Pigatti - Escritório de Contabilidade.
pigatti

trabalhe conosco

    (11) 3340.6655     contato@pigatti.com.br      Cliente      Zen   
    
  
pigatti




Trabalhar na Pigatti oferece uma oportunidade única de mergulhar em um mundo de desafios intelectuais e crescimento profissional.
Aqui você não só ajuda as empresas a manterem suas finanças em ordem, mas também, desempenha um papel crucial na tomada de decisões estratégicas.



Confira todas as nossas vagas em aberto e caso a que está procurando não apareça, é só cadastrar o seu currículo em nosso Banco de Talentos.
Nós procuramos por você!









Porque trabalhar na Pigatti?

Trabalhar em uma empresa de contabilidade pode ser uma escolha gratificante por várias razões:



Crescimento profissional
A Pigatti é uma empresa sólida no mercado com mais de 65 anos de atuação. Oferecemos plano de carreira para nossos colaboradores e temos diversos setores para especialização com incentivos constantes ao crescimento da nossa equipe



Aqui você é ouvido
Aqui na Pigatti temos um relacionamento mútuo em 360, onde todos são ouvidos sem exceções.



Aprendizado contínuo
Com atualizações constantes no mercado sempre oferecemos treinamentos para os nossos colaboradores estarem com estratégias inovadoras.



Quais são os diferenciais da Pigatti?



Compromisso com o cliente
Somos verdadeiramente dedicados ao sucesso e crescimento do cliente sob a nossa consultoria. Nosso principal objetivo é proporcionar um atendimento excepcional ao cliente.



Empresa tecnológica
Oferecemos uma visão otimizada e atual para os clientes. Implementamos soluções inovadoras que impulsionam a eficiência e o crescimento das empresas que atendemos. Temos um sistema de monitoramento de cada demanda recebida



Responsabilidade social
Temos um compromisso com a responsabilidade social corporativa e com a nossa comunidade. Buscamos sempre causar o menor impacto possível com práticas sustentáveis











Plano de estágio
Comece sua carreira conosco, desenvolva as habilidades de sua formação em uma jornada de aprendizado e crescimento





O nosso objetivo é proporcionar uma experiência de estágio enriquecedora, na qual você se tornará parte integral da nossa equipe, contribuindo para o sucesso coletivo





Cadastre seu currículo no nosso banco de talentos











Anexe seu CV:
O arquivo anexado deve ter no máximo 1MB de tamanho e somente os formatos DOCX e PDF são aceitos.



