/blog/como abrir uma loja online/

 (11) 3340.6655     (11) 95636.4873     contato@pigatti.com.br      Cliente      Processos   
    
  


Já tenho loja física: como abrir uma loja online?
escrito em 20 de abril de 2020

Pessoas que alcançam o sucesso com negócios digitais já não são raridade. Hoje em dia, ter aversão contra o empreendedorismo nesse novo formato pode ser um verdadeiro tiro no pé. Até mesmo para os proprietários de lojas físicas saber como abrir uma loja online é essencial para o momento em que estamos vivendo.

 

A forma como consumimos tem mudado a cada dia. Há alguns anos nossas compras pela internet se baseavam em produtos imperecíveis e de tempo longo de vida – como eletrônicos ou livros, por exemplo. Hoje, no entanto, até mesmo coisas usuais como produtos de mercearia já podem ser adquiridos pelo smartphone. Uma combinação de teclas, e pronto, pedido recebido no conforto de casa.

 

Por que cogitar abrir uma loja online?

Segundo o Ecommerce Brasil, 64% dos internautas brasileiros preferem comprar online. Some a isso o fato de que somos a nação que passa mais tempo conectada de todo o mundo. Mais da metade de toda a nossa população passa o dia inteiro conectado. Portanto, se há público, há cliente. E o meio digital permite ainda mais possibilidades de marketing do que geralmente uma loja física é capaz de proporcionar. Inovação e experiência de compra são alguns itens que acabam pesando muito na opinião dos compradores também.

 

Além disso, as vantagens de abrir uma loja online dizem muito sobre o financeiro do negócio. Alguns custos inerentes à um espaço físico como aluguel, luz, telefone e IPTU não incidem da mesma forma em ambiente digital. Para quem já tem uma loja física rentável, o ideal de início é unir ambos os formatos, permitindo ganhos tanto on quanto offline. Ainda assim, embora demande uma estrutura menos robusta que a loja física, também é preciso se atentar à alguns requisitos mínimos para começar.

 

Os primeiros passos

A contabilidade da sua loja física também é especializada em loja online? A área financeira e fiscal sabem lidar com essa modalidade de negócios? Embora em ambos os casos vender seja a atividade-fim, o ambiente digital tem particularidades distintas. Se atentado à esse planejamento prévio, vale reforçar ainda um checklist básico de passos para levar sua empresa para o mundo online:

 

  • Estrutura física

No mínimo, sua loja online precisa de um espaço que permita o estoque seguro e correto dos produtos.

 

  • Estrutura operacional

Talvez, logo no início, não seja necessário investir na contratação de novos funcionários. Mas com o tempo e o aumento da demanda você pode precisar de empacotadores, entregadores, além de atendentes ou responsáveis pela logística, por exemplo. Dependendo de cada caso, pode ser necessário realocar funções, vale analisar esse ponto coma atenção.

 

  • Calcule custos

Entrega, frete e devolução têm custos. No planejamento, é preciso pesquisar todos esses valores e adiantar uma previsão do que pode ser gasto mais adiante.

 

  • Marketing e Comunicação

Já falamos sobre as possibilidades do marketing digital. Esse tópico, no entanto, envolve a comunicação como um todo. Esse é um critério indispensável no planejamento de uma loja online. Aqui, conteúdo e design, além da presença constante nas redes sociais faz toda a diferença.

 

Devo fechar minha loja física e ficar só com a loja online?

Acreditamos que o sucesso de uma está diretamente ligado ao da outra. Temos diversos exemplos de lojas físicas que só aumentaram seu sucesso constituindo a sua rede online.

 

Na nossa opinião você não deve fechar sua loja física. Mantenha sua loja aberta, e se aproveite dos benefícios de ter as duas. Uma completa a outra.

 

Por onde começar

Feito o planejamento, é hora de escolher o seu “terreno”. Hoje em dia há muitas plataformas que permitem abrir uma loja online e já contam com estrutura para isso. No entanto, outros formatos como loja pelo Instagram, site próprio ou vender em marketplace, por exemplo, pode funcionar melhor em cada caso. Vale avaliar com um especialista o que funciona melhor para o seu negócio e ramo.

 

Aqui na Pigatti, os ecommerces são uma das nossas especialidades. Com mais de 60 anos de experiência no mercado, sabemos que o planejamento e o investimento em logística e marketing são peças fundamentais para os negócios online. Atuamos no Departamento Pessoal, Contábil e Fiscal. Além disso, oferecemos tributação específica para comércio eletrônico definida pela atividade principal e pelo tipo do produto e sistema de gestão integrada.

 

Quer saber mais como abrir uma loja online bem sustentada? Entre em contato conosco!


