f\u00f4lego e o mais ambicioso t\u00e9cnica e estilisticamente, fazendo uso regular da forma sonata. Os primeiros exemplos ainda se espelham na antiga sonata com ''ritornello'', mas a partir das \u00faltimas sinfonias berlinenes este modelo come\u00e7a a ser rompido em favor de uma estrutura\u00e7\u00e3o tripartida que aponta para a emerg\u00eancia do princ\u00edpio da exposi\u00e7\u00e3o-desenvolvimento-recapitula\u00e7\u00e3o t\u00edpico da sonata cl\u00e1ssica, chegando a uma culmina\u00e7\u00e3o na \u00faltima cole\u00e7\u00e3o deste grupo. As seis obras compostas para van Swieten s\u00e3o mais arrojadas que as berlineses, com muitas passagens virtuos\u00edsticas, um crescente uso de [[modula\u00e7\u00e3o|modula\u00e7\u00f5es]] ex\u00f3ticas e abruptas mudan\u00e7as de din\u00e2mica, tonalidade e material mot\u00edvico, e na opini\u00e3o de Adams se distinguem das precedentes pelo seu car\u00e1ter aventuresco e experimental.Adams, Sarah. [http://cpebach.org/toc/toc-III-2.html ''III/2: Six Symphonies for Baron van Swieten: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works Os movimentos lentos em todas elas s\u00e3o funcionalmente elementos de transi\u00e7\u00e3o tonal entre o primeiro e terceiro movimentos, e estes s\u00e3o muitas vezes quase t\u00e3o substanciosos quanto os primeiros, mas usam ritmos de dan\u00e7a e t\u00eam em geral estrutura bipartida com ''ritornelli''. Muitas vezes Bach solicitou que suas sinfonias fossem executadas sem pausas entre os movimentos. Sua escrita orquestral tamb\u00e9m reflete a evolu\u00e7\u00e3o estil\u00edstica. As primeiras, segundo as pr\u00e1ticas italianas, usam os [[violino]]s em un\u00edssono, com raras passagens em ter\u00e7as, as [[viola]]s dobram os [[contrabaixo|baixos]] uma [[oitava]] acima e a partitura n\u00e3o inclui [[sopros]]. Mais tarde ele enriqueceu consideravelmente as texturas, culminando nas sinfonias Wq 183 com doze partes diferentes.Kr\u00fcger, Ekkehard & Schwinger, Tobias. [http://cpebach.org/toc/toc-III-1.html ''III/1: Berlin Symphonies 1: Introduction']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works As quatro e \u00faltimas obras agrupadas sob a cataloga\u00e7\u00e3o Wq 183 representam o \u00e1pice de sua escrita sinf\u00f4nica. Elas possuem uma textura completamente desenvolvida em termos orquestrais, e al\u00e9m do [[baixo cont\u00ednuo]], onipresente em todas as sinfonias, nestas o autor acrescentou uma parte para [[violoncelo]] ''[[obbligato]]''. Foi a \u00fanica cole\u00e7\u00e3o impressa ainda em sua vida, e ganhou o mais alto favor da cr\u00edtica entre todas desde sua estreia em 1776, quando o ''Hamburgische unpartheyische Correspondent'' noticiou:\n\n::\"Anteontem na Konzertsaal auf dem Kamp o mestre de capela Bach conduziu quatro grandes sinfonias que recentemente havia composto. A orquestra era talvez a maior que Hamburgo viu nos \u00faltimos tempos. Consistia em cerca de quarenta profissionais e alguns amadores, que executaram essas sinfonias incompar\u00e1veis e \u00fanicas com tal precis\u00e3o e esp\u00edrito que o senhor Bach louvou publicamente sua per\u00edcia e a audi\u00eancia deu as mais vivas express\u00f5es de sua aprova\u00e7\u00e3o\".\n\n[[Christoph Friedrich Nicolai]] deixou outro testemunho do grande impacto que elas provocaram em seu tempo:\n\n::\"Qualquer um que desejar encontrar um compositor t\u00e3o verdadeiramente original quanto nosso Bach, que persegue livremente seus pr\u00f3prios caminhos, desimpedido de todo costume ou moda, atender\u00e1 ao desejo de seu cora\u00e7\u00e3o nestas espl\u00eandidas e \u00fanicas sinfonias. Em nenhuma de suas outras obras este grande mestre mostrou-se t\u00e3o original quanto nestas; por causa disso, essas sinfonias apresentam algumas dificuldades de execu\u00e7\u00e3o, mas quando elas s\u00e3o superadas, contudo, o esfor\u00e7o \u00e9 plenamente recompensado. Obras como estas s\u00e3o dons que somente Bach pode oferecer, e portanto todos os verdadeiros amigos da arte desejariam que Bach nos desse somente obras deste quilate\".\n\nEsta cole\u00e7\u00e3o traz os mais avan\u00e7ados exemplos da sua abordagem progressista da forma sonata. As tonalidades b\u00e1sicas dos tr\u00eas movimentos s\u00e3o fortemente encadeadas, embora internamente as modula\u00e7\u00f5es conduzam o discurso por long\u00ednquas paragens antes de retornar \u00e0 base. Segundo Kidger & Fisher, o mais significativo das \u00faltimas sinfonias \u00e9 o uso avan\u00e7ado das t\u00e9cnicas de varia\u00e7\u00e3o e de desenvolvimento tem\u00e1tico. Contudo, ainda restam sinais da antiga sonata com ''ritornello'', o que pode explicar o seu uso de fortes contrastes de textura e din\u00e2mica e de elementos polif\u00f4nicos, a fim de emprestar maior variedade \u00e0 forma.Kidger, David & Fisher, Stephen C. [http://cpebach.org/toc/toc-III-3.html ''III/3: Orchester-Sinfonien mit zw\u00f6lf obligaten Stimmen: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works A cole\u00e7\u00e3o foi reeditada v\u00e1rias vezes no {{s\u00e9c|XIX}} e no {{s\u00e9c|XX}}, constituindo o \u00fanico grupo de sinfonias compostas em sua gera\u00e7\u00e3o que jamais saiu inteiramente do repert\u00f3rio,Wollny, Peter. [http://cpebach.org/prefaces/symphonies-preface.html ''Preface: Symphonies'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works e a qualidade do conjunto de sua produ\u00e7\u00e3o neste g\u00eanero o coloca como um dos principais sinfonistas de sua gera\u00e7\u00e3o.Laki, Peter. \"The orchestral repertory\". In: Lawson, Colin (ed.). ''The Cambridge Companion to the Orchestra''. Cambridge University Press, 2003, p. 43 \n\nAs sonatinas s\u00e3o um g\u00eanero inventando por Bach que fica a meio caminho entre a m\u00fasica de c\u00e2mara e a m\u00fasica de orquestra e entre a su\u00edte e o concerto. Todas foram compostas para um ou dois teclados solo e uma orquestra, surgindo no breve intervalo de 1762\u20131764, quando ainda estava em Berlim. N\u00e3o ofereceu exemplos compar\u00e1veis nem antes nem depois, e nem existem similares diretos na obra de outros compositores alem\u00e3es. Todas, exceto uma, trazem os movimentos numa mesma tonalidade, um padr\u00e3o comum para su\u00edtes mas n\u00e3o para concertos. A estrutura dos movimentos individuais (sempre dois ou tr\u00eas) varia de longas se\u00e7\u00f5es bipartidas a uma sucess\u00e3o de formas de dan\u00e7as com reprises ''[[da capo]]'' literais ou variadas. O acompanhamento dos solos \u00e9 em geral reduzido a poucos instrumentos, em geral duas flautas e orquestra de cordas a quatro partes, al\u00e9m de um baixo cont\u00ednuo. As exig\u00eancias t\u00e9cnicas para o solista n\u00e3o s\u00e3o muito altas e sua parte dobra em larga medida o acompanhamento, e isso leva a crer que se destinassem a amadores ou a um p\u00fablico mais popular. O autor revisou muitas delas no per\u00edodo hamburgu\u00eas, expandindo a instrumenta\u00e7\u00e3o com uma combina\u00e7\u00e3o vari\u00e1vel de [[trompa]]s, [[trompete]]s, [[T\u00edmpano (instrumento musical)|t\u00edmpanos]], [[obo\u00e9]]s, [[fagote]] e cordas adicionais, al\u00e9m de incrementar consideravelmente as partes do solo e do baixo cont\u00ednuo, emprestando-lhes qualidades concertantes, ainda que sua estrutura geral n\u00e3o se modifique e divirja do modelo padr\u00e3o do concerto. Este grupo de pe\u00e7as tem resistido a qualquer defini\u00e7\u00e3o precisa, e por isso tem sido pouco explorado pelos pesquisadores, mas na avalia\u00e7\u00e3o de Peter Wollny o seu estudo \u00e9 essencial para a compreens\u00e3o do seu estilo tardio de escrita orquestral.Wollny, Peter. [http://cpebach.org/prefaces/sonatinas-preface.html ''Preface: Sonatinas'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works\n\n===M\u00fasica de c\u00e2mara===\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach - Duas Trio Sonatas.jpg|thumb|Frontisp\u00edcio para ''Duas Trio Sonatas'' Wq.161 para dois violinos e baixo ou violino e teclado]]\n[[Imagem:C.P.E. Bach. Trio Sonata in B-flat major, Wq.161 2 (H.578).webm|thumb|220px|''Trio Sonata em si bemol maior'' Wq.161/2 (v\u00eddeo)]]\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach - Quartets for Keyboard, Flute, and Viola.jpg|thumb|Manuscrito dos quartetos para teclado, flauta e viola, c\u00f3pia de Carl Friedrich Zelter]]\n\nMesmo que sua m\u00fasica de c\u00e2mara n\u00e3o tenha a mesma amplitude que suas obras para teclado solo ou orquestra, nem tenham exercido influ\u00eancia compar\u00e1vel, ainda assim seu valor art\u00edstico n\u00e3o \u00e9 