/blog/planejamento sucessorio/

 (11) 3340.6655     (11) 95636.4873     contato@pigatti.com.br      Cliente
    
  
Planejamento sucessório: um guia completo
escrito em 18 de fevereiro de 2020

Não é preciso questionar muito para saber que a maior preocupação em poupar dinheiro e aplicar em investimentos é para garantir estabilidade financeira. Não só a de si próprio, como a dos herdeiros e entes mais próximos. No entanto, a transmissão de bens envolve custos, tributos e burocracia, que podem ser minimizados com um planejamento sucessório eficaz.

 

Como a blindagem patrimonial, o planejamento sucessório é um instrumento jurídico. Ele viabiliza que a transferência de patrimônio seja feita aos herdeiros de forma amena, sem grandes complicações. Embora seja uma tarefa que demande tempo por conta dos vários pormenores, há muitas dores de cabeça que podem ser evitadas por conta desse esforço.

 

Planejamento sucessório: quais as vantagens?

Nem todo mundo sabe, mas durante o processo de inventário – obrigatório para transmissão do patrimônio – os custos podem chegar até 20% dos bens. Sem contar que o processo pode permanecer em aberto por mais de 3 anos e e o patrimônio fica inutilizado durante esse período.

 

Redução de custos

Sendo assim, uma das vantagens de se elaborar um planejamento sucessório diz respeito à redução de custos. Isso porque a simples transferência de bens implica em alguns custos pesados para o bolso. O primeiro deles é o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD). Cada estado tem sua alíquota própria, que varia entre 1,5% e 8% , variando ainda sobre adoção ou não de progressividade. Em São Paulo esse imposto ITCMD é de 4%

 

Além disso, a tabela da OAB estima algo entre 2% e 12% somente para custear o processo de inventário. Isso sem contar a documentação exigida pelo cartório, que pode somar mais 2% do valor patrimonial em custos. Imagine ainda gastos imensuráveis num primeiro momento, como os honorários pagos aos advogados, por exemplo. Todo esse processo burocrático pode abocanhar uma grande parte de todo os bens!

 

Com um planejamento sucessório bem estruturado evita os altos custos com impostos e simplifica a vida dos herdeiros. A liberação de recursos e ativos acontece de forma mais rápida, além de prevenir problemas típicos desse processo, como discussões sucessórias e disputas pela herança.

 

Destinação racional e preservação dos bens

Em regra, quando a herança não se trata de sucessão prescrita por testamento, cada herdeiro legítimo tem direito a uma quota do montante total do patrimônio. Por ser um conjunto de bens indivisíveis, se não há acordo entre as partes, a probabilidade maior é de que a partilha ocorra com cada herança recebendo sua quota de cada bem transmitido.

 

Num exemplo prático, imagine que há duas propriedades distantes entre si como patrimônio. Mesmo que os imóveis custem o mesmo valor, caso não haja acordo, se dois herdeiros detiverem do mesmo direito sucessório, cada um receberá metade de cada imóvel. Meio irracional essa divisão, certo? Pois então, o planejamento sucessório serve para simplificar esse processo de alocação de bens evitando tais problemas.

 

Preservação da atividade empresarial familiar

Quando se pensa em partilha de patrimônio aos herdeiros, os bens incluem ações e as empresas, claro. Neste caso o planejamento sucessório empresarial está intimamente ligado à continuidade e perpetuidade dos negócios, independentemente das relações entre os sócios, e entre esses e seus familiares.

 

Se não houver nenhum planejamento prévio antes do falecimento de um empreendedor, as quotas ou ações das sociedades empresárias serão diretamente transmitidas aos herdeiros diretos – cônjuge ou filhos. O problema dessa partilha automática é que as partes beneficiadas podem não ter afinidade com a atividade empresarial, ou simplesmente não possuírem vocação para gestão empresarial, minimizando as chances de continuação dos negócios da família.

 

Com o planejamento sucessório, por exemplo, é possível manter ações de mesmo valor a cada um dos herdeiros, mas com funções diferentes. À um deles é possível destinar ações ordinárias, que dão poder de voto e gestão de sociedade, enquanto ao outro caberia ações preferenciais, onde se recebe os dividendos que lhe são por direito da sociedade empresária, mas sem poder de influência na gestão.

 

Como fazer meu planejamento sucessório?

O processo começa após avaliação de todo o patrimônio. Feito isso, é preciso analisar previamente qual a estrutura existente, a fim de identificar quais as ferramentas legais que serão utilizadas para atingir o objetivo. Acordos com acionistas ou quotistas podem se valer para possíveis cessões, além de definição de direitos de preferência e opção de compra ou venda. Também é possível eleger administradores para gestão da herança.

 

No entanto, são alguns instrumentos jurídicos mais comuns que geralmente são utilizados para efetivar o planejamento sucessório. São eles: testamento de vida, doação e usufruto (partilha em vida), seguro de vida, planos de previdência privada, contas conjuntas, holding patrimoniais, fundo exclusivo, fundos imobiliários, entre outros menos utilizados. Cada um desses instrumentos têm características próprias. Veremos a seguir detalhadamente sobre os mais comuns.