{"continue":{"imcontinue":"560157|Flag_of_Brazil.svg","grncontinue":"0.454107030339|0.454107030339|0|0","continue":"grncontinue||revisions"},"warnings":{"main":{"*":"Subscribe to the mediawiki-api-announce mailing list at for notice of API deprecations and breaking changes. Use [[Special:ApiFeatureUsage]] to see usage of deprecated features by your application."},"revisions":{"*":"Because \"rvslots\" was not specified, a legacy format has been used for the output. This format is deprecated, and in the future the new format will always be used."}},"query":{"pages":{"5680674":{"pageid":5680674,"ns":0,"title":"Brilho superficial","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"Em [[astronomia]], o '''brilho superficial''' quantifica o [[Magnitude aparente|brilho aparente]] ou densidade de fluxo por unidade de [[\u00c2ngulo s\u00f3lido|\u00e1rea angular]] de um objeto estendido espacialmente, como uma [[gal\u00e1xia]] ou uma [[nebulosa]], ou como o fundo de um [[c\u00e9u noturno]]. O brilho superficial de um objeto depende de sua densidade de [[luminosidade]] superficial, isto \u00e9, da luminosidade emitida por unidade de \u00e1rea da sua superf\u00edcie. Na astronomia [[Astronomia \u00f3ptica|vis\u00edvel]] e [[Astronomia infravermelha|infravermelha]], o brilho superficial \u00e9 frequentemente apresentado em uma escala de [[Magnitude (astronomia)|magnitude]], em magnitudes por segundo de arco quadrado em um filtro de banda ou [[sistema fotom\u00e9trico]] particular.\n\nA medi\u00e7\u00e3o do brilho superficial de [[Corpo celeste|objetos celestes]] \u00e9 chamada [[Fotometria (astronomia)|fotometria]] superficial.\n\n== Descri\u00e7\u00e3o geral ==\nA magnitude total \u00e9 a medida do brilho de um objeto extenso como uma nebulosa, aglomerado, gal\u00e1xia ou cometa. Ela pode ser obtida somando-se a luminosidade sobre a \u00e1rea do objeto. Alternativamente, um [[fot\u00f4metro]] pode ser usado aplicando aberturas ou fendas de diferentes tamanhos ou di\u00e2metros.{{citar livro\n |autor =Daintith, John\n |autor2 =Gould, William |data=2006\n |t\u00edtulo=The Facts on File dictionary of astronomy\n |p\u00e1gina=489 | series=Facts on File science library\n |edi\u00e7\u00e3o=5th |publicado=[[Infobase Publishing]]\n | isbn=0-8160-5998-5 }} A luz de fundo \u00e9 ent\u00e3o subtra\u00edda da medida para obter o brilho total.{{citar peri\u00f3dico\n |\u00faltimo =Palei |primeiro =A. B.\n |t\u00edtulo=Integrating Photometers\n |peri\u00f3dico=Soviet Astronomy | volume=12 |p\u00e1gina=164\n |data=agosto de 1968\n | bibcode=1968SvA....12..164P\n | ref=harv\n}} O valor resultante da magnitude \u00e9 o mesmo de uma fonte pontual que est\u00e1 emitindo a mesma quantidade de energia.{{citar livro\n |autor =Sherrod, P. Clay\n |autor2 =Koed, Thomas L. |data=2003\n |t\u00edtulo=A Complete Manual of Amateur Astronomy: Tools and Techniques for Astronomical Observations\n |p\u00e1gina=266 | series=Astronomy Series\n |publicado=Courier Dover Publications\n | isbn=0-486-42820-6 }}\n\nA [[magnitude aparente]] de um objeto astron\u00f4mico \u00e9 geralmente dada em um valor integrado \u2013 se uma gal\u00e1xia \u00e9 citada como tendo magnitude de 12,5, significa que n\u00f3s vemos a mesma quantidade total de luz da gal\u00e1xia que ver\u00edamos de uma estrela com magnitude 12,5. Entretanto, uma estrela \u00e9 t\u00e3o pequena que ela \u00e9 realmente uma fonte pontual na maior parte das observa\u00e7\u00f5es (o maior [[di\u00e2metro angular]], que \u00e9 o de [[R Doradus]], \u00e9 0,057 \u00b1 0,005 segundos de arco), enquanto uma gal\u00e1xia pode se estender por v\u00e1rios segundos ou minutos de arco. Portanto, a gal\u00e1xia ser\u00e1 mais dif\u00edcil de ver do que a estrela contra a [[Luminesc\u00eancia atmosf\u00e9rica|luminesc\u00eancia de fundo]]. A magnitude aparente \u00e9 uma boa indica\u00e7\u00e3o da visibilidade quando o objeto \u00e9 pontual ou pequeno, enquanto o brilho superficial \u00e9 um indicador melhor quando o objeto \u00e9 grande. O que conta como pequeno ou grande depende das condi\u00e7\u00f5es espec\u00edficas da visualiza\u00e7\u00e3o e segue a [[lei de Ricco]].{{citar peri\u00f3dico| doi= 10.1093/mnras/stu992 |autor =Crumey, Andrew |t\u00edtulo= Human contrast threshold and astronomical visibility |peri\u00f3dico=Monthly Notices of the Royal Astronomical Society |data=2014 | volume=442 |p\u00e1ginas=2600 | bibcode=2014MNRAS.442.2600C | arxiv=1405.4209}} Em geral, para se chegar adequadamente \u00e0 visibilidade de um objeto deve-se saber ambos os par\u00e2metros.\n\n== C\u00e1lculo do brilho superficial ==\nO brilho superficial \u00e9 normalmente expresso em magnitude por segundo de arco quadrado. Como a magnitude \u00e9 logar\u00edtmica, o c\u00e1lculo do brilho superficial n\u00e3o pode ser feito por simples divis\u00e3o da magnitude pela \u00e1rea. Em lugar disso, para uma fonte com magnitude total ou integrada ''m'' estendendo-se por uma \u00e1rea visual de ''A'' segundos de arco quadrados, o brilho superficial ''S'' \u00e9 dado por:\nS = m + 2,5 \\cdot \\log_{10} A.\n\nPara objetos astron\u00f4micos, o brilho superficial \u00e9 an\u00e1logo \u00e0 [[lumin\u00e2ncia]] fotom\u00e9trica e, portanto, \u00e9 constante com a dist\u00e2ncia. \u00c0 medida que um objeto fica mais t\u00eanue, ele tamb\u00e9m fica correspondentemente menor em \u00e1rea visual. Em termos geom\u00e9tricos, para um objeto pr\u00f3ximo emitindo uma dada quantidade de luz, o [[Fluxo (f\u00edsica)|fluxo]] de radia\u00e7\u00e3o decresce com o quadrado da dist\u00e2ncia para o objeto, mas a \u00e1rea f\u00edsica correspondente a um dado [[\u00e2ngulo s\u00f3lido]] ou \u00e1rea visual (por exemplo, 1 arco de segundo quadrado) diminui na mesma propor\u00e7\u00e3o, resultando no mesmo brilho superficial.{{harvtxt|Sparke|Gallagher|2000|loc=§ 5.1.2}} Para objetos extensos como nebulosas ou gal\u00e1xias, isto permite a estimativa da dist\u00e2ncia espacial a partir do brilho superficial por meio do m\u00f3dulo de dist\u00e2ncia ou [[dist\u00e2ncia de luminosidade]].\n\n== Rela\u00e7\u00e3o com unidades f\u00edsicas ==\nO brilho superficial em unidades de magnitude est\u00e1 relacionado com o brilho superficial em unidades f\u00edsicas de [[luminosidade solar]] por [[parsec]] quadrado por:\n\nS({\\rm mag}/{\\rm arcsec}^2)=M_{\\odot}+21,572-2,5\\log_{10} S (L_{\\odot}/{\\rm pc}^2),\n\nOnde M_{\\odot} e L_{\\odot} s\u00e3o a [[magnitude absoluta]] e a luminosidade do Sol em uma [[Sistema fotom\u00e9trico|banda de cor]], respectivamente.Absolute magnitudes of the Sun in different color-bands can be obtained from {{harvtxt|Binney|Merrifield|1998}} or [http://www.ucolick.org/~cnaw/sun.html Absolute Magnitude of the Sun in Several Bands] {{webarchive|url=https://web.archive.org/web/20070718015507/http://www.ucolick.org/~cnaw/sun.html |date=2007-07-18 }}\n\nO brilho superficial tamb\u00e9m pode ser expresso em [[candela por metro quadrado]], usando 12,58 mag arcsec\u22122 = 1 cd m\u22122.Based on the equivalence 21.83 mag arcsec\u22122 = {{val|2|e=-4}}  cd m\u22122, from description of a \"truly dark sky\", Section 1.3 of Crumey, A. (2014). [http://mnras.oxfordjournals.org/content/442/3/2600.full.pdf+html Human contrast threshold and astronomical visibility.] MNRAS 442, 2600\u20132619.\n\n== Exemplos ==\nUm c\u00e9u verdadeiramente escuro possui um brilho superficial de {{val|2|e=-4}}  cd m\u22122 ou 21,8 mag arcseg\u22122.\n\nO brilho superficial de pico da regi\u00e3o central da nebulosa de Orion \u00e9 de cerca de 17 Mag/arcseg2 (aproximadamente 14 mili[[candela por metro quadrado|nit]]) e o brilho externo azulado tem um brilho superficial de pico de 21,3 Mag/arcseg2 (cerca de 0,27 millinits).{{citar web\n |url = http://www.clarkvision.com/astro/surface-brightness-profiles/introduction.html\n |t\u00edtulo= Surface Brightness of Deep Sky Objects\n |data= 2004-03-28\n |primeiro = Roger\n |\u00faltimo = Clark\n |acessodata= 2013-06-29\n}}. A convers\u00e3o para nits se baseia em magnitude 0 sendo 2,08 microlux.\n\n== Refer\u00eancias ==\n{{reflist}}\n\n{{Portal3|Astronomia}}\n\n[[Categoria:Astronomia observacional]]"}]},"6600821":{"pageid":6600821,"ns":0,"title":"Martina Jesus","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Pol\u00edtico\n| nome = Martina Jesus\n| t\u00edtulo1 = Deputada \u00e0 [[Assembleia da Rep\u00fablica]]\n| mandato1 =\n| nome_comp = Martina Pires Marcelino de Jesus\n| data_nascimento = 28 de fevereiro de 1965\n| nacionalidade = {{PRTb}} [[Portugal|portuguesa]]\n| partido = [[Partido Socialista (Portugal)|Partido Socialista]]\n| profiss\u00e3o =\n| ocupa\u00e7\u00e3o = [[Pol\u00edtico|Pol\u00edtica]]\n}}\n'''Martina Pires Marcelino de Jesus''' (28 de fevereiro de 1965) \u00e9 uma professora, [[deputada]] e [[pol\u00edtico|pol\u00edtica]] portuguesa. Ela \u00e9 deputada \u00e0 [[Assembleia da Rep\u00fablica]] na XIV legislatura pelo [[Partido Socialista (Portugal)|Partido Socialista]].{{Citar web |url= https://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/Biografia.aspx?BID=6877|titulo=Biografia |acessodata=2021-06-04 |website=www.parlamento.pt |lingua=pt-PT}}\n \n{{Refer\u00eancias}}\n{{esbo\u00e7o-pol\u00edtico}}\n{{portal3|Pol\u00edtica|Portugal}}\n{{controle de autoridade}}\n[[Categoria:Deputados da Assembleia da Rep\u00fablica Portuguesa em fun\u00e7\u00f5es]]\n[[Categoria:Pol\u00edticos de Portugal]]"}]},"2345194":{"pageid":2345194,"ns":0,"title":"Cordilheira do Sal","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"[[imagem:Chile san pedro de atacama felsformation und licancabur.jpg|thumb|Cordilheira do Sal, parte da [[Cordilheira de Domeyko]]]]\nA '''Cordilheira do Sal''' ({{lang-es|''Cordillera de la Sal''}}) \u00e9 uma regi\u00e3o montanhosa origin\u00e1ria do [[Chile]], surgida h\u00e1 23 milh\u00f5es de anos. Seus morros de argila, gesso e sal foram gradualmente sendo esculpidos pela [[eros\u00e3o]] e\u00f3lica e fluvial.{{sfn|Visit Chile|2019}}\n\n== Veja tamb\u00e9m ==\n\n* [[Cordilheira Darwin]]\n\n* [[Cordilheira de Domeyko]]\n\n* [[Cordilheira de Nahuelbuta]]\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Bibliografia ==\n\n* {{Citar web|ref={{harvid|Visit Chile|2019}}|ano=2019|url=https://www.visitchile.com.br/cordillera-de-la-sal/|t\u00edtulo=Cordillera de La Sal|publicado=Visit Chile}}\n\n[[Categoria:Cordilheiras do Chile|Sal]]\n[[Categoria:Geologia do Chile|Sal]]"}]},"3616422":{"pageid":3616422,"ns":0,"title":"Romanowski","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Desambigua\u00e7\u00e3o|Romanowski|Romanowsky}}\n* [[Bill Romanowski]]\n* [[Estanislau Romanowski]]\n\n* [[Medalha Miroslaw Romanowski]]"}]},"538998":{"pageid":538998,"ns":0,"title":"Arquivo P\u00fablico do Estado da Bahia","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Organismo governamental\n |nome do organismo = Arquivo P\u00fablico do Estado da Bahia\n |nome nativo =\n |s\u00edmbolo =\n |s\u00edmbolo_tamanho =\n |s\u00edmbolo_descri\u00e7\u00e3o =\n |imagem = Arquivo p\u00fablico de Salvador-bahia.JPG\n |imagem_tamanho = 250px\n |imagem_descri\u00e7\u00e3o = Entrada principal do Arquivo P\u00fablico.\n |natureza jur\u00eddica =\n |miss\u00e3o =\n |chefe1_nome =\n |chefe1_t\u00edtulo =\n |\u00f3rg\u00e3o subordinado1 =\n |funcion\u00e1rios =\n |or\u00e7amento =\n |jurisdi\u00e7\u00e3o =\n |sede = [[Salvador (Bahia)|Salvador]]\n |latd = |latm= |lats= |latNS =\n |longd = |longm= |longs= |longEW =\n |antecessor1 =\n |cria\u00e7\u00e3o = {{dtlink|16|01|1890|idade}}\n |extin\u00e7\u00e3o =\n |sucessor1 =\n |s\u00edtio na internet =\n}}\nO '''Arquivo P\u00fablico do Estado da Bahia''' ('''APEB''') \u00e9 a mais importante entidade [[arquiv\u00edstica]] do estado [[brasil]]eiro da [[Bahia]].\n\nAtualmente cercam de 500 pesquisadores s\u00e3o recebidos no APEB por m\u00eas.