inferior \u00e0s outras. Nesta categoria entram trios e duos com baixo cont\u00ednuo ou solo, quartetos e pe\u00e7as para v\u00e1rios instrumentos mistos, incluindo teclado, muitas vezes consistindo em m\u00fasica de ocasi\u00e3o ou para ser usada no ambiente dom\u00e9stico ou nas r\u00e9citas semi-p\u00fablicas promovidas pelas sociedades musicais de seu tempo. No entanto, em geral elas mostram uma grande compreens\u00e3o das capacidades espec\u00edficas de cada instrumento e s\u00e3o pe\u00e7as expressivas e perfeitamente acabadas. A maioria segue os padr\u00f5es estruturais da [[trio sonata]], empregando recursos polif\u00f4nicos mais abundantemente, [[harmonia (m\u00fasica)|harmonias]] atraentes e [[melodia]]s ''[[cantabile|cantabili]]'', mas em muitos casos, como ocorreu em suas obras mais ambiciosas, a forma da sonata \u00e9 trabalhada progressivamente. Aparecem tamb\u00e9m dan\u00e7as e pe\u00e7as mais livres.Wollny, Peter. [http://cpebach.org/prefaces/chambermusic-preface.html ''Preface Chamber Music'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works \n\nNo grupo classificado como \"Sonatas Solo\" se incluem uma sonata para [[flauta]] sem acompanhamento e quinze para instrumentos de sopro ou corda acompanhados de baixo cont\u00ednuo. As duas que requerem a flauta e que foram compostas em Frankfurt s\u00e3o pe\u00e7as f\u00e1ceis e provavelmente se destinavam a amadores. Cinco outras compostas em Berlim para o mesmo instrumento j\u00e1 s\u00e3o pe\u00e7as de maior complexidade e f\u00f4lego mais alentado. As sonatas para violoncelo e para [[viola da gamba]] tamb\u00e9m s\u00e3o pe\u00e7as exigentes. A sonata para obo\u00e9 \u00e9 outra composi\u00e7\u00e3o acess\u00edvel, e a escrita para [[harpa]] parece ser a mais experimental de todo o grupo, com uma melodia intrincada na voz superior, muitos [[cromatismo]]s e uma ornamenta\u00e7\u00e3o complexa, e seu baixo cont\u00ednuo em v\u00e1rios momentos prescinde do teclado e emprega o violoncelo solo.Oleskiewicz, Mary. [http://cpebach.org/toc/toc-II-1.html ''II/1: Solo Sonatas: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works \n\nO grupo composto pelas \"Trio Sonatas\" usa dois instrumentos agudos e um grave, cuja escolha em muitos casos fica a crit\u00e9rio dos executantes, mas a maioria sugere o uso de flauta, violino ou obo\u00e9 para as vozes superiores e violoncelo ou fagote para o baixo. Por outro lado, podiam ser executadas apenas por um instrumento agudo e um teclado, encarregado das duas outras partes. Exige-se em geral tamb\u00e9m o uso de um baixo cont\u00ednuo, mas em v\u00e1rias pe\u00e7as a linha de baixo n\u00e3o tem as cifras correspondentes. Foram compostas em sua inteireza no per\u00edodo berlinense, entre 1745 e 1756. Na sua primeira fase as pe\u00e7as s\u00e3o arcaizantes, herdeiras diretas da tradi\u00e7\u00e3o da trio sonata barroca, naquele per\u00edodo o principal campo de experimenta\u00e7\u00e3o e onde os compositores provavam suas mais altas habilidades. Concordemente, elas empregam muita polifonia, atribuindo um peso igual aos tr\u00eas instrumentos solo. A grande quantidade de manuscritos sobreviventes aponta para uma alta popularidade deste conjunto.Wolff, Christoph. [http://cpebach.org/toc/toc-II-2-1.html ''II/2.1: Trio Sonatas: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete WorksPowers, Doris B. [http://cpebach.org/toc/toc-II-3-1.html ''II/3.1: Keyboard Trios I: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works As quatro sonatas para violino e teclado Wq 75\u201378, compostas em 1763, merecem um destaque por inaugurarem uma nova abordagem do g\u00eanero da trio sonata. Na an\u00e1lise de Doris Powers, \n\n::\"A novidade do Wq 75\u201378 pode ser detectada em v\u00e1rios n\u00edveis: suas formas expansivas, sua expressividade sutil, em seu estilo virtuos\u00edstico, no uso de tipos de movimentos incomuns e no abandono parcial da estrita textura a tr\u00eas partes em favor de um di\u00e1logo mais efetivo entre dois executantes. Na sua escrita avan\u00e7ada para o teclado, bem como nas meticulosas e sistem\u00e1ticas marca\u00e7\u00f5es de articula\u00e7\u00e3o, din\u00e2mica e ornamentos, essas obras se aproximam das ''Sonatas com Reprises Variadas''. [...] Junto com seus ritmos intrincados e sua organiza\u00e7\u00e3o m\u00e9trica, as sonatas Wq 75\u201378 se distinguem dos seus trabalhos anteriores por uma sistem\u00e1tica elabora\u00e7\u00e3o e transforma\u00e7\u00e3o do material tem\u00e1tico e mot\u00edvico. [...] Depois da finaliza\u00e7\u00e3o do Wq 75\u201378, Bach escreveu somente mais uma pe\u00e7a no estilo tradicional, o ''Trio para Flauta e Teclado em d\u00f3 maior'' Wq 87 (1766). Ap\u00f3s uma d\u00e9cada de interrup\u00e7\u00e3o ele voltou \u00e0 m\u00fasica de c\u00e2mara, mas essas obras tardias pertencem a um g\u00eanero inteiramente distinto\".\n\nResta ainda um grande conjunto de obras em variadas forma\u00e7\u00f5es instrumentais, algumas bastante incomuns para sua \u00e9poca, onde se incluem \u00f3rg\u00e3os autom\u00e1ticos e caixas de m\u00fasica, demonstrando seu interesse pela pesquisa de novas sonoridades e possibilidades texturais. Boa parte dessas pe\u00e7as \u00e9 de ocasi\u00e3o ou destinada a amadores, e circulou muito limitadamente no {{s\u00e9c|XVIII}}, sobrevivendo poucos manuscritos e edi\u00e7\u00f5es impressas. Um grupo menor, por outro lado, \u00e9 mais sofisticado e exigente e teve uma divulga\u00e7\u00e3o consider\u00e1vel. Grande parte s\u00e3o arranjos de obras anteriores para novos formatos, ou serviram de base para arranjos posteriores em maior escala. No geral elas seguem a evolu\u00e7\u00e3o estil\u00edstica que caracterizou suas outras obras, onde fica evidente sua explora\u00e7\u00e3o da forma sonata.Buch, Laura. [http://cpebach.org/toc/toc-II-5.html ''II/5: Quartets and Miscellaneous Chamber Music: introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works \n
{{multi-escuta item|nomearquivo=Carl Philipp Emanuel Bach - Sonata in G major.ogg|titulo=Sonata para Flauta e Cravo em sol maior|descricao=Alex Murray, flauta; Martha Goldstein, cravo|format=[[ogg]]}}
\n\n
{{multi-escuta item|nomearquivo=Fl\u00f6tenuhr E-Dur CPE Bach Wq193 06.ogg|titulo=Pe\u00e7a para caixa de m\u00fasica Wq 193/6|descricao=|format=[[ogg]]}}
\n\n===M\u00fasica sacra===\n\nBach deixou um grosso corpo de composi\u00e7\u00f5es sacras, muitas delas de largas dimens\u00f5es, como [[Orat\u00f3rio (m\u00fasica)|orat\u00f3rios]], [[cantata]]s e [[paix\u00e3o (M\u00fasica)|paix\u00f5es]]. Embora seja uma parte de grande import\u00e2ncia em sua obra completa, com trabalhos de elevado m\u00e9rito, \u00e9 talvez a parte menos conhecida do grande p\u00fablico e a menos estudada de sua produ\u00e7\u00e3o. Ao suceder Georg Philipp Telemann como diretor musical de Hamburgo, ele continuou tendo que organizar a m\u00fasica das cinco principais igrejas da cidade: S\u00e3o Pedro, S\u00e3o Nicolau, S\u00e3o Jac\u00f3, Santa Catarina e S\u00e3o Miguel. Isso exigia a composi\u00e7\u00e3o de cantatas sacras, paix\u00f5es, pequenas pe\u00e7as corais para v\u00e9speras, salmos e dias festivos, obras laudat\u00f3rias para a instala\u00e7\u00e3o de novos pastores e outros oficiais do clero. Tamb\u00e9m estava associada ao cargo a obriga\u00e7\u00e3o de compor pe\u00e7as f\u00fanebres para grandes burgueses e funcion\u00e1rios p\u00fablicos, ou serenatas festivas para cerim\u00f4nias civis, como a posse de novos [[burgomestre]]s ou outros altos funcion\u00e1rios p\u00fablicos. Nem sempre ele ofereceu obras suas nesses servi\u00e7os, usando tamb\u00e9m um grande repert\u00f3rio que estava \u00e0 disposi\u00e7\u00e3o, como era uma praxe da \u00e9poca.Leisinger, Ulrich. [http://cpebach.org/prefaces/choralmusic-preface.html ''Preface: Choral Music'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works \n\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach - Magnificat - Magnificat anima mea.jpg|thumb|left|P\u00e1gina manuscrita do ''Magnificat'', da se\u00e7\u00e3o ''Magnificat anima mea'']]\n\nNeste conjunto se destacam em especial os orat\u00f3rios em termos de qualidade intr\u00ednseca e recep\u00e7\u00e3o hist\u00f3rica. Suas pe\u00e7as neste g\u00eanero trazem textos inspirados na [[B\u00edblia]] e s\u00e3o compostas para solistas vocais, coro e orquestra. Apesar de sua tem\u00e1tica religiosa, n\u00e3o se destinavam propriamente ao culto, podendo ser executados como concertos fora das igrejas, ao contr\u00e1rio das suas cantatas e suas paix\u00f5es, partes integrais da [[liturgia]] protestante. Al\u00e9m disso, comparativamente, s\u00e3o as pe\u00e7as de maior f\u00f4lego e maior \u00eanfase dram\u00e1tica, sendo equivalentes sacros das \u00f3peras profanas, contando com uma sucess\u00e3o de \u00e1rias, recitativos e coros. Deixou tr\u00eas pe\u00e7as neste g\u00eanero: ''Die Israeliten in der W\u00fcste'' Wq 238 (Os Israelitas no Deserto), ''Die Auferstehung und Himmelfahrt Jesu'' Wq 240 (A Ressurrei\u00e7\u00e3o e Ascens\u00e3o de Jesus), e a chamada ''Passions-Cantate'' Wq 233 (Cantata da Paix\u00e3o). Elas, junto com o seu ''Magnificat'' Wq 215, consolidaram sua reputa\u00e7\u00e3o como grande compositor sacro.Leisinger, Ulrich. [http://cpebach.org/prefaces/oratorios-preface.html ''Preface: Oratorios'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works\n\nO ''Magnificat'' foi a sua primeira composi\u00e7\u00e3o sacra de grande envergadura, finalizado em Berlim em 1749, e substancialmente revisto em Hamburgo antes de 1779, quando foi executado nesta cidade pela primeira vez. Provavelmente houve algumas audi\u00e7\u00f5es parciais antes disso. Outras revis\u00f5es foram feitas na d\u00e9cada de 1780. Trata-se de uma pe\u00e7a pr\u00f3pria para o culto mariano, com solistas vocais, coro e orquestra, contendo uma sucess\u00e3o de \u00e1rias e coros. Sua recep\u00e7\u00e3o foi muito positiva at\u00e9 depois de sua morte.Blanken, Christine. [http://cpebach.org/toc/toc-V-1-2.html ''V/1.2: Magnificat (Hamburg Version): introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works \n\nSuas cantatas s\u00e3o em muitos aspectos pe\u00e7as similares aos orat\u00f3rios, embora menores e menos ambiciosas e mais intimamente ligadas ao culto, sendo associadas a determinadas festividades do calend\u00e1rio lit\u00fargico, como o [[Natal]], a [[P\u00e1scoa]], a Festa de S\u00e3o Miguel e o [[Pentecostes]]. Desta forma, muitas vezes sua escrita \u00e9 mais exuberante e brilhante que as paix\u00f5es e orat\u00f3rios, usam tamb\u00e9m recursos polif\u00f4nicos e harmoniza\u00e7\u00f5es de corais luteranos.Knoll, Mark W. [http://cpebach.org/toc/toc-V-2-1.html ''V/2.1: Quartalst\u00fccke I: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works Suas poucas pe\u00e7as para festividades c\u00edvicas em tudo se assemelham ao modelo geral da cantata sacra, tendo um car\u00e1ter celebrat\u00f3rio.Leisinger, Ulrich. [http://cpebach.org/toc/toc-V-5-1.html ''V/5.1: Works for Special Occasions I: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works \n\nSobrevivem 21 paix\u00f5es de sua autoria, um g\u00eanero tradicional na Alemanha que na \u00e9poca de Bach j\u00e1 tinha cem anos, e que narra a vida de [[Jesus]] segundo os [[Evangelhos]]. As obras de Bach utilizam muito material de outros autores ou fazem arranjos de obras suas mais antigas, uma pr\u00e1tica comum naquele tempo, e s\u00e3o herdeiras diretas do modelo estabelecido na fase final da carreira de Georg Philipp Telemann. Tamb\u00e9m s\u00e3o compostas para solistas vocais, tendo Jesus como personagem protagonista, acompanhado de outros solistas para figuras importantes, e um coro que faz coment\u00e1rios sobre a a\u00e7\u00e3o principal ou d\u00e1 voz alternativamente a coletividades como os disc\u00edpulos, o povo, os soldados romanos, os sacerdotes judeus, etc, com apoio de uma orquestra. Os personagens principais se manifestam em geral atrav\u00e9s de recitativos ou ''[[arioso|ariosi]]'', com \u00e1rias mais raras, e Jesus \u00e9 mais frequentemente retratado em sua condi\u00e7\u00e3o humana e n\u00e3o divina, como o \"Homem das Dores\" e o \"Amigo da Humanidade\", acompanhando uma nova orienta\u00e7\u00e3o teol\u00f3gica de sua \u00e9poca, que enfatizava a piedade, o amor e a paci\u00eancia diante do sofrimento. Sendo obras integradas ao culto, s\u00e3o de curta dura\u00e7\u00e3o, as mais longas n\u00e3o excedendo uma hora, e empregam um conjunto reduzido de executantes.Leisinger, Ulrich. [http://cpebach.org/prefaces/passions-preface.html ''Preface: Passions'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete WorksLeisinger, Ulrich. [http://cpebach.org/toc/toc-IV-4-1.html ''IV/4.1: Passion according to St. Matthew (1769): Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works A recep\u00e7\u00e3o dessas obras n\u00e3o \u00e9 bem conhecida. Um relato de Charles Burney em sua visita a Hamburgo de 1772, onde encontrou-se com Bach, refere que a comunidade da igreja dava pouca aten\u00e7\u00e3o \u00e0 m\u00fasica e muitas vezes, tendo apenas estudantes ou amadores \u00e0 disposi\u00e7\u00e3o, ela era mal executada:\n\n::\"O senhor Bach me companhou \u00e0 Igreja de Santa Catarina, onde ouvi uma boa m\u00fasica de sua autoria, muito mal interpretada para uma congrega\u00e7\u00e3o completamente desatenta. Este homem certamente nasceu para escrever para grandes int\u00e9rpretes, e para uma refinada audi\u00eancia, mas agora ele parece estar fora de seu elemento. Ocorre uma flutua\u00e7\u00e3o nas artes de toda cidade e pa\u00eds onde elas s\u00e3o cultivadas, e este n\u00e3o \u00e9 um per\u00edodo brilhante para a m\u00fasica de Hamburgo. Na Igreja, e depois no caminho para casa, tivemos uma conversa assaz interessante: ele me disse que se estivesse em um lugar onde suas obras pudessem ser bem executadas e bem ouvidas, ele certamente se mataria no esfor\u00e7o de agradar, mas agora 'Adeus m\u00fasica!', ele disse, 'esse povo s\u00e3o boas pessoas para a vida social, e aqui desfruto de mais tranquilidade e independ\u00eancia do que tinha na corte; [mas] depois que cheguei aos cinquenta anos eu desisti e disse ''Vamos comer e beber, pois amanh\u00e3 estaremos mortos!'', e agora me conformei com esta situa\u00e7\u00e3o, exceto quando encontro pessoas de gosto e discernimento, que merecem melhor m\u00fasica do que aquela que lhes damos aqui'.\" Corneilson, Paul. [http://cpebach.org/toc/toc-IV-7-1.html ''IV/7.1: Passion according to St. John (1772): Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works\n\n===Can\u00e7\u00f5es===\n\nOutra se\u00e7\u00e3o importante mas menos conhecida de sua produ\u00e7\u00e3o \u00e9 constitu\u00edda pelos ''[[lieder]]'' (can\u00e7\u00f5es alem\u00e3s), tendo deixado mais de 250 exemplos, o que o torna um dos mais prol\u00edficos compositores do g\u00eanero e um elemento fundamental na sua evolu\u00e7\u00e3o hist\u00f3rica. Deixou pe\u00e7as em todas as fases de sua carreira, mas elas se distribuem irregularmente ao longo do tempo. Na fase berlinense provavelmente foi influenciado pelo ativo grupo de can\u00e7onetistas da cidade, onde formou-se verdadeira escola, sendo de fato um dos seus melhores representantes, mesmo que sua posi\u00e7\u00e3o exata dentro desta escola ainda n\u00e3o tenha sido bem determinada. N\u00e3o h\u00e1 sinais de que tenha participado ativamente do debate est\u00e9tico em torno do g\u00eanero, que em sua \u00e9poca polemizava em torno dos m\u00e9ritos do ''lied'' em compara\u00e7\u00e3o com a ''chanson'' francesa, e em certos aspectos suas obras deste per\u00edodo se afastam das conven\u00e7\u00f5es locais. Na fase hamburguesa a produ\u00e7\u00e3o de ''lieder'' tomou novo f\u00f4lego, como prova a ampla difus\u00e3o dos seus exemplares, impressos em v\u00e1rias colet\u00e2neas e avulsamente ou em s\u00e9ries pessoais, e recebidos pela cr\u00edtica em geral com muito agrado e, n\u00e3o raro, entusiasmo. Seu modelo b\u00e1sico consiste na musicaliza\u00e7\u00e3o de poesia com v\u00e1rias estrofes, com a mesma m\u00fasica repetida em todas elas ou com se\u00e7\u00f5es contrastantes, com um cantor solista e um teclado de acompanhamento, embora haja uma grande variedade de abordagens, que dependiam do conte\u00fado textual. Algumas can\u00e7\u00f5es s\u00e3o extensas e de estrutura vari\u00e1vel, aproximando-se do perfil de uma cantata de c\u00e2mara. Muitas vezes a parte de teclado deixa de ser mero acompanhamento e assume um protagonismo compar\u00e1vel ao da voz. Apesar do car\u00e1ter profano dos seus ''lieder'', vis\u00edvel em particular na sua fase berlinense, onde cultivou com frequ\u00eancia um tratamento l\u00edrico e de inspira\u00e7\u00e3o pastoral, muitos outros, especialmente os tardios, t\u00eam textos parafraseados das Escrituras ou s\u00e3o devocionais, destinando-se \u00e0 edifica\u00e7\u00e3o moral e espiritual do p\u00fablico, com um tratamento mais austero e solene; v\u00e1rios foram arranjados como corais e usados em suas paix\u00f5es, salmos e motetos sacros. Bach tinha grande cultura liter\u00e1ria e filos\u00f3fica e aguda sensibilidade