 

Instrumentos para planejamento sucessório

  • Testamento: uma das formas mais comuns de planejamento sucessório. Nele o detentor do patrimônio pode dividir seus bens conforme seu próprio desejo, desde que mantida a proporção entre quota legítima e livre. Nesse caso, 50% é destinado aos descendentes, ascendentes ou cônjuge e a outra parte fica à livre critério.
  • Previdência privada: os planos costumam ter uma série de benefícios sucessórios, além de serem uma das formas mais simples de planejamento sucessório. Podem ser contratados pelo próprio investidor e recebidos pelos próprios beneficiários. Como não entram no inventário, são transferidos imediatamente, sem burocracia ou carência.
  • Doação e usufruto: também chamado como partilha em vida, pode ser feita por qualquer ascendente, não podendo prejudicar a legítima dos herdeiros necessários. Difere-se do testamento – que só tem efeito após a morte do doador -, já que pode ser transferido bem ou direito podem ser transferidos ainda em vida, por meio de instrumento particular ou escritura pública.
  • Holding Familiar: constitui-se em uma empresa familiar que detém de todo o patrimônio. Nela podem ser inclusos ativos financeiros, participações societárias, além de bens imobiliários. Os herdeiros recebem quotas ou ações dessa empresa, passando a ter direito a seus frutos, podendo vendê-las. Essa é uma medida preventiva já que, tendo em vista que os bens são da empresa, a transferência fica assegurada apenas entre os seus sócios, reduzindo o pagamento de impostos após o falecimento. Cláusulas de impenhorabilidade, incomunicabilidade e inalienabilidade podem ser adicionadas.
  • Seguro de vida: embora não seja considerado propriamente dito um instrumento de planejamento sucessório, fazer uma apólice de seguro em nome do herdeiro acaba se conceituando em mais um conceito de proteção financeira para a família. No entanto, é recomendado levá-lo em conta, já que o Código Civil institui que o capital estipulado, a ser pago na eventualidade do sinistro, não é considerado herança. Em outras palavras, não é necessário o processo de inventário para liberação do montante ao beneficiário, bastando apenas a apresentação da certidão de óbito do segurado.

 

Se esse conteúdo sanou todas as suas dúvidas, te convidamos a compartilhá-lo em suas redes sociais e ter acesso a mais pessoas!