{{citar web|\u00faltimo=Secom - Secretaria de Comunica\u00e7\u00e3o Social|t\u00edtulo=Arquivo P\u00fablico do Estado da Bahia completa 125 anos|url=http://www.secom.ba.gov.br/2015/01/123272/Arquivo-Publico-do-Estado-da-Bahia-completa-125-anos.html|acessodata=18 de Janeiro de 2015|data=16/01/2015}}\n\nEst\u00e1 localizado no Solar da [[Quinta do Tanque]], pr\u00e9dio integrante do patrim\u00f4nio hist\u00f3rico e arquitet\u00f4nico da capital baiana e originalmente local de pouso dos [[jesu\u00edta]]s, erguido ainda no [[s\u00e9culo XVI]] e pertencente a esta ordem at\u00e9 sua expuls\u00e3o do Brasil, em [[1759]].\n\n== Hist\u00f3rico ==\nFundado em 16 de janeiro de [[1890]], por Ato do ent\u00e3o governador da Bahia, [[Manoel Victorino Pereira]], funcionou em outros locais at\u00e9 sua transfer\u00eancia, em definitivo, para o bairro de [[Quintas (Salvador)|Quintas]], em [[1980]], com endere\u00e7o \u00e0 Ladeira de Quintas.\n\nFoi transformado em [[funda\u00e7\u00e3o p\u00fablica]] pela Lei 4.662 de [[29 de abril]] de [[1986]], que o estruturou em quatro coordenadorias: Coordena\u00e7\u00e3o Operacional, Coordena\u00e7\u00e3o de Arquivos Intermedi\u00e1rios, Coordena\u00e7\u00e3o de Arquivo Permanente e Coordena\u00e7\u00e3o de Arquivos Municipais.\n\nO \u00f3rg\u00e3o em si foi extinto pela lei 8538 de 20 de dezembro de 2002 e suas atividades transferidas para a [[Funda\u00e7\u00e3o Pedro Calmon|Funda\u00e7\u00e3o Pedro Calmon - Centro de Mem\u00f3ria e Arquivo P\u00fablico da Bahia]],{{citar web|url=http://www.meioambiente.ba.gov.br/pdf/lein8535.pdf|titulo=LEI N\u00ba 8.538 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2002|data=|acessodata=2016-09-22|obra=|publicado=|ultimo=|primeiro=|arquivourl=https://web.archive.org/web/20150118213129/http://www.meioambiente.ba.gov.br/pdf/lein8535.pdf|arquivodata=2015-01-18|urlmorta=yes}} \u00e0 qual o Arquivo ficou subordinado na forma de '''Diretoria do Arquivo P\u00fablico do Estado da Bahia'''.{{citar web|url=http://www.meioambiente.ba.gov.br/upload/LEI_12212.pdf|titulo=LEI N\u00ba 12.212 DE 04 DE MAIO DE 2011|data=|acessodata=|obra=|publicado=|ultimo=|primeiro=|arquivourl=https://web.archive.org/web/20150118212854/http://www.meioambiente.ba.gov.br/upload/LEI_12212.pdf|arquivodata=2015-01-18|urlmorta=yes}}\n\n== Acervo ==\nAl\u00e9m de importantes documentos hist\u00f3ricos da Bahia, comp\u00f5em o acervo Documental os Arquivos Permanentes e os Tempor\u00e1rios.\n\nAs Se\u00e7\u00f5es do acervo permanente compreendem documentos divididos por temas e per\u00edodos:\n\n* Se\u00e7\u00e3o Colonial - Provincial - com importantes documentos, como os autos referentes \u00e0 [[Conjura\u00e7\u00e3o Baiana]].\n* Se\u00e7\u00e3o de Arquivos Judici\u00e1rios - com os processos ocorridos na capital e em outros munic\u00edpios baianos, com destaque para a cidade de [[Caetit\u00e9]].\n* Se\u00e7\u00e3o de Arquivos Republicanos - Referentes \u00e0 administra\u00e7\u00e3o p\u00fablica, e aos poderes Executivo e Legislativo, e ainda peri\u00f3dicos.\n* Se\u00e7\u00e3o Fazend\u00e1ria - Alfandeg\u00e1ria - Re\u00fane documentos relativos a quest\u00f5es econ\u00f4micas, fiscais e aduaneiras entre os s\u00e9culos XVIII e XX, e ainda referentes a arrecada\u00e7\u00e3o e outros.\n* Se\u00e7\u00e3o de Arquivos Privados - abriga documentos referentes a personalidades de destaque Bahia, a exemplo de Wanderley Pinho, [[G\u00f3is Calmon]], Marieta Alves al\u00e9m de fotografias da cidade do Salvador e arquivo referente ao Emp\u00f3rio Industrial do Norte (antiga f\u00e1brica Lu\u00eds Tarqu\u00ednio).\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* [http://www.fpc.ba.gov.br/espaco-para-conhecer/arquivo-publico-do-estado-da-bahia/ Informa\u00e7\u00f5es na p\u00e1gina da Funda\u00e7\u00e3o Pedro Calmon]\n* [http://www.flickr.com/photos/agecombahia/sets/72157626810988300/ Imagens do APB], no Flickr.\n* [http://www.atom.fpc.ba.gov.br/index.php/ Cat\u00e1logo de Acervos - inser\u00e7\u00e3o de registros em curso]\n* [https://archive.org/search?query=creator%3A%22ARQUIVO+P%C3%9ABLICO+DO+ESTADO+DA+BAHIA%22 Documentos do digitalizados do acervo do Arquivo], hospedados na biblioteca [[Internet Archive]]\n\n{{Portal3|Bahia|Hist\u00f3ria}}\n{{Controle de autoridade}}\n\n[[Categoria:Institui\u00e7\u00f5es governamentais estaduais da Bahia]]\n[[Categoria:Arquivos p\u00fablicos do Brasil|Bahia]]\n[[Categoria:Bibliotecas da Bahia]]\n[[Categoria:Cultura de Salvador]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Arquivo p\u00fablico de Salvador-bahia.JPG"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Bandeira da Bahia.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:P history.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Wikidata-logo.svg"}]},"6375128":{"pageid":6375128,"ns":0,"title":"Lista de peixes marinhos introduzidos no Brasil","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{| class=\"wikitable sortable\"\n|+'''Lista de peixes introduzidos no Brasil'''{{Citar web |url=https://www.fishbase.se/Country/CountryChecklist.php?what=list&trpp=50&c_code=076&csub_code=&cpresence=present&sortby=alpha2&ext_pic=on&vhabitat=introduced |titulo=List of Introduced Fishes reported from Brazil |acessodata=2020-09-14 |website=www.fishbase.se}}{{citar livro |ultimo=Adelir-Alves |primeiro=Johnatas |url= |titulo=Non-native reef fishes in the Southwest Atlantic Ocean: a recent record of Heniochus acuminatus (Linnaeus, 1758) (Perciformes, Chaetodontidae) and biological aspects of Chromis limbata (Valenciennes, 1833) (Perciformes, Pomacentridae) |data=2001 |acessodata= |publicado=Programa de P\u00f3s-Gradua\u00e7\u00e3o em Zoologia, Universidade Federal do Paran\u00e1, Campus Polit\u00e9cnico, Curitiba, PR, Brazil. 2 Programa de P\u00f3sGradua\u00e7\u00e3o em Sistemas Costeiros e Oce\u00e2nicos, Universidade Federal do Paran\u00e1, Pontal do Paran\u00e1, PR, Brazil. 3 Laborat\u00f3rio de Ecologia de Peixes, Centro de Estudos do Mar. Universidade Federal do Paran\u00e1, Pontal do Paran\u00e1, PR, Brazil. 4 Laborat\u00f3rio de Ecologia e Conserva\u00e7\u00e3o, Depto de Engenharia Ambiental, Universidade Federal do Paran\u00e1, Curitiba, PR, Brazil.}}{{Citar peri\u00f3dico |titulo=A honeymoon in Brazil: the spawning behavior of an exotic reef fish in the western south Atlantic |primeiro=Osmar J. |primeiro4=Carlos Eduardo L. |ultimo3=Waib |primeiro3=Luis F. |ultimo2=Sazima |primeiro2=Ivan |ultimo=Luiz |lingua=en |url=http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1679-62252010000200016&lng=en&nrm=iso&tlng=en |doi=10.1590/S1679-62252010000200016 |acessodata=2020-09-14 |numero=2 |paginas=369\u2013371 |issn=1679-6225 |data=2010 |jornal=Neotropical Ichthyology |ultimo4=Ferreira}}{{Citar web |url=https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2019/01/21/peixe-rarissimo-viaja-11-mil-km-e-e-achado-em-santuario-na-costa-de-sp.ghtml |titulo=Peixe rar\u00edssimo viaja 11 mil km e \u00e9 achado em santu\u00e1rio na costa de SP |acessodata=2020-09-14 |website=G1 |lingua=pt-br}}{{Citar peri\u00f3dico |titulo=First record of Pomacanthus maculosus (Perciformes, Pomacanthidae) in the south-western Atlantic Ocean |ultimo=Soeth |primeiro5=Henry L. |ultimo4=Daros |primeiro4=Felippe A. |ultimo3=Loose |primeiro3=Robin |ultimo2=Adelir\u2010Alves |primeiro2=Johnatas |primeiro=Marcelo |url=https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/jfb.13791 |lingua=en |doi=10.1111/jfb.13791 |acessodata=2020-11-05 |numero=5 |paginas=988\u2013991 |issn=1095-8649 |data=2018 |jornal=Journal of Fish Biology |ultimo5=Spach}}{{Citar peri\u00f3dico |titulo=First record of Pomacanthus maculosus (Perciformes, Pomacanthidae) in the south-western Atlantic Ocean |ultimo=Soeth |primeiro5=Henry L. |ultimo4=Daros |primeiro4=Felippe A. |ultimo3=Loose |primeiro3=Robin |ultimo2=Adelir-Alves |primeiro2=Johnatas |primeiro=Marcelo |url=http://doi.wiley.com/10.1111/jfb.13791 |lingua=en |doi=10.1111/jfb.13791 |acessodata=2020-11-05 |numero=5 |paginas=988\u2013991 |data= novembro de 2018 |jornal=Journal of Fish Biology |ultimo5=Spach}}{{citar web|ultimo=Garcia, Moreira, Carvalho Filho|primeiro=Lucas Canes, Cristiano Rangel, Alfredo|url=https://www.researchgate.net/publication/328687837_First_record_of_African_Hind_Cephalopholis_taeniops_Valenciennes_1828_Perciformes_Epinephelidae_in_the_South-western_Atlantic|titulo=First record of African Hind, Cephalopholis taeniops (Valenciennes, 1828) (Perciformes, Epinephelidae) in the South-western Atlantic|data=Novembro de 2018|acessodata=10/01/2022|website=researchgate.net|arquivodata=2018}}\n!Ordem\n!Fam\u00edlia\n!Esp\u00e9cie\n!Nome em Ingl\u00eas\n!Nome Local\n!Local de Origem\n!Primeira apari\u00e7\u00e3o\n!Foto\n|-\n|Perciformes\n|Acanthuridae\n|''[[Acanthurus monroviae]]''\n|Monrovia doctorfish\nor\n\nWest African tang\n|Peixe cirurgi\u00e3o africano\n|Atl\u00e2ntico Norte, Macaron\u00e9sia\n|[[Laje de Santos]], [[S\u00e3o Paulo (estado)|SP]]\n|[[Ficheiro:Acanthurus monroviae.jpg|miniaturadaimagem|242x242px]]\n|-\n|Perciformes\n|Eleotridae\n|''[[Butis koilomatodon]]''\n|Mud sleeper\n|Gobio\n|Indo-Pac\u00edfico\n|[[Mucuri]], [[Bahia (estado)|BA]]{{Citar web|url=https://www.fishbase.us/summary/Butis-koilomatodon.html|titulo=Butis koilomatodon summary page|acessodata=2022-01-10|website=FishBase|lingua=en}}\n|[[Ficheiro:Butis koilomatodon (Bleeker, 1849).jpg|miniaturadaimagem|248x248px]]\n|-\n|Perciformes\n|Serranidae\n|''[[Cephalopholis taeniops]]''\n|African hind\nor\n\nWest African coral grouper\n|Garoupa de Cabo Verde\n|Atl\u00e2ntico Norte, Macaron\u00e9sia\n|[[Ilhas Cagarras]], [[Rio de Janeiro (estado)|RJ]]\n|[[Ficheiro:African hind.png|miniaturadaimagem|239x239px]]\n|-\n|Perciformes\n|Pomacentridae\n|''[[Chromis limbata]]''\n|Azores chromis\n|Donzela dos A\u00e7ores\n|Atl\u00e2ntico Norte, Macaron\u00e9sia\n|[[Ilha do Campeche]], [[Santa Catarina (estado)|SC]]{{citar web|ultimo=Anderson|primeiro=A.B.|url=https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4394079/course/section/2104794/Semin%C3%A1rio%205.pdf|titulo=The recent colonization of south Brazil by the Azores\nchromis Chromis limbata|data=2017|acessodata=10/01/2022|website=Journal of Fish Biology|arquivodata=2017}}\n|[[Ficheiro:Chromis limbata3.jpg|miniaturadaimagem|237x237px]]\n|-\n|Perciformes\n|Chaetodontidae\n|''[[Heniochus acuminatus]]''\n|Pennant coralfish\n|Peixe borboleta bandeira\n|Indo-Pac\u00edfico\n|[[Arma\u00e7\u00e3o dos B\u00fazios]], [[Rio de Janeiro (estado)|RJ]]\n|[[Ficheiro:HatatateDI.jpg|miniaturadaimagem]]\n|-\n|Perciformes\n|Blennidae\n|''[[Omobranchus punctatus]]''\n|Muzzled blenny\n|Bl\u00eanio ou Maria da Toca\n|Indo-Pac\u00edfico\n|[[Ba\u00eda da Ilha Grande]], [[Rio de Janeiro (estado)|RJ]]{{Citar web|url=https://www.fishbase.us/summary/Omobranchus-punctatus.html|titulo=Omobranchus punctatus summary page|acessodata=2022-01-10|website=FishBase|lingua=en}}\n|[[Ficheiro:Omobranchus punctatus.png|miniaturadaimagem|262x262px]]\n|-\n|Batrachoidiformes\n|Batrachoididae\n|''[[Opsanus beta]]''\n|Gulf toadfish\n| ---\n|Mar do Caribe\n|[[S\u00e3o Paulo (estado)|Estado de S\u00e3o Paulo]], SP{{Citar web|url=https://www.fishbase.us/summary/Opsanus-beta.html|titulo=Opsanus beta summary page|acessodata=2022-01-10|website=FishBase|lingua=en}}\n|[[Ficheiro:Gfp-orange-toadfish.jpg|miniaturadaimagem|258x258px]]\n|-\n|Perciformes\n|Pomacanthidae\n|''[[Pomacanthus maculosus]]''\n|Yellowbar angelfish\n|Peixe anjo do Mar Vermelho\n|Mar Vermelho\n|Sudeste do pa\u00eds,[[Paran\u00e1]]. [[Paran\u00e1|PR]]{{Citar web|url=https://nas.er.usgs.gov/queries/factsheet.aspx?SpeciesID=2297|titulo=yellowbar angelfish (Pomacanthus maculosus) - Species Profile|acessodata=2022-01-11|website=nas.er.usgs.gov|lingua=en}}\n|[[Ficheiro:Bimaculatus.JPG|miniaturadaimagem|267x267px]]\n|-\n|Scorpaeniformes\n|Scorpaenidae\n|''[[Pterois volitans]]''\n|Red lionfish\n|Peixe le\u00e3o\n|Indo-Pac\u00edfico\n|[[Arraial do Cabo]], [[Rio de Janeiro (estado)|RJ]]{{Citar peri\u00f3dico |url=https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0123002 |titulo=First Record of Invasive Lionfish (Pterois volitans) for the Brazilian Coast |data=2015-04-22 |acessodata=2022-01-10 |jornal=PLOS ONE |n\u00famero=4 |ultimo=Ferreira |primeiro=Carlos E. L. |ultimo2=Luiz |primeiro2=Osmar J. |paginas=e0123002 |lingua=en |doi=10.1371/journal.pone.0123002 |issn=1932-6203 |pmc=4406615 |pmid=25901361 |ultimo3=Floeter |primeiro3=Sergio R. |ultimo4=Lucena |primeiro4=Marcos B. |ultimo5=Barbosa |primeiro5=Moys\u00e9s C. |ultimo6=Rocha |primeiro6=Claudia R. |ultimo7=Rocha |primeiro7=Luiz A.