voltar
{"continue":{"imcontinue":"1335546|Flag_of_Brazil.svg","grncontinue":"0.065654895358|0.065654895358|0|0","continue":"grncontinue||revisions"},"warnings":{"main":{"*":"Subscribe to the mediawiki-api-announce mailing list at for notice of API deprecations and breaking changes. Use [[Special:ApiFeatureUsage]] to see usage of deprecated features by your application."},"revisions":{"*":"Because \"rvslots\" was not specified, a legacy format has been used for the output. This format is deprecated, and in the future the new format will always be used."}},"query":{"pages":{"57905":{"pageid":57905,"ns":0,"title":"Geografia f\u00edsica","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{portal|Portal=[[Portal:Geografia|Portal de Geografia]]}}\n'''Geografia f\u00edsica''' ou '''fisiografia''' \u00e9 o estudo das caracter\u00edsticas naturais existentes na [[superf\u00edcie terrestre]], ou seja, o estudo das condi\u00e7\u00f5es da natureza ou paisagem natural da [[Terra]]. \n\nA superf\u00edcie da Terra \u00e9 irregular e varia de um lugar para outro em fun\u00e7\u00e3o da inter-rela\u00e7\u00e3o din\u00e2mica entre os fatores entre si e geogr\u00e1fica em conjunto com outros fatores. A manifesta\u00e7\u00e3o local deste produto din\u00e2mica \u00e9 conhecida como [[paisagem]], que \u00e9 em Geografia um fen\u00f4meno de interesse particular, mesmo considera por muitos a ser o objeto de estudo da geografia (Otto Schl\u00fcter, Siegfried Passarge, Leo Waibel, Jean Brunes, Carl Sauer, entre outros). \n[[Ficheiro:Physical Map Legend bn.jpg|miniaturadaimagem|421x421px]]\nUma das teorias cl\u00e1ssicas para explica\u00e7\u00e3o da evolu\u00e7\u00e3o da paisagem como produto da din\u00e2mica da superf\u00edcie terrestre, \u00e9 denominada teoria do ciclo geogr\u00e1fico (DAVIS, 1899){{Citar peri\u00f3dico|primeiro=W.M.|ultimo=DAVIS|titulo=The geographical cycle|jornal=The Geographical Journal.|volume=14(5)|data=Nov 1899|paginas=481\u2013504|url=http://www.ugb.org.br/final/normal/artigos/classicos/Davis_1899.pdf}}. O ciclo geogr\u00e1fico come\u00e7a com o soerguimento do relevo, de propor\u00e7\u00f5es continentais, atrav\u00e9s de processos geol\u00f3gicos (epirog\u00eanese, vulcanismo, orog\u00eanese, etc.). A partir disso, os rios e o escoamento superficial come\u00e7am a criar vales com a forma de V entre as montanhas (a fase chamada \"juventude\"). Durante esta primeira etapa, o terreno \u00e9 mais \u00edngreme e mais irregular. Ao longo do tempo, as correntes podem esculpir vales mais amplos (\"maturidade\"). Por fim, tudo se tornaria uma plan\u00edcie (senilidade) nivelada \u00e0 menor altitude poss\u00edvel (chamada de \"n\u00edvel do base\") Esta plan\u00edcie final foi chamada peneplan\u00edcie por [[William Morris Davis]], que significa \"quase plana\".\n\nContudo, o reconhecimento da [[Tect\u00f3nica de placas]] na d\u00e9cada de 1950, e da neotect\u00f4nica em \u00e1reas plataformais, subsidiou novas interpreta\u00e7\u00f5es acerca da evolu\u00e7\u00e3o das paisagens, como o princ\u00edpio do equil\u00edbrio din\u00e2mico para explica\u00e7\u00e3o das formas de relevo.{{citar peri\u00f3dico|ultimo=HACK|primeiro=J. T.|data=1975|titulo=Dynamic Equilibrium and Landscape Evolution|url=http://geomorphology.sese.asu.edu/Papers/Hack_1975.pdf|jornal=Theories of landform development|paginas=91-102|acessodata=10-06-2019}} Segundo este princ\u00edpio, a superf\u00edcie pode ser modelada indefinidamente sem que haja um arrasamento do relevo e forma\u00e7\u00e3o de peneplan\u00edcies. Isto se daria em fun\u00e7\u00e3o da compensa\u00e7\u00e3o isost\u00e1tica, sendo as formas de relevo resultantes da intera\u00e7\u00e3o entre os tipos de rocha e os climas atuantes. \n\nEsses processos permitem o tr\u00e2nsito al\u00edvio por diferentes fases. Os fatores de estos processos podem ser classificados em quatro grupos: \n\n* Fatores Geogr\u00e1ficos: a paisagem \u00e9 afetada tanto pela fatores bi\u00f3ticos e abi\u00f3ticos, que s\u00e3o considerados geogr\u00e1ficos s\u00f3 fatores abi\u00f3ticos de origem ex\u00f3gena, tais como [[relevo]], [[solo]], [[clima]] e corpos d'\u00e1gua. O clima, com elementos como [[press\u00e3o]], [[temperatura]], [[ventos]]. \u00c1gua de superf\u00edcie com a a\u00e7\u00e3o do escoamento, o rio e a a\u00e7\u00e3o do mar. O gelo glacial com modelagem, entre outros. Esses s\u00e3o fatores que ajudam a modelo favorecendo processos de eros\u00e3o.\n* Fatores Bi\u00f3ticos: O efeito de fatores bi\u00f3ticos no al\u00edvio geral, se op\u00f5em ao processo de modelagem, especialmente considerando a [[vegeta\u00e7\u00e3o]], no entanto, existem poucos animais que n\u00e3o trabalham com o processo erosivo, como cabras.\n* Fatores Geol\u00f3gicos: como placas tect\u00f4nicas, o diastrofismo, a orogenia e vulcanismo s\u00e3o processos construtivos e de origem end\u00f3gena que se op\u00f5em e interromper o modelagem do ciclo geogr\u00e1fico.\n* Factores Humanos: As atividades humanas sobre o relevo \u00e9 muito vari\u00e1vel, dependendo da atividade desenvolvida neste contexto e como muitas vezes acontece com os homens \u00e9 muito dif\u00edcil generalizar e podem influenciar a favor ou contra a eros\u00e3o.\n\nEmbora os v\u00e1rios fatores que influenciam a superf\u00edcie da Terra est\u00e3o inclu\u00eddos na din\u00e2mica do ciclo geogr\u00e1fico, fatores geogr\u00e1ficos s\u00f3 contribuem para o ciclo de desenvolvimento e seu objetivo final, o peneplano. Enquanto o resto dos fatores (biol\u00f3gicos, geol\u00f3gicos e sociais) interromper ou perturbar o ciclo de desenvolvimento normal.\n\n== Ramos ==\nA ci\u00eancia da Geografia f\u00edsica estuda um componente espec\u00edfico do campo o inter-rela\u00e7\u00f5es entre fatores geogr\u00e1ficos. S\u00e3o muitos os ramos que o incluem e entre eles est\u00e3o os mais importantes que s\u00e3o: \n\n[[Ficheiro:Delicate Arch LaSalle.jpg|thumb|right|100px|Um [[arco natural]].]]\n\n* '''[[Geomorfologia]]''' \u00e9 a ci\u00eancia voltada para o entendimento da [[litosfera|superf\u00edcie]] da Terra e os processos pelos quais ela \u00e9 formada, tanto no presente como no passado. A Geomorfologia como um campo possui v\u00e1rios subcampos que lidam com formas de relevo espec\u00edficas de v\u00e1rios ambientes, como geomorfologia de [[deserto]] e a [[fluvial]], entretanto, esses subcampos s\u00e3o unidos pelos processos principais que os causam; em sua maioria, processos tect\u00f4nicos ou clim\u00e1ticos. A Geomorfologia pretende entender a hist\u00f3ria e a din\u00e2mica dos [[acidente geogr\u00e1fico|acidentes geogr\u00e1ficos]], e predizer as mudan\u00e7as futuras atrav\u00e9s da observa\u00e7\u00e3o de campo, experimentos f\u00edsicos, e modelagem num\u00e9rica ([[Geomorfometria]]). Estudos recentes em geomorfologia s\u00e3o a funda\u00e7\u00e3o da [[pedologia]], um dos dois principais ramos da [[ci\u00eancia do solo]].\n\n[[Ficheiro:Meander-en.svg|thumb|right|100px|Forma\u00e7\u00e3o de [[meandro]].]]\n\n* '''[[Hidrologia]]''' estuda predominantemente a quantidade e qualidade da \u00e1gua em movimento e se acumulando na superf\u00edcie da terra e no solo e rochas pr\u00f3ximas da superf\u00edcie da \u00e1gua, e \u00e9 tipificada pelo [[ciclo hidrol\u00f3gico]]. Assim esse campo encompassa \u00e1gua dos [[rio]]s, [[lago]]s, [[aqu\u00edfero]]s e, at\u00e9 certo ponto, [[geleira]]s, no qual o campo examina os processos e din\u00e2micas envolvendo esses corpos d'\u00e1gua. A hidrologia tem historicamente uma importante conex\u00e3o com a [[engenharia]] e com isso tem desenvolvido v\u00e1rios m\u00e9todos quantitativos em sua pesquisa; entretanto, tamb\u00e9m possui um . Similar a maioria dos campos da geografia f\u00edsica, ela tem subcampos que examinam corpos de \u00e1gua espec\u00edficos ou sua intera\u00e7\u00e3o com outras esferas, como [[limnologia]] e [[potamologia]].\n\n[[Ficheiro:Grosser Aletschgletscher 3178.JPG|thumb|right|100px|Geleira alpina.]]