voltar
{"continue":{"imcontinue":"1329822|Crystal_Clear_app_Login_Manager.png","grncontinue":"0.077702743671|0.077702743671|0|0","continue":"grncontinue||revisions"},"warnings":{"main":{"*":"Subscribe to the mediawiki-api-announce mailing list at for notice of API deprecations and breaking changes. Use [[Special:ApiFeatureUsage]] to see usage of deprecated features by your application."},"revisions":{"*":"Because \"rvslots\" was not specified, a legacy format has been used for the output. This format is deprecated, and in the future the new format will always be used."}},"query":{"pages":{"1325371":{"pageid":1325371,"ns":0,"title":"Massacre de Corumbiara","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"O '''massacre de Corumbiara''' foi o resultado de um conflito violento ocorrido em [[9 de agosto]] de [[1995]] no munic\u00edpio de [[Corumbiara]], no estado de [[Rond\u00f4nia]].\n\n== Hist\u00f3ria ==\n=== Conflito ===\nO conflito come\u00e7ou quando policiais entraram em confronto com camponeses [[sem-terra]] que estavam ocupando uma \u00e1rea, resultando na morte de 10 pessoas, entre elas uma crian\u00e7a de nove anos e dois policiais.[http://www.dhnet.org.br/w3/cdhmp/cdh/chico.htm Direitos Humanos na Internet] acessado em 25 de setembro de 2007.\n\nEm agosto de 1995, cerca de 600 camponeses haviam se mobilizado para tomar a Fazenda Santa Elina, tendo constru\u00eddo um acampamento no [[latif\u00fandio]] improdutivo. Na madrugada do dia 9, por volta das tr\u00eas horas, pistoleiros armados, recrutados nas fazendas da regi\u00e3o, al\u00e9m de soldados da Pol\u00edcia Militar com os rostos cobertos, iniciaram os ataques ao acampamento.\n\n=== Mortos ===\nO n\u00famero oficial de mortos no massacre \u00e9 de 16 pessoas e h\u00e1 sete desaparecidos. Para os agricultores, entretanto, o n\u00famero de mortos pode ter passado de 100 pois, segundo eles, muitos mais teriam sido mortos por policiais e jagun\u00e7os, e enterrados sumariamente. Depois de horas de tiroteio, os camponeses n\u00e3o tinham mais muni\u00e7\u00f5es para suas [[espingarda]]s. O Comando de Opera\u00e7\u00f5es Especiais, comandado na \u00e9poca pelo capit\u00e3o Jos\u00e9 H\u00e9lio Cysneiros Pach\u00e1, jogou bombas de [[g\u00e1s lacrimog\u00eanio]] e acendeu holofotes contra as fam\u00edlias. A chacina ocorreu durante o governo estadual de [[Valdir Raupp]] ([[Partido do Movimento Democr\u00e1tico Brasileiro|PMDB]]), que foi posteriormente eleito [[Senado Federal do Brasil|Senador]] por Rond\u00f4nia.\n\nMulheres foram usadas como escudo humano pelos policiais e pelos jagun\u00e7os do fazendeiro Antenor Duarte. A pequenina Vanessa, de apenas seis anos, teve o corpo trespassado por uma bala \"perdida\", quando corria junto com sua fam\u00edlia. Cinquenta e cinco posseiros ficaram gravemente feridos. Os laudos tanatosc\u00f3picos provaram execu\u00e7\u00f5es sum\u00e1rias. O bispo de [[Guajar\u00e1 Mirim]], dom [[Geraldo Verdier]], recolheu amostras de ossos calcinados em fogueiras do acampamento e enviou a ''Facult\u00e9 de M\u00e9dicine Paris-Oeste'', que confirmou a [[crema\u00e7\u00e3o]] de corpos humanos no acampamento da fazenda.\n\nDesde 1985 os camponeses se organizavam, tendo criado as vilas de Alto Guaraj\u00fas, Verde Seringal, Palmares do Oeste, Rondol\u00e2ndia, e mais tarde o povoado de Nova Esperan\u00e7a - posteriormente cidade de Corumbiara. Dez anos depois, foram v\u00edtimas da chacina. E at\u00e9 hoje os parentes das v\u00edtimas aguardam a [[indeniza\u00e7\u00e3o]].\n\n=== Repercuss\u00e3o ===\nA assessoria jur\u00eddica da CPT RO e a CJP (Comiss\u00e3o Justi\u00e7a e Paz de Porto Velho) acompanham o processo judicial a favor da indeniza\u00e7\u00e3o das fam\u00edlias v\u00edtimas da chacina.\n\nA Comiss\u00e3o de Constitui\u00e7\u00e3o e Justi\u00e7a e de Cidadania (CCJ) aprovou,em 24 de abril de 2013, proposta que concede anistia aos trabalhadores rurais e policiais militares de Rond\u00f4nia punidos no epis\u00f3dio conhecido como Massacre de Corumbiara. Dois camponeses foram condenados na ocasi\u00e3o (Claudemir Gilberto Ramos e C\u00edcero Pereira Leite Neto), pela morte de dois policiais. O Projeto de Lei 2000/11, do deputado [[Jo\u00e3o Paulo Cunha]] (PT-SP),[http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/DIREITOS-HUMANOS/207426-CAMARA-PODE-CONCEDER-ANISTIA-A-SEM-TERRAS-DO-MASSACRE-DE-CARUMBIARA.html C\u00e2mara pode conceder anistia a sem-terras do Massacre de Carumbiara]. 