para a poesia, e os poetas que preferia eram escritores renomados, incluindo [[Carl Friedrich Cramer]], [[Christoph Christian Sturm]], [[Christian F\u00fcrchtegott Gellert]] e [[Friedrich Gottlieb Klopstock]].Leisinger, Ulrich. [http://cpebach.org/prefaces/songs-preface.html ''Preface: Songs'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works Berg, Darrell M. [http://cpebach.org/toc/toc-VI-1.html ''VI/1: Gellert Songs: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works Morgenstern, Anja. [http://cpebach.org/toc/toc-VI-2.html ''VI/2: Cramer and Sturm Songs: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete WorksWolff, Christoph. [http://cpebach.org/toc/toc-VI-3.html ''VI/3: Miscellaneous Songs: Introduction'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete WorksHill, Moira Leanne. [http://www.secm.org/newsletter/volume23.pdf \"C. P. E. Bach\u2019s Passion for Songs and Songs for Passions\"]. In: ''Society for Eighteenth-Century Music Newsletter'', 2014 (23) \n\n==Instrumentista e professor==\n[[Imagem:BachCPE Versuch \u00fcber die wahre Art das Clavier zu spielen T 1 1759 Buchschmuck.pdf|thumb|''Versuch \u00fcber die wahre Art das Clavier zu Spielen'']]\n\nA educa\u00e7\u00e3o que Bach recebeu de seu pai sem duvida foi ampla e s\u00f3lida. Johann Sebastian ensinava seus filhos e outros disc\u00edpulos come\u00e7ando com o teclado e usando suas pr\u00f3prias composi\u00e7\u00f5es como material did\u00e1tico, e chegou mesmo a escrever um pequeno manual para iniciantes contendo pe\u00e7as elementares. As li\u00e7\u00f5es tinham como ponto de partida o entendimento do sistema do [[baixo cifrado]] e sua realiza\u00e7\u00e3o pr\u00e1tica. Este sistema, caracter\u00edstico da m\u00fasica barroca, em geral definia apenas a voz superior e a inferior, e as interm\u00e9dias eram indicadas apenas atrav\u00e9s de cifras convencionais (da\u00ed o nome), deixando ao cargo do int\u00e9rprete sua transforma\u00e7\u00e3o em linhas mel\u00f3dicas e acordes que proviam o recheio harm\u00f4nico da obra. A etapa seguinte consistia na harmoniza\u00e7\u00e3o de melodias de corais luteranos, e depois o dom\u00ednio avan\u00e7ado da t\u00e9cnica do teclado, incluindo exerc\u00edcios com [[fuga]]s em v\u00e1rias vozes e de dedilhado complexo. Instru\u00e7\u00e3o em t\u00e9cnicas de composi\u00e7\u00e3o original s\u00f3 era ministrada quando o mestre percebia no aluno um talento especial, como ocorreu no seu caso. Esbo\u00e7os que sobreviveram de pequenas pe\u00e7as de sua fase juvenil, bem como c\u00f3pias de obras de outros autores, mostram que seu talento para a composi\u00e7\u00e3o foi cedo reconhecido, e o artista, em sua autobiografia, disse que n\u00e3o teve outro mestre em teclado e composi\u00e7\u00e3o al\u00e9m de seu pai.Schulenberg (2014), pp. 14-20 \n\nO treinamento oferecido por Johann Sebastian em geral inclu\u00eda tamb\u00e9m li\u00e7\u00f5es de canto, \u00f3rg\u00e3o e violino, mas pouco se sabe at\u00e9 que ponto ele dominou esses meios. No \u00f3rg\u00e3o, ao que tudo indica, ele foi proficiente, chegando a tentar emprego como organista em duas oportunidades. Contudo, n\u00e3o sobrevive nenhum relato sobre uma especial virtuosidade neste instrumento, embora uma carta de 1755 de [[Christoph Friedrich Nicolai]] refira que ele o dominava integralmente, mas em 1772 Bach disse a Charles Burney que havia perdido o uso dos pedais por falta de pr\u00e1tica. Ele tornou-se mais conhecido como grande virtuoso do [[Cravo (instrumento musical)|cravo]], do [[clavic\u00f3rdio]] e do [[pianoforte]], e no final de sua vida interpretava publicamente apenas suas pr\u00f3prias obras para esses instrumentos, sendo repetidamente louvado em altos termos pela exatid\u00e3o de suas interpreta\u00e7\u00f5es, pela beleza de seu toque e pela sua intensidade emocional. Burney relatou que quando tocava ele \"ficava t\u00e3o animado que parecia como que possu\u00eddo pela inspira\u00e7\u00e3o. Seus olhos se tornavam fixos, suas p\u00e1lpebras ca\u00edam, e gotas de suor destilavam de seu rosto\".\n\nBach devotou-se ao ensino desde cedo e foi muito apreciado tamb\u00e9m nesta qualidade. [[Christian Friedrich Daniel Schubart]] deixou um v\u00edvido testemunho de seus m\u00e9ritos neste campo em seu tratado ''\u00c4sthetik der Tonkunst'': \u201cEle \u00e9 t\u00e3o grande tecladista quanto \u00e9 grande como ''professor'' de teclado. Ningu\u00e9m melhor do que ele conhece a arte de fazer mestres. Seu grande intelecto formou uma verdadeira escola. Quem quer que tenha sido educado nesta escola \u00e9 recebido em toda a Europa com entusiasmo\". N\u00e3o formou alunos apenas diretamente, mas uma legi\u00e3o de outros int\u00e9rpretes orientaram seu estilo de execu\u00e7\u00e3o a partir dos princ\u00edpios que ele estabeleceu.Wollny, Peter. [http://cpebach.org/prefaces/theoretical-preface.html ''Preface: Theoretical Writings'']. Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works\n\n[[Imagem:Carl Philipp Emanuel Bach - Probest\u00fccke - Sonata VI - Largo.jpg|thumb|''Largo'' da ''Sonata VI'' que integrava o material suplementar do ''Versuch'' em edi\u00e7\u00e3o de c. 1786. A partitura traz o dedilhado completo das notas e in\u00fameras indica\u00e7\u00f5es de ornamenta\u00e7\u00e3o e din\u00e2mica]]\n\nA t\u00e9cnica que transmitia aos seus alunos foi exposta em detalhe no seu tratado ''Versuch \u00fcber die wahre Art das Clavier zu Spielen'', uma obra em dois volumes acompanhada de coment\u00e1rios suplementares e sonatas de exemplo que teve larga distribui\u00e7\u00e3o europeia at\u00e9 o {{s\u00e9c|XIX}}. O primeiro volume trata basicamente das t\u00e9cnicas de dedilhado e ornamenta\u00e7\u00e3o, bem como da ''performance'' em geral. O segundo se concentra nas t\u00e9cnicas de acompanhamento e de interpreta\u00e7\u00e3o do sistema do baixo cifrado e sua realiza\u00e7\u00e3o pr\u00e1tica como baixo cont\u00ednuo.Schulenberg, David. \"Carl Philipp Emanuel Bach\". In: Kipnis, Igor (ed.). ''The Harpsichord and Clavichord: An Encyclopedia''. Routledge, 2013, pp. 19-21 Nesta obra \u00e9 evidente uma deriva\u00e7\u00e3o da t\u00e9cnica do pai e um perfeito entendimento das capacidades do teclado, mas tamb\u00e9m aparecem inova\u00e7\u00f5es necess\u00e1rias ao estilo diferenciado de obras que ele produziu, abandonando as t\u00e9cnicas polif\u00f4nicas predominantes de Johann Sebastian, que requeriam uma grande independ\u00eancia das duas m\u00e3os, em favor de uma escrita mais textural e [[homofonia|homof\u00f4nica]] em que o acompanhamento pela m\u00e3o esquerda fica subordinado \u00e0 [[melodia]] desenvolvida pela m\u00e3o direita. As suas t\u00e9cnicas de ornamenta\u00e7\u00e3o e as \u00eanfases din\u00e2micas tamb\u00e9m ilustram a reorienta\u00e7\u00e3o estil\u00edstica da sua gera\u00e7\u00e3o e as novas capacidades sonoras do clavic\u00f3rdio e do pianoforte, precursores do piano moderno, aos quais especificamente dedicou muitas composi\u00e7\u00f5es, capazes de produzir nuan\u00e7as de intensidade imposs\u00edveis no cravo tradicional. No entanto, ele n\u00e3o abandonou inteiramente as t\u00e9cnicas polif\u00f4nicas, e deu grande espa\u00e7o no seu tratado te\u00f3rico para ensinar a realiza\u00e7\u00e3o do baixo cifrado, ainda em largo uso em sua gera\u00e7\u00e3o. Ao mesmo tempo, a habilidade na arte do improviso de fantasias havia substitu\u00eddo a composi\u00e7\u00e3o de fugas e corais como o \u00e1pice da arte do teclado, e por isso as fantasias e a t\u00e9cnica de improviso v\u00eam como encerramento do seu tratado. \n\nPor duas gera\u00e7\u00f5es o ''Versuch'' n\u00e3o teve competidores \u00e0 altura em termos da influ\u00eancia que exerceu entre professores e instrumentistas, e at\u00e9 hoje permanece como uma das fontes essenciais para a compreens\u00e3o do estilo e das formas de interpreta\u00e7\u00e3o da m\u00fasica do {{s\u00e9c|XVIII}}. Haydn elogiou o tratado como \"a escola das escolas\", e Beethoven o recomendava aos seus alunos.