\n\n* '''[[Glaciologia]]''' \u00e9 o estudo das [[geleira]]s e [[Manto de gelo|mantos de gelo]], ou mais comumente, [[criosfera]] ou [[gelo]] e os fen\u00f4menos que envolvem o gelo. A glaciologia agrupa os mantos de gelo como geleiras continentais, e as geleiras como geleiras alpinas. Apesar das pesquisas nas duas \u00e1reas serem similares com pesquisas sendo realizadas tanto na din\u00e2mica dos mantos como nas geleiras, a pesquisa com os mantos tende a se preocupar mais com a intera\u00e7\u00e3o dos mantos com o clima, e a pesquisa com as geleiras com o impacto da geleira no relevo. A glaciologia tamb\u00e9m possui um vasto n\u00famero de subcampos examinando fatores e processos envolvimento mantos de gelo e geleiras, como hidrologia da [[neve]] e [[geologia glacial]].\n\n[[Ficheiro:L\u00ednea de Wallace.jpg|thumb|right|100px|[[Linha de Wallace]].]]\n\n* '''[[Biogeografia]]''' \u00e9 a ci\u00eancia que lida com os padr\u00f5es geogr\u00e1ficos da distribui\u00e7\u00e3o das esp\u00e9cies e os processos que resultam nesses padr\u00f5es. O principal est\u00edmulo para o campo desde a sua funda\u00e7\u00e3o tem sido a [[evolu\u00e7\u00e3o]], [[placa tect\u00f4nica|placas tect\u00f4nicas]] e a teoria da biogeografia insular. O campo pode ser amplamente dividido em 4 subcampos: [[biogeografia insular]], [[paleobiogeografia]], [[filogeografia]], [[zoogeografia]] (animais) e [[fitogeografia]] (vegetais).\n\n[[Ficheiro:Phanerozoic Climate Change.png|thumb|right|100px|Tend\u00eancias clim\u00e1ticas.]]\n\n* '''[[Climatologia]]''' \u00e9 o estudo do [[clima]], cientificamente definido como a m\u00e9dia das condi\u00e7\u00f5es clim\u00e1ticas de um longo per\u00edodo de tempo. Ela se difere da [[meteorologia]], que estuda os processos atmosf\u00e9ricos de curta dura\u00e7\u00e3o, que s\u00e3o ent\u00e3o examinados pelos climatologistas para encontrar tend\u00eancias e frequ\u00eancias em padr\u00f5es / fen\u00f4micos clim\u00e1ticos. A climatologia examina tanto a natureza do clima micro (local) e macro (global) e as influ\u00eancias naturais e [[antropog\u00eanica]]s sobre ele. O campo \u00e9 tamb\u00e9m subdividido largamente em climas de v\u00e1rios regi\u00f5es e o estudo de fen\u00f4menos espec\u00edficos ou de per\u00edodos de tempo, como [[climatologia de chuvas de ciclones tropicais]] e [[climatologia urbana]].\n\n[[Ficheiro:Nitrogen Cycle.jpg|thumb|right|100px|[[Ciclo do nitrog\u00eanio]].]]\n\n* '''[[Pedologia]]''' \u00e9 o estudo do solo em seu ambiente natural. \u00c9 um dos dois principais ramos da [[ci\u00eancia do solo]], o outro sendo a [[edafologia]]. A pedologia lida principalmente com [[pedog\u00eanese]], [[morfologia do solo]], e [[classifica\u00e7\u00e3o do solo]]. Na geografia f\u00edsica, a pedologia \u00e9 amplamente estudada por causa das numerosas intera\u00e7\u00f5es entre o clima (\u00e1gua, ar, temperatura), vida no solo (micro-organismos, planta, animal), materiais minerais sob o solo ([[ciclo biogeoqu\u00edmico|ciclos biogeoqu\u00edmicos]]) e sua posi\u00e7\u00e3o e efeito no relevo como a [[Floresta tropical#Caracter\u00edsticas|lateriza\u00e7\u00e3o]].\n\n* '''[[Paleogeografia]]''' investiga e reconstr\u00f3i a geografia do passado e sua evolu\u00e7\u00e3o atrav\u00e9s do exame do material preservado em registros estratogr\u00e1ficos, paleosolos, accidentes geograficos relictos, fosiles, etc. De grande import\u00e2ncia para o resto da geografia f\u00edsica que serve para entender melhor a din\u00e2mica atual da geografia do nosso planeta. O uso desses dados tem resultado em evid\u00eancias de [[deriva continental]], [[placa tect\u00f4nica|placas tect\u00f4nicas]] e [[super continente]]s, que por sua vez t\u00eam suportado teorias paleogeogr\u00e1ficas como o [[ciclo geografico]].O campo pode ser amplamente dividido em 4 subcampos: [[paleoclimatologia]], [[paleobiogeografia]], [[paleohidrologia]] e [[paleopedologia]].\n\n* '''[[Orografia]]'''. Parte da geografia f\u00edsica que trata da descri\u00e7\u00e3o e estudo das montanhas.\n\n* '''[[Geografia litor\u00e2nea]]'''. \u00c9 dedicado ao estudo da din\u00e2mica das paisagens costeiras.\n\n* A '''[[geografia astron\u00f4mica]]''' ou areografia \u00e9 o estudo da superf\u00edcie de planetas s\u00f3lidos como V\u00eanus, Marte e Merc\u00fario. Tamb\u00e9m \u00e9 o estudo dos sat\u00e9lites que certos planetas possuem, caso da Lua de nossa Terra. Ainda s\u00e3o estudos incipientes devido a falta, ou poucos dados que se tem sobre os planetas e sat\u00e9lites do Sistema Solar.\n\n* O estudo dos '''[[riscos naturais]]''', e que, embora o n\u00famero de cat\u00e1strofes naturais ultrapassam 7.000000,000 segundo o IBGE 2025, tem aumentado o n\u00famero de pessoas que eles afetam. \u00c9 uma quest\u00e3o que tamb\u00e9m aborda a [[geografia humana]].\n\nEm cada pa\u00eds, a Geografia F\u00edsica pode possuir disciplinas peculiares assim como suas pr\u00f3prias abordagens. Na Europa, por exemplo, h\u00e1 uma preocupa\u00e7\u00e3o maior com \u00e1reas da Glaciologia, de fundamental import\u00e2ncia da escultura\u00e7\u00e3o de relevos modernos. No R\u00fassia e Canad\u00e1 emergiu '''geocriologia''', dedicado ao estudo do permafrost. Por sua vez, nos pa\u00edses do hemisf\u00e9rio sul, principalmente nos de clima tropical, a Pedologia e estudos de altera\u00e7\u00f5es qu\u00edmicas em rochas v\u00eam ganhando grande import\u00e2ncia, sendo as abordagens sobre o Quarten\u00e1rio bem menos avan\u00e7adas (por\u00e9m, agora progredindo bastante) se em compara\u00e7\u00e3o com os [[Estados Unidos]] ou a [[Europa]].\n\nH\u00e1, por\u00e9m, cada vez mais uma preocupa\u00e7\u00e3o em acoplar \u00e0 an\u00e1lise puramente \"f\u00edsica\" a influ\u00eancia humana no substrato f\u00edsico; de fato, vale dizer que o [[Homo sapiens|ser humano]], \u00e9 hoje o grande agente transformador da superf\u00edcie terrestre.\n\n==Hist\u00f3ria ==\n\nDesde o nascimento da geografia e ci\u00eancias durante o per\u00edodo grego cl\u00e1ssico e at\u00e9 o final do s\u00e9culo XIX com o nascimento de antropogeografia ou geografia humana, a geografia era quase exclusivamente uma ci\u00eancia natural: o estudo de localiza\u00e7\u00e3o e gazetteer descritivo de todos os lugares do mundo conhecido. Diversas obras entre as mais conhecidas durante este longo per\u00edodo pode ser citado como um exemplo, de [[Estrab\u00e3o]] (Geografia), Erat\u00f3stenes (Geografia) ou periegetes Dionisio (Periegesis Oiceumene) na Idade Antiga at\u00e9 a [[Alexander von Humboldt]] (Cosmos), no s\u00e9culo XIX, em que a geografia \u00e9 considerada como uma das ci\u00eancias f\u00edsicas e naturais, \u00e9 claro, atrav\u00e9s da obra Summa de Geograf\u00eda de Martin Fernandez de Enciso ([9]) a partir do in\u00edcio do s\u00e9culo XVI, que \u00e9 indicado pela primeira vez Novo Mundo.\n\nEntre os s\u00e9culos XVIII e XIX, uma controv\u00e9rsia feito de [[Geologia]], entre os apoiantes de [[James Hutton]] Tese (uniformitarianismo) e Georges Cuvier (catastrofismo) influenciou fortemente o campo da geografia como a geografia neste momento era uma ci\u00eancia natural porque a Geografia Humana Antropograf\u00eda ou s\u00f3 veio a desenvolver no final do s\u00e9culo XIX.\n\nDois processos desenvolvidos durante o s\u00e9culo XIX tinham uma grande import\u00e2ncia no desenvolvimento da geografia f\u00edsica: o primeiro \u00e9 o imperialismo colonial europeu na [[\u00c1sia]], [[\u00c1frica]], [[Austr\u00e1lia]] e mesmo da [[Am\u00e9rica]] em busca de mat\u00e9rias-primas necess\u00e1rias pela [[Revolu\u00e7\u00e3o Industrial]] que ajudou a criar e investiu nos departamentos de geografia das universidades das pot\u00eancias coloniais e do nascimento e desenvolvimento das sociedades nacionais geogr\u00e1fica, dando origem ao processo identificado por Horacio Capel como a institucionaliza\u00e7\u00e3o da geografia. [10 ] Um dos imp\u00e9rios mais prol\u00edfico nesse sentido foi o russo. A meados do s\u00e9culo d\u00e9cimo oitavo ge\u00f3grafos muitos s\u00e3o enviados pelos altamirazgo russo oportunidades diferentes para realizar pesquisas geogr\u00e1fica na \u00e1rea do \u00c1rtico da [[Sib\u00e9ria]]. Entre estes \u00e9 que \u00e9 considerado o patriarca da geografia russo: [[Mikhail Lomonosov]], que nos meados de 1750 come\u00e7ou a trabalhar no Departamento de Geografia, da Academia de Ci\u00eancias para realizar pesquisas na Sib\u00e9ria, suas contribui\u00e7\u00f5es s\u00e3o not\u00e1veis a este respeito, mostra a origem org\u00e2nica do [[solo]], desenvolve uma lei abrangente sobre o movimento do gelo que ainda governa o b\u00e1sico, fundando assim um novo ramo geogr\u00e1fico: a [[Glaciologia]]. Em 1755 sua iniciativa foi fundada Universidade de [[Moscou]], onde promove o estudo da geografia e da forma\u00e7\u00e3o dos ge\u00f3grafos. Em 1758 foi nomeado diretor do Departamento de Geografia, da Academia das Ci\u00eancias, cargo do qual se desenvolver\u00e1 uma metodologia de trabalho para a pesquisa geogr\u00e1fica orientada por mais importantes expedi\u00e7\u00f5es longas e estudos geogr\u00e1ficos na R\u00fassia. Assim, seguiu a linha de Lomonosov e as contribui\u00e7\u00f5es da escola russa se tornou mais freq\u00fcente com seus disc\u00edpulos, no s\u00e9culo XIX, temos grandes ge\u00f3grafos como [[Vasily Dokuchaev]] que executou obras de grande import\u00e2ncia como um \"princ\u00edpio da an\u00e1lise global do territ\u00f3rio\" e \"os Chernozem russos\" ser o mais importante, onde as introduz o conceito de solo, como distinto de um simples estratos geol\u00f3gicos e, portanto, fundar uma nova \u00e1rea geogr\u00e1fica de estudo: a [[Pedologia]]. O clima tamb\u00e9m receber\u00e1 um forte impulso a partir da escola russa por [[Wladimir K\u00f6ppen]], cuja contribui\u00e7\u00e3o principal, a classifica\u00e7\u00e3o do clima, ainda hoje \u00e9 v\u00e1lido. No entanto, este grande ge\u00f3grafo tamb\u00e9m contribuiu para o Paleogeografia atrav\u00e9s de seu trabalho \"Os climas do passado geol\u00f3gico\", que \u00e9 considerado o pai da [[Paleoclimatologia]]. Ge\u00f3grafos russo que fez grandes contribui\u00e7\u00f5es para a disciplina neste per\u00edodo foram: [[NM Sibirtsev]], [[Pyotr Semyonov]], [[K. D. Glinka]], [[Neustrayev]], entre outros. O segundo processo importante \u00e9 a teoria da evolu\u00e7\u00e3o de [[Darwin]] em meados do s\u00e9culo (o que influenciou decisivamente a obra de [[Ratzel]], que teve forma\u00e7\u00e3o acad\u00eamica como um zo\u00f3logo e foi um seguidor das id\u00e9ias de Darwin), que significou um importante impulso no desenvolvimento da [[biogeografia]].\n\nOutro grande evento no final do s\u00e9culo XIX e in\u00edcio do s\u00e9culo XX, dar\u00e1 um grande impulso para o desenvolvimento da geografia e ter\u00e1 lugar na Am\u00e9rica. \u00c9 o trabalho do famoso ge\u00f3grafo [[William Morris Davis]], que n\u00e3o s\u00f3 fez contribui\u00e7\u00f5es importantes para a cria\u00e7\u00e3o de disciplina de seu pa\u00eds, mas revolucionou o campo para desenvolver a teoria do [[ciclo geogr\u00e1fico]] que ele prop\u00f4s como um paradigma para a geografia em geral, embora em na verdade, serviu de paradigma para a geografia f\u00edsica. Sua teoria explicou que as montanhas e outros acidentes geogr\u00e1ficos s\u00e3o moldadas pela influ\u00eancia de uma s\u00e9rie de fatores que se manifestam no ciclo geogr\u00e1fico. Ele explicou que o ciclo come\u00e7a com o levantamento do relevo atrav\u00e9s de processos geol\u00f3gicos (falhas, vulcanismo, convuls\u00e3o tect\u00f3nica, etc). Fatores geogr\u00e1ficos tais como rios e escoamento come\u00e7a a criar a V-shaped vales entre as montanhas (a fase chamada \"juventude\"). Durante esta primeira etapa, o terreno \u00e9 mais \u00edngreme e mais irregular. Ao longo do tempo, as correntes podem esculpir vales mais amplo ( \"maturidade\") e depois come\u00e7ar a vento, montanhas altas apenas (senesc\u00eancia \"). Por fim, tudo vem para o que \u00e9 uma plan\u00edcie plan\u00edcie ao menor altitude poss\u00edvel (chamado de \"base\") Esta plan\u00edcie foi chamado pelo significado Davis ' \"peneplanicie\" quase uma plan\u00edcie \"Ent\u00e3o o rejuvenescimento\" ocorre e n\u00e3o h\u00e1 outro elevador montanha eo ciclo continua. Embora a teoria de Davis n\u00e3o \u00e9 inteiramente precisa, era absolutamente revolucion\u00e1rio e \u00fanico no seu tempo e ajudou a modernizar e criar subcampo da geografia da geomorfologia. Suas implica\u00e7\u00f5es solicitado uma infinidade de pesquisas em v\u00e1rios ramos da geografia f\u00edsica. No caso da paleogeografia esta teoria forneceu um modelo para a compreens\u00e3o da evolu\u00e7\u00e3o da paisagem. Para hidrologia, glaciologia e climatologia como um impulso investigados como estudar os fatores geogr\u00e1ficos moldar a paisagem e afectam o ciclo. A maior parte do trabalho de William Morris Davis, levou ao desenvolvimento de um novo ramo da geografia f\u00edsica: geomorfologia cujos conte\u00fados at\u00e9 ent\u00e3o n\u00e3o foi diferente do resto da geografia. Pouco depois deste ramo iria apresentar um grande desenvolvimento. Alguns de seus disc\u00edpulos fizeram contribui\u00e7\u00f5es significativas para v\u00e1rios ramos da geografia f\u00edsica, tais como [[Curtis Marbut]] e seu legado inestim\u00e1vel para pedologia,[[Mark Jefferson]], [[Isaiah Bowman]], entre outros\n\nEsta \u00e1rea da Geografia estuda os seguintes campos\n*'''[[Clima]]''': [[Clima \u00e1rido]], [[Clima polar]], [[Clima semi-\u00e1rido]], [[Clima subtropical]], [[Clima tropical]], [[Clima tropical \u00famido]] e [[mudan\u00e7as clim\u00e1ticas]] atuais ou pret\u00e9ritas.\n*'''[[Vegeta\u00e7\u00e3o]]''' ([[bioma]]s): [[Floresta tropical]], [[Taiga]], [[Deserto]], [[Estepe]], [[Savana]] [[Cerrados]], [[Caatinga]] etc... Sempre considerando-se o solo e o clima como fatores de influ\u00eancia fundamentais.\n*'''[[Relevo]]''' (e [[Topografia]]): [[Planalto]], [[Serra]], [[Depress\u00e3o (geografia)|Depress\u00e3o]], [[Plan\u00edcie]], [[Praias]] e [[Ambientes de transi\u00e7\u00e3o]] Terra-Mar, dentre outras taxonomias, assim como todos asp\u00e9ctos de g\u00eanese, din\u00e2mica e cronologia destes relevos. (consultar [[Geomorfologia]])\n*'''[[Hidrografia]]''': [[:Categoria:Oceanos|Oceanos]], [[:Categoria:Mares|Mares]], [[:Categoria:Rios|Rios]], [[:Categoria:Lagos|Lagos]], [[:Categoria:Albufeiras|Albufeiras]], [[:Categoria:Golfos e Ba\u00edas|Golfos e Ba\u00edas]], [[:Categoria:Bacias hidrogr\u00e1ficas|Bacias hidrogr\u00e1ficas]], [[:Categoria:Cataratas|Cataratas]].\n*'''[[Regi\u00e3o|Regi\u00f5es]]''': [[Continente]]s, [[Ilha]]s, [[Oceano]]s e [[Mar]]es.\n*'''[[Climatologia]]'''\n*'''[[Pedologia]]''': [[Solos]]\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n{{T\u00f3picos de geografia}}\n\n{{portal3|Geografia}}\n\n[[Categoria:Geografia f\u00edsica| ]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Delicate Arch LaSalle.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Grosser Aletschgletscher 3178.JPG"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:L\u00ednea de Wallace.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Meander-en.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Nitrogen Cycle.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Phanerozoic Climate Change.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Physical Map Legend bn.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Portal.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Sciences de la terre.svg"}]},"3954085":{"pageid":3954085,"ns":0,"title":"Culin\u00e1ria da Bielorr\u00fassia","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"[[File:Cepelinai 1, Vilnius, Lithuania - Diliff.jpg|right|thumb|240px|O [[Cepelinai]], um prato a base de [[batata]]s.]]