23 de dezembro de 2011 propunha a anistia apenas aos sem-terras. Para o deputado, o Poder Judici\u00e1rio do [[Estado de Rond\u00f4nia]] condenara injustamente os camponeses por homic\u00eddio, tendo absolvido a quase totalidade dos [[Pol\u00edcia Militar do Estado de Rond\u00f4nia|policiais militares]], que teriam sido os respons\u00e1veis pelo massacre. Todavia o relator da proposta, deputado [[Vieira da Cunha]] (PDT-RS), incluiu os policiais militares na proposta de anistia, ap\u00f3s manifesta\u00e7\u00f5es de outros parlamentares. \"A anistia deve ser ampla e irrestrita\", justificou. [http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/DIREITOS-HUMANOS/440982-CCJ-APROVA-ANISTIA-A-SEM-TERRAS-E-POLICIAIS-DO-MASSACRE-DE-CORUMBIARA.html CCJ aprova anistia a sem-terras e policiais do Massacre de Corumbiara]. 24 de abril 2013\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{Massacres no Brasil}}\n\n{{Portal3|Rond\u00f4nia}}\n\n{{DEFAULTSORT:Corumbiara, Massacre}}\n[[Categoria:1995 em Rond\u00f4nia]]\n[[Categoria:Corumbiara]]\n[[Categoria:Massacres em Rond\u00f4nia]]\n[[Categoria:Mortes por armas de fogo no Brasil]]\n[[Categoria:Crimes envolvendo for\u00e7as policiais do Brasil]]\n[[Categoria:Crimes em Rond\u00f4nia]]\n[[Categoria:Assassinados na d\u00e9cada de 1990 no Brasil]]\n[[Categoria:Assassinados na Am\u00e9rica do Sul em 1995]]\n[[Categoria:Brasileiros assassinados]]\n[[Categoria:Assassinatos de crian\u00e7as no Brasil]]\n[[Categoria:Pessoas assassinadas no Brasil]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Bandeira de Rond\u00f4nia.svg"}]},"5626464":{"pageid":5626464,"ns":0,"title":"Johannes Rietstap","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"[[Imagem:Johanne Rietstap.jpg|thumb|right|Johannes Baptista Rietstap em 1861]]\n\n'''Johannes Baptista Rietstap''' ([[Roterd\u00e3]], 12 de maio de 1828 \u2014 [[Haia]], 24 de dezembro de 1891) foi um [[estenografia|esten\u00f3grafo]], [[tradutor]], [[heraldista]] e [[genealogista]] neerland\u00eas.\n\nFilho de Willem Hendrik Rietstap, contador e agente em seguros, e Elizabeth Hermina Remmert, come\u00e7ou sua carreira numa livraria e logo obteve um emprego no jornal ''Nieuwe Rotterdamsche Courant'', ocupado na edi\u00e7\u00e3o e revis\u00e3o. Ali come\u00e7ou a desenvolver um forte interesse em hist\u00f3ria e her\u00e1ldica, ao mesmo tempo em que estudava v\u00e1rias l\u00ednguas. Em 1850 aceitou um convite para trabalhar na equipe de esten\u00f3grafos do [[Estados Gerais dos Pa\u00edses Baixos|Parlamento dos Pa\u00edses Baixos]], e dois anos depois foi efetivado em car\u00e1ter permanente. Sua carreira oficial transcorreu sem incidentes, estando mais interessado em seus estudos privados, embora tenha chegado mais tarde \u00e0 posi\u00e7\u00e3o de Primeiro Esten\u00f3grafo. At\u00e9 a d\u00e9cada de 1870 fez muitas tradu\u00e7\u00f5es de literatura filos\u00f3fica, hist\u00f3rica e rom\u00e2ntica e narrativas de viagens, e como tradutor colaborou com a revista ''De Tijdstroom. Maandschrift gewijd aan Letteren, Wetenschap en Kunst'', que veio a editar por dois anos.Van Drie, Rob. [http://resources.huygens.knaw.nl/bwn1880-2000/lemmata/bwn3/bwn5/bwn4/rietsta \"Rietstap, Johannes Baptista (1828-1891)\"]. In: ''Biografisch Woordenboek van Nederland'', vol. 4. Den Haag, 1994\n\nNeste meio tempo, em 1856 apareceu seu primeiro manual de her\u00e1ldica, ''Handboek der Wapenkunde'', que foi uma importante contribui\u00e7\u00e3o para este campo nos Pa\u00edses Baixos. Em 1861 publicou a primeira edi\u00e7\u00e3o da obra, escrita em franc\u00eas, que lhe traria fama internacional, ''[[Armorial]] g\u00e9n\u00e9ral, contenant la description des armoiries des familles nobles et patriciennes de l'Europe, pr\u00e9c\u00e9d\u00e9 d'un dictionnaire des termes du blason'', um vasto comp\u00eandio contendo a descri\u00e7\u00e3o dos [[bras\u00e3o|bras\u00f5es]] de cerca de 46 mil fam\u00edlias nobres e patr\u00edcias de toda a Europa, complementado com um dicion\u00e1rio.