[http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:omiqPnjVPD4J:www.britannica.com/biography/Carl-Philipp-Emanuel-Bach+&cd=1&hl=en&ct=clnk&gl=br \"Carl Philipp Emanuel Bach\"]. ''Encyclopaedia Britannica'' online, consulta em 07/05/2016 Seus m\u00e9todos, especialmente o de dedilhado, foram adotados e continuados por outros professores e compositores em seus respectivos tratados sobre o teclado, como por exemplo [[Johann Philipp Kirnberger]], [[Johann Nikolaus Forkel]], [[Georg Simon L\u00f6hlein]], [[Friedrich Wilhelm Marpurg]], [[Johann Carl Friedrich Rellstab]], [[Muzio Clementi]] e [[Johann Baptist Cramer]]. Na aprecia\u00e7\u00e3o de Peter Wollny,\n\n::\"A signific\u00e2ncia do ''Versuch'' de modo algum se limita \u00e0 mera transmiss\u00e3o da t\u00e9cnica do teclado. Sua meta verdadeira era a promo\u00e7\u00e3o do 'bom gosto', n\u00e3o apenas na ''performance'', mas acima de tudo na composi\u00e7\u00e3o. Neste sentido, o ''Versuch'' d\u00e1 continuidade aos esfor\u00e7os de seu pai Johann Sebastian Bach \u2014 especialmente na natureza did\u00e1tica das suas ''Inven\u00e7\u00f5es'' e do ''[[Cravo Bem Temperado]]'' \u2014 e tamb\u00e9m \u00e9 uma contribui\u00e7\u00e3o para a s\u00e9rie de grandes tratados sobre ''performance'' e est\u00e9tica que vinha sendo publicada em Berlim desde o in\u00edcio da d\u00e9cada de 1750. Os seus princ\u00edpios inovadores de dedilhado, que descendem das li\u00e7\u00f5es que recebeu do pai, produziram um efeito tal na cultura teclad\u00edstica da segunda metade do {{s\u00e9c|XVIII}} que dificilmente pode ser superestimado.\n\n==Fortuna cr\u00edtica e legado==\n[[Imagem:CPEB by L\u00f6hr.jpg|thumb|esquerda|Retrato de Bach por [[Franz Conrad L\u00f6hr]]]]\n\nSegundo Doris Powers, autora de um importante estudo, n\u00e3o se conhece muito bem a dimens\u00e3o da reputa\u00e7\u00e3o que Bach adquiriu como compositor enquanto viveu, ao que parece foi mais apreciado como virtuoso do teclado, e sua obra, bem como sua biografia, parecem ter recebido pouca aten\u00e7\u00e3o da cr\u00edtica, acrescentando que a pesquisa sobre a repercuss\u00e3o de seus trabalhos entre seus contempor\u00e2neos ainda \u00e9 fragment\u00e1ria.Powers, Doris Bosworth. ''Carl Philipp Emanuel Bach: A Guide to Research''. Psychology Press, 2002, pp. 4-10 Esta opini\u00e3o, por\u00e9m, \u00e9 minorit\u00e1ria. Geoffrey Hindley e Dorothea Schr\u00f6der, por exemplo, junto com [[David Schulenberg]] e [[Paul Corneilson]], que est\u00e3o entre os principais pesquisadores de sua vida e obra, afirmam que, embora ainda haja sim muitos aspectos a conhecer melhor sobre sua carreira, suas composi\u00e7\u00f5es foram altamente admiradas ainda em vida, a larga difus\u00e3o de suas obras impressas, que ia de Moscou a Londres e de Copenhagem a Viena, tamb\u00e9m fala de um grande prest\u00edgio, [[Charles Burney]], um dos principais historiadores da m\u00fasica de sua gera\u00e7\u00e3o, n\u00e3o se cansou de elogi\u00e1-lo, e v\u00e1rias outras fontes prim\u00e1rias do {{s\u00e9c|XVIII}} que t\u00eam sido descobertas tecem-lhe efusivos louvores, como \u00e9 exemplo um relato de [[Christian Friedrich Daniel Schubart]] citando que \"Bach em Hamburgo lidera os cravistas assim como Klopstock lidera os poetas. Ele marca uma \u00e9poca. [...] Tanto suas composi\u00e7\u00f5es quanto sua t\u00e9cnica de teclado s\u00e3o inimit\u00e1veis. [...] Seu estilo \u00fanico, seu esp\u00edrito, suas elus\u00f5es, seus artif\u00edcios harm\u00f4nicos, s\u00e3o insuper\u00e1veis. [...] N\u00e3o h\u00e1 quem se compare em sensibilidade, em sua pletora inesgot\u00e1vel de modula\u00e7\u00f5es, em t\u00e3o rica harmonia\". O coment\u00e1rio provou ser correto at\u00e9 na acep\u00e7\u00e3o literal. Ainda que exercesse influ\u00eancia sobre muitos outros m\u00fasicos e seu tratado te\u00f3rico fosse continuamente usado como material did\u00e1tico por mais de um s\u00e9culo, ele n\u00e3o chegou a criar uma verdadeira escola de composi\u00e7\u00e3o onde seu estilo fosse emulado consistentemente \u2014 neste sentido, foi uma figura \"inimit\u00e1vel\" e bastante isolada.Schr\u00f6der, Dorothea. [http://www.cpebach.de/en/about-bach/reception \"The Inimitable\"]. CPEBach 1714. Anniversary year 2014\n\nNa segunda metade do {{s\u00e9c|XVIII}} sua fama obscureceu a de seu pai, tanto que nesta \u00e9poca quando algu\u00e9m citava \"Bach\" referia-se quase sempre ao filho.Berg, Darrell. [http://www.oxfordbibliographies.com/view/document/obo-9780199757824/obo-9780199757824-0010.xml \"Carl Philipp Emanuel Bach\"]. ''Oxford Bibliographies'', 20/06/2011 Na virada para o {{s\u00e9c|XIX}} alguns peritos ainda lhe deram alto cr\u00e9dito. [[Wolfgang Amadeus Mozart]] disse a seu respeito: \"Ele \u00e9 o pai, n\u00f3s somos os filhos\". A maior parte da forma\u00e7\u00e3o de [[Joseph Haydn]] derivou de um estudo de sua obra. [[Ludwig van Beethoven]] expressou acerca dele a mais cordial admira\u00e7\u00e3o e respeito,[https://en.wikisource.org/wiki/1911_Encyclop%C3%A6dia_Britannica/Bach,_Karl_Philipp_Emanuel \"Bach, Karl Philipp Emanuel\"]. ''Encyclopaedia Britannica'', vol. III, 1911 e [[Carl Friedrich Zelter]] disse que ele foi um paradigma para a criatividade de sua gera\u00e7\u00e3o. Em 1814 Johann Friedrich Reichardt publicou o primeiro cat\u00e1logo erudito de suas obras completas.\n\nPor\u00e9m, seu prest\u00edgio declinou drasticamente e suas obras foram largamente esquecidas durante a primeira metade do {{s\u00e9c|XIX}}, e em geral passou a ser mencionado apenas em pequenas biografias em dicion\u00e1rios de m\u00fasica. [[Robert Schumann]] notoriamente opinou que \"como um m\u00fasico criativo ele permaneceu muito longe de seu pai\"; em contraste, [[Johannes Brahms]] considerava muito a obra de Bach e interpretou algumas de suas composi\u00e7\u00f5es. Por\u00e9m, algumas pe\u00e7as nunca perderam interesse para um grupo \u2014 bastante limitado \u2014 de cr\u00edticos, e seu principal tratado did\u00e1tico foi v\u00e1rias vezes reeditado ao longo do {{s\u00e9c|XIX}}.\n\n[[Imagem:CPE Bach B\u00fcste.jpg|thumb|Busto de Carl Philipp Emanuel Bach na Schauspielhaus de Berlim]]\n\nNa d\u00e9cada de 1860 iniciou um amplo movimento para o resgate de sua obra. N\u00e3o se sabe exatamente o que o desencadeou, mas Doris Powers presume que esteja ligado \u00e0 ressurrei\u00e7\u00e3o da obra de seu pai Johann Sebastian. A editora Peters publicou quatro sinfonias em 1861, em 1862 [[Hans von B\u00fclow]] revisou uma sele\u00e7\u00e3o de sonatas para teclado, em 1863 [[Ernst Baumgart]] editou as ''Cole\u00e7\u00f5es para Conhecedores e Diletantes'' e os franceses Aristide e Louise Ferranc fizeram uma outra edi\u00e7\u00e3o de pe\u00e7as de teclado, em 1867 [[Ludwig Nohl]] publicou a autobiografia do compositor e algumas cartas, [[Carl Hermann Bitter]] escreveu uma boa biografia sobre ele e seus irm\u00e3os em 1868 e [[Friedrich Chrysander]] imprimiu algumas outras cartas em 1869. Ao mesmo tempo apareceram v\u00e1rios artigos em revistas e jornais especializados tratando de algumas pe\u00e7as corais importantes e outras obras. Contudo, apesar de ter recuperado algum prest\u00edgio, nas \u00faltimas d\u00e9cadas do {{s\u00e9c|XIX}} seu trabalho era invariavelmente rebaixado na constante compara\u00e7\u00e3o com o legado de seu pai, e ele era visto como um compositor de capacidades limitadas, como um t\u00edpico representante de uma sociedade fr\u00edvola e decadente, e como uma mera figura de transi\u00e7\u00e3o entre duas \u00e9pocas \"grandiosas\", o Barroco e o Classicismo.Corneilson, Paul. [http://www.packhum.org/paul.pdf \"Organizing the complete works of C. P. E. Bach\"]. In: ''Early Music Advance Access'', 15/07/2014 Al\u00e9m disso, v\u00e1rios aspectos de sua t\u00e9cnica e estilo foram questionados. Sua harmonia foi v\u00e1rias vezes criticada como imperfeita e incompleta, e seu discurso musical como bizarro, incoerente e antinatural. A vis\u00e3o vitoriana de sua figura foi sintetizada por ''sir'' [[George Grove]] na primeira edi\u00e7\u00e3o do seu ''Dictionary of music and musicians'' (1879):\n\n::\"Como compositor, maestro, professor e cr\u00edtico, sua influ\u00eancia foi muito grande, e foi amado e respeitado tanto por seus confrades profissionais quanto por toda a cidade [de Hamburgo]. Sua bondade, suas maneiras elegantes, sua cultura liter\u00e1ria e sua grande atividade musical, tudo se combinou para coloc\u00e1-lo na lideran\u00e7a entre seus irm\u00e3os e os eruditos. Mas quando lembramos que para um Bach seus dotes musicais n\u00e3o eram de modo algum extraordin\u00e1rios \u2014 muito inferiores aos de [[Wilhelm Friedemann Bach|Friedemann]], por exemplo \u2014 torna-se claro que ele permanece em t\u00e3o alta posi\u00e7\u00e3o porque foi reconhecida sua import\u00e2ncia hist\u00f3rica no per\u00edodo transicional entre [Johann Sebastian] Bach e Haydn. Em per\u00edodos assim uma pessoa se torna eminente e influente mais por sua cultura geral do que pela profici\u00eancia em qualquer ramo espec\u00edfico de atividade. No per\u00edodo em quest\u00e3o, no qual Emanuel viveu, n\u00e3o houve grandes homens. Os dias gigantescos de H\u00e4ndel e [J. S.] Bach foram substitu\u00eddos por um tempo de perucas empoadas, quando o ideal mais elevado era clareza, suavidade e eleg\u00e2ncia. Profundidade, for\u00e7a, originalidade, haviam desaparecido, e 'gosto' se tornara a coisa mais importante de todas. [...] Para formarmos um julgamento correto dele como compositor ele deve ser colocado \u00e0 parte de seu pai e considerado unicamente do ponto de vista de sua pr\u00f3pria \u00e9poca; e quando assim procedemos \u00e9 imposs\u00edvel negar que ele ultrapassou a maioria dos seus contempor\u00e2neos, e \u00e9 de import\u00e2ncia excepcional como um elo de liga\u00e7\u00e3o entre os per\u00edodos de H\u00e4ndel e [J. S.] Bach, de um lado, e Mozart e Haydn, de outro\".