}}\n|[[Ficheiro:Common lion fish Pterois volitans.jpg|miniaturadaimagem|263x263px]]\n|-\n|Carcharhiniformes\n|Carcharhinidae\n|''[[Triaenodon obesus]]''\n|Whitetip reef shark\n|Tubar\u00e3o galha branca de recife\n|Indo-Pac\u00edfico\n|Costa paranaense, [[Paran\u00e1 (estado)|PR]]{{citar web|ultimo=Bornatowski|primeiro=Hugo|url=https://www.researchgate.net/figure/Triaenodon-obesus-recorded-at-the-ferry-MV-Dianka-shipwreck-southern-Brazil-South_fig2_323132438|titulo=Human introduction or natural dispersion? Atlantic Ocean occurrence of the Indo\u2010Pacific whitetip reef shark Triaenodon obesus|data=Fevereiro de 2018|acessodata=20/01/2022|website=Journal of Fish Biology \u00b7|arquivourl=https://www.researchgate.net/figure/Triaenodon-obesus-recorded-at-the-ferry-MV-Dianka-shipwreck-southern-Brazil-South_fig2_323132438|arquivodata=2018|urlmorta=no}}\n|[[Ficheiro:Triaenodon obesus revillagigedo.jpg|miniaturadaimagem|260x260px]]\n|}\n{{Refer\u00eancias}}{{Esbo\u00e7o-peixe}}\n\n[[Categoria:Esp\u00e9cies invasoras no Brasil]]\n[[Categoria:Listas de peixes]]"}]},"5616111":{"pageid":5616111,"ns":0,"title":"L\u00facio Publ\u00edlio Celso","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Nobre\n|nome = L\u00facio Publ\u00edlio Celso\n|titulo =[[C\u00f4nsul do Imp\u00e9rio Romano]]\n|imagem =\n|imgw =\n|legenda =\n|sucess\u00e3o =\n|reinado ={{DC|102|x}}
{{DC|113|x}}\n|tipo-reinado =Consulado\n|data de nascimento =\n|local de nascimento =\n|data da morte ={{DC|118|x}}\n|local da morte =\n}}\n'''L\u00facio Publ\u00edlio Celso''' ({{lang-la|''Lucius Publilius Celsus''}}; m. {{morte|||118}}) foi um [[senador romano]] nomeado [[c\u00f4nsul sufecto]] para o [[nund\u00ednio]] de maio a agosto de 102 com [[Tito D\u00eddio Segundo]] e eleito [[c\u00f4nsul romano|c\u00f4nsul]] em 113 com [[Caio Cl\u00f3dio Crispino]]. Depois de se envolver numa conspira\u00e7\u00e3o, foi executado em 118, logo no come\u00e7o do reinado do imperador [[Adriano]]. Apesar dos dois consulados, pouco se sabe sobre sua vida.\n\n== Carreira ==\nCelso era amigo do imperador [[Trajano]] e participou da [[Campanha d\u00e1cia de Trajano|Guerra D\u00e1cia]] (101-102 e 105-106). Sabe-se que recebeu a honra de uma est\u00e1tua de bronze no [[F\u00f3rum de Augusto]] ainda em vida, uma honra at\u00e9 ent\u00e3o concedida a apenas dois outros [[consularis|consulares]], [[Aulo Corn\u00e9lio Palma Frontoniano]] por sua anexa\u00e7\u00e3o da [[Ar\u00e1bia P\u00e9trea|Ar\u00e1bia]] e [[Quinto S\u00f3sio Sen\u00e9cio]], por seu papel decisivo na D\u00e1cia.[[Di\u00e3o C\u00e1ssio]], ''[[Hist\u00f3ria Romana (Di\u00e3o C\u00e1ssio)|Hist\u00f3ria Romana]]'' [http://www.mediterranees.net/histoire_romaine/dion/Trajan.html LXIX, 16]. No caso de Celso, o motivo \u00e9 desconhecido. [[Ronald Syme]] afirma que a est\u00e1tua indica apenas que ele havia assumido um comando militar de [[consular|status consular]].Ronald Syme, ''Tacitus'' (Oxford: Clarendon Press, 1958), p. 648\n\nSegundo a \"[[Hist\u00f3ria Augusta]]\", Celso e Palma, que foi c\u00f4nsul em 99 e 109, ca\u00edram em desgra\u00e7a no final do reinado de [[Trajano]] ''\"por sempre terem sido inimigos [de Adriano]\".'' Em seguida, Trajano nomeou [[Adriano]] seu sucessor, um processo que jamais foi formalizado.Jean-Pierre Martin, ''Le Haut-Empire'' dans ''Histoire romaine'', Armand Collin, coll. \u00ab U \u00bb, p.230.\n\nEm 117, Trajano, j\u00e1 muito doente, morreu em agosto e Adriano foi imediatamente aclamado pelas tropas como imperador. Por\u00e9m, sua posi\u00e7\u00e3o era delicada: rumores circulavam dando conta que Trajano n\u00e3o queria nome\u00e1-lo sucessor e que a ado\u00e7\u00e3o era obra de [[Plotina]], esposa de Trajano.[[Di\u00e3o C\u00e1ssio]], ''[[Hist\u00f3ria Romana (Di\u00e3o C\u00e1ssio)|Hist\u00f3ria Romana]]'' [http://www.mediterranees.net/histoire_romaine/dion/Hadrien.html LXX, 1]. Adriano passou a temer um golpe dos que haviam at\u00e9 ent\u00e3o gozado de influ\u00eancia, fama e riqueza por causa de Trajano.\n\nPor ordem do [[Senado Romano]], Publ\u00edlio Celso e outros supostos conspiradores foram executados, entre eles Corn\u00e9lio Palma, [[Caio Av\u00eddio Nigrino (c\u00f4nsul em 110)|Caio Av\u00eddio Nigrino]], c\u00f4nsul em 110 e governador da [[D\u00e1cia (prov\u00edncia romana)|D\u00e1cia]], e [[L\u00fasio Quieto]], um dos principais generais de Trajano e [[legado imperial]] da [[Judeia (prov\u00edncia romana)|Judeia]]Anthony Birley, ''Hadrian'', Londinii 1997, pp.87-88.[[Di\u00e3o C\u00e1ssio]], ''[[Hist\u00f3ria Romana (Di\u00e3o C\u00e1ssio)|Hist\u00f3ria Romana]]'' [http://www.mediterranees.net/histoire_romaine/dion/Hadrien.html LXX, 2].Paul Petit, ''Histoire g\u00e9n\u00e9rale de l'Empire romain'', tome 1 - Le Haut-Empire, \u00e9d. Seuil, 1978, p. 169. por suspeitas de atentado \u00e0 vida do novo imperador ou de aspirarem ao trono.''[[Hist\u00f3ria Augusta]]'', ''Vida de Adriano'' 4 Adriano, que estava na [[S\u00edria romana|S\u00edria]], negou ter ordenado as execu\u00e7\u00f5es destes quatro influentes senadores da \u00e9poca de Trajano; \u00e9 poss\u00edvel que [[P\u00fablio Ac\u00edlio Aciano]], o [[prefeito pretoriano]] na \u00e9poca, tenha sido o mandante. O fato \u00e9 que os assassinatos prejudicaram muito a popularidade de Adriano, que dispensou Aciano indiretamente admitindo-o no [[Senado Romano|Senado]] sabendo que a posi\u00e7\u00e3o de prefeito era reservada a [[ordem equestre|equestres]].Fran\u00e7oise Des Boscs-Plateaux, ''Un parti hispanique \u00e0 Rome ?'', Casa de Velazquez, 2006, {{p.}}611. John D. Grainger sugere que os quatro foram mortos simplesmente porque eram inconvenientes.John D. Grainger, ''Nerva and the Roman Succession Crisis of AD 96-99'' (London: Routledge, 2004), pp. 127f\n\nCelso foi executado na cidade de ''[[Baiae]]'', na [[Camp\u00e2nia]], em 118.''[[Hist\u00f3ria Augusta]]'', ''Vida de Adriano'' 7\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n{{C\u00f4nsules do Imp\u00e9rio Romano\n|ant1=[[Trajano]] IV\n|ant2=[[Quinto Articuleio Peto]] II\n|ant3=[[Sexto \u00c1cio Suburano Emiliano]] (suf.)\n|ant4=[[Caio Sert\u00f3rio Broco Quinto Serveu Inocente]] (suf.)\n|ant5=[[Marco M\u00e9cio C\u00e9ler]] (suf.)\n|ant6=[[L\u00facio Arr\u00fancio Estela]] (suf.)\n|ant7=[[L\u00facio J\u00falio Marino Cec\u00edlio Simplex]] (suf.)\n|con1=[[L\u00facio J\u00falio Urso Serviano]] II\n|con2=[[L\u00facio Lic\u00ednio Sura]] II\n|con3=[[L\u00facio F\u00e1bio Justo]] (suf.)\n|con4=[[Tito D\u00eddio Segundo]] (suf.)\n|con5=[[L\u00facio Publ\u00edlio Celso]] (suf.)\n|con6=[[L\u00facio Ant\u00f4nio Albo]] (suf.)\n|con7=[[Marco J\u00fanio H\u00f4mulo]] (suf.)\n|ano=102\n|seg1=[[Trajano]] V\n|seg2=[[M\u00e2nio Lab\u00e9rio M\u00e1ximo]] II\n|seg3=[[Quinto Gl\u00edcio At\u00edlio Agr\u00edcola]] II (suf.)\n|seg4=[[P\u00fablio Met\u00edlio Nepos (c\u00f4nsul em 103)|P\u00fablio Met\u00edlio Nepos]] (suf.)\n|seg5=[[Quinto B\u00e9bio M\u00e1cer]] (suf.)\n|seg6=[[Caio Treb\u00f4nio Pr\u00f3culo M\u00e9cio Modesto]] (suf.)\n|seg7=[[P\u00fablio Calp\u00farnio M\u00e1cer C\u00e1ulio Rufo]] (suf.)\n|emenda=s\n}}\n{{C\u00f4nsules do Imp\u00e9rio Romano\n|cab=n\n|ant1=[[Trajano]] VI\n|ant2=[[Tito S\u00eaxtio Corn\u00e9lio Africano]]\n|ant3=[[Cneu Pin\u00e1rio Corn\u00e9lio Severo]] (suf.)\n|ant4=[[L\u00facio M\u00famio N\u00edger Quinto Val\u00e9rio Vegeto]] (suf.)\n|ant5=[[P\u00fablio Estert\u00ednio Quarto]] (suf.)\n|ant6=[[Tito J\u00falio M\u00e1ximo Manliano Broco Serviliano]] (suf.)\n|ant7=[[Caio Cl\u00e1udio Severo]] (suf.)\n|con8=[[Tito Set\u00eddio Firmo]] (suf.)\n|con1=[[L\u00facio Publ\u00edlio Celso]] II\n|con2=[[Caio Cl\u00f3dio Crispino]]\n|con3=[[S\u00e9rvio Corn\u00e9lio Dolabela Metiliano Pompeu Marcelo]] (suf.)\n|con4=[[L\u00facio Estert\u00ednio N\u00f3rico]] (suf.)\n|con5=[[L\u00facio F\u00e1dio Rufino]] (suf.)\n|con6=[[Cneu Corn\u00e9lio \u00darbico]] (suf.)\n|con7=[[Tito Sempr\u00f4nio Rufo]] (suf.)\n|ano=113\n|seg1=[[Quinto N\u00ednio Hasta (c\u00f4nsul em 114)|Quinto N\u00ednio Hasta]] \n|seg2=[[P\u00fablio Man\u00edlio Vopisco Viciniliano]]\n|seg3=[[Caio Cl\u00f3dio Numo]] (suf.)\n|seg4=[[L\u00facio Ces\u00eanio Sospes]] (suf.)\n|seg5=[[L\u00facio H\u00e9dio Rufo Loliano \u00c1vito]] (suf.)\n|seg6=[[L\u00facio M\u00e9ssio R\u00fastico]] (suf.)\n}}\n{{Refer\u00eancias|col=2}}\n\n== Bibliografia ==\n{{refbegin}}\n* [[Prosopographia Imperii Romani|PIR \u00b2]] P 1049 / [https://archive.org/stream/prosopographiaim03akaduoft#page/106/mode/2up PIR\u00b9 P 782]\n{{Refend}}\n\n{{DEFAULTSORT:Celsus, Lucius Publilius}}\n[[Categoria:Publilii]]\n[[Categoria:C\u00f4nsules do Imp\u00e9rio Romano]]\n[[Categoria:Romanos antigos do s\u00e9culo II]]\n[[Categoria:Romanos antigos do s\u00e9culo I]]\n[[Categoria:Nascidos no s\u00e9culo I]]\n[[Categoria:Ano de nascimento desconhecido]]\n[[Categoria:Guerras D\u00e1cias de Trajano]]\n[[Categoria:Romanos antigos executados]]\n[[Categoria:Pessoas executadas pelo Imp\u00e9rio Romano]]"}]},"4310840":{"pageid":4310840,"ns":0,"title":"Las Tunas (desambigua\u00e7\u00e3o)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{desambigua\u00e7\u00e3o|Las Tunas}}\n\n* [[Las Tunas (prov\u00edncia)|Las Tunas]] - prov\u00edncia de Cuba.\n* [[Las Tunas]] - munic\u00edpio e cidade de Cuba.\n* [[Las Tunas (Entre R\u00edos)|Las Tunas]] - pequena localidade da prov\u00edncia de Entre R\u00edos, Argentina.\n* [[Las Tunas (Santa F\u00e9)|Las Tunas]] - pequena localidade de prov\u00edncia de Santa F\u00e9, Argentina.\n\n[[Categoria:Desambigua\u00e7\u00f5es de top\u00f4nimos]]"}]},"560157":{"pageid":560157,"ns":0,"title":"Eufr\u00e1sia Teixeira Leite","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Biografia\n|bgcolour = \n|nome = Eufr\u00e1sia Teixeira Leite\n|imagem = Eufr\u00e1sia Teixeira Leite aos 30 anos (2).jpg\n|imagem_tamanho = 280px\n|legenda = Eufr\u00e1sia Teixeira Leite aos 30 anos\n|nome_nativo = \n|data_nascimento = {{dni|15|4|1850|si}}\n|local_nascimento = [[Vassouras]], [[Rio de Janeiro]], [[Brasil]]\n|data_morte = {{nowrap|{{morte|13|9|1930|15|4|1850}}}}\n|local_morte = [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], [[Brasil]]\n|ocupa\u00e7\u00e3o = [[Empres\u00e1ria]] e [[filantropa]]\n|nacionalidade = {{BRAn|a}} \n|alma_mater = \n|filhos = \n|atividade = \n|c\u00f4njuge = \n|parentesco = \n|conhecido_por = \n|fortuna = \n|assinatura = \n|website = \n}}\n'''Eufr\u00e1sia Teixeira Leite''' ([[Vassouras]], [[15 de abril]] de [[1850]] \u2013 [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], [[13 de setembro]] de [[1930]]) foi uma aristocrata, herdeira multimilion\u00e1ria, [[investidor]]a financeira e [[filantropa]] [[brasileira]]. \n\nAp\u00f3s a perda dos pais em 1872, Eufr\u00e1sia e sua irm\u00e3, Francisca Bernardina, passaram a administrar com not\u00e1vel talento a heran\u00e7a recebida, multiplicando seu patrim\u00f4nio e deixando, em [[testamento]], uma fortuna que poderia comprar 1.850 quilos de [[ouro]], aos pre\u00e7os da \u00e9poca, e cuja maior parte foi legada a institui\u00e7\u00f5es assistenciais e educacionais da cidade de [[Vassouras]]-RJ. O usufruto da riqueza garantiu-lhe a emancipa\u00e7\u00e3o econ\u00f4mica, tornando-a, al\u00e9m de uma bem-sucedida rentista, uma mulher independente que viveu a vida conforme as suas escolhas. Para os padr\u00f5es atuais, Eufr\u00e1sia seria bilion\u00e1ria.