\n\nEm 1871 lan\u00e7ou um peri\u00f3dico, ''Heraldieke Bibliotheek'', que manteria editando at\u00e9 1882. Na mesma \u00e9poca surgiu o ''Wapenboek der Nederlandschen Adel'', sobre a her\u00e1ldica nobre neerlandesa, ampliado com o trabalho ''De Wapens van den Tegenwoordigen en den Vroegeren Nederlandschen Adel met Genealogische en Heraldische Aanteekeningen'', publicados entre 1880 e 1887. Ao mesmo tempo foi refinando e ampliando significativamente o ''Armorial g\u00e9n\u00e9ral''. A segunda edi\u00e7\u00e3o, em dois volumes, apareceu entre 1884 e 1887. Segundo Rob van Drie, Rietstap pode ser considerado o fundador da her\u00e1ldica moderna na Holanda, estabelecendo uma base te\u00f3rica atualizada e especialmente criando um corpo conceitual e uma terminologia adequados \u00e0s tradi\u00e7\u00f5es locais, al\u00e9m de ter contribu\u00eddo significativamente para a evolu\u00e7\u00e3o desta ci\u00eancia em n\u00edvel continental. Entre 1903 e 1926 Victor Rolland e seu filho Henri publicaram uma edi\u00e7\u00e3o ilustrada do ''Armorial g\u00e9n\u00e9ral'' em seis volumes, e entre 1904 e 1954 uma vers\u00e3o ampliada em sete volumes.Rolland, Victor & Rolland, Henri Victor. ''Suppl\u00e9ment \u00e0 l'Armorial g\u00e9n\u00e9ral de Rietstap''. La Haye, 1904-1954Rolland, Victor & Rolland, Henri Victor. ''Armoiries des familles contenues dans l'Armorial g\u00e9n\u00e9ral de J. B. Rietstap''. Institut H\u00e9raldique Universel, 1903-1926\n\n==Ver tamb\u00e9m==\n{{Commons|Category:Johannes Rietstap}}\n*[[Her\u00e1ldica]]\n*[[Genealogia]]\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n\n*Edi\u00e7\u00e3o online do ''Armorial g\u00e9n\u00e9ral''. [http://bibliotecaestense.beniculturali.it/info/img/cat/i-mo-beu-rep-rietstap1.pdf Volume I], [http://bibliotecaestense.beniculturali.it/info/img/cat/i-mo-beu-rep-rietstap2.pdf Volume II]\n* [http://www.euraldic.com/lasu/bl/bl_a_aa.html Edi\u00e7\u00e3o com consulta simplificada]\n\n[[Categoria:Naturais de Roterd\u00e3]]\u00b4\n[[Categoria:Nascidos em 1828]]\n[[Categoria:Mortos em 1891]]\n[[Categoria:Heraldistas]]\n[[Categoria:Genealogistas]]\n[[Categoria:Tradutores]]"}]},"2257073":{"pageid":2257073,"ns":0,"title":"Djursholm","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"[[Ficheiro:Djursholm_2006.jpg|thumb|350px|Vista de Djursholm em 2006
Fotografia: Holger Ellgaard]]\n'''Djursholm''' (pron\u00fancia /j\u0289\u0282\u02c8h\u0254lm/; [[Imagem:Nuvola apps arts.svg|15px]] [https://sv.forvo.com/search/Djursholm/ ou\u00e7a a pron\u00fancia]) \u00e9 um bairro do munic\u00edpio de [[Danderyd]], a norte da cidade de [[Estocolmo]].{{Citar livro |sobrenome=Harl\u00e9n |nome=Hans |coautor=Eivy Harl\u00e9n |t\u00edtulo=Sverige fr\u00e5n A till \u00d6 |titulotrad=A Su\u00e9cia de A a \u00d6 |subt\u00edtulo=Geografisk-historisk uppslagsbok |idioma=sueco |local=Estocolmo |editora=Kommentus |ano=2003 |p\u00e1ginas=583 |p\u00e1gina=69 |cap\u00edtulo=Djursholm|isbn=91-7345-139-8}} \nPertence ao [[Estocolmo (condado)|condado de Estocolmo]], e tem uma popula\u00e7\u00e3o de {{formatnum|9000}} habitantes. \n{{citar web|url= http://www.ne.se/djursholm|t\u00edtulo= Djursholm|publicado=Enciclop\u00e9dia Nacional Sueca|autor=|l\u00edngua=sueco}}\n{{Citar livro |sobrenome=Miranda |nome=Ulrika Junker |coautor=Anne Hallberg |t\u00edtulo=[[Bonniers uppslagsbok]] |subt\u00edtulo= |idioma=sueco |local=Estocolmo |editora=Albert Bonniers F\u00f6rlag |ano=2007|p\u00e1ginas=1143 |p\u00e1gina=194 |cap\u00edtulo=Djursholm |isbn=91-0-011462-6}} \nFoi fundado em 1889, como o primeiro \"bairro residencial de moradias da alta burguesia intelectual\" (''villasamh\u00e4lle''), e foi elevado a cidade em 1914.\n\n{{Citar livro |sobrenome=Thaning |nome=Olof |coautor= |t\u00edtulo=[[Sverigeboken]] |subt\u00edtulo= |idioma=sueco |local=Estocolmo |editora=Det B\u00e4sta |ano=1983 |p\u00e1ginas=408 |p\u00e1gina=236, 250 |cap\u00edtulo=Estocolmo |isbn=91-7030-101-8}} \n{{Citar livro |sobrenome=Hadenius |nome=Stig |coautor=Torbj\u00f6rn Nilsson, Gunnar \u00c5selius |t\u00edtulo=Sveriges historia - Vad varje svensk b\u00f6r veta (''Hist\u00f3ria da Su\u00e9cia \u2013 O que todos os suecos devem saber'') |idioma=sueco |local=Estocolmo |editora=Bonnier Alba |ano=1996 |p\u00e1ginas=447 |p\u00e1gina=263 |cap\u00edtulo=Djursholm |isbn=91-34-51784-7}} \n\n==Personalidade ligadas a Djursholm==\n*[[Elsa Beskow]], escritora e ilustradora de contos infantis\n*[[Jan Carlzon]], dirigente empres\u00e1rio\n*[[Verner von Heidenstam]], escritor\n*[[Viktor Rydberg]], escritor\n*[[Alice Tegn\u00e9r]], compositora\n*[[Bj\u00f6rn Ulvaeus]], m\u00fasico\n*[[Marie Fredriksson]], cantora\n*[[Charlotte