\nA '''[[culin\u00e1ria]] da [[Bielorr\u00fassia]]''' baseia-se nos [[vegetais]] e [[cereais]] t\u00edpicos da regi\u00e3o, tais como a [[batata]], a [[beterraba]], [[cogumelo]]s, [[baga]]s, [[cevada]] e [[centeio]], acompanhados por [[carne]] de [[porco]], em v\u00e1rias prepara\u00e7\u00f5es (como as [[salsicha]]s, ou ''kolbasy''), de [[vaca]], [[galinha]], [[peixe]]s de [[\u00e1gua doce]] (como a [[truta]], [[perca]] e [[carpa]]) e ainda por [[leite]] e seus derivados (o ''tvorog'', ou [[queijo-fresco]], a ''smetana'', ou [[nata]]-azeda, e o [[queijo]] fermentado, ou ''siyr''). [http://www.belarus.by/en/about-belarus/cuisine Culin\u00e1ria da Bielorr\u00fassia na p\u00e1gina oficial da Rep\u00fablica da Bieolorr\u00fassia]\n\nAs batatas merecem uma men\u00e7\u00e3o especial, uma vez que s\u00e3o a base de v\u00e1rios pratos da [[cozinha]] bielorrussa. Uma prepara\u00e7\u00e3o que \u00e9 por vezes considerada o prato nacional da Bielorr\u00fassia \u00e9 a [[draniki]], uma esp\u00e9cie de patanisca de batata, em que este ingrediente, em [[pur\u00e9]] ou grosseiramente ralado, \u00e9 misturado com [[farinha]] de [[trigo]] e [[ovos]], temperado e frito, por vezes com [[recheio]]s variados. [http://www.nationaldish.org/364/belarus-national-dish/ Receitas de draniki no site NationalDish.org] Outros pratos \u00e0 base de batata incluem v\u00e1rios tipos de [[pastel|pasteis]], geralmente recheados e fritos ou cozidos, e a [[babka-de-batata]], uma esp\u00e9cie de pudim feito com pur\u00e9 de batata, ovos, [[cebola]] e [[bacon]], geralmente assado no forno (o significado de \u201cbabka\u201d \u00e9 \u201c[[bolo]]\u201d e \u00e9 nesta acep\u00e7\u00e3o que \u00e9 usada nos pa\u00edses vizinhos). [http://kenhef.tripod.com/PotatoBabka.htm Receita de babka-de-batata]\n\nOs pratos de carne s\u00e3o normalmente servidos com batatas \u043eu vegetais, como [[cenoura]], [[repolho]], [[r\u00e1bano]], [[ervilha]]s ou outros. Tamb\u00e9m \u00e9 caracter\u00edstico que muitos pratos de vegetais e carne s\u00e3o preparados em lou\u00e7a de barro tradicional. [http://www.triposo.com/loc/Belarus Informa\u00e7\u00e3o sobre a Bielorr\u00fassia no site triposo.com]\n\n[[File:Blini in der Tadshikischen Teestube im Kunsthof.jpg|thumb|right|240px|[[Blini]]s]]\nPara al\u00e9m das batatas, os bielorrussos adotaram v\u00e1rias prepara\u00e7\u00f5es baseadas em farinhas de cereais, para al\u00e9m do p\u00e3o que, tradicionalmente era de centeio maltado, como as [[blini]] ([[panqueca]]s de massa levedada), cuja massa pode ser simples ou misturada com batata, [[ma\u00e7\u00e3]] ou queijo; outro caso \u00e9 a [[lazanki]], ou \u201clasanha bielorrussa\u201d, e os [[kalduni]], aparentados com os [[pelmeni]] russos. [[Zacirka]] \u00e9 uma esp\u00e9cie de massa aliment\u00edcia t\u00edpica deste pa\u00eds e muito apreciada com leite ou toucinho salgado. \n\n== Pratos populares na Bielorr\u00fassia==\n* [[Machanka]] \u2013 um prato em que come\u00e7a por se fritar carne de porco, depois se deixa estufar com [[caldo]] de carne e finalmente se mistura com um creme de farinha com nata azeda e se coloca no [[forno]] a terminar a [[cozedura]];\n* Galinha recheada;\n* [[Zrazy]] \u2013 pasteis de carne de vaca recheados (diferentes da zrazy polaca); tamb\u00e9m existe uma receita de zrazy-de-batata, muito parecida com algumas de draniki; [http://www.celtnet.org.uk/recipes/miscellaneous/fetch-recipe.php?rid=misc-potato-zrazy Receita de zrazy-de-batata no site celtnet.org]\n* [[Pirozhki]] \u2013 p\u00e3ezinhos recheados com carne (populares em toda a regi\u00e3o da Europa Oriental at\u00e9 \u00e0 \u00c1sia Central).\n* [[Pyachysta]] \u00e9 um tipo de prato tradicional para ocasi\u00f5es festivas, que consiste em grandes pe\u00e7as de carne (leit\u00e3o ou outro corte de porco, aves ou carne de vaca) cozidas, estufadas \u043eu assadas. \n\n==Outros componentes da culin\u00e1ria da Bielorr\u00fassia==\n[[File:2. n\u00e4dal Bor\u0161ip\u00fcreesupp (Pille).jpg|240px|thumb|right|O [[Borscht]], uma sopa a base de [[beterraba]].]]\nAs [[salada]]s s\u00e3o tamb\u00e9m populares na Bielorr\u00fassia, tais como a salada de repolho, de beterraba, de tomate, pepino e [[rabanete]], por vezes aromatizadas com v\u00e1rias ervas, como [[funcho]], [[coentro]], [[manjeric\u00e3o]] e outras. As [[sopa]]s incluem algumas t\u00edpicas de pa\u00edses vizinhos, como o [[shi]] russo, e o [[borsh]] ucraniano, mas tamb\u00e9m uma sopa fria ([[khaladnik]], de \u201ckholodna\u201d, que significa \u201cfrio\u201d) de beterraba e v\u00e1rios outros vegetais, com iogurte e ovos cozidos (faz lembrar o [[gaspacho]]). [http://belarus4you.wordpress.com/2010/07/10/khaladnik-cold-soup/ Receita da khaladnik no site wordpress.com]\n\nA maioria das sobremesas na Bielorr\u00fassia t\u00eam como base um kissel, ou seja um [[xarope]] de sumo de algum fruto engrossado com uma f\u00e9cula, que pode ser de batata, de milho ([[maizena]]) ou flocos de aveia; outros doces s\u00e3o preparados com ma\u00e7\u00e3s, especialmente ma\u00e7\u00e3s azedas do tipo \u201cantonovka\u201d. [http://www.belarusianfood.com/ Informa\u00e7\u00e3o sobre sobremesas bielorrussas no site belarusianfood.com] No entanto, encontram-se receitas tradicionais, como o [[pernichek]], um bolo feito com [[halva]] de sementes de [[girassol]] e [[amendoim]] misturada com [[compota]] de [[ameixa]]. [http://www.celtnet.org.uk/recipes/miscellaneous/fetch-recipe.php?rid=misc-pernichek Receita de pernichek no site celtnet.org]\n\nPara al\u00e9m da [[vodka]] (harelka), de origem russa e servida principalmente em ocasi\u00f5es festivas, [[hidromel|myadukha]], [[berezavik]], [[cerveja]] e [[vinho]] s\u00e3o [[bebida]]s populares na Bielorr\u00fassia. [[Kvas]] \u00e9 uma bebida tradicional feita com p\u00e3o que se deixa fermentar. [[Kompot]] (tamb\u00e9m de origem russa) \u00e9 uma bebida n\u00e3o alco\u00f3lica feita fervendo frutas secas ou bagas em bastante \u00e1gua e a\u00e7\u00facar ao gosto e normalmente servida fria com as refei\u00e7\u00f5es. \n\n{{Refer\u00eancias}}\n{{Culin\u00e1ria da Europa}}\n{{Portal3|Bielorr\u00fassia|Alimentos}}\n[[Categoria:Culin\u00e1ria da Bielorr\u00fassia]]"}]},"1364216":{"pageid":1364216,"ns":0,"title":"Maxwell (Iowa)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Localidade dos EUA|\n|nome = Maxwell\n|imagem = \n|imagem_legenda = \n|estado = Iowa\n|condado = [[Condado de Story (Iowa)|Condado de Story]]\n|popula\u00e7\u00e3o = 793\n|data_pop = 2006\n|\u00e1rea = 3.0\n|\u00e1rea_\u00e1gua = 0.0\n|latG = 41\n|latM = 53\n|latS = 24\n|latP = N\n|lonG = 93\n|lonM = 23\n|lonS = 51\n|lonP = W\n|coord_t\u00edtulo = s\n|altitude = 289\n|c\u00f3digoFIPS = 50520\n|tipo = cidade\n|mapa_detalhado= \n}}\n'''Maxwell''' \u00e9 uma [[cidade]] localizada no [[Estados dos Estados Unidos da Am\u00e9rica|estado]] [[Estados Unidos da Am\u00e9rica|americano]] de [[Iowa]], no [[Condado de Story (Iowa)|Condado de Story]].\n\n== Demografia ==\nSegundo o [[Censo demogr\u00e1fico|censo]] americano de 2000, a sua popula\u00e7\u00e3o era de 807 [[habitante]]s.{{Citar web |url=http://www.census.gov/Press-Release/www/2001/sumfile1.html |titulo=U.S. Census Bureau. Census 2000 Summary File 1 |acessodata=2007-10-11 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100111104338/http://www.census.gov/Press-Release/www/2001/sumfile1.html |arquivodata=2010-01-11 |urlmorta=yes }}\nEm 2006, foi estimada uma popula\u00e7\u00e3o de 793,[http://www.census.gov/popest/datasets.html U.S. Census Bureau. Estimativa da popula\u00e7\u00e3o (julho de 2006)] um decr\u00e9scimo de 14 (-1.7%).\n\n== Geografia ==\nDe acordo com o '''[[United States Census Bureau]]''' tem uma [[\u00e1rea]] de\n3,0 km\u00b2, dos quais 3,0 km\u00b2 cobertos por terra e 0,0 km\u00b2 cobertos por [[\u00e1gua]]. Maxwell localiza-se a aproximadamente 289[http://geonames.usgs.gov/domestic/download_data.htm U.S. Board on Geographic Names. Topical Gazetteers Populated Places. Gr\u00e1ficos do banco de dados de altitudes dos Estados Unidos da Am\u00e9rica] m acima do [[N\u00edvel m\u00e9dio das \u00e1guas do mar|n\u00edvel do mar]].\n\n== Localidades na vizinhan\u00e7a ==\nO diagrama seguinte representa as [[localidade]]s num [[raio]] de 16 km ao redor de Maxwell.\n
\n[[Ficheiro:Blank map.svg|400px|left|Localidades na vizinhan\u00e7a]]\n{{Image label|x=0.5|y=0.5|scale=400|text=[[Ficheiro:Map pointer black.svg|20px|Maxwell]]'''Maxwell'''}}\n{{Image label|x=0.192|y=0.473|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidades com 819 habitantes (2000)]][[Cambridge (Iowa)|Cambridge]] (11 km)}}\n{{Image label|x=0.711|y=0.462|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidades com 499 habitantes (2000)]][[Collins (Iowa)|Collins]] (8 km)}}\n{{Image label|x=0.687|y=0.103|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|8px|Localidades com 868 habitantes (2000)]][[Colo (Iowa)|Colo]] (16 km)}}\n{{Image label|x=0.203|y=0.804|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidades com 362 habitantes (2000)]][[Elkhart (Iowa)|Elkhart]] (15 km)}}\n{{Image label|x=0.374|y=0.097|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|16px|Localidades com 6658 habitantes (2000)]][[Nevada (Iowa)|Nevada]] (15 km)}}\n