{{Citar web |url=https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/a-primeira-investidora-da-bolsa-brasileira-conheca-a-historia-de-eufrasia-teixeira-leite-que-se-tornou-bilionaria-investindo-em-acoes/ |t\u00edtulo=A primeira investidora da Bolsa brasileira: conhe\u00e7a a hist\u00f3ria de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite, que se tornou bilion\u00e1ria investindo em a\u00e7\u00f5es |publicado=InfoMoney |editor=Mariana Amaro |acessadoem=7 de mar\u00e7o de 2022}}\n\n==Biografia==\nEufr\u00e1sia nasceu na cidade fluminense de Vassouras, em 1859. Era a filha ca\u00e7ula do Dr. [[Joaquim Jos\u00e9 Teixeira Leite]] e Ana Esm\u00e9ria Correia e Castro, sendo neta paterna do [[Francisco Jos\u00e9 Teixeira|bar\u00e3o de Itamb\u00e9]], neta materna do [[bar\u00e3o de Campo Belo]], sobrinha do [[Francisco Jos\u00e9 Teixeira Leite|bar\u00e3o de Vassouras]] e sobrinha-neta do [[bar\u00e3o de Aiuruoca]]. Tinha uma \u00fanica irm\u00e3, Francisca Bernardina Teixeira Leite ([[1845]]-[[1899]]), e um irm\u00e3o que morreu na inf\u00e2ncia.{{Citar livro |nome= Neusa |sobrenome=Fernandes |t\u00edtulo=Eufr\u00e1sia e Nabuco |local=S\u00e3o Paulo |editora=Mauad X |ano=2019 |isbn=978-8530400316}}\n\nA fam\u00edlia de seu av\u00f4 paterno j\u00e1 era muito rica quando mudou-se de [[Concei\u00e7\u00e3o da Barra de Minas]] para [[Vassouras]]. Seu pai e seu tio bar\u00e3o de Vassouras se estabeleceram como [[empres\u00e1rio|capitalistas]], fundando, no [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], a [[empresa]] \"Casa Teixeira Leite & Sobrinhos\", que emprestava dinheiro a [[juros]] e realizava intermedia\u00e7\u00f5es financeiras com os pr\u00f3speros fazendeiros de caf\u00e9. Por outro lado, a fam\u00edlia de sua m\u00e3e era composta somente por ricos plantadores de [[caf\u00e9]], sendo ela membro da tradicional fam\u00edlia Correia e Castro.{{Citar livro |nome=Stanley J. |sobrenome=STEIN |t\u00edtulo=Vassouras: Um Munic\u00edpio Brasileiro do Caf\u00e9, 1850-1910 |local=Rio de Janeiro |editora=Nova Fronteira |ano=1990 }}\n \nPara os padr\u00f5es brasileiros da \u00e9poca, recebeu uma educa\u00e7\u00e3o aristocr\u00e1tica, tendo estudado na escola de mo\u00e7as de madame Grivet, que existia na localidade de Com\u00e9rcio, hoje [[Sebasti\u00e3o Lacerda (Vassouras)|Sebasti\u00e3o Lacerda]], em Vassouras. Al\u00e9m do [[ensino b\u00e1sico]], aprendeu [[Etiqueta|boas maneiras]], a falar o [[L\u00edngua francesa|franc\u00eas]] e a tocar [[piano]].{{Citar peri\u00f3dico |sobrenome1=FALCI |nome1=Miridan Britto Knox |sobrenome2=MELO |nome2=Hildete Pereira |titulo=Riqueza e emancipa\u00e7\u00e3o: Eufr\u00e1sia Teixeira Leite, uma an\u00e1lise de g\u00eanero |peri\u00f3dico=Estudos Hist\u00f3ricos |local=Rio de Janeiro |n\u00famero=29 |ano=2002 |p\u00e1ginas=165-185 |url=https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2158/1297 |acessadoem=7 de mar\u00e7o de 2022}}\n\n==Europa==\n[[Ficheiro:Vassouras - Ch\u00e1cara da Hera 02 - High.JPG|thumb|280px|
[[Museu Casa da Hera|Ch\u00e1cara da Hera]], antiga resid\u00eancia de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite, em [[Vassouras]].
]]\nCom a morte de seus pais, (a m\u00e3e em 1871 e o pai em [[1872]]), Eufr\u00e1sia e sua irm\u00e3 herdaram uma fortuna de 767:937$876 r\u00e9is (767 contos, novecentos e trinta e sete mil, oitocentos e setenta e seis r\u00e9is), o que equivalia na \u00e9poca a metade da dota\u00e7\u00e3o pessoal do imperador [[Pedro II do Brasil|D. Pedro II]] para um ano. Logo depois, em [[1873]], morreu sua av\u00f3 materna, a [[bar\u00e3o de Campo Belo|baronesa de Campo Belo]], e as irm\u00e3s receberam, como [[heran\u00e7a]], mais 106:848$886 (cento e seis contos, oitocentos e quarenta e oito mil e oitocentos e oitenta e seis r\u00e9is) na forma de t\u00edtulos e a casa que nasceu (Museu Casa da Hera). A propriedade foi administrada de forma a ser auto sustent\u00e1vel na maior parte do tempo pela dificuldade do cambio e envio de dinheiro. Vendia flores e frutas.\n\nNas d\u00e9cadas de 1870 e 1880, a regi\u00e3o de Vassouras j\u00e1 entrava em decad\u00eancia, devido ao esgotamento do [[solo]] e ao envelhecimento dos escravos, mas os bens das irm\u00e3s n\u00e3o eram fazendas de caf\u00e9; elas possu\u00edam [[ap\u00f3lice]]s de [[t\u00edtulos da d\u00edvida p\u00fablica]] do Empr\u00e9stimo Nacional de [[1868]], [[A\u00e7\u00e3o (finan\u00e7as)|a\u00e7\u00f5es]] do [[Banco do Brasil]], dep\u00f3sitos banc\u00e1rios, t\u00edtulos de cr\u00e9dito de pessoas, uma casa no [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]] e uma grande propriedade urbana em Vassouras, atualmente conhecida como [[Museu Casa da Hera|Casa da Hera ou Ch\u00e1cara da Hera]], onde residiam com seus pais. \n\nJovens e solteiras, as irm\u00e3s venderam a\u00e7\u00f5es, t\u00edtulos e a casa do [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], cobraram cr\u00e9ditos, fecharam a [[Museu Casa da Hera|casa da ch\u00e1cara]], deixando dois empregados incumbidos de sua conserva\u00e7\u00e3o, e partiram, em [[1873]], para residir em [[Paris]].{{Citar web |url=https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2020/12/29/brasil-ja-teve-uma-investidora-bilionaria-a-historia-de-eufrasia-leite.htm |t\u00edtulo=Brasil j\u00e1 teve uma investidora bilion\u00e1ria; a hist\u00f3ria de Eufr\u00e1sia Leite |publicado=UOL |editor=Guilherme Castellar |acessadoem=8 de mar\u00e7o de 2022}}\n\nMas esta n\u00e3o foi a primeira vez que Eufr\u00e1sia e sua irm\u00e3 partiam para a Europa. O jornal [[Correio Mercantil]], de 7 de junho de 1857, informava que [[Joaquim Jos\u00e9 Teixeira Leite]], sua esposa, e suas filhas partiram para a Europa no paquete G\u00eanova. E como Joaquim recentemente fora eleito deputado, h\u00e1 meses os jornais j\u00e1 informavam sobre essa viagem, pois seu suplente assumiria a legislatura. Em 30 de abril de 1857 o Correio Mercantil dizia: \"Est\u00e1 em preparativo de viagem para Europa, em consequ\u00eancia de mol\u00e9stia de uma filha, o Dr. Joaquim Jos\u00e9 Teixeira Leite\". Em 1859 j\u00e1 estavam de volta ao Brasil, a estadia pode n\u00e3o parecer longa, mas para duas crian\u00e7as, viver quase dois anos no exterior causou impacto. Portanto, quando Eufr\u00e1sia e a irm\u00e3 voltaram a Paris em 1873, no luto pelos pais, elas buscavam um lugar que n\u00e3o era desconhecido pelas duas.{{Citar tese |nome=Mariana Jacinto |sobrenome=Ribeiro |t\u00edtulo=A frente de seu tempo: atua\u00e7\u00e3o e legado de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite |local=S\u00e3o Paulo |universidade=Funda\u00e7\u00e3o Armando Alvares Penteado |ano=2013}}\n\n==Romance com Joaquim Nabuco==\n[[Ficheiro:Joaquim Nabuco -bacharel em 1870, embaixador, abolicionista, escritor-. (Col. Francisco Rodrigues; FR-732).jpg|thumb|250px|
Joaquim Nabuco, em 1886.
]] Eufr\u00e1sia, al\u00e9m de inteligente e h\u00e1bil com [[neg\u00f3cios]], foi uma mulher muito bela, como mostram diversos quadros e retratos. \nO famoso romance entre Eufr\u00e1sia e o abolicionista [[Joaquim Nabuco]] come\u00e7ou ou ganhou for\u00e7a no conv\u00e9s do navio ''Chimborazo'', durante sua viagem \u00e0 Europa em 1873: \"ainda n\u00e3o se pode afirmar com exatid\u00e3o o local onde eles se conheceram. Foi paix\u00e3o t\u00e3o fulminante, que desembarcaram noivos na Europa. Os pais do noivo, ao receberem o telegrama no Rio de Janeiro, avisando sobre o noivado, comemoraram o compromisso t\u00e3o auspicioso que o filho havia feito e agilizaram-se para preparar a documenta\u00e7\u00e3o necess\u00e1ria ao enlace do filho. O noivado durou pouco, foi desfeito e refeito outras quatro vezes ao longo de quatorze anos de muitas correspond\u00eancias. (...) Nas tr\u00eas semanas de travessia do Atl\u00e2ntico, encantou Eufr\u00e1sia e por ela foi encantado. De setembro a janeiro, permaneceu em Paris, compromissado com a \u00f3rf\u00e3 que morava com a irm\u00e3 em Versalhes. Emancipada, Eufr\u00e1sia deu a pr\u00f3pria m\u00e3o em casamento, apenas comunicando aos parentes brasileiros a sua vontade. Por mais que n\u00e3o pudesse impedi-la, seu tio (o [[Francisco Jos\u00e9 Teixeira Leite|Bar\u00e3o de Vassouras]]) manifestou rep\u00fadio ao noivo. Raz\u00f5es n\u00e3o faltavam: o pai do rapaz era do [[Partido Liberal (1831)|Partido Liberal]], enquanto os membros da fam\u00edlia Teixeira Leite eram do [[Partido Conservador (Brasil)|Partido Conservador]]; o rapaz ousava ser um abolicionista, herdeiro do Engenho Massangana \".{{citar web|url=https://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2015/12/Livreto-Casa-da-Hera.pdf|titulo=Museu Casa da Hera|data=|acessodata=20/11/2018|publicado=Instituto Brasileiro de Museus|ultimo=QUEIROZ|primeiro=Eneida}} \n\nAs [[carta]]s amorosas que Eufr\u00e1sia recebeu de Joaquim Nabuco foram, diz a tradi\u00e7\u00e3o, por expressas instru\u00e7\u00f5es dela, encerradas em seu [[caix\u00e3o]]. Outra teoria era de que Eufr\u00e1sia teria pedido para seu testamenteiro, [[Raul Fernandes]], queimar as cartas ap\u00f3s sua morte. Pelo fogo ou pela terra, o fato \u00e9 que as cartas escritas por Nabuco \u00e0 Eufr\u00e1sia se perderam, restando apenas uma: a carta do rompimento do romance, de 16 de abril de 1886, em que ele diz, entre outras coisas, o seguinte: \"Eu por meu lado considero-me perfeitamente livre de qualquer compromisso meu consigo e pretendo governar-me guiando-me s\u00f3 pelo cora\u00e7\u00e3o. (...) Eu sinto que tudo acabou entre n\u00f3s e n\u00e3o vejo quem mais poder\u00e1 ou querer\u00e1 encher este fim de vida que n\u00e3o parece valer a pena separar do passado. Adeus, sempre seu, amigo verdadeiro, Joaquim Nabuco.\" {{citar livro|t\u00edtulo=Eufr\u00e1sia e Nabuco|ultimo=FERNANDES|primeiro=Neusa|editora=Mauad|ano=2012|local=|p\u00e1ginas=|acessodata=}} Embora essa tenha sido a carta de despedida do romance, eles ainda trocaram outras mais em 1887, quando Eufr\u00e1sia tentou emprestar-lhe dinheiro, j\u00e1 que Nabuco estava com d\u00edvidas, mas isso feriu seu orgulho, e ap\u00f3s uma conturbada troca de cartas, ele parou de responder a Eufr\u00e1sia definitivamente.\n\nJ\u00e1 as cartas e bilhetes que Eufr\u00e1sia enviou a Joaquim Nabuco est\u00e3o guardadas na [[Funda\u00e7\u00e3o Joaquim Nabuco]], em [[Recife]]. Algumas dessas cartas sugerem que algo muito \u00edntimo, para al\u00e9m dos padr\u00f5es da \u00e9poca, teria ocorrido entre os dois.{{Citation | author-link = Marcos S\u00e1 Corr\u00eaa | last = Correia | first = Marcos S\u00e1 | url = http://www.revistapiaui.com.br/artigo.aspx?id=576&anterior=42008&anteriores=1 | title = Os \u00d3rf\u00e3os de Eufr\u00e1sia | newspaper = [[Revista Piau\u00ed]] | date = abril de 2008}}. \n\nA maior parte do romance ocorreu na Europa, onde Eufr\u00e1sia tinha interesses financeiros e mundanos. Joaquim Nabuco, por\u00e9m, tinha ambi\u00e7\u00f5es [[pol\u00edtica]]s no Brasil. O romance durou de [[1873]] at\u00e9 [[1887]], quando Eufr\u00e1sia remeteu a \u00faltima carta para Joaquim Nabuco. Dois anos depois, ele se casou com Evelina Torres Soares Ribeiro. Eufr\u00e1sia jamais se casou.{{citar web |publicado= Abril |url= http://elle.abril.com.br/blogs/hot-hits/livros/187648/ |t\u00edtulo= Livros |obra= Revista Elle |acessodata= 2012-05-08 |arquivourl= https://web.archive.org/web/20110423080420/http://elle.abril.com.br/blogs/hot-hits/livros/187648/ |arquivodata= 2011-04-23 |urlmorta= yes }}{{citar web | publicado = Globo |url= http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI83013-15220,00-A+AMANTE+DE+JOAQUIM+NABUCO.html |t\u00edtulo= A amante de Joaquim Nabuco | obra = Revista \u00c9poca}}.\n\n==Vida na Europa==\n[[Ficheiro:Mansaoeufrasia.jpg|thumb|300px|
40, rue de Bassano: resid\u00eancia de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite em [[Paris]].