Perrelli]], cantora\n*[[Tove Lo|ToveLo]], cantora\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n*[http://www.danderyd.se/ P\u00e1gina de Danderyd]\n\n{{esbo\u00e7o-Su\u00e9cia}}\n\n[[Categoria:Localidades de Estocolmo (condado)]]\n[[Categoria:Localidades da Upl\u00e2ndia]]"}]},"422769":{"pageid":422769,"ns":0,"title":"Montagueia","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Taxonomia\n |nome =Montagueia\n |cor =lightgreen\n |reino = [[Plantae]]\n |divis\u00e3o = [[Magnoliophyta]]\n |classe = [[Magnoliopsida]]\n |ordem = [[Sapindales]]\n |fam\u00edlia = [[Anacardiaceae]]\n |g\u00e9nero = '''''Montagueia'''''\n |subdivis\u00e3o_nome = Esp\u00e9cies\n |subdivis\u00e3o = \n
\n}}\n'''''Montagueia''''' \u00e9 um [[g\u00e9nero (biologia)|g\u00e9nero]] [[bot\u00e2nica|bot\u00e2nico]] pertencente \u00e0 [[fam\u00edlia (biologia)|fam\u00edlia]] [[Anacardiaceae]].\n\n{{esbo\u00e7o-sapindales}}\n{{Portal3|Bot\u00e2nica}}\n\n[[Categoria:Anacardiaceae]]\n[[Categoria:G\u00e9neros de plantas]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Acer rubrum.jpg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Crystal Clear app demo.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Falta imagem aves.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Gxermo2.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Information icon.svg"}]},"3513716":{"pageid":3513716,"ns":0,"title":"The Time Is Now","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/\u00c1lbum\n |nome = The Time Is Now\n |tipo = Est\u00fadio\n |artista = [[B.G. the Prince of Rap]]\n |capa = \n |lan\u00e7ado = 16 de Maio de 1994{{citar web|url=http://www.discogs.com/BG-The-Prince-Of-Rap-The-Time-Is-Now/master/48062|titulo=Informa\u00e7\u00f5es do \u00e1lbum \"The Time Is Now\"|obra=discogs.com|acessodata=17/02/2012}}\n |gravado = \n |g\u00eanero = [[Eurodance]], [[hip hop]]\n |dura\u00e7\u00e3o = \n |idioma = [[L\u00edngua inglesa|Ingl\u00eas]]\n |formato = [[Compact Disc|CD]], [[Fita cassete|K7]], [[Disco de vinil|LP]]\n |gravadora = Dance Pool\n |produtor = Jam El Marm, Stefan Benz\n |video_clipes = \"Can We Get Enough?\"
\"The Colour of My Dreams\"
\"Rock a Bit\"
\"Can't Love You\"\n |\u00faltimo_\u00e1lbum = ''[[The Power of Rhythm ]]''
(1991)\n |pr\u00f3ximo_\u00e1lbum = ''[[Get the Groove On]]''
(1996)\n |miscel\u00e2neo = {{Singles\n | Nome = The Time Is Now\n | Tipo = Est\u00fadio\n | Single 1 = Can We Get Enough?\n | Single 1 data = 1993\n | Single 2 = The Colour of My Dreams\n | Single 2 data = 1994\n | Single 3 = Rock a Bit\n | Single 3 data = 1994\n | Single 4 = Can't Love You\n | Single 4 data = 1995\n }}\n}}\n\n'''''The Time Is Now''''' \u00e9 o segundo [[\u00e1lbum de est\u00fadio]] do cantor de [[eurodance]] e [[hip hop]] [[B.G. the Prince of Rap]], lan\u00e7ado em 16 de Maio de 1994 pelo selo Dance Pool, da Sony Music.\n\n== Desempenho nas paradas musicais ==\n{| class=\"wikitable sortable\" border=\"1\"\n|-\n! [[Parada musical]] (1994)\n! Melhor
posi\u00e7\u00e3o\n|-\n|align=\"left\"|{{DEU}} ([[Media Control Charts]]){{citar web|url=http://www.officialcharts.de/album.asp?artist=B.G.+The+Prince+Of+Rap&title=The+Time+Is+Now&country=de|titulo=Parada de \u00c1lbuns da Alemanha|obra=charts.de|acessodata=17/02/2012}}\n|align=\"center\"| 42\n|-\n|}\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{Portal3|M\u00fasica}}\n\n{{DEFAULTSORT:The Time Is Now}}\n[[Categoria:\u00c1lbuns de 1994]]\n[[Categoria:\u00c1lbuns de B.G. the Prince of Rap]]\n\n\n{{esbo\u00e7o-m\u00fasica}}"}]},"1811302":{"pageid":1811302,"ns":0,"title":"Juzennecourt","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Comuna da Fran\u00e7a|\n|nome = Juzennecourt\n|regi\u00e3o = Grande Leste\n|departamento = Haute-Marne\n|\u00e1rea = 11.87\n|altitude = \n|latP = N| latG = 48| latM = 11|latS = 05\n|lonP = E| lonG = 4| lonM = 58|lonS = 48\n|popula\u00e7\u00e3o = 177\n|densidade = auto\n|censo = 1999\n|insee = 52253\n|insee_ref = s\n|c\u00f3dpostal = 52330 \n|mapa = \n|mapaX = \n|mapaY = \n|escudo = Blason Juzennecourt.svg\n|bandeira = \n|imagem = \n|legenda = \n|gent\u00edlico = \n|website = \n|notas = \n}}\n'''Juzennecourt''' \u00e9 uma [[comuna francesa]] na [[Regi\u00f5es administrativas francesas|regi\u00e3o administrativa]] de [[Grande Leste]], no [[Departamentos franceses|departamento]] de [[Haute-Marne]]. Estende-se por uma \u00e1rea de 11,87 [[Quil\u00f3metro quadrado|km\u00b2]]. {{Pop comuna francesa2|52253|11.87}}\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{esbo\u00e7o-geofr}}\n\n[[Categoria:Comunas do Alto Marne]]"}]},"1329822":{"pageid":1329822,"ns":0,"title":"Marta de Menezes","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"'''Marta de Menezes''' ([[1975]], [[Lisboa]]), \u00e9 uma [[artes pl\u00e1sticas|artista pl\u00e1stica]] [[Portugal|portuguesa]], pioneira no campo da [[bioarte]].