\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{City-data|Maxwell|Iowa}}\n\n[[Categoria:Cidades de Iowa]]"}]},"1335546":{"pageid":1335546,"ns":0,"title":"O Caminho das Nuvens","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Filme|\n| t\u00edtulo = O Caminho das Nuvens\n| imagem = O Caminho das Nuvens.jpg\n| ano = 2003\n| dura\u00e7\u00e3o = 85\n| idioma = [[l\u00edngua portuguesa|Portugu\u00eas]]\n| pa\u00eds = {{BRA}}\n| dire\u00e7\u00e3o = [[Vicente Amorim]]\n| roteiro = David Fran\u00e7a Mendes\n| elenco = [[Wagner Moura]]
[[Cl\u00e1udia Abreu]]
[[Sidney Magal]]
[[Ravi Lacerda]]
[[Carol Castro]]\n| g\u00eanero = [[Drama]]\n| lan\u00e7amento = [[12 de setembro]] de [[2003]]{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1009200306.htm|titulo=O C\u00c9U QUE NOS PROTEGE|autor= |publicado=Folha de S.Paulo|data=10 de setembro de 2003|acessodata=22 de setembro de 2016|l\u00edngua2=}}\n| c\u00f3digo-IMDB = 0379199\n| tipo = LF\n| cor-pb = cor\n}}\n'''''O Caminho das Nuvens''''' \u00e9 um [[filme]] [[brasil]]eiro de [[2003 no cinema|2003]], do g\u00eanero [[drama]], dirigido por [[Vicente Amorim]]. Foi produzido por [[Bruno Barreto]] e \u00c2ngelo Gastal; a [[trilha sonora]] \u00e9 de [[Andr\u00e9 Abujamra]]. O filme \u00e9 baseado em um fato real, na hist\u00f3ria de C\u00edcero Ferreira Dias, um caminhoneiro desempregado que, junto com sua mulher e seus cinco filhos, pedalou desde [[Santa Rita (Para\u00edba)|Santa Rita]], na Para\u00edba, at\u00e9 o [[Bangu]], no Rio de Janeiro.{{citar web|\u00faltimo=da Esc\u00f3ssia|primeiro=Fernanda|t\u00edtulo=Road movie nordestino pega carona de bicicleta|url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1111200217.htm|obra=[[Folha de S.Paulo]]|publicado=[[Grupo Folha]]|acessodata=10 de fevereiro de 2015|data=11 de novembro de 2002}}\n\n==Sinopse==\nRom\u00e3o \u00e9 um pai de fam\u00edlia da [[Para\u00edba]] que est\u00e1 desempregado e decide enfrentar a estrada para chegar ao [[Rio de Janeiro]], em busca de um [[Rela\u00e7\u00e3o de emprego|emprego]] que lhe pague o [[sal\u00e1rio]] de mil reais por m\u00eas, e assim propiciando vida digna a sua fam\u00edlia. Para realizar este sonho, ele percorre 3.200 quil\u00f4metros de [[bicicleta]], acompanhado da mulher Rose e dos cinco filhos, enfrentando [[fome]], [[calor]], [[Fadiga|cansa\u00e7o]] e [[viol\u00eancia]].\n\n==Elenco==\n*[[Cl\u00e1udia Abreu]] .... Rose\n*[[Wagner Moura]] ....Rom\u00e3o\n*[[Ravi Lacerda|Ravi Ramos Lacerda]] .... Ant\u00f4nio\n*[[Sidney Magal]] .... Panam\u00e1\n*[[Cl\u00e1udio Jaborandy]] .... Gide\u00e3o\n*Franciolli Luciano .... Callado\n*Manoel Sebasti\u00e3o Alves Filho .... Rodney\n*Felipe Newton Silva Rodrigues .... Clevis\n*C\u00edcera Cristina Almino de Lima .... Suelena\n*C\u00edcero Wallyson A. Ferreira .... C\u00edcero\n*[[Carol Castro]] .... Sereia\n*[[Caco Monteiro]] .... Severino\n*La\u00eds Corr\u00eaa .... Jurema\n*[[F\u00e1bio Lago]] .... Negui\u00e7a\n* L\u00facio Leonn... Mau elemento\n{{portal-cinema}}\n\n==Principais pr\u00eamios e indica\u00e7\u00f5es==\n'''Festival do Uruguai''' 2004\n*Ganhou men\u00e7\u00e3o honrosa por parte do j\u00fari.\n\n'''[[Festival de Cartagena]]''' 2004 (Col\u00f4mbia)\n*Indicado na categoria de melhor filme.\n\n'''[[Festival de Havana]]''' 2003 (Cuba)\n*Indicado na categoria de melhor filme.\n\n'''[[Festival de San Sebasti\u00e1n]]''' 2003 (Espanha)\n*Indicado na categoria de melhor filme.\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n*[http://www.adorocinema.com/filmes/filme-56272/ ''O Caminho das Nuvens''] no [[AdoroCinema]]\n\n{{Vicente Amorim}}\n\n{{DEFAULTSORT:Caminho das Nuvens}}\n[[Categoria:Filmes do Brasil de 2003]]\n[[Categoria:Filmes em l\u00edngua portuguesa]]\n[[Categoria:Filmes dirigidos por Vicente Amorim]]\n[[Categoria:Nordeste do Brasil em fic\u00e7\u00e3o]]\n[[Categoria:Filmes baseados em casos reais]]\n[[Categoria:Filmes de estrada]]\n[[Categoria:Filmes de drama do Brasil]]\n[[Categoria:Filmes da Globo Filmes]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Applications-multimedia.svg"}]},"3329692":{"pageid":3329692,"ns":0,"title":"Atletismo nos Jogos Mundiais Militares de 2011 - Arremesso de martelo feminino","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Atletismo nos Jogos Militares 2011}}\n\nA competi\u00e7\u00e3o do '''[[lan\u00e7amento de martelo]] feminino''' nos [[Jogos Mundiais Militares de 2011]] aconteceu no dia [[22 de julho]] no [[Est\u00e1dio Ol\u00edmpico Jo\u00e3o Havelange]].\n\n== Medalhistas{{citar web|url=http://www.rio2011.mil.br/results/POR/AT/ATR173A_ATW06106150000001POR.htm|t\u00edtulo=Resultados do salto triplo - Final|autor=V Jogos Militares do CISM|data=24 de julho de 2011|publicado=V Jogos Militares do CISM|acessodata=24 de julho de 2011}} ==\n{{Medalhistas|\n|ouro_pais = CHN\n|ouro_atleta = [[Wenxiu Zhang]]\n|prata_pais = UKR\n|prata_atleta = [[Nataliia Zolotukhina]]\n|bronze_pais = VEN\n|bronze_atleta = [[Rosa Rodriguez]]\n|sem_secao =0\n}}\n\n== Final ==\n\n{| class=\"wikitable sortable\" style=\"text-align:center\"\n! Pos. !!Atleta !! Pa\u00eds !!Tempo !!Notas\n|- bgcolor=\"#F7F6A8\"\n| {{Medalha de ouro}} ||align=left| [[Wenxiu Zhang]] ||align=left| {{CHN}} || 74.29 || '''CR'''\n|- bgcolor=\"#DCE5E5\"\n| {{Medalha de prata}} ||align=left| [[Nataliia Zolotukhina]] ||align=left| {{UKR}} || 67.93 ||\n|- bgcolor=\"#FFDAB9\"\n| {{Medalha de bronze}} ||align=left| [[Rosa Rodriguez]] ||align=left| {{VEN}} || 