]]\nEufr\u00e1sia tinha o esp\u00edrito empresarial da fam\u00edlia e investiu sua fortuna e a da irm\u00e3, n\u00e3o em terras ou ativos produtivos, mas em capital financeiro, sabendo administr\u00e1-la e multiplic\u00e1-la com maestria no circuito mercantil internacional. Em pa\u00edses europeus, comprou a\u00e7\u00f5es de empresas que produziam com as novas tecnologias da [[Segunda Revolu\u00e7\u00e3o Industrial]], como ind\u00fastrias extrativistas, companhias ferrovi\u00e1rias, ind\u00fastrias de transforma\u00e7\u00e3o e bancos estrangeiros, e participou da internacionaliza\u00e7\u00e3o de capitais que ocorria na \u00e9poca. No Brasil, Eufr\u00e1sia comprou a\u00e7\u00f5es no Banco do Brasil, Banco Com\u00e9rcio e Ind\u00fastria de S\u00e3o Paulo, Banco Mercantil do Rio de Janeiro, Companhia Am\u00e9rica Fabril, Cia. de Fia\u00e7\u00e3o e Tecidos Alian\u00e7a, Cia. Tecelagem de Seda \u00cdtalo-Brasileira, Companhia Ant\u00e1rtica Paulista, Cia. Cantareira e Via\u00e7\u00e3o Fluminense, Cia. Docas de Santos, Cia. Mogiana de Estradas de Ferro, Cia. Paulista de Estradas de Ferro, Estrada de Ferro Madeira-Mamor\u00e9. Consta ter sido a primeira mulher a entrar no recinto da [[Bolsa de Valores de Paris]].\n\nInstalou-se em Paris, residindo depois de [[1884]] com a irm\u00e3 em um ''[[h\u00f4tel particulier]]'' de cinco andares, na rua Bassano 40, [[8\u00ba arrondissement de Paris|8\u00ba ''arrondissement'']], pr\u00f3ximo ao [[Arco do Triunfo]], endere\u00e7o sofisticado at\u00e9 os dias atuais. As irm\u00e3s viviam uma vida recatada, mas participavam da vida social parisiense. Eufr\u00e1sia integrou o c\u00edrculo das amizades mais pr\u00f3ximas de Dona [[Isabel do Brasil|Isabel de Bragan\u00e7a]], [[princesa imperial do Brasil]], quando esta estava j\u00e1 no [[ex\u00edlio]] na [[Fran\u00e7a]].\n\nSua irm\u00e3, Francisca Bernardina, tinha uma s\u00e9ria deforma\u00e7\u00e3o na [[bacia]] e morreu em [[1899]], em [[Paris]], sem ter se casado. Assim, Eufr\u00e1sia herdou tamb\u00e9m a fortuna da irm\u00e3.[[Ficheiro:Eufr\u00e1sia Teixeira Leite, irm\u00e3 e prima..jpg|miniaturadaimagem|Eufr\u00e1sia Teixeira Leite (em p\u00e9), sua irm\u00e3 Francisca Bernardina Teixeira Leite (\u00e0 direita da imagem, ombro tocado pela irm\u00e3), e uma prima. |alt=]]Entre [[1874]] e [[1928]] veio somente duas vezes ao [[Brasil]], mas viajou para diversos outros pa\u00edses. Viu a [[Primeira Guerra Mundial]] (1914-1918) na Europa e lamentou os danos causados aos pr\u00e9dios.\n\n== Alta-Costura ==\nO acervo do Museu Casa da Hera, antiga resid\u00eancia de Eufr\u00e1sia, \u00e9 variado e guarda, inclusive, algumas roupas da antiga propriet\u00e1ria. H\u00e1 exemplares da famosa [[Maison Worth]], fundada pelo costureiro [[Charles Frederick Worth]] (1825-1895), considerado o \"pai da [[alta-costura]]\". Isso revela a riqueza de Eufr\u00e1sia, seu consumo de luxo, e sua circula\u00e7\u00e3o na alta roda da sociedade parisiense.\n\n\"A cole\u00e7\u00e3o de Eufr\u00e1sia assinada por Worth \u00e9 composta por oito pe\u00e7as que se diversificam nas formas e fun\u00e7\u00f5es de uso, s\u00e3o elas: dois hobbies, quatro casacos e um traje de montaria composto por duas partes - saia e jaqueta. O Museu n\u00e3o disp\u00f5e de vestidos assinados por Worth, entretanto, na cole\u00e7\u00e3o geral de indument\u00e1ria do Museu encontramos vestidos de baile ricamente decorados, outros de uso cotidiano finamente bordados. Os sessenta e quatro itens identificados, inclu\u00eddos a\u00ed as oito pe\u00e7as de Worth, est\u00e3o armazenados na reserva t\u00e9cnica adaptada em um dos quartos da Casa-Museu. (...) No imagin\u00e1rio social, sobretudo em Vassouras, Eufr\u00e1sia est\u00e1 associada ao luxo e ao requinte e, certamente, a cole\u00e7\u00e3o de trajes contribui para a atribui\u00e7\u00e3o desses valores. Numa leitura geral sobre as caracter\u00edsticas formais dos trajes confeccionados por Worth, nota-se que a maioria das pe\u00e7as tem acabamento detalhado, preocupa\u00e7\u00e3o especial do estilista para ganhar destaque no mercado. Os padr\u00f5es utilizados s\u00e3o de tecidos raros, aveludados ou em seda. Em primeiro plano os ornamentos em bordados delicados, predominantemente em uma cor semelhante a do tecido de base tr\u00e1s discri\u00e7\u00e3o\".{{citar peri\u00f3dico |sobrenome1=Queiroz |nome1=Marijara Souza |nome2=Jessica Ven\u00e2ncia Franca de |sobrenome2=Freitas |t\u00edtulo=O Traje como Experi\u00eancia Social |peri\u00f3dico=Museologia e Interdisciplinaridade |url=https://doi.org/10.26512/museologia.v7i13.17774 |doi=10.26512/museologia.v7i13.17774 |volume=7 |n\u00famero=13 |p\u00e1ginas=70\u201386 |acessodata=20/11/2018}}[[Ficheiro:Casacos Charles Worth de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite.jpg|miniaturadaimagem|Casacos do pai da alta costura, Charles Worth, que pertenceram a Eufr\u00e1sia Teixeira Leite.]]Outro objeto do museu que torna patente sua influ\u00eancia \u00e9 seu retrato feito pelo famoso pintor franc\u00eas [[Carolus-Duran|Carolus Duran]], que foi medalhista de ouro nos Sal\u00f5es de pintura parisiense, tendo alguns de seus quadros adquiridos pelo Estado Franc\u00eas e exibidos no [[Museu de Luxemburgo]]. Hoje encontramos grandes pinturas de Carolus Duran no [[Museu de Orsay|Museu D\u00b4Orsay]] e no [[Petit Palais|P\u00e9tit Palais]], em Paris. No Brasil, encontramos Duran em Vassouras, no [[Museu Casa da Hera]]. Nessa pintura, Eufr\u00e1sia surge com um vestido decotado de noite, de seda clara, envolta por uma estola de pele de arminho, em fundo vermelho: outra marca registrada de Duran.\n\n==Retorno e morte no Brasil==\nRetornou definitivamente para o Brasil em [[1928]] e passou temporadas na [[Museu Casa da Hera|Casa da Hera]], em [[Vassouras]]. Mantinha-se quase como reclusa, tanto que at\u00e9 comprou, em [[1924]], a ch\u00e1cara do Dr. Calvet, ao lado da [[Museu Casa da Hera|Ch\u00e1cara da Hera]],{{Citar web |url=http://www.abphe.org.br/congresso2003/Textos/Abphe_2003_38.pdf |titulo=MELO, Hildete Pereira de; FALCI, Miridan Britto Knox. Eufr\u00e1sia Teixeira Leite: O Destino de uma Heran\u00e7a |acessodata=2008-08-02 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20090105171848/http://www.abphe.org.br/congresso2003/Textos/Abphe_2003_38.pdf |arquivodata=2009-01-05 |urlmorta=yes }} apenas para manter-se longe dos vizinhos.\n\nViveu seus \u00faltimos anos no [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]], em um apartamento em [[Copacabana]], cercada de empregados fi\u00e9is, exc\u00eantrica e solit\u00e1ria. Queria retornar para Paris, mas tinha problemas renais que a impediram de viajar.\n\nSem \"descendentes nem ascendentes\", seu primeiro testamento legava toda a sua fortuna para o [[Instituto das Mission\u00e1rias do Sagrado Cora\u00e7\u00e3o de Jesus]], institui\u00e7\u00e3o cat\u00f3lica com sede em Roma, mas que geria diversos estabelecimentos de instru\u00e7\u00e3o no Brasil. Um segundo testamento, feito as v\u00e9speras de sua morte, legou praticamente toda a sua fortuna para obras de caridade, a serem realizadas por institui\u00e7\u00f5es da cidade de [[Vassouras]].\n\n===Morte===\nEufr\u00e1sia morreu em [[13 de setembro]] de [[1930]], na cidade do [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], aos 80 anos. Ela foi sepultada na capital fluminense e posteriormente em [[Vassouras]], quando seu corpo foi [[exumado]] e enterrado no mausol\u00e9u de seu av\u00f4, o primeiro [[Francisco Jos\u00e9 Teixeira|bar\u00e3o de Itamb\u00e9]]. No local n\u00e3o h\u00e1 l\u00e1pide que indique a sepultura de Eufr\u00e1sia.\n\n==O testamento==\n===Disputas judiciais===\nNo dia da sua morte, um primo distante de Eufr\u00e1sia, [[Ant\u00f4nio Jos\u00e9 Fernandes J\u00fanior]], praticamente furtou o original do seu testamento da cabeceira da sua cama a fim de evitar que o documento fosse extraviado por outros parentes.\n\nForam nomeados quatro [[inventariante]]s para o [[esp\u00f3lio]] de Eufr\u00e1sia, por\u00e9m um deles morreu logo depois, e outro pediu para que se retirasse seu nome. Restaram apenas os irm\u00e3os [[Ant\u00f4nio Jos\u00e9 Fernandes J\u00fanior]] que inventariou os bens do Brasil, e [[Raul Fernandes]], que inventariou os bens do exterior.[[Ficheiro:Eufr\u00e1sia Teixeira Leite.jpg|thumb|150px|
Eufr\u00e1sia Teixeira Leite
Foto do obitu\u00e1rio publicado em jornais.
]]O testamento foi contestado judicialmente pelas primas Umbelina Teixeira Leite dos Santos Silva, [[bar\u00e3o de S\u00e3o Geraldo |baronesa de S\u00e3o Geraldo]], Cristina Teixeira Leite d'Escragnolle Taunay, [[visconde de Taunay |viscondessa de Taunay]], e Francisca Teixeira Leite Bruhns. A elas juntaram-se outros primos do lado paterno de Eufr\u00e1sia, representados por advogados que tamb\u00e9m eram da fam\u00edlia Teixeira Leite. Os advogados desses herdeiros deserdados alegaram a insanidade de Eufr\u00e1sia devido a ''\"uma mol\u00e9stia cr\u00f4nica [de rins (sic)], de natureza grav\u00edssima, que se veio processando com lentid\u00e3o, aniquilando a paciente n\u00e3o s\u00f3 fisicamente como tamb\u00e9m mentalmente\"''. Entretanto, as cartas que Eufr\u00e1sia escreveu pessoalmente, nos meses que antecederam sua morte, provam que ela se mantinha, aos 80 anos, completamente l\u00facida e ainda gerindo seus neg\u00f3cios. \n\nEm um confronto judicial que durou seis anos, os herdeiros da fam\u00edlia Teixeira Leite foram afinal derrotados pelos inventariantes, Ant\u00f4nio Jos\u00e9 Fernandes J\u00fanior e Raul Fernandes, que eram advogados. \n\nEm agosto de [[1937]], quando os herdeiros deserdados da fam\u00edlia Teixeira Leite tentaram reabrir o processo judicial de impugna\u00e7\u00e3o do testamento, a popula\u00e7\u00e3o de [[Vassouras]] revoltou-se, fechou o com\u00e9rcio, cercou o f\u00f3rum durante as audi\u00eancias e amea\u00e7ou os advogados. O juiz chamou a pol\u00edcia, mas o delegado disse que os policiais tinham sa\u00eddo da cidade. Os advogados fugiram pelos fundos do f\u00f3rum, e os incidentes pararam a\u00ed. Um decreto presidencial da ditadura de [[Get\u00falio Vargas]] determinou que, em todos casos, somente podiam herdar os parentes colaterais at\u00e9 segundo grau, o que ent\u00e3o calou parte dos herdeiros deserdados.\n\nApesar disto, os primos do lado materno, os Correa e Castro, conseguiram obter uma parte da heran\u00e7a, com base no testamento de D. Ana Esm\u00e9ria, m\u00e3e de Eufr\u00e1sia, feito em [[1872|1871]]. Segundo o documento, se Eufr\u00e1sia e a irm\u00e3 morressem solteiras e sem filhos, uma parte dos bens de D. Ana Esm\u00e9ria, anexados \u00e0 heran\u00e7a das filhas, deveria passar para algumas de suas sobrinhas. Com isto, a Justi\u00e7a decidiu pela distribui\u00e7\u00e3o de valores da heran\u00e7a de Eufr\u00e1sia para os in\u00fameros herdeiros descendentes destas primas Correa e Castro.\n\nDurante mais de vinte anos, os irm\u00e3os Ant\u00f4nio Jos\u00e9 e Raul Fernandes atuaram como testamenteiros. Resultaram 30 volumes de manuscritos depositados no Centro de Documenta\u00e7\u00e3o Hist\u00f3rica de [[Vassouras]].\n\n===Invent\u00e1rio da heran\u00e7a===\n[[Ficheiro:Vassouras - Busto de Eufr\u00e1sia 2 - High.JPG|thumb|300px|
Busto de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite nos jardins do
Col\u00e9gio Sul-fluminense de Aplica\u00e7\u00e3o
,