\n\n== Hist\u00f3rico ==\nMarta de Menezes \u00e9 uma artista portuguesa (Lisboa, 1975), com licenciatura em Artes Visuais da Universidade de Lisboa, Mestrado em Estudos sobre Hist\u00f3ria da Arte e Cultura Visual pela Universidade de Oxford, e candidata a Doutoramento na Universidade de Leiden. Ela tem vindo a explorar e desenvolver o encontro entre Arte e Biologia, trabalha em laborat\u00f3rios de pesquisa demonstrando que novas tecnologias biol\u00f3gicas podem ser usadas como um novo medium art\u00edstico. Em 1999 Marta, criou o seu primeiro trabalho bioarte (Nature?) atrav\u00e9s da modifica\u00e7\u00e3o do padr\u00e3o de asas de borboletas vivas. Desde ent\u00e3o, ela tem usado diversas t\u00e9cnicas da biologia inclu\u00edndo imagens do c\u00e9rebro por resson\u00e2ncia magn\u00e9tica para criar retratos onde a mente pode ser visualizada (Functional Portraits, 2002); provas de DNA fluorescentes para criar micro-esculturas em n\u00facleos de c\u00e9lulas humanas (nucleArt, 2002); esculturas formadas a partir de prote\u00ednas (Proteic Portrait, 2002-2007), DNA (Innercloud, 2003; The Family, 2004) ou incorporando neur\u00f5es ao vivo (Tree of Knowledge, 2005) ou (Decon, 2007). O seu trabalho te sido apresentado internacionalmente em exposi\u00e7\u00f5es, artigos e palestras. Ela \u00e9 presentemente directora art\u00edstica da Ectopia, um laborat\u00f3rio de arte experimental em Lisboa, e directora da Cultivamos Cultura no Sul de Portugal. Actualmente, \u00e9 artista-residente do MRC - Clinical Sciences Centre do Imperial College of Science, Technology and Medicine em Londres.\n\nhttp://martademenezes.com\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{en}}-[http://www.martademenezes.com/ P\u00e1gina pessoal]\n\n{{esbo\u00e7o-biografia}}\n{{Portal3|Arte}}\n\n{{DEFAULTSORT:Marta Menezes}}\n{{controle de autoridade}}\n\n[[Categoria:Artistas pl\u00e1sticos de Portugal]]"}]},"186325":{"pageid":186325,"ns":0,"title":"Regi\u00e3o de M\u00farcia","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Comunidade aut\u00f3noma da Espanha\n|nome = Regi\u00e3o de M\u00farcia\n|nome_es = Regi\u00f3n de Murcia\n|nome_local = \n|mapa = Localizaci\u00f3n de la Regi\u00f3n de Murcia.svg\n|escudo = Escudo-ca-murcia.svg\n|bandeira = Flag of the Region of Murcia.svg\n|bandeira_link=Bandeira da Regi\u00e3o de M\u00farcia\n|escudo_link= Bras\u00e3o de armas da Regi\u00e3o de M\u00farcia\n|lema = \n|capital = [[M\u00farcia]]\n|gent\u00edlico = murciano, -a\n|popula\u00e7\u00e3o = 1 335 792\n|pop_pc = 3,03\n|censo = 2005\n|densidade = 118,07\n|hino = \n|\u00e1rea = 11 313\n|\u00e1rea_pc = 2,9\n|festividade = \n|estatuto = [[9 de junho]] de [[1982]]\n|prov\u00edncias = Prov\u00edncia de M\u00farcia\n|idiomas = [[L\u00edngua castelhana|Castelhano]]\n|iso = ES-MU\n|congresso = 9\n|senado = 2\n|presidente = Pedro Antonio S\u00e1nchez\n|partido = [[Partido Popular (Espanha)|Partido Popular]]\n|website = [http://www.carm.es/ Website]\n|notas = \n}}\nA '''Regi\u00e3o de M\u00farcia''' \u00e9 uma [[Comunidades aut\u00f4nomas da Espanha|comunidade aut\u00f4noma]] [[Espanha|espanhola]]. Possui uma \u00fanica prov\u00edncia, com o mesmo nome. A sua capital \u00e9 [[M\u00farcia]] mas [[Cartagena (Espanha)|Cartagena]] \u00e9 a sede da [[Assembleia da Regi\u00e3o de M\u00farcia]].\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n* [[Bandeira e escudo da Regi\u00e3o de M\u00farcia]]\n* [[Lista de munic\u00edpios de M\u00farcia]]\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{Link|es|2=http://www.regmurcia.com |3=Portal Cultural da Regi\u00e3o de M\u00farcia}}\n* {{Link|es|2=http://www.carm.es |3=Portal do Governo da Regi\u00e3o de M\u00farcia}}\n\n{{esbo\u00e7o-geoes}}{{Prov\u00edncias da Espanha}}{{Comunidades aut\u00f3nomas da Espanha}}\n\n{{DEFAULTSORT:Regiao Murcia}}\n[[Categoria:Regi\u00e3o de M\u00farcia| ]]\n[[Categoria:Estados e territ\u00f3rios fundados em 1982]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Escudo-ca-murcia.