\n\nAt\u00e9 a d\u00e9cada de 1920 as pesquisas sobre ele entraram outra vez em recesso, mas destaca-se neste per\u00edodo a publica\u00e7\u00e3o em 1905 da segunda edi\u00e7\u00e3o do cat\u00e1logo de suas obras completas por [[Alfred Wotquenne]], que revisou e ampliou o trabalho de Reichardt, edi\u00e7\u00e3o que marcou \u00e9poca e permaneceu can\u00f4nica por muito tempo. A partir dos anos 1920 iniciou-se mais sistematicamente um novo ciclo de pesquisas, que ampliaram expressivamente o conhecimento sobre sua m\u00fasica, incluindo monografias e artigos que trabalharam aspectos de estilo, forma, m\u00e9todos compositivos de uma ampla gama de obras em v\u00e1rios g\u00eaneros, al\u00e9m de estudarem mais profundamente sua posi\u00e7\u00e3o hist\u00f3rica. Otto Vriesl\u00e4nder publicou em 1923 uma substancial biografia e Ernst Fritz Schmid apresentou um valioso estudo sobre sua m\u00fasica de c\u00e2mara. A [[II Guerra Mundial]] provocou nova interrup\u00e7\u00e3o na pesquisa, que voltou a crescer na d\u00e9cada de 1950, concentrando-se principalmente na an\u00e1lise das fontes prim\u00e1rias e de documenta\u00e7\u00e3o escrita a seu respeito, em sua correspond\u00eancia, suas t\u00e9cnicas interpretativas e suas obras de teclado. Ao mesmo tempo, passou-se a analisar sua influ\u00eancia sobre outros compositores, especialmente reconhecendo-se o d\u00e9bito de Mozart, Haydn e Beethoven para com sua m\u00fasica.Schulenberg (2014), pp. ix-xii \n\nNos anos 1970 a bibliografia duplicou em rela\u00e7\u00e3o a todo o per\u00edodo anterior, e suas obras corais entraram no centro dos debates. A d\u00e9cada de 1980 viu um incremento ainda maior na bibliografia, surgindo duas vezes e meia mais estudos do que na d\u00e9cada anterior. Passou-se a estudar o seu trabalho como editor de obras de seu pai e como empres\u00e1rio, e aprofundaram-se os estudos sobre os aspectos biogr\u00e1ficos, suas sinfonias, as obras com v\u00e1rias vers\u00f5es, a hist\u00f3ria das composi\u00e7\u00f5es e o contexto de sua \u00e9poca. [[Hans-G\u00fcnter Ottenberg]] publicou em 1982 a mais ampla biografia at\u00e9 a data, [[Darrel Berg]] publicou em 1983 uma edi\u00e7\u00e3o fac-similar de suas pe\u00e7as de teclado e em 1989 apareceu a edi\u00e7\u00e3o revisada por Ernst Helm do seu cat\u00e1logo geral.Schulenberg, David. [https://faculty.wagner.edu/david-schulenberg/c-p-e-bach-pages-introduction/ \"C. P. E. Bach Pages: Introduction\"]. Wagner Faculty Em 1989 a [[Universidade de Oxford]] iniciou a publica\u00e7\u00e3o da sua obra completa, mas o projeto acabou sendo cancelado ap\u00f3s o lan\u00e7amento de apenas quatro volumes.Powers, Doris B. \"C. P. E. Bach Studies (review)\". In: ''Notes'', 2007; 64 (2):271-273 \n\n[[Imagem:Key Visual CPE Bach Anniversary Year 2014.jpg|thumb|Publicidade da comemora\u00e7\u00e3o do 300\u00ba anivers\u00e1rio de seu nascimento]]\n\nAs pesquisas entraram em uma nova fase em 1999, quando foi redescoberta a importante cole\u00e7\u00e3o de mais de cinco mil manuscritos da [[Berlin Sing-Akademie]], contendo muitas obras de Bach, incluindo um cat\u00e1logo aut\u00f3grafo listando as pe\u00e7as de teclado compostas at\u00e9 1772, doze paix\u00f5es, cinquenta concertos para teclado e muitas outras pe\u00e7as vocais e instrumentais. A redescoberta completou a maior parte das lacunas indicadas na se\u00e7\u00e3o de \"obras perdidas\" do cat\u00e1logo Helm e possibilitou uma revis\u00e3o na cronologia de seus trabalhos e um melhor entendimento do seu m\u00e9todo de composi\u00e7\u00e3o e revis\u00e3o. No mesmo ano foi anunciada uma nova edi\u00e7\u00e3o de suas obras completas pelo Parckard Humanities Institute, que ainda est\u00e1 em andamento. Nas \u00faltimas d\u00e9cadas tamb\u00e9m foram feitos avan\u00e7os significativos na an\u00e1lise de sua [[caligrafia]], permitindo distinguir melhor entre partituras aut\u00f3grafas e c\u00f3pias, e lan\u00e7ando novas luzes sobre as 135 composi\u00e7\u00f5es que o cat\u00e1logo Helm classificou como de autoria duvidosa. O 300\u00ba anivers\u00e1rio de seu nascimento em 2014 foi comemorado com grandes programa\u00e7\u00f5es em v\u00e1rias cidades da Alemanha ao longo de todo um ano,[http://www.visitberlin.de/en/event/12-31-2014/300-years-carl-philipp-emanuel-bach-jubilee-year-2014 \"300 Years Carl Philipp Emanuel Bach \u2013 Jubilee Year 2014\"]. Visit Berlin, 2014 e com a publica\u00e7\u00e3o por David Schulenberg de um dos mais importantes estudos gerais j\u00e1 feitos sobre sua obra, ''The Music of Carl Philipp Emanuel Bach'', trazendo tamb\u00e9m muitas informa\u00e7\u00f5es biogr\u00e1ficas novas.Wollenberg, Susan. \"Tercentenary Emanuel Bach\". In: ''Early Music Advance Access'', 03/09/2015\n\nA opini\u00e3o da cr\u00edtica sobre seus m\u00e9ritos e sua posi\u00e7\u00e3o hist\u00f3rica variou muito ao longo do tempo. A vis\u00e3o vitoriana mencionada antes predominou ainda durante a primeira metade do {{s\u00e9c|XX}} e permaneceu influente at\u00e9 a d\u00e9cada de 1990, mas desde ent\u00e3o rapidamente passou a ser questionada e revista. Susan Wollenberg, escrevendo por ocasi\u00e3o das comemora\u00e7\u00f5es do bicenten\u00e1rio de sua morte em 1988, j\u00e1 reconhecera que \"\u00e9 um tributo \u00e0 natureza intelectualmente experimentalista e provocativa das obras de Bach que quando o removemos das amarras das classifica\u00e7\u00f5es categ\u00f3ricas tradicionais, o que sobra \u00e9 mais, e n\u00e3o menos, em uma obra que convida \u00e0 aten\u00e7\u00e3o, ao interesse e \u00e0 admira\u00e7\u00e3o\". Na mesma \u00e9poca Edward Rothstein predisse um ressurgimento no interesse pelo seu trabalho, previs\u00e3o que vem crescentemente se confirmando. \n\nHoje o reconhecimento se ampliou para coloc\u00e1-lo como uma figura destacada no desenvolvimento tamb\u00e9m da can\u00e7\u00e3o alem\u00e3 (''lied'') e como um precursor tanto do Classicismo quanto do Romantismo musical, e, mais importante, passou-se a entender que o per\u00edodo em que viveu constitui n\u00e3o somente uma fase de transi\u00e7\u00e3o \u2014 e portanto menosprez\u00edvel \u2014 mas foi sim todo um universo cultural com caracter\u00edsticas pr\u00f3prias e originais que merece individualidade e autonomia no contexto hist\u00f3rico, e por isso, ainda que sua fun\u00e7\u00e3o de \"precursor\" em v\u00e1rios aspectos n\u00e3o seja negada, sendo um elemento valioso para a compreens\u00e3o da evolu\u00e7\u00e3o hist\u00f3rica das formas e dos estilos, ela j\u00e1 \u00e9 entendida como uma proje\u00e7\u00e3o retrospectiva, que se aplicada sem cuidado tende a negligenciar e minimizar a percep\u00e7\u00e3o do contexto de sua pr\u00f3pria \u00e9poca, o impacto que exerceu entre seus contempor\u00e2neos e a mensagem que ele verdadeiramente quis transmitir com os modelos formais e t\u00e9cnicas que empregou, uma mensagem que n\u00e3o poderia ser transmitida usando apenas os recursos do passado, e nem os de um futuro que ainda n\u00e3o existia. Hoje Carl Philipp Emanuel Bach \u00e9 amplamente considerado como um dos talentos mais inventivos, originais e influentes de sua gera\u00e7\u00e3o, que deixou obra altamente qualificada e importante em seu pr\u00f3prio direito, e cuja elevada estatura j\u00e1 n\u00e3o depende da compara\u00e7\u00e3o com outros mestres ou outros per\u00edodos hist\u00f3ricos.Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works. [http://cpebach.org/description.html ''Carl Philipp Emanuel Bach'']. Packard Humanities Institute / Bach-Archiv Leipzig / S\u00e4chsische Akademie der Wissenschaften zu Leipzig / Harvard University Seu tratado te\u00f3rico, por sua vez, continua sendo uma fonte inestim\u00e1vel para o conhecimento do estilo de interpreta\u00e7\u00e3o da m\u00fasica setecentista. Paul Corneilson, music\u00f3logo e historiador que administra o projeto de reedi\u00e7\u00e3o de sua obra completa, assim resumiu sua situa\u00e7\u00e3o atual:\n\n::\"Ultimamente nosso desafio \u00e9 situar Bach corretamente na hist\u00f3ria da m\u00fasica, e ressuscitar sua reputa\u00e7\u00e3o de um dos mais importantes compositores do {{s\u00e9c|XVIII}}. J\u00e1 n\u00e3o precisamos mais derrubar J. S. Bach ou H\u00e4ndel de seus pedestais, ou entender C. P. E. Bach apenas como um precursor de Haydn e Beethoven. [...] Nosso projeto dar\u00e1 a pesquisadores e int\u00e9rpretes acesso a um corpo de obras de um compositor ativo entre as d\u00e9cadas de 1730 e 1780. Com ele, os pesquisadores j\u00e1 n\u00e3o precisar\u00e3o se basear em fontes prim\u00e1rias do {{s\u00e9c|XVIII}} ou tomar 'atalhos honrosos' para entender a m\u00fasica de um dos maiores compositores do {{s\u00e9c|XVIII}}. Suas obras para teclado solo e seus concertos, junto com sua m\u00fasica de c\u00e2mera, sinfonias e can\u00e7\u00f5es, j\u00e1 est\u00e3o bem representados nas salas de concerto e nas grava\u00e7\u00f5es. Alguns outros trabalhos importantes como o ''Magnificat'' j\u00e1 s\u00e3o conhecidos, mas agora \u00e9 poss\u00edvel escolher entre a vers\u00e3o primitiva de Leipzig/Berlin e as revis\u00f5es tardias de Hamburgo. \u00c0 medida que mais de sua obra vocal se tornar conhecida, C. P. E. Bach deve ganhar a posi\u00e7\u00e3o no c\u00e2none que ele merece\". \n\n{{refer\u00eancias|col=2}}\n\n==Ver tamb\u00e9m==\n*[[Fam\u00edlia Bach]]\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n\n{{Commons|Category:Carl Philipp Emanuel Bach}}\n\n*[http://cpebach.org/ P\u00e1gina oficial do projeto ''Carl Philipp Emanuel Bach: The Complete Works''].\n*[http://www.cpebach.de/en ''CPEBach 1714 \u2014 Anniversary year 2014''. P\u00e1gina oficial das comemora\u00e7\u00f5es do seu 300\u00ba anivers\u00e1rio].\n*{{IMSLP|id=Bach%2C_Carl_Philipp_Emanuel|cname=C.P.E. Bach}}\n* Grava\u00e7\u00e3o integral em v\u00eddeo do [https://www.youtube.com/watch?v=QO7cBebDrXA&list=PLBjoEdEVMABLly_VTKnTkpOdwOIgwMRjY&index=22 ''Orat\u00f3rio da Ascens\u00e3o''], com [[Sigiswald Kuijken]] e La Petite Bande\n*[https://www.youtube.com/watch?v=xoAGQS2g4xY Allegro do Concerto para Flauta e Orquestra Wq.166, H.431], com a Bremer Barockorchester e Felipe Ega\u00f1a, solista.\n\n{{Portal3|Alemanha|Arte|Biografias|M\u00fasica|M\u00fasica erudita}}\n\n{{DEFAULTSORT:Bach, Carl Philipp Emanuel}}\n[[Categoria:Nascidos em 1714]]\n[[Categoria:Mortos em 1788]]\n[[Categoria:Compositores da Alemanha]]\n[[Categoria:Cravistas da Alemanha]]\n[[Categoria:Maestros da Alemanha]]\n[[Categoria:Compositores do Rococ\u00f3]]\n[[Categoria:Fam\u00edlia Bach|Carl Philipp Emanuel Bach]]\n\n{{artigo destacado}}\n\n{{Controle de autoridade|VIAF=204566}}"}]},"5610180":{"pageid":5610180,"ns":0,"title":"Dargamero","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Biografia\n|nome = Dargamero\n|nacionalidade = {{Flag icon|Primeiro Imp\u00e9rio B\u00falgaro}} [[Primeiro Imp\u00e9rio B\u00falgaro|Imp\u00e9rio B\u00falgaro]]\n|ocupa\u00e7\u00e3o = Emiss\u00e1rio\n|religi\u00e3o = [[Paganismo b\u00falgaro|paganismo]]\n}}\n\n'''Dargamero''' ({{langx|qgk|\u0394\u03b1\u03c1\u03b3\u03b1\u03bc\u03b7\u03c1\u03cc\u03c2/\u0394\u03b1\u03c1\u03b3\u03b1\u03bc\u03ae\u03c1\u03bf\u03c5||''Dargamer\u00f3s/Dargamerou''}}), tamb\u00e9m conhecido como '''Darmero''' ({{lang|qgk|\u0394\u03b1\u03c1\u03bc\u03b7\u03c1\u03bf\u1fe6}}, ''Darmerou'') ou '''Dragomiro''', foi um oficial b\u00falgaro do {{s\u00e9c|IX}}, ativo durante o reinado do [[c\u00e3 da Bulg\u00e1ria|c\u00e3]] [[Crum]] {{nwrap|r.|803|814}}. \n\n== Vida ==\n\nEle aparece em 812/813, quando serviu numa embaixada de Crum ao [[imperador bizantino|imperador]] {{lknb|Miguel|I Rangabe}} {{nwrap|r.|811|813}}. Segundo {{lknb|Te\u00f3fanes,|o Confessor}}, quando estava na [[Mesembria]] em setembro ou in\u00edcio do outubro de 812, Crum enviou-o aos gregos para oferecer a paz.{{sfn|Lilie|2013}}\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Bibliografia ==\n\n* {{Citar livro|sobrenome=Lilie|nome=Ralph-Johannes|coautor=Ludwig, Claudia; Zielke, Beate et al.|t\u00edtulo=Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit Online|local=Berlim-Brandenburgische Akademie der Wissenschaften|cap\u00edtulourl=https://www.degruyter.com/view/PMBZ/PMBZ12328|editora=Nach Vorarbeiten F. Winkelmanns erstellt|cap\u00edtulo=#1235/corr. Dargameros|ano=2013|ref=harv}}\n\n[[Categoria:B\u00falgaros do s\u00e9culo VIII]]\n[[Categoria:B\u00falgaros do s\u00e9culo IX]]\n[[Categoria:Crum da Bulg\u00e1ria]]\n[[Categoria:Diplomatas da Bulg\u00e1ria]]"}]},"4080746":{"pageid":4080746,"ns":0,"title":"Wikip\u00e9dia em sardo","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Wikip\u00e9dia\n |logotipo = \n |screenshot = \n |funda\u00e7\u00e3o = {{Dtlink||||idade}}\n |idioma = [[Sardo]]\n |web = http://sc.wikipedia.org/\n}}\n\nA '''Wikip\u00e9dia em sardo''' (em [[sardo]]: Bichipedia Sarda) \u00e9 a vers\u00e3o em [[sardo]] da [[Wikip\u00e9dia]], a [[enciclop\u00e9dia]] de [[licen\u00e7a livre]].[http://meta.wikimedia.org/wiki/List_of_Wikipedias sc.wiki na lista de wikip\u00e9dias].\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n{{Wikip\u00e9dias}}\n{{esbo\u00e7o-wikipedia}}\n\n[[Categoria:Vers\u00f5es da Wikip\u00e9dia|Sardo]]"}]},"1776742":{"pageid":1776742,"ns":0,"title":"Nycticebus","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Taxonomia\n| cor = pink\n| reino = [[Animalia]]\n|estado = VU\n| nome = ''Nycticebus''\n| imagem = Slow Loris 2006.jpg\n| imagem_legenda = \n| filo = [[Chordata]]\n| classe = [[Mammalia]]\n| ordem = [[Primates]]\n| fam\u00edlia = [[Lorisidae]]\n| g\u00e9nero = '''''Nycticebus'''''\n| g\u00e9nero_autoridade = [[\u00c9tienne Geoffroy Saint-Hilaire|\u00c9. Geoffroy]], [[1812]]\n| subdivis\u00e3o =
8, ''ver texto''\n| subdivis\u00e3o_nome = Esp\u00e9cies\n}}\n'''''Nycticebus''''' \u00e9 um g\u00eanero de [[primata]] da fam\u00edlia [[Lorisidae]], pertencente a infraordem [[l\u00eamure]] (Lemuriformes), tamb\u00e9m conhecido como \"Slow Loris\". \u00c9 o \u00fanico g\u00eanero de primatas venenosos e atualmente algumas especies correm o risco de entrar para a lista de animais em extin\u00e7\u00e3o, principalmente por conta do tr\u00e1fico e venda ilegal. Pode ser encontrado no [[Subcontinente indiano]], [[Sudeste asi\u00e1tico]], [[China]] e no [[Arquip\u00e9lago Malaio]].[[Ficheiro:Slow loris area.png|alt=Mapa de distribui\u00e7\u00e3o de algumas especies|left|frame|Mapa com distribui\u00e7\u00e3o de algumas especies.\nVermelho \u2014\u00a0''Nycticebus pygmaeus''\n\nAzul \u2014 ''Nycticebus bengalensis''\n\nRoxo \u2014 ''Nycticebus coucang''\n]]\nTrata-se de g\u00eanero constitu\u00eddo de varias esp\u00e9cies de primatas noturnos da subordem ''[[strepsirrhini]].'' Encontrados no [[Sudoeste Asi\u00e1tico]] e \u00e1reas fronteiri\u00e7as, seu habitat alcan\u00e7a desde [[Bangladesh]] e [[nordeste da \u00cdndia]] at\u00e9 o [[Arquip\u00e9lago de Sulu]] nas Filipinas a leste, e da [[prov\u00edncia de Yunnan]] na China ao norte at\u00e9 a ilha de [[Java]] ao sul. Existem ao menos oito esp\u00e9cies de slow loris validadas atualmente: o sunda slow loris (''N. coucang''), bengal slow loris (''N. bengalensis''), pigmeu slow loris (''N. pygmaeus''), slow loris de Java (''N. javanicus''), slow loris de Born\u00e9u (''N. menagensis''), ''N. bancanus'', ''N. borneanus'', e ''N. kayan''. Os seus parentes mais pr\u00f3ximos s\u00e3o os [[Lorisidae|''Loris'']] (Slender Loris) da \u00cdndia austral e Sri Lanka. Em segundo lugar na escala de parentesco v\u00eam os ''[[lorisids]]'' africanos, os ''[[Pottos]]'', ''[[falsos Pottos]]'' \u00a0e os ''[[angwantibos]]''. Seus parentes mais distantes s\u00e3o os v\u00e1rios tipos de ''[[galago]]'' e os ''[[l\u00eamure]]s'' de Madag\u00e1scar.