]]\nA fortuna que Eufr\u00e1sia tinha herdado dos pais, da av\u00f3 e da irm\u00e3 tinha crescido muito com seus investimentos, apesar da [[Grande Depress\u00e3o |grande depress\u00e3o de 1929]] e das perdas com empresas russas confiscadas pela [[Revolu\u00e7\u00e3o de Outubro |revolu\u00e7\u00e3o comunista de 1917]]. Era t\u00e3o grande que o atestado de \u00f3bito de Eufr\u00e1sia registra que exercia a profiss\u00e3o de \"milion\u00e1ria\".\n\nO esp\u00f3lio tinha um valor estimado em 37 milh\u00f5es de r\u00e9is, o que poderia comprar 1.850 quilos de ouro na \u00e9poca. Em sua maior parte, constitu\u00eda-se de [[A\u00e7\u00e3o (finan\u00e7as)|a\u00e7\u00f5es]] de 297 empresas, de dez pa\u00edses diferentes, al\u00e9m de t\u00edtulos de d\u00edvidas de governos. Partes menores eram a casa em [[Paris]] (que na \u00e9poca valia 2 milh\u00f5es de francos e atualmente valeria mais de 10 milh\u00f5es de [[euro]]s) e um loteamento de 49 terrenos na atual rua Pompeu Loureiro, em plena \u00e9poca de crescimento imobili\u00e1rio de [[Copacabana]]. O menos valioso dos bens im\u00f3veis legados foi provavelmente a [[Museu Casa da Hera |Casa da Hera]], com seus m\u00f3veis, decora\u00e7\u00e3o e utens\u00edlios dom\u00e9sticos, avaliada em 96:700$000 (noventa e seis contos e setecentos mil r\u00e9is), cuja \u00e1rea tinha sido aumentada com a compra da ch\u00e1cara do Dr. Calvet, avaliada em 44:050$000 (quarenta e quatro contos e cinquenta mil r\u00e9is).\n\n===Herdeiros===\nOs principais herdeiros de Eufr\u00e1sia foram a [[Santa Casa de Miseric\u00f3rdia]] de [[Vassouras]], o Instituto das Mission\u00e1rias do Sagrado Cora\u00e7\u00e3o e o Col\u00e9gio Salesiano de Santa Rosa de [[Niter\u00f3i]]. Os dois \u00faltimos deveriam fundar dois col\u00e9gios para meninas e meninos pobres, cada um mantendo cinq\u00fcenta \u00f3rf\u00e3s e \u00f3rf\u00e3os, e outros estudantes pagantes. O Col\u00e9gio Salesiano de Santa Rosa de [[Niter\u00f3i]] recusou a incumb\u00eancia e sua parte, conforme o testamento, foi passada para a Santa Casa de Miseric\u00f3rdia de [[Vassouras]].\n\nValores menores foram legados para a [[Funda\u00e7\u00e3o Osvaldo Cruz]], para o agente de Eufr\u00e1sia em Paris, para alguns primos e empregados dom\u00e9sticos. Dinheiro em esp\u00e9cie foi destinado aos pobres de [[Vassouras]] e aos mendigos que moravam na rua em que Eufr\u00e1sia residira, em Paris.\n\nAs cartas que enviava para seus empregados mostram que era bastante autorit\u00e1ria e detalhista nos seus pedidos, mas que pagava a todos muito bem. Todos os seus empregados receberam boas doa\u00e7\u00f5es em vida ou legados no seu testamento. Para um ex-escravo, doou em vida uma casa no [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]]. A filha desse escravizado, Cec\u00edlia Bonfim, que tamb\u00e9m foi sua empregada, afilhada e herdeira, repetiu o seu gesto e deixou um testamento legando seu bens aos pobres de Vassouras.\n\n===Resultados da heran\u00e7a===\nNos terrenos deixados por Eufr\u00e1sia, em Vassouras, foram constru\u00eddos o Instituto Feminino para mo\u00e7as pobres, o Col\u00e9gio Regina Coeli para mo\u00e7as, o [[Senai]], o atual f\u00f3rum, delegacia e muitos outros pr\u00e9dios. O Hospital Eufr\u00e1sia Teixeira Leite foi constru\u00eddo com os recursos que legou.\n\nO testamento de Eufr\u00e1sia tem v\u00e1rias exig\u00eancias que prejudicaram o atingimento dos seus objetivos devido a fatos posteriores imprevis\u00edveis. Todos os bens foram legados sob cl\u00e1usulas de inalienabilidade e da insubrogabilidade que deviam proteg\u00ea-los. Os valores obtidos com as vendas das a\u00e7\u00f5es foram aplicados em [[ap\u00f3lice]]s do [[Tesouro Nacional]], cujos juros deveriam financiar as institui\u00e7\u00f5es criadas, como o Instituto Feminino e o hospital. Entretanto, a [[hiperinfla\u00e7\u00e3o]] brasileira destruiu o valor original das ap\u00f3lices do Tesouro. Como resultado, a Santa Casa de Miseric\u00f3rdia de [[Vassouras]] e o Hospital Eufr\u00e1sia Teixeira Leite passam hoje por s\u00e9ria crise financeira.\n\nUma das cl\u00e1usulas do testamento de Eufr\u00e1sia pedia \"conservar a [[Museu Casa da Hera|Ch\u00e1cara da Hera]] com tudo que nela existisse no mesmo estado de conserva\u00e7\u00e3o, n\u00e3o podendo ocupar ou permitir que fosse ocupada por outros\". Assim, a resid\u00eancia de seus pais em [[Vassouras]] \u00e9 hoje o [[Museu Casa da Hera]], considerado o melhor exemplo preservado de habita\u00e7\u00e3o urbana de fam\u00edlias ricas do vale do [[rio Para\u00edba do Sul|Para\u00edba do Sul]] no [[s\u00e9culo XIX]].\n\n== Romances (ficcional) ==\nA hist\u00f3ria de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite, sua correla\u00e7\u00e3o com a escravid\u00e3o, a aboli\u00e7\u00e3o da escravatura, a cafeicultura do Vale do Para\u00edba fluminense e a pol\u00edtica imperial j\u00e1 rendeu alguns romances biogr\u00e1ficos. Sobretudo em virtude de seu sucesso financeiro - algo raro para uma mulher do s\u00e9culo XIX - e de seu romance com Joaquim Nabuco: afinal, tratava-se de um amor entre uma escravocrata e um abolicionista. Os romances sobre a vida de Eufr\u00e1sia s\u00e3o:\n\n* \"[http://www.record.com.br/livro_sinopse.asp?id_livro=24094 Mundos de Eufr\u00e1sia]\" - autora Claudia Lage - [[Editora Record]], 2011.{{citar web|url=http://www.record.com.br/livro_sinopse.asp?id_livro=24094|titulo=Cat\u00e1logo da Editora Record - Mundos de Eufr\u00e1sia|data=|acessodata=|publicado=Editora Record|ultimo=LAGE|primeiro=Claudia}}\n* \"[https://poeticadosmuseus.wordpress.com/ A Mulher e a Casa]\" - autora Eneida Queiroz - [[Editora Bara\u00fana]], 2013.{{citar web|url=http://www.aconteceempetropolis.com.br/2018/03/06/historias-poeticas-dos-museus-e-tema-de-palestra-nesta-quarta-feira/|titulo=Hist\u00f3rias Po\u00e9ticas dos Museus|data=|acessodata=20/11/2018|publicado=Acontece em Petr\u00f3polis|ultimo=|primeiro=}} {{citar web|url=https://poeticadosmuseus.wordpress.com/|titulo=Hist\u00f3rias Po\u00e9ticas dos Museus - A mulher e a Casa|data=|acessodata=20/11/2018|publicado=|ultimo=QUEIROZ|primeiro=Eneida}}\n* \"[https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=28000052 Um Mapa Todo Seu]\" - autora [[Ana Maria Machado]] - [[Companhia das Letras|Editora Alfaguara,]] 2015.{{citar web|url=https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=28000052|titulo=Cat\u00e1logo da Editora Alfaguara - Companhia das Letras|data=|acessodata=20/11/2018|publicado=Alfaguara - Companhia das Letras|ultimo=|primeiro=}}\n\n== Biografia ==\nBaseado em documenta\u00e7\u00e3o prim\u00e1ria \n\n\"#Querosereufrasia\" - autora Mariana Ribeiro - Amazon, 2019\n\n{{Refer\u00eancias|col=2}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n{{commonscat|Eufr\u00e1sia Teixeira Leite}}\n*[[Museu Casa da Hera]]\n*[https://casadahera.wordpress.com/ Blog do Museu Casa da Hera]\n*[[Vassouras]]\n*[https://poeticadosmuseus.wordpress.com/ Hist\u00f3rias Po\u00e9ticas dos Museus]\n*[https://www.youtube.com/watch?v=Ma7GjAiRZRo Conhecendo Museus - Museu Casa da Hera no Youtube]\n*[https://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2015/12/Livreto-Casa-da-Hera.pdf Museu Casa da Hera - Livro em PDF]\n\n{{Portal3|Biografias|Mulheres|Brasil}}\n{{controle de autoridade}}\n[[Categoria:Filantropos do estado do Rio de Janeiro]]\n[[Categoria:Naturais de Vassouras|Eufrasia Teixeira Leite]]\n[[Categoria:Hist\u00f3ria de Vassouras]]\n[[Categoria:Bilion\u00e1rias]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Casacos Charles Worth de Eufr\u00e1sia Teixeira Leite.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Commons-logo.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Crystal Clear app Login Manager.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Eufr\u00e1sia Teixeira Leite, irm\u00e3 e prima..jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Eufr\u00e1sia Teixeira Leite.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Eufr\u00e1sia Teixeira Leite aos 30 anos (2).jpg"}]},"6673375":{"pageid":6673375,"ns":0,"title":"Assalto de Ara\u00e7atuba","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"[[Ficheiro:Banco do Brasil, Ara\u00e7atuba.jpg|miniaturadaimagem|Ag\u00eancia do [[Banco do Brasil]] da [[Pra\u00e7a Rui Barbosa (Ara\u00e7atuba)|pra\u00e7a Rui Barbosa]], em Ara\u00e7atuba, um dos locais assaltados pela quadrilha]]\nO '''assalto de Ara\u00e7atuba''' foi um um [[assalto a banco]] ocorrido a 30 de agosto de 2021 em tr\u00eas [[ag\u00eancias banc\u00e1rias]] da cidade de [[Ara\u00e7atuba]], no estado de [[S\u00e3o Paulo (estado)|S\u00e3o Paulo]], no [[Brasil]]. Pelo menos 20 criminosos participaram da a\u00e7\u00e3o, que resultou em tr\u00eas mortes e cinco feridos, um deles em estado grav\u00edssimo. O ataque, que se inscreve na t\u00e1tica apelidada de \"[[novo canga\u00e7o|Novo Canga\u00e7o]]\", foi o mais violento desde 2019.{{Citar web |url=https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/08/30/acao-do-novo-cangaco-em-aracatuba-violencia-sp.htm |titulo=A\u00e7\u00e3o do 'novo canga\u00e7o' em Ara\u00e7atuba \u00e9 a mais violenta em 2 anos em SP |acessodata=2021-09-01 |website=noticias.uol.com.br |lingua=pt-br}} O n\u00famero de explosivos encontrados ap\u00f3s este ataque foi o maior da hist\u00f3ria do pa\u00eds, neste tipo de assalto.{{Citar web |ultimo=Barreto Filho |primeiro=Herculano |url=https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/09/01/explosivos-aracatuba-novo-cangaco-maior-do-pais-diz-entidade.htm |titulo=N\u00famero de explosivos em Ara\u00e7atuba \u00e9 o maior do 'novo canga\u00e7o', diz entidade |data=2021-09-01 |acessodata=2021-09-02 |website=noticias.uol.com.br |lingua=pt-br}}\n\n== Antecedentes ==\nO Brasil tem um longo hist\u00f3rico de [[roubos a bancos]], o qual tem se acentuado em anos recentes, com uma vaga de assaltos violentos. Peritos acreditam que o programa brasileiro de assist\u00eancia \u00e0 pobreza durante a [[Pandemia de COVID-19 no Brasil|pandemia]] tem encorajado criminosos a planear assaltos ousados em pacatas cidades do interior, onde as ag\u00eancias banc\u00e1rias acumulam mais dinheiro.{{Citar web |ultimo=Janeiro |primeiro=Agencies in Rio de |url=http://www.theguardian.com/world/2021/aug/30/armed-robbers-take-hostages-deadly-bank-raids-brazil-city |titulo=Armed robbers take hostages in deadly bank raids in Brazil city |data=2021-08-30 |acessodata=2021-09-01 |website=the Guardian |lingua=en}}\n\nEm Ara\u00e7atuba em 1997 ocorreu um roubo a empresa de valores PROTEGE no valor de R$ 1,7 milh\u00e3o, sendo \"Edgarzinho\" (Edgar dos Santos Silva) um dos maiores criminosos do Estado, suspeito do crime em conjunto com policiais.{{Citar web |url=https://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff101026.htm |titulo=Folha de S.Paulo - PM prende acusado de ter roubado R$ 1,7 milh\u00e3o - 10/10/97 |data=2021-09-17 |acessodata=2021-09-18 |website=www1.folha.uol.com.br}} Na mesma cidade em 2017 uma quadrilha de assaltantes bloquearam as sa\u00eddas do quartel de pol\u00edcia CPI-10 para impedir a sa\u00edda de policiais e explodiram a sede da mesma empresa de transporte de valores, houve intenso disparos de armas de fogo.{{Citar web |url=https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2020/09/01/criminoso-e-condenado-a-mais-de-80-anos-de-prisao-por-participar-de-mega-assalto-a-empresa-de-valores.ghtml |titulo=Criminoso \u00e9 condenado a mais de 80 anos de pris\u00e3o por participar de mega-assalto a empresa de valores |data=2021-09-17 |acessodata=2021-09-18 |website=G1 |lingua=pt-br}}\n\nNo final de dezembro de 2020, em dois dias consecutivos, ocorreram dois assaltos semelhantes ao de Ara\u00e7atuba nas cidades de [[Camet\u00e1]] e [[Crici\u00fama]], sendo visadas ag\u00eancias do Banco do Brasil, sendo ainda desconhecido se h\u00e1 rela\u00e7\u00e3o entre estes assaltos e o de 30 de agosto em Ara\u00e7atuba.\n\n== Assalto ==\nPelo menos 20 criminosos e 10 carros participaram da a\u00e7\u00e3o. A quadrilha chegou \u00e0 regi\u00e3o central de [[Ara\u00e7atuba]] por volta da meia noite de 29 para 30 de agosto.\n\nO ataque teve lugar no centro da cidade, ao redor da [[Pra\u00e7a Rui Barbosa (Ara\u00e7atuba)|Pra\u00e7a Rui Barbosa]], onde se localizam v\u00e1rias ag\u00eancias banc\u00e1rias.