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Flag of Spain.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Flag of the Region of Murcia.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Localizaci\u00f3n de la Regi\u00f3n de Murcia.svg"}]},"3173975":{"pageid":3173975,"ns":0,"title":"Killbox 13","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/\u00c1lbum\n |nome = Killbox 13\n |imagem = \n |tipo = est\u00fadio\n |artista = [[Overkill]]\n |lan\u00e7ado = 25 de mar\u00e7o de 2003\n |gravado = setembro/outubro de 2002 - Gear Recording Studio, Shrewsbury, New Jersey\n |g\u00eanero = [[Thrash Metal]]\n |dura\u00e7\u00e3o = 50:22\n |gravadora = Spitfire\n |produtor = Colin Richardson, Overkill\n |\u00faltimo_\u00e1lbum = ''[[Wrecking Everything]]''
(2002)\n |pr\u00f3ximo_\u00e1lbum = ''[[ReliXIV]]''
(2005)\n}}\n'''''Killbox 13 ''''' \u00e9 o d\u00e9cimo segundo \u00e1lbum da banda de [[Thrash Metal]] [[Overkill]], de [[2003]].http://www.metal-archives.com/band.php?id=168\n\n== Faixas ==\n#\"Devil by the Tail\" \u2013 5:24\n#\"Damned\" \u2013 4:13\n#\"No Lights\" \u2013 5:52\n#\"The One\" \u2013 4:58\n#\"Crystal Clear\" \u2013 5:03\n#\"The Sound of Dying\" \u2013 4:56\n#\"Until I Die\" \u2013 5:20\n#\"Struck Down\" \u2013 4:42\n#\"Unholy\" \u2013 4:40\n#\"I Rise\" \u2013 5:08\n\nTodas as faixas foram compostas por D.D. e Blitz.\n\n== Forma\u00e7\u00e3o ==\n* Bobby \"Blitz\" Ellsworth \u2014 vocal\n* D.D. Verni \u2014 baixo\n* Tim Mallare \u2014 bateria\n* Dave Linsk \u2014 guitarra solo\n* Derek Tailer \u2014 guitarra base\n\n== P\u00e1ginas externas ==\n* [http://wreckingcrew.com/Ironbound/?page_id=2 '''Discografia Overkill!!!''']\n\n{{refer\u00eancias}}\n{{Overkill}}\n\n[[Categoria:\u00c1lbuns de Overkill]]\n[[Categoria:\u00c1lbuns de thrash metal]]\n[[Categoria:\u00c1lbuns de 2003]]"}]},"4596718":{"pageid":4596718,"ns":0,"title":"Vratarnica","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Localidade da S\u00e9rvia\n|Nome = Vratarnica\n|Nome Cir\u00edlico = {{lang|sr|\u0412\u0440\u0430\u0442\u0430\u0440\u043d\u0438\u0446\u0430}}\n|Imagem = \n|Legenda = \n|Bras\u00e3o = \n|Mapa =\n|Lema =\n|Prov\u00edncia = [[S\u00e9rvia central]]\n|Regi\u00e3o = [[Timo\u010dka Krajina (regi\u00e3o)|Timo\u010dka Krajina]]\n|Distrito = [[Zaje\u010dar (distrito)|Zaje\u010dar]]\n|Munic\u00edpio = [[Zaje\u010dar]]\n|lat_deg = |lat_min = |lat_sec =\n|lon_deg = |lon_min = |lon_sec =\n|Altitude = 306\n|\u00c1rea = \n|Popula\u00e7\u00e3o = 456\n|Censo = 2011\n|Densidade =\n|Placa =\n|C\u00f3digo postal = {{formatnum:19344}}\n|C\u00f3digo telefone=\n|Endere\u00e7o =\n|Website sem www=\n|e-mail =\n|Prefeito = \n|Partido =\n|Nuts =\n|Mapa distrito =\n|Mapa regi\u00e3o =\n}}\n'''Vratarnica''' (em [[Alfabeto cir\u00edlico|cir\u00edlico]]:'' {{lang|sr|\u0412\u0440\u0430\u0442\u0430\u0440\u043d\u0438\u0446\u0430}}'') \u00e9 uma vila da [[S\u00e9rvia]] localizada no munic\u00edpio de [[Zaje\u010dar]], pertencente ao distrito de [[Zaje\u010dar (distrito)|Zaje\u010dar]], na regi\u00e3o de [[Timo\u010dka Krajina (regi\u00e3o)|Timo\u010dka Krajina]]. A sua popula\u00e7\u00e3o era de 456 habitantes segundo o censo de 2011.{{citar web|url=http://media.popis2011.stat.rs/2011/prvi_rezultati.pdf|t\u00edtulo=Recensement de la population, des m\u00e9nages et des logements dans la R\u00e9publique de Serbie 2011|data=10 de novembro de 2011|publicado=Site de l'Institut de statistiques de la [[S\u00e9rvia|R\u00e9publique de Serbie]]|acessodata=}}{{Hist\u00f3rico da popula\u00e7\u00e3o (S\u00e9rvia)}}\n\n== Demografia ==\n{{Demografia|\n|1948= 1649\n|1953= 1656\n|1961= 1603\n|1971= 1360\n|1981= 985\n|1991= 733\n|2002= 570{{Historique de la population (Serbie)}}\n|2011= 456\n}}\n\n\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{citar web|url=http://www.maplandia.com/serbia-and-montenegro/srbija/vratarnica/ |t\u00edtulo=Vratarnica Map|data=|publicado=Maplandia.com|acessodata=30 de dezembro de 2014|l\u00edngua=en}}\n* {{citar web|url=http://www.fallingrain.com/world/RI/00/Vratarnica.html |t\u00edtulo=Vratarnica Map|data=|publicado=Fallingrain.com|acessodata=30 de dezembro de 2014|l\u00edngua=en}}\n\n{{Distrito de Zaje\u010dar}}\n{{Esbo\u00e7o-geo-servia}}\n{{Portal3|S\u00e9rvia}}\n\n[[Categoria:Vilas de Zaje\u010dar]]"}]}}}}