67.16 ||\n|-\n|4||align=left| [[Martina Hrasnova]] ||align=left| {{SVK}} || 66.10 ||\n|-\n|5||align=left| [[Youlian Xia]] ||align=left| {{CHN}} || 59.33 ||\n|-\n|6||align=left| [[Ahymara Espinosa]] ||align=left| {{VEN}} || NM ||\n|}\n\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{Legenda Recordes|Campeonato=sim}}\n\n{{Jogos Mundiais Militares de 2011}}\n\n{{Portal3|Eventos multiesportivos}}\n\n[[Categoria:Eventos do atletismo nos Jogos Mundiais Militares de 2011]]"}]},"5464517":{"pageid":5464517,"ns":0,"title":"Rebecca Gayheart","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Biografia/Wikidata}}\n'''Rebecca Gayheart''' ([[Hazard (Kentucky)|Hazard]], [[12 de agosto]] de [[1971]]) \u00e9 uma [[Modelo (profiss\u00e3o)|modelo]] e [[atriz]] [[Povo dos Estados Unidos|americana]]. Gayheart come\u00e7ou sua carreira aparecendo em um curta-metragem de [[Brett Ratner]]. Ela teve pap\u00e9is menores em ''[[Nothing to Lose (filme)|Nothing to Lose]]'' e ''[[Scream 2]]'' (1997) antes de estrelar o [[Slasher|filme ''slasher'']] ''[[Urban Legend]]'' (1998) e a [[Humor negro|com\u00e9dia negra]] ''[[Um Crime Entre Amigas|Jawbreaker]]'' (1999). Tamb\u00e9m teve pap\u00e9is nas s\u00e9ries de televis\u00e3o ''[[Dead Like Me]]'', ''[[Vanished]]'' e ''[[Nip/Tuck]]''.{{Citar web|url=http://www.filmreference.com/film/23/Rebecca-Gayheart.html|titulo=Rebecca Gayheart Biography (1972-)|acessodata=2017-07-10|obra=www.filmreference.com}}\n\nEm 13 de junho de 2001, Gayheart estava dirigindo um ve\u00edculo e atropelou Jorge Cruz, Jr., de nove anos de idade, enquanto atravessava uma rua em [[Los Angeles]], morrendo no dia seguinte. Ela foi condenada a tr\u00eas anos de [[liberdade condicional]], suspens\u00e3o na habilita\u00e7\u00e3o por um ano, uma multa de 2.800 d\u00f3lares e 750 horas de servi\u00e7o comunit\u00e1rio.{{Citar web|url=https://web.archive.org/web/20090928172354/http://movies.yahoo.com/movie/contributor/1800022678/bio|titulo=Rebecca Gayheart Biography - Yahoo! Movies|data=2009-09-28|acessodata=2017-07-10}}{{Citar peri\u00f3dico|data=2001-08-08|titulo=Ex-\u201890210\u2019 Star: Wrongful Death Suit|jornal=PEOPLE.com|url=http://www.people.com/people/article/0,,622308,00.html|idioma=en-US}}\n\n{{Refer\u00eancias}}\n{{Esbo\u00e7o-atriz}}\n{{Controle de autoridade}}\n\n[[Categoria:Norte-americanos de ascend\u00eancia alem\u00e3]]"}]},"1363847":{"pageid":1363847,"ns":0,"title":"Van Wert (Iowa)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Localidade dos EUA|\n|nome = Van Wert\n|imagem = \n|imagem_legenda = \n|estado = Iowa\n|condado = [[Condado de Decatur (Iowa)|Condado de Decatur]]\n|popula\u00e7\u00e3o = 222\n|data_pop = 2006\n|\u00e1rea = 0.9\n|\u00e1rea_\u00e1gua = 0.0\n|latG = 40\n|latM = 52\n|latS = 12\n|latP = N\n|lonG = 93\n|lonM = 47\n|lonS = 36\n|lonP = W\n|coord_t\u00edtulo = s\n|altitude = 354\n|c\u00f3digoFIPS = 80490\n|tipo = cidade\n|mapa_detalhado= \n}}\n'''Van Wert''' \u00e9 uma [[cidade]] localizada no [[Estados dos Estados Unidos da Am\u00e9rica|estado]] [[Estados Unidos da Am\u00e9rica|americano]] de [[Iowa]], no [[Condado de Decatur (Iowa)|Condado de Decatur]].\n\n== Demografia ==\nSegundo o [[Censo demogr\u00e1fico|censo]] americano de 2000, a sua popula\u00e7\u00e3o era de 231 [[habitante]]s.{{Citar web |url=http://www.census.gov/Press-Release/www/2001/sumfile1.html |titulo=U.S. Census Bureau. Census 2000 Summary File 1 |acessodata=2007-10-11 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100111104338/http://www.census.gov/Press-Release/www/2001/sumfile1.html |arquivodata=2010-01-11 |urlmorta=yes }}\nEm 2006, foi estimada uma popula\u00e7\u00e3o de 222,[http://www.census.gov/popest/datasets.html U.S. Census Bureau. Estimativa da popula\u00e7\u00e3o (julho de 2006)] um decr\u00e9scimo de 9 (-3.9%).\n\n== Geografia ==\nDe acordo com o '''[[United States Census Bureau]]''' tem uma [[\u00e1rea]] de\n0,9 km\u00b2, dos quais 0,9 km\u00b2 cobertos por terra e 0,0 km\u00b2 cobertos por [[\u00e1gua]]. Van Wert localiza-se a aproximadamente 354[http://geonames.usgs.gov/domestic/download_data.htm U.S. Board on Geographic Names. Topical Gazetteers Populated Places. Gr\u00e1ficos do banco de dados de altitudes dos Estados Unidos da Am\u00e9rica] m acima do [[N\u00edvel m\u00e9dio das \u00e1guas do mar|n\u00edvel do mar]].\n\n== Localidades na vizinhan\u00e7a ==\nO diagrama seguinte representa as [[localidade]]s num [[raio]] de 16 km ao redor de Van Wert.\n
\n[[Ficheiro:Blank map.svg|400px|left|Localidades na vizinhan\u00e7a]]\n{{Image label|x=0.5|y=0.5|scale=400|text=[[Ficheiro:Map pointer black.svg|20px|Van Wert]]'''Van Wert'''}}\n{{Image label|x=0.407|y=0.899|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidades com 199 habitantes (2000)]][[Decatur City (Iowa)|Decatur City]] (15 km)}}\n{{Image label|x=0.940|y=0.636|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidades com 250 habitantes (2000)]][[Garden Grove (Iowa)|Garden Grove]] (16 km)}}\n{{Image label|x=0.100|y=0.660|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidades com 225 habitantes (2000)]][[Grand River (Iowa)|Grand River]] (15 km)}}\n{{Image label|x=0.612|y=0.907|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|10px|Localidades com 1983 habitantes (2000)]][[Leon (Iowa)|Leon]] (15 km)}}\n{{Image label|x=0.641|y=0.413|scale=400|text=[[Ficheiro:Small-city-symbol.svg|6px|Localidades com 145 habitantes (2000)]][[Weldon (Iowa)|Weldon]] (6 km)}}\n