{{Citar web |url=https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/08/30/quadrilha-ataca-banco-deixa-bombas-nas-ruas-e-faz-refens-em-aracatuba-sp.htm |titulo=Ataque a bancos em Ara\u00e7atuba (SP) tem tiros, explosivos e deixa 3 mortos |acessodata=2021-09-01 |website=noticias.uol.com.br |lingua=pt-br}} Duas ag\u00eancias banc\u00e1rias foram assaltadas. Em uma delas, que funciona como uma tesouraria regional, os criminosos conseguiram aceder ao [[cofre]] subterr\u00e2neo. Na outra, a quadrilha atacou os [[caixas eletr\u00f4nicos]]. A terceira ag\u00eancia foi apenas danificada. O valor levado pelos assaltantes n\u00e3o foi divulgado. Segundo \u00c1lvaro Camilo, secret\u00e1rio executivo da [[Pol\u00edcia Militar do Estado de S\u00e3o Paulo|Pol\u00edcia Militar]], os funcion\u00e1rios estatais desconheciam a fun\u00e7\u00e3o de tesouraria regional da ag\u00eancia do Banco do Brasil, e a consequente acumula\u00e7\u00e3o de grandes quantias em dinheiro.{{Citar web |url=https://www.reuters.com/world/americas/robbers-brazil-stage-brazen-bank-raids-taking-hostages-least-3-dead-2021-08-30/ |titulo=Robbers in Brazil stage brazen bank raids, taking hostages; at least 3 dead |data=2021-08-31 |acessodata=2021-09-01 |website=Reuters |lingua=en}}\n\nA a\u00e7\u00e3o durou duas horas, envolvendo tiros e explos\u00f5es, com pelo menos duas trocas de tiros separadas com a pol\u00edcia. Segundo uma testemunha, os assaltantes usavam [[coletes \u00e0 prova de balas]], [[Espingarda|espingardas]] e [[Capacete|capacetes]], parecendo-se com soldados.{{Citar web |url=https://www.france24.com/en/live-news/20210831-brazil-bank-robbers-strap-hostages-to-cars-during-deadly-raid |titulo=Brazil bank robbers strap hostages to cars during deadly raid |data=2021-08-31 |acessodata=2021-09-01 |website=France 24 |lingua=en}}\n\nDois moradores e um dos integrantes da quadrilha morreram baleados, ficando feridos cinco homens, um deles em estado grav\u00edssimo depois que teve os p\u00e9s amputados ap\u00f3s ser atingido por explosivo, quando se aproximou do artefato. Todos foram levados para a [[Santa Casa de Ara\u00e7atuba]]. Dos cinco internados, dois est\u00e3o com [[escolta]] policial, sendo considerados suspeitos de participarem da a\u00e7\u00e3o. O suspeito de integrar a quadrilha morto durante a a\u00e7\u00e3o era integrante do [[Primeiro Comando da Capital]] (PCC).{{Citar web |url=https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/08/31/suspeito-morto-assalto-aracatuba-pcc.htm |titulo=Suspeito de assalto morto em Ara\u00e7atuba era integrante do PCC, diz promotor |data=31/08/2021 |acessodata=2021-09-01 |website=noticias.uol.com.br |lingua=pt-br}}\n\nAp\u00f3s atacarem as ag\u00eancias e trocarem tiros com a Pol\u00edcia Militar, os criminosos fugiram em dire\u00e7\u00e3o ao bairro [[Engenheiro Taveira]], onde tamb\u00e9m roubaram ve\u00edculos de moradores. Os criminosos capturaram moradores, que usaram como [[escudo humano]]. As v\u00edtimas foram amarradas aos tejadilhos e [[Cap\u00f4|cap\u00f4s]] das viaturas, lutando aterrorizadas para n\u00e3o cair, enquanto os assaltantes fugiam. Ve\u00edculos foram queimados em v\u00e1rios pontos do munic\u00edpio e da regi\u00e3o para impedir a chegada da pol\u00edcia, enquanto [[drones]] foram usados durante todo o tempo que durou o ataque para monitorizar as ruas e a a\u00e7\u00e3o da Pol\u00edcia Militar. Os assaltantes espalharam explosivos em v\u00e1rias partes da cidade, e cercaram algumas delegacias de modo a atrasar a chegada de refor\u00e7os. Um dos explosivos foi acionado por um homem que passava de bicicleta, levando \u00e0 amputa\u00e7\u00e3o dos dois p\u00e9s.\n\nMais de 350 policiais civis, militares e federais, com o aux\u00edlio de dois [[Helic\u00f3ptero|helic\u00f3pteros]], tentaram rastrear os criminosos, seguindo as buscas durante toda a tarde do dia 30, localizando em uma mata entre os munic\u00edpios de [[Bilac]] e [[Gabriel Monteiro]] sete carros usados pela quadrilha, entre os quais um ve\u00edculo com vidro do passageiro adaptado para o disparo de tiros. De acordo com a Pol\u00edcia Militar, trata-se de um ve\u00edculo de grande porte, onde os assaltantes ter\u00e3o montado um [[calibre .50]], uma arma de guerra, fixado em um [[trip\u00e9]]. O buraco serviria para colocar o cano da arma para o lado de fora, enquanto esta era operada a partir de dentro do carro, protegidos pela [[blindagem]]. Foram encontradas [[muni\u00e7\u00f5es]] de .50, [[Calibre 7,62 mm|.762]]. e [[Calibre .556|.556]]\". Foi ainda encontrado um \u00f4nibus abandonado com tambores pr\u00f3ximo ao [[Tarifa\u00e7\u00e3o de congestionamento|ped\u00e1gio]] de [[Glic\u00e9rio (S\u00e3o Paulo)|Glic\u00e9rio]], suspeitando-se que o combust\u00edvel tenha sido usado pelos criminosos para atear fogos em ve\u00edculos na [[Rodovia Marechal Rondon]].\n\n== Explosivos ==\nPoliciais do [[Grupo de A\u00e7\u00f5es T\u00e1ticas Especiais (PMESP)|Grupo de A\u00e7\u00f5es T\u00e1ticas Especiais]] (Gate) localizaram 98 [[Explosivo|explosivos]] deixados pela quadrilha nas ruas centrais de Ara\u00e7atuba, nos bancos, nos carros abandonados entre os bairros [[Gabriel Monteiro]] e [[Bilac]], assim como em um caminh\u00e3o deixado pelo grupo perto das ag\u00eancias banc\u00e1rias. 32 artefatos foram achados nas ruas, 29 no caminh\u00e3o abandonado, 18 na ag\u00eancia do [[Banco do Brasil]], 19 em carros abandonados em Bilac. Foram ainda achados 70 [[cartuchos de emuls\u00e3o]]{{Nota de rodap\u00e9|Tamb\u00e9m chamados \"bananas\" de emuls\u00e3o. Material explosivo usado para a produ\u00e7\u00e3o de bombas.}} no caminh\u00e3o. O manejamento dos explosivos foi feito atrav\u00e9s de rob\u00f4. De acordo com a [[Secretaria de Seguran\u00e7a P\u00fablica de S\u00e3o Paulo|Secretaria de Seguran\u00e7a P\u00fablica]] (SSP), equipes do Gate detonaram cem quilos dos explosivos restantes em um [[aterro sanit\u00e1rio]] do bairro \u00c1gua Branca. O uso de uma t\u00e3o grande quantidade de explosivos pode levar a [[Pol\u00edcia Federal do Brasil|Pol\u00edcia Federal]] a investigar o caso como crime de [[terrorismo]].{{Citar web |url=https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2021/08/31/assalto-em-aracatuba-gate-localiza-quase-100-explosivos-espalhados-por-criminosos-que-atacaram-bancos.ghtml |titulo=Assalto em Ara\u00e7atuba: Gate localiza 98 explosivos espalhados por criminosos que atacaram bancos |data=2021-08-31 |acessodata=2021-09-01 |website=G1 |lingua=pt-br}}\n\nO tenente-coronel Valmor Saraiva Racorti, comandante do [[Batalh\u00e3o de Opera\u00e7\u00f5es Especiais de S\u00e3o Paulo]], foi acionado logo ap\u00f3s o ataque, ficando encarregado da coordena\u00e7\u00e3o das a\u00e7\u00f5es de neutraliza\u00e7\u00e3o dos explosivos, e dando in\u00edcio a uma opera\u00e7\u00e3o com deslocamento pela estrada e por aeronave. Um grupo de 35 policiais atuou nessa a\u00e7\u00e3o, sete dos quais especialistas em explosivos. A opera\u00e7\u00e3o teve o apoio de [[atiradores de elite]], garantindo a seguran\u00e7a dos agentes focados na desativa\u00e7\u00e3o de cerca de 100 quilos de detonadores espalhados pela cidade.\n\nNa manh\u00e3 de 31 de agosto, policiais do Gate se reuniram para fazer uma varredura no centro de Ara\u00e7atuba, visando averiguar se se h\u00e1 mais explosivos deixados pelo grupo. O com\u00e9rcio na regi\u00e3o ficou fechado por conta da a\u00e7\u00e3o, tendo as aulas sido igualmente suspensas. O transporte p\u00fablico teve altera\u00e7\u00e3o na rota dos \u00f4nibus, a fim de evitar circula\u00e7\u00e3o de pessoas no centro da cidade. Em 1\u00ba de setembro foram retomadas as aulas da rede p\u00fablica de ensino, assim como a [[Vacina\u00e7\u00e3o contra a COVID-19 no Brasil|vacina\u00e7\u00e3o contra a Covid-19]].\n\nPassadas mais de 24 horas do ataque, policiais militares haviam localizado e desarmado 98 detonadores espalhados por vias p\u00fablicas, ve\u00edculos e uma ag\u00eancia banc\u00e1ria da cidade, sendo encerradas as buscas. Segundo levantamento feito pela [[Associa\u00e7\u00e3o Mato-Grossense para o Fomento e Desenvolvimento da Seguran\u00e7a]], o n\u00famero de explosivos encontrados em Ara\u00e7atuba foi o maior da hist\u00f3ria do pa\u00eds. Segundo o tenente-coronel Luc\u00e9lio Ferreira Martins Faria Fran\u00e7a, presidente da Associa\u00e7\u00e3o, a tecnologia empregada pelos criminosos na instala\u00e7\u00e3o dos artefatos explosivos era sofisticada, com alguns dos [[Detonador|detonadores]] possuindo [[sensor de movimento]] e at\u00e9 [[Telefone celular|celular]] acoplado para acionamento \u00e0 dist\u00e2ncia.\n\nA [[Pol\u00edcia Militar de S\u00e3o Paulo]] afirma que a ocorr\u00eancia teve a maior quantidade de detonadores instalados por criminosos na hist\u00f3ria do estado. O tenente-coronel Saraiva Racorti afirmou-se surpreendido pela ousadia e a tecnologia empregada pelos criminosos, tendo o Batalh\u00e3o encontrado recipientes de metal usados para detona\u00e7\u00e3o de rochas com alto potencial explosivo, assim como explosivos com lanterna de [[LED]] com o objetivo de causar efeito psicol\u00f3gico na popula\u00e7\u00e3o, com possibilidade de acionamento remoto. Segundo o comandante militar, esta foi a maior apreens\u00e3o da hist\u00f3ria da Pol\u00edcia Militar de S\u00e3o Paulo de explosivos instalados por criminosos de a\u00e7\u00f5es catalogadas como 'dom\u00ednio de cidades'.\n\n== Rea\u00e7\u00f5es ==\nO prefeito de Ara\u00e7atuba, [[Dilador Borges]], descreveu o acontecimento como \"uma noite de terror\", manifestando a confian\u00e7a na investiga\u00e7\u00e3o e pedindo \u00e0 popula\u00e7\u00e3o ficasse em casa.{{Citar web |url=https://www.dn.pt/internacional/assaltos-a-bancos-em-cidade-do-estado-de-sao-paulo-fazem-tres-mortos-14073506.html |titulo=Assaltos a bancos em cidade do estado de S\u00e3o Paulo fazem tr\u00eas mortos |data=2021-08-31 |acessodata=2021-09-01 |website=www.dn.pt |lingua=pt}}\n\nO governador de S\u00e3o Paulo, [[Jo\u00e3o Doria]], prometeu a puni\u00e7\u00e3o dos respons\u00e1veis, colocando uma for\u00e7a de 380 policiais em busca da quadrilha.\n\n== Investiga\u00e7\u00e3o ==\n\n[[File:Mega Assalto carros pf.jpg|Parte dos carros utilizados no assalto na sede da Policia Federal|200px|right|thumb]]\nA [[Pol\u00edcia Federal do Brasil|Pol\u00edcia Federal]] assumiu a investiga\u00e7\u00e3o do crime por envolver bancos ligados ao [[Governo Federal do Brasil|Governo Federal]], nomeadamente o [[Banco do Brasil]] e a [[Caixa Econ\u00f4mica Federal]].\n\nA 30 de agosto quatro pessoas haviam sido detidas. Um primeiro suspeito foi ouvido e liberado, e um casal foi preso por suspeita de envolvimento no crime. Na noite de 30 de agosto, um suspeito de envolvimento no ataque foi preso em [[Campinas]], a 450 quil\u00f4metros de dist\u00e2ncia do local do assalto. Segundo a Pol\u00edcia Federal, a deten\u00e7\u00e3o foi levada a cabo por policiais da [[Divis\u00e3o Especializada de Investiga\u00e7\u00f5es Criminais]] (DEIC), sendo o detido encaminhado para a sede da Pol\u00edcia Federal em [[Ara\u00e7atuba]]. \n\nEm 22 de mar\u00e7o de 2022 o integrante da quadrilha respons\u00e1vel por arrombar os cofres das ag\u00eancias foi detido pela pol\u00edcia Federal. O total de presos acusados de integrar o bando perfaz um total de 37 indiv\u00edduos at\u00e9 o momento.{{Citar web |url=https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2022/03/22/policia-federal-deflagra-operacao-contra-quadrilha-que-atacou-agencias-bancarias-em-aracatuba.ghtml |titulo=Pol\u00edcia Federal prende criminoso que operou ma\u00e7arico para romper cofres em assalto a ag\u00eancias banc\u00e1rias em Ara\u00e7atuba |acessodata=2022-03-23 |website=G1 |lingua=pt-br}}\n\nPaulo C\u00e9sar Gabrir, suspeito de financiar em R$ 600 mil o ataque a bancos, foi preso por suposta associa\u00e7\u00e3o criminosa, mas solto logo depois. Em 5 de janeiro de 2024, foi morto ap\u00f3s uma troca de tiros com a Pol\u00edcia Militar de Goi\u00e1s.{{Citar web |url=https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2024/01/05/suspeito-de-financiar-mega-assalto-em-aracatuba-e-morto-a-tiros-em-go.htm |titulo=Suspeito de financiar mega-assalto em Ara\u00e7atuba \u00e9 morto a tiros em GO |acessodata=2024-01-05 |website=UOL |lingua=pt-br}}\n\n{{Notas e refer\u00eancias}}\n{{Portal3|S\u00e3o Paulo|Crime}}\n\n[[Categoria:Assaltos no Brasil]]\n[[Categoria:Ara\u00e7atuba]]"}]}}}}