\n\nOs slow\nboris t\u00eam uma cabe\u00e7a redonda, focinho estreito, olhos largos e uma variedade de colora\u00e7\u00f5es distintasdas dependendo da esp\u00e9cie. Suas pernasdae bra\u00e7os s\u00e3o praticamente iguais em tamanho, e seus troncos s\u00e3o longos permitindo-os balan\u00e7arem e se estenderem para galhos pr\u00f3ximos. As m\u00e3os e os p\u00e9s dos \u00a0Nycticebus \u00a0s\u00e3o adaptados em formato de \u201cganchos\u201d para que se segurem nos galhos por longos per\u00edodos. Esses primatas possuem uma mordida venenosa, o que \u00e9 raro entre os mam\u00edferos e \u00fanico entre os [[Lorisidae]]. A toxina \u00e9 obtida ao lamberem uma gl\u00e2ndula no bra\u00e7o, e a secre\u00e7\u00e3o \u00e9 ativada quando em contato com a saliva. A toxina \u00e9 usada contra predadores e tamb\u00e9m \u00e9 a plicada no pelo como meio de prote\u00e7\u00e3o para os filhotes. A secre\u00e7\u00e3o contem a substancia [[fel d 1]], tamb\u00e9m encontrada em gatos, mas a toxina talvez seja combinada com outras substancias advindas da dieta dos slow loris selvagens. Eles se movem devagar fazendo nenhum ou quase nenhum barulho e quando amea\u00e7ados se mant\u00eam parados. Os seus predadores (al\u00e9m dos humanos) s\u00e3o cobras, \u00e1guias e orangotangos. Pouco se sabe sobre sua estrutura social, mas sabe-se que sua comunica\u00e7\u00e3o \u00e9 feita a partir da emiss\u00e3o de odores. Os machos s\u00e3o altamente territoriais. Esse pequenos primatas se reproduzem devagar e suas crias s\u00e3o carregadas por ambos os pais. Eles s\u00e3o on\u00edvoros, comendo animais pequenos, frutas e outros derivados de plantas.\n\nTodas as esp\u00e9cies de slow loris s\u00e3o amea\u00e7adas trafico de animais selvagens e perda de seu habitat. Seus habitats est\u00e3o desaparecendo rapidamente e se fragmentando; demandas insustent\u00e1veis desses animais como bichos de estima\u00e7\u00e3o ex\u00f3ticos e tamb\u00e9m para usos medicinais locais t\u00eam sido as maiores causas de seu decl\u00ednio populacional. Seu uso medicinal tem sido popularizado por cren\u00e7as nos poderes sobrenaturais dos slow loris, como por exemplo, sua capacidade de espantar esp\u00edritos malignos e curar feridas. Apesar de leis locais que pro\u00edbem o comercio de slow loris e produtos dos mesmos, e ainda prote\u00e7\u00e3o contra trafico ilegal fornecida pelo Appendix I, os slow loris continuam sendo comercializados abertamente em mercados de animais no sudeste da \u00c1sia ou contrabandeados para outros pais, como por exemplo o Jap\u00e3o. Devido aos seus olhos grandes e redondos, que s\u00e3o uma adapta\u00e7\u00e3o \u00e0 vida noturna, eles foram popularizados como animais \u201cfofos\u201d em v\u00eddeos virais no YouTube. Slow loris t\u00eam os dentes arrancados antes de serem vendidos. Esses enquanto animais de estima\u00e7\u00e3o comumente morrem de infec\u00e7\u00e3o, perda de sangue, manuseamento improprio ou nutri\u00e7\u00e3o inadequada.\u00a0{{Wikispecies|Nycticebus}}\n\n== Conserva\u00e7\u00e3o ==\nAs duas maiores amea\u00e7as para o \"Slow Loris\" s\u00e3o o desflorestamento e o tr\u00e1fico ilegal. Esses pequenos primatas perderam uma significativa \u00e1rea de seu habitat, isolando popula\u00e7\u00f5es pequenas e impedindo a [[Dispers\u00e3o biol\u00f3gica]]. Contudo, apesar da perda de habitat, seu decl\u00ednio \u00e9 mais associado com o com\u00e9rcio insustent\u00e1vel, seja para domestica\u00e7\u00e3o ou para a medicina tradicional.\n\nCada uma das esp\u00e9cies do Nycticebus, que haviam sido identificadas antes de 2012, est\u00e3o atualmente classificadas como vulner\u00e1veis ou em perigo na lista vermelha, tendo em conta seu estado de conserva\u00e7\u00e3o, da [[Uni\u00e3o Internacional para a Conserva\u00e7\u00e3o da Natureza e dos Recursos Naturais]] (IUCN em ingl\u00eas).[[Ficheiro:Nycticebus tooth removal 01.jpg|thumb|Seus dentes s\u00e3o removidos com m\u00e9todos impr\u00f3prios, usando alicates ou at\u00e9 mesmo cortadores de unhas, para que possam ser vendidos sem o risco da mordida venenosa.]]Quando eram todos considerados uma \u00fanica esp\u00e9cie (na falta de dados precisos sobre sua popula\u00e7\u00e3o), e devido \u00e0 sua regular ocorr\u00eancia no sudoeste asi\u00e1tico, eram combinados de forma err\u00f4nea para causar uma impress\u00e3o de serem comuns. Tr\u00eas novas esp\u00e9cies ainda est\u00e3o sendo avaliadas pelo IUCN, embora antes fossem cogitadas como parte de sub-popula\u00e7\u00f5es da esp\u00e9cie [[Nycticebus menagensis]] - que foi classificada como vulner\u00e1vel em 2008. Com esta divis\u00e3o de sua gama de especies, o N. menagensis e as tr\u00eas novas esp\u00e9cies enfrentam um risco de extin\u00e7\u00e3o maior do que antes.\n\nDesde 2007, todas as esp\u00e9cies de Slow Loris j\u00e1 s\u00e3o protegidas do com\u00e9rcio internacional sob ap\u00eandice da I CITES.https://cites.org/eng/news/pr/2007/070228_cop14.shtml\n No entanto, o g\u00eanero de primatas ainda \u00e9 amea\u00e7ado pelo com\u00e9rcio ilegal, local e internacional. Pesquisas analisam as densidades populacionais existentes e a viabilidade de habitats para todas as especies. A conectividade entre as \u00e1reas protegidas \u00e9 importante pois esses primatas n\u00e3o s\u00e3o adaptados \u00e0 travessia de longas distancias.\n\nPopula\u00e7\u00f5es de ''N.\u00a0bengalensis'' e de ''N.\u00a0coucang'' n\u00e3o est\u00e3o se adaptando bem em jardins zool\u00f3gicos. Em 2008, dos 29 indiv\u00edduos em cativeiro em zool\u00f3gicos norte-americanos, v\u00e1rios s\u00e3o h\u00edbridos sem a capacidade de procriar, sendo estereis, enquanto a maioria j\u00e1 passou da idade de reprodu\u00e7\u00e3o. O \u00faltimo nascimento em cativeiro para estas esp\u00e9cies na America do Norte foi em 2001, em San Diego. ''N.\u00a0pygmaeus'' est\u00e3o se saindo melhores em zool\u00f3gicos norte-americanos. Desde o final da d\u00e9cada de 1980 (quando foram importados) at\u00e9 2008, a popula\u00e7\u00e3o cresceu em 74 indiv\u00edduos, com a maioria deles nascendo no zool\u00f3gico de San Diego.\n\n==Esp\u00e9cies==\n*''[[Nycticebus bengalensis]]'' (Lac\u00e9p\u00e8de, 1800)\n*''[[Nycticebus coucang]]'' (Boddaert, 1785)\n*''[[Nycticebus kayan]]\n*''[[Nycticebus pygmaeus]]'' Bonhote, 1907\n*[[Nycticebus javanicus]]\n*[[Nycticebus menagensis]]\n*[[Nycticebus bancanus]]\n*[[Nycticebus borneanus]]\n\n==Refer\u00eancias==\n* GROVES, C. P. ''Order Primates''. In: WILSON, D. E.; REEDER, D. M. (Eds.). '''Mammal Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference'''. 3. ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. v. 1, p. 111-184.\n{{esbo\u00e7o-primata}}\n\n[[Categoria:Lorisidae]]\n[[Categoria:G\u00eaneros de mam\u00edferos]]\n\n{{Esbo\u00e7o-biologia}}"}]},"551003":{"pageid":551003,"ns":0,"title":"Zona prim\u00e1ria","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"A '''zona prim\u00e1ria''' \u00e9 a parte interna de [[porto]]s, [[aeroporto]]s, recintos da [[alf\u00e2ndega]] e locais habilitados na [[fronteira]] terrestre pela [[Auditor fiscal|autoridade aduaneira]] para opera\u00e7\u00f5es de carga e descarga de mercadorias, ou embarque e desembarque de passageiros, vindo ou indo ao exterior.{{citar web |url=http://portal.araujoibarra.com/faq/bfque-es-la-zona-primaria-en-el-contexto-aduanero |t\u00edtulo=Qu\u00e9 es la zona primaria en el contexto aduanero? |acessodata=30 de Novembro de 2011 |autorlink=Ara\u00fajo Ibarra & Asociados S.A. - COLOMBIA |l\u00edngua=es |arquivourl=https://web.archive.org/web/20120812063809/http://portal.araujoibarra.com/faq/bfque-es-la-zona-primaria-en-el-contexto-aduanero |arquivodata=12 de agosto de 2012 |urlmorta=sim }}\n\nA zona prim\u00e1ria \u00e9 constitu\u00edda pelas seguintes \u00e1reas demarcadas pela autoridade aduaneira local:\n*a \u00e1rea terrestre ou aqu\u00e1tica, cont\u00ednua ou descont\u00ednua, nos [[Porto (transporte)|portos]] alfandegados;\n*a \u00e1rea terrestre, nos [[aeroporto]]s alfandegados; e\n*a \u00e1rea terrestre, que compreende os [[Ponto de fronteira|pontos de fronteira]] alfandegados.\n\nPara efeito de [[controle aduaneiro]], as [[Zona de Processamento de Exporta\u00e7\u00e3o|zonas de processamento de exporta\u00e7\u00e3o]] constituem zona prim\u00e1ria.\n\nPara a demarca\u00e7\u00e3o da zona prim\u00e1ria, dever\u00e1 ser ouvido o [[\u00d3rg\u00e3o p\u00fablico|\u00f3rg\u00e3o]] ou [[empresa]] a que esteja afeta a administra\u00e7\u00e3o do local a ser alfandegado.\n\nA [[Aduana|autoridade aduaneira]] poder\u00e1 exigir que a zona prim\u00e1ria, ou parte dela, seja protegida por obst\u00e1culos que impe\u00e7am o acesso indiscriminado de ve\u00edculos, pessoas ou animais.\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n*[[Zona secund\u00e1ria]]\n*[[Territ\u00f3rio aduaneiro]]\n*[[Jurisdi\u00e7\u00e3o aduaneira]]\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{link|pt|2=http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/Decretos/Ant2001/Ant1999/decreto91030/LivroICapV.htm|3=Cap\u00edtulo V - Exerc\u00edcio da Autoridade Aduaneira. IN Receita Federal}}\n\n{{m\u00ednimo}}\n\n{{DEFAULTSORT:Zona Primaria}}\n[[Categoria:Termos aduaneiros]]\n[[Categoria:Legisla\u00e7\u00e3o aduaneira]]\n[[Categoria:Direito aduaneiro]]"}]}}}}