\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{City-data|Van-Wert|Iowa}}\n\n[[Categoria:Cidades de Iowa]]"}]},"4290522":{"pageid":4290522,"ns":0,"title":"Garrafieira","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"\ufeff{{Info/M\u00fasica/artista\n | nome = Garrafieira\n | fundo = grupo_ou_banda\n | imagem = \n | legenda = \n | origem = [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], {{BR-RJb}} [[Rio de Janeiro (estado)|RJ]]\n | pa\u00eds = {{BRA}}\n | per\u00edodo = [[1999]] - presente\n | g\u00eanero = [[M\u00fasica popular]]\n | gravadora = \n | influenciados =\n | afilia\u00e7\u00f5es = \n | integrantes = '''[[Gabriel Improta]]'''
([[guitarra]], [[Arranjo (m\u00fasica)|arranjos]] e [[Produtor musical|produ\u00e7\u00e3o musical]])
'''Mariana Bernardes'''
([[Vocalista|voz]] e [[cavaquinho]])
'''[[Alexandre Caldi]]'''
([[saxofone]], [[flauta]] e arranjos)
'''Thiago Queiroz'''
([[saxofone alto]])
'''Rodrigo Villa'''
([[baixo]])
'''Darcy da Cruz'''
([[trompete]] e arranjos)
'''[[Aleh Ferreira|Aleh]]'''
(voz, [[viol\u00e3o]] e [[percuss\u00e3o]])
'''[[Marcelo Bernardes]]'''
(saxofone e flauta)
'''[[Cassius Theperson]]'''
([[Bateria (instrumento musical)|bateria]])\n | exintegrantes = \n | site = \n}}\n\n'''Garrafieira''' \u00e9 um [[Banda musical|grupo]] brasileiro de [[m\u00fasica popular]] formado no in\u00edcio de 1999, no Rio de Janeiro, por [[Gabriel Improta]], Mariana Bernardes, [[Alexandre Caldi]], Thiago Queiroz, Rodrigo Villa, Darcy da Cruz, [[Aleh Ferreira|Aleh]], [[Marcelo Bernardes]] e [[Cassius Theperson]].{{citar web|url=http://www.dicionariompb.com.br/garrafieira|titulo=Biografia no Cravo Albin|publicado=[[Dicion\u00e1rio Cravo Albin da M\u00fasica Popular Brasileira|dicionariompb.com.br]]|acessodata=25 de janeiro de 2014}} \n\nConquistou o \"[[Pr\u00eamio TIM de M\u00fasica]]\" como \"Melhor Grupo\" na categoria [[M\u00fasica Popular Brasileira|MPB]], em 2005.\n\n==Discografia==\n===\u00c1lbuns===\n*(2004) Garrafieira\n\n===M\u00fasicas===\n*Delmira Y Aninha ([[Gabriel Improta]] e [[Aldir Blanc]])\n*Dom Augustine (Darcy da Cruz)\n*Garrafieirando (Darcy da Cruz)\n*Mais pagode do que jazz (Gabriel Improta)\n*Serramar ([[Marcelo Bernardes]])\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n*[http://www.loja.biscoitofino.com.br/garrafieira loja.biscoitofino.com.br/garrafieira]\n*[http://www.discosdobrasil.com.br/discosdobrasil/consulta/detalhe.php?Id_Disco=DI04646 Discografia de Garrafieira] em [[Discos do Brasil]]\n*[http://www.allmusic.com/album/garrafieira-mw0000474703 Garrafieira] em [[Allmusic]] \n\n{{esbo\u00e7o-banda|Brasil}}\n\n[[Categoria:Bandas do Rio de Janeiro (estado)]]\n[[Categoria:Bandas formadas em 1999]]\n[[Categoria:Bandas de m\u00fasica popular brasileira]]"}]},"3016417":{"pageid":3016417,"ns":0,"title":"Mestaruussarja de 1930","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Sem fontes|data=agosto de 2020}}\nA temporada de 1930 da '''[[Veikkausliiga|Mestaruussarja]]''' foi disputada por 8 equipes, o [[HIFK|HIFK Helsinki]] sagrou-se campe\u00e3o.\n\n==Classifica\u00e7\u00e3o Final==\n{| class=\"wikitable\" style=\"text-align: center;\"\n|Pos||Clube||J||V||E||D||GP||GC||Pts\n|-\n||1||[[HIFK|HIFK Helsinki]]||7||5||2||0||22||7||12\n|-\n||2||[[Turun Palloseura|TPS Turku]]||7||5||2||0||25||12||12\n|-\n||3||[[HPS Helsinki]]||7||4||1||2||26||17||9\n|-\n||4||[[ViPS Viipuri]]||7||3||1||3||20||16||7\n|-\n||5||[[Vaasan Palloseura|VPS Vaasa]]||7||2||3||2||23||27||7\n|-\n||6||[[KIF Helsinki]]||7||2||2||3||17||18||6\n|-\n||7||[[Stjarnan Helsinki]]||7||0||2||5||9||35||2\n|-\n||8||[[\u00c5IFK Turku]]||7||0||1||6||9||19||1\n|}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{en}} [http://www.rsssf.com/tablesf/finhist.html Finland - List of final tables (RSSSF)]\n\n[[Categoria:Campeonato Finland\u00eas de Futebol]]"}]},"2037782":{"pageid":2037782,"ns":0,"title":"Nova Jerusal\u00e9m","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Ver desambig|prefixo=Se procura|o teatro ao ar livre em Pernambuco|Nova Jerusal\u00e9m (teatro)}}\n{{Escatologia crist\u00e3}}\n[[Ficheiro:'The_Celestial_City_and_the_River_of_Bliss'_by_John_Martin,_1841.jpg|alt=|miniaturadaimagem|250x250px|A [[Cidade]] Celeste com o [[Rio]] da [[Felicidade]] por John Martin, [[1841]].]]\n'''Nova Jerusal\u00e9m''' \u00e9 conforme o livro do [[Apocalipse]], a [[cidade]] que [[Deus]] far\u00e1 para os fi\u00e9is.{{citar b\u00edblia|Apocalipse|3|12}} Jo\u00e3o compara a cidade a uma noiva arrumada para seu marido.{{citar b\u00edblia|Apocalipse|21|2}}\n\nA cidade \u00e9 descrita como um quadrado de face igual a doze mil [[Est\u00e1dio (unidade)|est\u00e1dios]],{{citar b\u00edblia|Apocalipse|21|16}} iluminada de forma excepcional,{{citar b\u00edblia|Apocalipse|21|11}} com um grande muro de cento e quarenta e quatro [[c\u00f4vado]]s{{citar b\u00edblia|Apocalipse|21|17}} com doze portas, e cada porta tinha uma [[P\u00e9rola]] correspondendo as 12 [[tribos de Israel]].{{citar b\u00edblia|Apocalipse|21|12}}\n\nA [[cidade]] n\u00e3o necessita de templo,{{citar b\u00edblia|Apocalipse|21|22}} nem do [[Sol]] e da [[Lua]].{{citar b\u00edblia|Apocalipse|21|23}} No meio da cidade h\u00e1 uma pra\u00e7a com a [[\u00c1rvore da Vida (B\u00edblia)|\u00c1rvore da Vida]].{{citar b\u00edblia|Apocalipse|22|2}}\n\n:''E ali n\u00e3o haver\u00e1 mais noite, e n\u00e3o necessitar\u00e3o de l\u00e2mpada nem de luz do sol, por que o Senhor Deus os ilumina; e reinar\u00e3o para todo sempre''.{{citar b\u00edblia|Apocalipse|22|5}}\n\n A luz da cidade era semelhante a uma pedra de [[Jaspe]],como o [[Cristal]] resplandecente. E a f\u00e1brica do seu muro era de '''Jaspe''', e a cidade e a pra\u00e7a da cidade \u00e9 feita de [[ouro]] puro. E o muro da cidade tinham 12 fundamentos e nele o nome dos 12 [[ap\u00f3stolos]] do Cordeiro. O primeiro fundamento era [[Jaspe]], o segundo, [[Safira]], o terceiro, [[Calced\u00f4nia]], o quarto, [[Esmeralda]], o quinto, [[Sard\u00f4nica]], o sexto, [[S\u00e1rdio]], o s\u00e9timo, [[Cris\u00f3lito]], o oitavo, [[Berilo]];o nono, [[Cris\u00f3praso]], o und\u00e9cimo , [[Jacinto]] e o duod\u00e9cimo, [[Ametista]].\n\n==Literatura==\n* Bernet, Claus: The Heavenly Jerusalem as a Central Belief in Radical Pietism in the Eighteenth Century, in: The Covenant Quarterly, 63, 4, 2005, p. 3-19.\n* La Cit\u00e9 de Dieu, ed. by Martin Hengel, T\u00fcbingen 2000.\n* La Gerusalemme celeste, ed. by Maria Luisa Gatti Perer, Milano 1983.\n* K\u00fchnel, Bianca: From the Earthly to the Heavenly Jerusalem. Representations of the Holy City in Christian Art of the First Millennium, Rom 1987.\n* W. Tabbernee/[[Peter Lampe]], ''Pepouza and Tymion: The Discovery and Archaeological Exploration of a Lost Ancient City and an Imperial Estate'' (deGruyter: Berlin/New York, 2008) ISBN 978-3-11-019455-5 und ISBN 978-3-11-020859-7\n\n{{refer\u00eancias|col=3}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n{{Commons category}}\n* {{Link||2=http://h5t3tt4242.livejournal.com/ |3=\"Go and measure\"}}\n\n[[Categoria:Profecias]]\n[[Categoria:Termos crist\u00e3os]]\n[[Categoria:Frases b\u00edblicas]]\n[[Categoria:Lugares b\u00edblicos]]"}]}}}}